Comerciantes do bairro Califórnia sofrem com descarte irregular de entulho|| Foto Roberto Santos
Tempo de leitura: 2 minutos

A Prefeitura de Itabuna anunciou, nesta sexta-feira (20), que vai apertar o cerco contra quem insiste em descartar lixo e entulhos em vias públicas da cidade. Um dos pontos classificado como viciado é uma área em frente ao Colégio Escola Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, no bairro Califórnia. A ação irregular prejudica comerciantes e os próprios moradores.

Além de aplicar multas e aprender carroças e veículos carregados de lixo e entulho que se utilizam do local para descarte, o diretor do Departamento de Limpeza Pública da Superintendência de Serviços Públicos, Lázaro Pelegrini, disse que o primeiro passo já foi dado, com a construção de um muro no local, pelo proprietário da área, que atendeu solicitação da Prefeitura de Itabuna.

A próxima etapa será a instalação de uma câmara de segurança e a presença de agentes de fiscalização no local para evitar descarte irregular. “Com imagens da câmara de segurança, será possível identificar os infratores que podem ser punidos com multas e apreensão de seus respectivos veículos e carroças”, afirma o diretor.

Ele reclama que não se justifica o lixão naquela área, já que o caminhão coletor passa diariamente. Diz ainda que a cada dois dias, equipes da limpeza pública, com máquina pesada, fazem a remoção do lixo.

COLETA DIÁRIA

Moradores da Travessa Castro Alves confirmam a passagem diária do caminhão compactador e remoção do lixo que se acumula ao longo do dia. “Não adianta. Eles limpam e 10 minutos depois chegam carroças e carros com entulho e lixo, seja durante o dia ou à noite”, afirma a dona de casa Fátima Sobral.

Para Fátima Sobral, é falta de cidadania e de respeito com os moradores e comerciantes, além da Prefeitura que mantém o serviço de limpeza pública funcionando. “Alguns insensatos não colaboram e terminam por prejudicar a cidade como um todo”, frisa indignada.

Ela mora na Travessa Castro Alves há mais de 38 anos e conta que nem sempre foi assim. Diz que no local funcionava um ponto comercial, mas depois que fechou, a área se transformou num inferno, pois todo dia chegam carroças lotadas de entulho e até de animais mortos que despejam tudo como se aqui fosse um lixão”, completa.

A professora Tatiana Calazans, do Grupo Escolar Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, também confirma o problema, com a agravante de que alunos e funcionários sofrem, diariamente, por causa do mau cheiro e a grande quantidade de baratas e ratos que invadem as salas de aula. “É preciso mesmo que a Prefeitura seja rigorosa com esses infratores”, cobra.

Uma resposta

  1. Maravilha, aqui no Conceição no passeio do colégio Batista Teosópolis na rua Duque de Caxias estão descartando todos os dias restos de móveis.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.