Tempo de leitura: < 1 minuto

Fazendeiros que tiveram áreas desapropriadas pelo Governo do Estado, para a construção da barragem no Rio Colônia, entre Itaju do Colônia e Itapé, protestam contra a demora no pagamento das indenizações.

Nesta quarta-feira, 7, um grupo de fazendeiros discutiu o assunto em reunião na Câmara de Vereadores de Itapé. Eles dizem que até o momento o Estado pagou apenas 10% do valor devido pelas terras desapropriadas.

No encontro, ficou estabelecido um prazo até o final desta semana para o pagamento das indenizações. Caso isto não ocorra, a turma promete realizar protestos. E, de quebra, até paralisar a obra da barragem.

7 respostas

  1. É o governo que gasta milhões com propaganda e da calote em fazendeiros, empreiteiras, trabalhadores. Triste Bahia!!

  2. A Andrade Galvão responsavél pela obra não recebe um tostão furado à 180 dias do Falido Estado da Bahia, esse é o jeito do PT governar. Abram Olho fazendeiros se não o que vai encher a barragem é o choro de voces.

  3. A cerb Companhia do Estado da Bahia , está desrespeitando os fazendeiros, não atendem telefone e nem respondem correspondencia protocolada.

  4. O governo wagner é uma piada alugou uma maquina em ilheus por um dia no anuncio da nova ponte, agora essa noticia que não pagou os fazendeiros e nem a construtora Andrade galvão

  5. Esse governo deixa a desejar em todas as esferas: política, educação, saúde, segurança…não é de admirar que venha fazendo essa verdadeira LAMBANÇA com os fazendeiros do entorno da barragem. Trata-se de obra eleitoreira, como tantas outras dessa administração. Todos devemos apoiar esse movimento, pois é muito justo: tais pessoas abriram suas propriedades para que se fizessem estudos locais, cálculos, medidas etc. e agora o estado vira as costas para esses cidadãos, honestos e arrecadadores de impostos. No que depender de mim, APOIO ESTE MOVIMENTO E VOU AJUDAR A DIVULGAR A FALTA DE ÉTICA NESSA ATITUDE DO GOVERNO.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.