Tempo de leitura: < 1 minuto

A Justiça acatou, nesta quarta-feira (6), denúncia contra 11 acusados de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro, associação criminosa e falsidade ideológica na Bahia. De acordo com o Ministério Público da Bahia, os denunciados montaram um esquema com criação de empresas em nome de “laranjas” para sonegar mais de R$ 39 milhões. O esquema foi desmantelado pela “Operação Panaceia”.

Deflagrada em junho de 2021, a operação apreendeu computadores, pendrives, celulares e documentos. Conforme informações da Força-Tarefa, o esquema de sonegação, que também envolveria lavagem de dinheiro, existia há pelo menos 12 anos, iniciando com a empresa Millenium Farma Distribuidora de Medicamentos Ltda.

A “Operação Panaceia” é parte das ações do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira), que reúne, além do MP-BA, Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (Sefaz), Secretaria de Segurança Pública, Secretaria Estadual de Administração, Tribunal de Justiça do Estado da Bahia e Procuradoria Geral do Estado. A operação contou com apoio da Polícia Civil e Receita Federal.

Além de operações especiais, as estratégias do Cira para a recuperação dos créditos sonegados envolvem a realização de oitivas com contribuintes e ajuizamento de ações penais. O Comitê possui sedes em Barreiras, Feira de Santana e Vitória da Conquista, além do escritório central em Salvador.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.