Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Civil analisa imagens de câmeras de segurança e ouve testemunhas com objetivo de identificar o suspeito de matar o radialista Jota Silva, encontrado morto em sua residência, no Manuel Leão, em Itabuna, na noite de ontem (5). A delegada Magda Figueiredo, responsável pela investigação, explicou que as primeiras informações levantam a hipótese de latrocínio, que é o homicídio seguido de roubo.

Vídeos revelaram que Jota Silva e o suspeito, um jovem, chegaram à casa do radialista juntos, na tarde desta terça, conta a delegada. “Ficaram lá e só à noite, por volta de oito e quarenta, é que esse rapaz sai, tenta arrancar com o carro, mas não consegue, abandona o veículo lá e foge a pé”, acrescenta.

O trabalho dos peritos também pode ajudar a esclarecer as circunstâncias do crime. Quando foi encontrado por policiais em um dos quartos da residência, o corpo de Jota Silva tinha marcas de estrangulamento. Segundo testemunha ouvida pela Polícia Civil, o suspeito chegou a tirar o carro do radialista da garagem. Dentro do veículo, os investigadores encontraram pertences da vítima, a exemplo de computador, caixa de som e alimentos, o que reforça a hipótese de latrocínio. O carro também será periciado.

Corpo é velado em funerária próximo ao Cemitério Campo Santo, onde será sepultado nesta tarde, às 16h. Com informações da TV Santa Cruz.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.