Os médicos Renato Costa e João Otávio (entre o presidente da Funcepes Rodolfo Nascimento) foram homenageados
Tempo de leitura: 2 minutos

A Fundação Centro de Estudos Professor Edgar Santos (Funcepes) completou, nesta sexta-feira (1º), 48 anos de criada. A entidade surgiu em 1º de abril de 1974 com o objetivo de contribuir para o conhecimento técnico-científico e o desenvolvimento de pesquisa e ações sociais no sul da Bahia.

Na noite de quinta-feira (31), durante encontro realizado no auditório do pavilhão administrativo do Hospital Calixto Midlej Filho, os convidados e profissionais de saúde da nova geração conheceram um pouco mais sobre a história e importância da Funcepes para o desenvolvimento da pesquisa no interior da Bahia. Coube ao médico nefrologista Renato Costa, fundador e primeiro presidente, fazer um resumo dos 48 anos de atividades da entidade.

O principal objetivo do grupo de médicos, ao criar a Funcepes, segundo o ex-presidente, era possibilitar que Itabuna e região contassem com um número maior de profissionais com especialização. “Para contar com esse profissional, durante muito tempo, concedemos bolsas de estudos para centros de referência no Brasil e exterior. Em contrapartida, os médicos precisavam atuar aqui. Com isso, houve uma ganho importante para comunidade regional”, contou Renato Costa.

AÇÕES PARA PROTEÇÃO À SAÚDE DA POPULAÇÃO

Para a diretora técnica do Hospital Calixto Midlej Filho, a médica Maria Carolina Reis, a Funcepes tem uma atuação importante em assuntos que envolvem estudos na área da medicina e ações para proteção à saúde da população. Já o presidente da Funcepes, o médico Rodolfo Silva Nascimento, que também é coordenador do Serviço de Nefrologia da Santa Casa de Itabuna, fez um balanço positivo das ações quem vêm sendo realizadas pela entidade.

O médico falou sobre a importância do investimento na pesquisa. “Quando a Funcepes viabiliza um curso, seminário ou simpósios, está possibilitando melhoria das nossas práticas. Isso reflete positivamente da maneira de atender os nossos pacientes da forma mais adequada possível”, observou o médico. Ele acrescentou que neste ano será realizada uma série de eventos que têm como público-alvo profissionais de diferentes especialidades.

Ex-presidente da Funcepes, a médica nefrologista Célia Kalil avaliou que a Fundação é a porta para ampliação dos conhecimentos. “Quando aprendemos novas coisas, tudo se tona mais fácil de ser resolvido. Criada há quase 50 anos por um visionário, Funcepes é uma entidade que muito tem contribuído com a pesquisa e a ciência”, disse. O evento foi encerrado com uma homenagem aos profissionais que mais contribuíram com a entidade.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.