Vacinação em massa mostra eficácia no interior de São Paulo
Tempo de leitura: < 1 minuto

O município de Botucatu, no interior paulista, registrou queda de 71,3% nos casos do novo coronavírus em seus moradores seis semanas após iniciar a vacinação em massa na população. Os dados são de um estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) sobre a eficácia da vacina da AstraZeneca/Oxford, produzida .

O início do programa de vacinação em massa ocorreu no município no dia 16 de maio, quando 65 mil moradores foram vacinados em um único dia. Até o momento, cerca de 77 mil moradores receberam, pelo programa, a primeira dose da vacina, cuja segunda dose é aplicada após 90 dias. Botucatu tem cerca de 150 mil habitantes, dos quais 106 mil são maiores de 18 anos.

Além da queda no número de casos, as internações decorrentes da doença também apresentaram queda na cidade: 46% a menos. “As vacinas são doses de esperança para a população brasileira. A diminuição dos casos com a primeira dose já mostra bons resultados do estudo em Botucatu, que serve de base para o resto do país”, destacou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

O estudo também investiga a eficácia da vacina contra as variantes da cepa original do novo coronavírus. No entanto, os resultados completos sobre o estudo ainda não foram divulgados.

Jequié suspende aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19|| Foto Zenilton Meira
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria de Saúde de Jequié, no sudoeste da Bahia, suspendeu, temporariamente, a aplicação da primeira dose da vacina da Oxford contra o novo coronavírus, em função do desabastecimento do imunizante. Por isso, nesta quarta-feira (9), só haverá aplicação da vacina para quem está no prazo de tomar a segunda dose.

A Secretaria de Saúde de Jequié informou que retomará a vacinação com a Oxford assim que novas remessas chegarem ao município. Já a vacinação das gestantes e puérperas nos centros de Saúde está mantida, até enquanto houver disponibilidade de doses do imunizante. Foram aplicadas 48.421 mil doses de vacina no município do sudoeste da Bahia.

Jequié registra 15.548 casos confirmados de Covid-19, com 15.004 recuperados. Há 218 casos ativos (pessoas se recuperando da doença) e 326 óbitos registrados desde o início da pandemia, além disso, existem 25 pacientes internados em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Desse total, 14 são moradores do município.

Novas remessas da Coronavac e AstraZeneca dão ânimo na luta contra a covid-19
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) devem entregar ao Ministério da Saúde ao menos 27 milhões de doses da Coronavac e da vacina de Oxford em abril, segundo os fabricantes. O plano considera o que pode ser produzido com os insumos já recebidos pelo Brasil, informa o Metro1.

Das 27 milhões de doses dos imunizantes contra a Covid-19 para abril, 18,8 milhões são da Fiocruz e 13,2 milhões do Butantan, com as 5,7 milhões de doses atrasadas, que teriam que ser produzidas e entregues até amanhã (31). Até então, a fundação entregou 5,8 milhões de doses da vacina de Oxford ao país e o instituto, 32,8 milhões da Coronavac.

O Butantan garantiu ao governo federal a entrega de 46 milhões de doses até o dia 30 de abril e 54 milhões até agosto, totalizando 100 milhões de doses quatro meses antes do fim do ano. Já a Fiocruz prometeu 104,4 milhões de doses no primeiro semestre e 110 milhões no segundo semestre, o que garantiria 214,4 milhões de doses da vacina de Oxford até o final deste ano.

Por enquanto, a Fiocruz tem Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) suficiente para a produção de cerca de 27 milhões de doses e o Butantan para 35 milhões. O secretário de Saúde do estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn, informou ontem (29) que o instituto vai receber mais insumos suficientes para a produção de mais três milhões de doses da Coronavac entre os dias 6 e 8 de abril.

Até o momento, município contabiliza 7.127 doses das vacinas CoronaVac e AstraZeneca/Oxford
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) destinou 1.110 doses da vacina AstraZeneca/Oxford para a vacinação em Ilhéus, informou o secretário municipal de Saúde, Geraldo Magela, em entrevista ao Tabuleiro, programa da Ilhéus FM, nesta segunda-feira (25).

Com o novo lote somado às 6.017 doses da CoronaVac, o município contabiliza o recebimento de 7.127 vacinas contra a Covid-19.

Segundo Magela, todos os profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate ao vírus já foram vacinados.

Hoje, a Secretaria Municipal de Saúde começou a vacinar idosos com 80 anos ou mais. A vacinação desse público-alvo vai continuar nessa terça-feira (26).

Doses da Astra Zeneca chegam à Bahia na manhã deste domingo
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Ministério da Saúde informou, neste sábado (23), que a previsão é de que a Bahia receba 119.500 mil doses da vacina da AstraZeneca/Oxford, na manhã deste domingo (24). O imunizante contra o novo coronavírus é produzido pelo laboratório indiano Serum e chegou ao Brasil na sexta-feira (22), vindo da Índia.

O PIMENTA apurou que o carregamento da vacina está programado para chegar em Salvador às 10h 45min deste domingo, no aeroporto Internacional. Em seguida, a carga deverá ser encaminhada para a sede do Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer), onde foi montada uma estrutura para recebimento e armazenamento temporário do imunizante.

A distribuição da vacina AstraZeneca/Oxford pela Secretaria de Saúde da Bahia para os 417 municípios deve ocorrer a partir amanhã. Como ocorreu com a CoronaVac, o imunizante será aplicado em pessoas que fazem parte dos grupos prioritários, que incluem profissionais de saúde que atuam na linha de frente e idosos que estão em abrigos.

As doses são suficientes para vacinar menos de 60 mil pessoas em todo o estado, pois cada pessoa terá que tomar duas doses para que o imunizante faça efeito.

No início da semana a Bahia começou a vacinação contra a Covid-19, com 376.600 doses da Coronovac – imunizante desenvolvido pelo Instituto Butantan, em parceria com a empresa chinesa Sinovac Biotech. Assim como ocorre com AstraZeneca/Oxford, são necessárias duas doses para que a Coronovac faça efeito, segundo o Butantan.