Tempo de leitura: 2 minutos

Gerson Marques | gerson-marques@uol.com.br

Você pode até dizer que nunca foi fã de Michael Jackson, entendo, mas nunca vai poder dizer que ficou imune a este furacão, que nunca viu a luz deste cometa, que nunca se pegou batendo o pé ao ritmo de uma dance-music ou de queixo caído com os passos mágicos de quem anda sem sair do lugar.

Antes havia a música, a dança e a TV. Depois tudo isso, passou a se chamar videoclip. Antes havia a música negra e a música branca, depois só havia a World Music.

Antes o cantor era um artista. Depois dele o artista tornou-se um andrógeno, não existia limite para esse gênio, o único limite chegou dia destes quando o relógio marcava  uma e meia da tarde em uma mansão da Califórnia. Michael se foi. Será? Será que Michael se foi?

Ontem tinha mais estrelas no céu que hoje, mas o céu continua lindo como ontem e assim será amanhã com uma estrela a menos.

A estrela chamada Michael não tinha gênero. Era impossível classificá-lo, estava em um patamar diferente, algo assim como um deus do tipo Netuno, Afrodite, Iemanjá, John Lennon, Gandhi, Chaplin, Einstein entre outros poucos, pouquíssimos é verdade. Era um destes que nunca existiu e nunca existirão dois iguais.

Se você nunca dançou ao som de Ben de rostinho colado ouvindo a voz feminina de um garoto de onze anos, ou nunca se estrebuchou em uma discoteca ao som de Thriller,  nem mesmo se emocionou com a belíssima We are the world em favor dos povos da África e não entendeu a fortíssima mensagem ante-racista na super canção Black and White, me perdoe,mas você não viveu nos últimos trinta anos, tente viver, ainda dá tempo.

Não se pergunte por que a morte leva os gênios tão cedo. Não existe resposta para isso. Para as estrelas, morrer é apagar a luz. Para nós, é ver tudo um pouco mais escuro.

Michael morreu criança ao cinquenta anos, mas ainda uma criança a criança da terra do nunca de Never Land, a eterna criança que sempre será a voz dos Jackson Five.

Não tente entender Michael, impossível
. Mas saiba que ele foi o primeiro artista importante de sua época a atravessar o Atlântico para abraçar Nelson Mandela pouco depois que ele saiu da prisão. E isso foi muito, muito importante para o fim do apartheid.

Saiba também que grande parte de sua imensa fortuna, a fortuna financeira é claro, foi gasta em doações permanentes para trinta e nove instituições de várias partes do mundo que se dedicam às crianças com câncer, à pesquisas contra a AIDS, ao combate à fome e à desmontagem de minas terrestre.

Michael foi um soco no estômago da direita racista americana, uma mosca na sopa dos preconceituosos, um tapa na cara dos que não sonham nem tem fantasias, um turbilhão que virou de cabeça para baixo a moral burguesa e colocou luz na escuridão do mundo triste dos anos oitenta, imerso na guerra fria.

Michael dançou em cima do caixão dos hipócritas e dos cínicos e eles nunca o perdoaram, tentaram de todo jeito vinculá-lo à pedofilia, ao excentrismo e à sordidez. Nunca conseguiram.

Daqui a mil anos, quando contarem a história do Século Vinte
, Michael estará lá, dançando, cantando, dançando… Para pessoas assim, a palavra morte é só palavra. Não tem o menor significado.

Gerson Marques

Tempo de leitura: < 1 minuto

… E PERDE O EMPREGO

O episódio estampou a edição do espanhol EL Pais. O ministro da Economia, Manuel Pinho, aproveitou-se de um momento em que o deputado comunista Bernardino Soares criticava o governo, mirou o parlamentar e pôs os dedos indicadores na testa, a indicar um par de chifres. É um símbolo universal e doído ao suposto dono…

Bernadino foi acudido até pelos deputados governistas, que pediram a saída do chifroso. A gracinha custou a Manuel Pinho o próprio cargo. Ele até se desculpou pela, digamos, brincadeirinha, mas teve que entregar a cabeça na bandeja. Sem os chifres, claro.

O chifroso desembestado foi substituído pelo ministro da Fazenda, Fernando Teixeira dos Santos. O gesto pode custar ainda mais caro ao governo do primeiro-ministro José Sócrates Carvalho. Dentro de pouco mais de dois meses haverá eleição em Portugal.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do blog do Ancelmo Gois

Os tucanos encomendaram ao Vox Populi pesquisas regionais para presidente, levando em consideração a situação nos estados.

É que a direção do PSDB trabalha com a possibilidade de o sucessor de Lula ser escolhido ainda no primeiro turno e, seguindo essa análise, as alianças para formação dos palanques nos estados se tornam ainda mais importantes.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O secretário de saúde, Jorge Solla, caminha ao lado do deputado Geraldo Simões e de Juçara Feitosa. Ao fundo, uma placa do governo colada a uma faixa de manifestação de policiais e delegados aprovados em concurso e que ainda esperam nomeação.
O secretário de saúde, Jorge Solla, caminha ao lado do deputado Geraldo Simões e de Juçara Feitosa. Ao fundo, uma placa do governo (Agora tem) 'colada' a uma faixa de manifestação de escrivães e delegados da polícia civil aprovados em concurso. Os manifestantes ainda aguardam nomeação. Este foi um dos poucos momentos em que houve protesto contra Wagner.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Juçara mostrou entrosamento com Wagner. Já o esposo Geraldo...
Juçara mostrou entrosamento com Wagner. Já o esposo Geraldo...

A petista Juçara Feitosa, ex-candidata a prefeita de Itabuna, não perdeu a oportunidade e foi participar do desfile do 2 de Julho em Salvador. Por lá, manteve contatos políticos e apareceu ao lado do governador Jaques Wagner e da primeira-dama, Fátima Mendonça.

Cada vez mais, ela deixa claro que é pré-candidata a deputada estadual em 2010, provocando o desespero no parlamentar Capitão Fábio, que ainda espera ter o apoio do deputado federal Geraldo Simões, esposo de Juçara. Do jeito que está e como a banda tocou no 2 de Julho… é melhor se cuidar, capitão.

Juçara e Fátima Mendonça conferem a popularidade de Wagner.
Juçara e Fátima Mendonça caminham juntinhas e conferem a popularidade de Wagner.

Fotos: Matheus Feitosa/Políticos do Sul da Bahia

Tempo de leitura: < 1 minuto

Não há crise para o mercado chocolateiro, mas é impressionante como as indústrias moageiras instaladas em Ilhéus e Itabuna endureceram as negociações salariais. A Delfi Cacau (Nestlé) não ofereceu melhor contraproposta aos empregados e manteve a ‘oferta’ inicial de pouco mais de 3% de reajuste. Ontem, a Cargill ofereceu 5,45% e mais 80% do salário como participação nos lucros e resultados. E nadinha de reajuste no tíquete-alimentação.

Do outro lado da mesa, os trabalhadores, representados pelo Sindicacau, querem 12% de aumento. Na Cargill, novas rodadas de negociações estão previstas para os dias 16 e 17.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O Tribunal de Contas dos Municípios julgou procedente denúncia contra o ex-prefeito de Prado, Wilson Alves de Brito Filho, referente ao contrato irregular da empresa C. V. Santos & Cia. Ltda, em 2007. A sessão que acatou denúncia contra o ex-gestor foi realizada ontem.

A empresa foi contratada por R$ 1.659.240,00 para fazer a limpeza pública urbana no município em 2007. Mas o contrato acabou por limpar também os cofres do município, segundo entendimento do TCM. O relator Paolo Marconi determinou formulação de representação ao Ministério Público e multou o ex-gestor em R$ 15 mil.

O TCM identificou diversas irregularidades, como a ausência de publicação do edital e do extrato do contrato, ausência de certidões negativas do INSS e FGTS nos processos mensais de pagamento entre outras. Também não foram observados os princípios da legalidade, razoabilidade, moralidade e economicidade.

O relator afirmou que o gestor limitou-se, em sua defesa, a divulgar a excelência de sua administração na atividade de limpeza pública urbana do município. Para ele, a tal excelência justificaria os gastos considerados tão elevados na contratação de uma empresa do ramo.

Tempo de leitura: 2 minutos
Benevides explica vantagens para autônomos (Foto: Luiz Conceição).
Benevides explica vantagens para autônomos (Foto: Luiz Conceição).

QUEM TRABALHA POR CONTA PRÓPRIA JÁ PODE SE LEGALIZAR E TER ACESSO A BENEFÍCIOS

A lei complementar que facilita a legalização de quem trabalha por conta própria deve beneficiar mais de 2 mil autônomos só em Itabuna, segundo cálculos do presidente da Associação das Microempresas do Estado da Bahia (Ampesba), Waldir Ribeiro. A Lei do Empreendedor Individual entrou em vigor ontem, dia 1º.

A Ampesba, o Sebrae e entidades ligadas ao movimento lojista  promoveram palestra para explicar como quem trabalha por contra própria pode se beneficiar da “Lei do Micro Empreendedor Individual”.

Quem trabalha por conta própria e tem renda anual de até R$ 36 mil pode procurar um escritório de contabilidade para legalizar-se. O processo é simples, segundo o advogado e contabilista Erivaldo Benevides.

Itabuna tem 17 escritórios credenciados e Ilhéus possui oito para atender ao microempreendedor que ainda se encontra na informalidade. A adesão à lei possibilita ao autônomo comprar diretamente da indústria, pois terá um CNPJ exclusivo, além de acesso ao crédito com juros mais baixos e benefícios previdenciários, como a aposentadoria.

Para se enquadrar como um empreendedor individual, é necessário faturar, no máximo, até R$ 36.000,00 por ano, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular e ter um empregado contratado que receba salário mínimo ou piso da categoria.

Além de ser enquadrado no Simples Nacional, ficará isento do pagamento de impostos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Após sua legalização, o Empreendedor Individual pagará apenas o valor fixo mensal de R$ 52,15 (comércio ou indústria) ou R$ 56,15 (prestação de serviços), que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS.

A contribuição permitirá ao autônomo, ainda, ter acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, entre outros. Dúvidas pode ser tiradas através dos telefones do Sebrae (0800 570 0800) e da Receita Federal (135) ou no site www.portaldoempreendedor.gov.br. A ligação ao Sebrae ou à Receita é gratuita.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito Capitão Azevedo reclamou, recentemente, que as obras da avenida Pedro Jorge não saem do papel devido à burocracia, que exige licitação para tudo no setor público. “Tudo é licitação, e a licitação não sai!”, disse o prefeito, à época (veja aqui).

Mas o Pimenta descobriu (é brincadeirinha…) o porquê de tanto atraso. As empresas concorrentes não estão conseguindo atender as exigências do edital. A peça publicada pela prefeitura exige que a firma esteja habilitada para fazer “obras d’arte” na avenida!

Não acredita? Veja na imagem abaixo ou clique aqui. Tá no Diário Oficial do Município.

obra-de-arte3

Tempo de leitura: < 1 minuto

Agora há pouco, o governador da Bahia, Jaques Wagner, falou a respeito das comemorações e das manifestações de natureza política, no cortejo do Dois de Julho.

Durante a festa, o prefeito João Henrique foi vaiado por servidores da Prefeitura de Salvador. Junto a ele, o ministro Geddel Vieira Lima também recebeu sua dose de apupos.

Wagner criticou levemente – e politicamente – as manifestações. Disse preferir que as pessoas aplaudam aqueles de quem gostam e silenciem diante dos que não apreciam.

O governador também salientou a importância do Dois de Julho, afirmando inspirar-se nos “nossos verdadeiros heróis”.

Clique AQUI para ouvir a entrevista.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A informação é do blog Sport News: Quatro médicos que atendem na unidade de pronto atendimento a pacientes da dengue, inaugurada em 13 de março pelo governador Jaques Wagner, estão há quatro meses sem receber salário. Os profissionais estão vinculados à Santa Casa de Misericórdia de Itabuna e ameaçam cruzar os braços. A Santa Casa diz que os atrasos se devem à falta de repasse do din-din por parte do governo estadual.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Não foi nada amigável o reencontro entre Marcos Gomes e o secretário de Planejamento da Prefeitura de Itabuna, Maurício Athayde. O contato se deu no aniversário do pai de Marcos, o ex-prefeito Fernando Gomes, no dia 30.

Athayde se aproximou sorridente e cumprimentou um Marcos Gomes gélido, que não fez mistério sobre o motivo da frieza: “passei seis meses telefonando e você não atendeu”.

O período ao qual o filho do ex-prefeito se referiu foi o que ele esteve foragido, por conta da acusação de assassinato do vaqueiro Alexsandro Honorato.