Novas cargas com vacinas da Pfizer e da Astrazeneca chegam ao estado || Foto Sesab
Tempo de leitura: < 1 minuto

Na manhã desta quinta-feira (16), a Bahia recebeu mais 166.140 doses de vacinas da Pfizer/BioNtech. O avião com a carga pousou no aeroporto de Salvador às 9h35min.

À tarde, a Bahia receberá uma nova remessa com 95.250 doses da vacina Oxford/AstraZeneca, prevista para às 14h15min. São 261.390 doses, no total, a serem recebidas hoje.

Com esta nova carga, a Bahia chegará ao total de 18.231.508 doses de vacinas recebidas, sendo 6.793.918 da Sinovac/Coronavac; 6.846.830 da Oxford/AstraZeneca; 4.329.660 da Pfizer e 261.100 da Janssen.

PGE entra no STF por mais vacina para a Bahia || Foto Sesab/Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia recebe mais 318.080 doses de vacinas contra Covid-19 nesta segunda-feira (9) e terça-feira (10). A primeira remessa, com 102.800 doses de Coronavac, chegou ao aeroporto de Salvador hoje, às 9h25min. A segunda remessa, com 215.280 imunizantes da Pfizer BioNTech, deve chegar amanhã em um voo programado para aterrissar às 9h35min. As ssvacinas serão destinadas para primeira e segunda aplicações.

As vacinas serão conferidas pela equipe da coordenação de imunização da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) e devem começar a ser enviadas para as regionais de saúde, de onde serão encaminhadas para os municípios nesta terça-feira. Elas serão remetidas, exclusivamente, aos municípios que aplicaram 85% ou mais das doses anteriores. Esta foi uma decisão da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que é uma instância deliberativa da saúde e reúne representantes dos 417 municípios e o Estado.

Contando com as remessas de hoje e amanhã, a Bahia chegará ao total de 12.438.040 doses de vacinas recebidas, sendo 4.223.300 da Coronavac; 6.086.830 AstraZeneca/Oxford; 1.866.810 da Pfizer e 261.100 da Janssen.

Semana também vai ter aplicação da 2ª dose das vacinas Astrazeneca e Coronavac
Tempo de leitura: 3 minutos

A Secretaria Municipal de Saúde divulgou o calendário de vacinação contra Influenza e Covid-19 desta semana em Itabuna. Desta segunda-feira (9) até a próxima sexta-feira (13), prossegue a vacinação contra Influenza (gripe), pela manhã, nas Unidades Básicas e de Saúde da Família das 8h às 11h. Serão vacinadas pessoas com idade a partir de 6 meses. A documentação exigida é o RG, CPF ou cartão do SUS, comprovante nominal de residência.

No período vespertino, prossegue a aplicação da primeira dose contra a Covid-19, das 13h às 16h. Nesta segunda-feira (9), serão vacinadas pessoas com idade a partir de 27 anos completos. Na terça-feira (10), pessoas com idade a partir de 26 anos completos.

Na quarta-feira (11), será vacinado o grupo de pessoas com idade a partir de 25 anos. Na quinta-feira (12), serão contemplados com a imunização contra o coronavírus, pessoas com idade a partir de 24 anos. Já na sexta-feira (13), pessoas com idade a partir de 23 anos.

A documentação necessária é a Carteira de Identidade (RG), CPF ou cartão do SUS e comprovante nominal de residência. Quem mora de aluguel precisa apresentar fotocópia do contrato.

GESTANTES E PUÉRPERAS

Também nas UBS e USF até a sexta-feira, das 13h às 16 h, serão vacinadas contra Covid-19 gestantes e puérperas com a vacina da Pfizer ou Coronavac.

A documentação necessária é RG, CPF ou cartão do SUS e comprovante nominal de residência, relatório médico atestando a gravidez ou fotocópia do ultrassom ou do cartão de pré-natal (assinado e carimbado pelo médico ou enfermeiro). Para as puérperas, também é preciso levar a fotocópia da certidão de nascimento da criança.

DRIVE THRU

Nesta semana, haverá um dia destinado ao drive thru para aquelas pessoas que não conseguem se vacinar no turno diurno. Será no sábado (14), quando será aplicada a primeira dose da vacina contra covid-19 nas pessoas com idade a partir de 22 anos completos.

A vacinação será no Teatro Candinha Doria, das 10h às 14h ou até acabar as fichas. Segundo a Secretaria de Saúde, serão distribuídas 500 senhas, por ordem de chegada. A documentação é o RG, CPF ou cartão do SUS e comprovante nominal de residência. Para aqueles que moram de aluguel, é preciso que apresentar a fotocópia do contrato.

2ª DOSE CORONAVAC e ASTRAZENECA

Nas Unidades Básicas e de Saúde da Família, das 13h às 16 h, haverá aplicação das segundas doses das vacinas Oxford e Coronavac para aquelas pessoas que receberam a primeira dose das respectivas vacinas.

Para a Oxford, o grupo contemplado nesta semana para a segunda aplicação é aquele que recebeu a primeira dose entre os dias 3 e 11 de maio. Já para a segunda dose da Coronavac, o público é aquele que recebeu a primeira aplicação da vacina entre os dias 12 e 16 de julho.

Na quarta-feira (11), receberão a segunda dose da vacina Oxford contra Covid-19 os trabalhadores da educação da rede municipal, com idade a partir de 45 anos. A ação será na UniFTC, das 9h às 14h. A documentação necessária é o RG, CPF ou cartão do SUS e cartão de vacina com registro da primeira dose.

Na quinta-feira (12), receberão a segunda dose da vacina Oxford, trabalhadores da educação das redes estadual e privada e da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), com idade a partir de 45 anos. A ação será na UniFTC das 10h às 14h. A documentação necessária é o RG, CPF ou cartão do SUS e cartão de vacina com registro da primeira dose.

Já na sexta-feira (13), pacientes do Cerpat e trabalhadores da saúde de clínicas e consultórios receberão a segunda dose da vacina Oxford contra o Covid-19. A ação será na Rede de Frio das 9 às 14 h. A documentação exigida é o RG, CPF ou cartão do SUS e cartão de vacina com registro da primeira dose.

Ministro Marcelo Queiroga anuncia atualização de recomendações da pasta sobre a aplicação de vacinas contra a Covid-19 em gestantes e puérperas
Tempo de leitura: 3 minutos

Após reincluir grávidas e puérperas (mulheres no período pós-parto, de 45 dias) entre os grupos prioritários para receber a vacina contra a covid-19, o Ministério da Saúde alertou, hoje (8), que isso deve ser feito com os imunizantes da Pfizer (ComiRNAty) ou da Sinovac/Butantan (CoronaVac e ButanVac).

“Os imunizantes que podem ser utilizados em mulheres grávidas são os da Pfizer e da Coronavac. AstraZeneca e Janssen não”, declarou o ministro, Marcelo Queiroga, esta manhã.

A exceção à recomendação ministerial é para as grávidas e puérperas que já tenham recebido uma primeira dose da vacina da AstraZeneca. Nestes casos, o ciclo vacinal deve ser completado com a aplicação da segunda dose com o imunizante do mesmo fabricante.

“Para as grávidas que tomaram a AstraZeneca, a orientação é a mesma: que após o puerpério seja feita a imunização com a mesma vacina e, com isso, completada a imunização”, disse o ministro, assegurando que, nestes casos, a vigilância sanitária será reforçada de forma a “monitorar a possibilidade de eventos tardios que, embora raros, podem acontecer.”

O ministério já tinha incluído grávidas e puérperas no Programa Nacional de Vacinação (PNI) no fim de abril deste ano, mas, em maio, a pasta recomendou a suspensão temporária da vacinação de gestantes sem comorbidades depois da morte de uma mulher que havia recebido uma dose da AstraZeneca, no Rio de Janeiro. Na ocasião, o ministério anunciou que acompanharia todas as gestantes que já tinham sido vacinadas a fim de verificar as reações aos imunizantes.

“Após a análise dos dados e do debate amplo com especialistas, houve o entendimento de se voltar a vacina nas gestantes sem comorbidade”, afirmou Queiroga, hoje.

De acordo com o ministro, a decisão de retomar a vacinação de grávidas e puérperas levou em conta o elevado índice de mortalidade entre este grupo de mulheres, bem superior que o do restante da população, conforme assinalou o secretário nacional de Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara, sustentando os riscos de eventuais reações adversas superam os benefícios já comprovados das vacinas.

“Temos que pesar o risco benefício. Principalmente com a nova variante, a epidemia da covid-19 afetou as grávidas. Tanto que a letalidade [da doença] entre elas está em torno de 10%, enquanto entre a população geral é menor que 2%. Portanto, ao avaliarmos o custo benefício [de aplicar o imunizante], não há nenhuma discussão: é muito favorável o uso das vacinas nas grávidas de forma geral”, disse o secretário.

INTERCAMBIALIDADE

O ministério desautorizou a combinação de vacinas, a chamada intercambialidade – estratégia já adotada por alguns municípios, que, em alguns casos, aplicaram a primeira dose de uma vacina para, em seguida, utilizar, na mesma pessoa, o imunizante de outro fabricante. Segundo Queiroga, ainda não há nenhuma comprovação médico-científica que valide a prática da intercambialidade, que não é recomendada em nenhum caso.

“Estudos de intercambialidade estão sendo realizados, mas ainda não são suficientes para tomarmos decisões como estratégias de saúde pública. Na hora que houver mais estudos, aí sim os especialistas vão se manifestar no [âmbito] do Programa Nacional de Imunização, apoiado pela câmara técnica”, disse o ministro ao fazer um alerta para os secretários de saúde de estados e municípios que, porventura, tenham adotado a combinação de vacinas.

“Os secretários estaduais e municipais de Saúde que, por acaso, queiram modificar as orientações do PNI não devem fazê-lo por conta própria. Devem fazê-lo após aprovação do grupo intergestor do PNI, apoiado pela Câmara Técnica. Claro que eles têm sua autonomia, mas não para mudar o cerne do que foi discutido na política tripartite”, disse Queiroga.

“Se é uma questão operacional do município, o secretário tem autonomia plena, mas não pode ficar criando esquemas vacinais diferentes, de maneira discricionária, sem ouvir ao PNI. A melhor maneira de termos eficiência na nossa política de vacinação é a discussão ampla, com o apoio dos especialistas”, acrescentou o ministro. Informações da Agência Brasil.

Estado chegará ao total de 7.531.400 doses de vacinas recebidas
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia receberá novas remessas de vacinas contra a Covid-19. Na noite desta quinta-feira (17), chegarão 201.240 doses de imunizantes produzidos pela Pfizer/BioNTech. A previsão é deque o voo trazendo a carga pouse no aeroporto de Salvador às 20h45. Na manhã desta sexta-feira (18), chegarão, em um voo com pouso previsto para 9h35, 143.400 imunizantes produzidos pelo Butantan, Coronavac.

As vacinas da Pfizer/BioNTech serão destinadas para a primeira aplicação, enquanto que as do Butantan, além da primeira dose, serão utilizadas também para completar o esquema vacinal.

Os imunizantes começarão a ser enviados nesta sexta-feira (18) para as regionais de saúde em aeronaves do Grupamento Aéreo da Polícia Militar e da Casa Militar do Governador, após conferência da equipe da Coordenação de Imunização do Estado.

Conforme a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), elas serão remetidas, exclusivamente, aos municípios que aplicaram 85% ou mais das doses anteriores. Esta foi uma decisão da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que é uma instância deliberativa da saúde e reúne representantes dos 417 municípios e o do Estado.

Com estas novas cargas, a Bahia chegará ao total de 7.531.400 doses de vacinas recebidas, sendo 3.179.200 da Coronavac, 3.794.150 da AstraZeneca/Oxford e 558.090 da Pfizer/BioNTech.

Bahia recebe novo lote de vacinas da Astrazeneca || Foto Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma nova remessa com 244.200 vacinas contra a Covid-19 chegou nesta quinta-feira (8) à Bahia. Todas as doses são da Astrazeneca/Oxford. O voo trazendo os imunizantes pousou no aeroporto de Salvador por volta das 9h45min. Todo o carregamento será encaminhado para Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi) da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), de onde deve ser expedido para os municípios.

O envio será feito no sábado, quando uma remessa de vacinas Coronavac deve chegar. Desta forma, será necessária apenas uma operação logística de distribuição. Como ocorreu uma entrega na última segunda, os municípios ainda possuem estoque da primeira dose da AstraZeneca. Caso os municípios terminem as doses antes do envio no próximo sábado (8), a Sesab fará o despacho antecipado por via terrestre. Os Núcleos Regionais de Saúde estão monitorando a realidade de cada localidade.

Com o novo lote, a Bahia totaliza 4.924.860 doses de vacinas recebidas desde o dia 18 de janeiro, data de chegada da primeira remessa. Esta nova remessa dará possibilidade de que continue sendo imunizado os públicos de grupos prioritários do plano de vacinação contra a Covid-19.

Tempo de leitura: 2 minutos

Após as cenas de tumulto e falta de vacinas na última quarta (30), a imunização de pessoas da faixa etária dos 60 aos 69 anos foi retomada há pouco, por volta das 11h, em Itabuna.

O município havia convocado o público da faixa dos sessenta anos para ser imunizado, mas havia apenas 5,7 mil doses para mais de 18 mil pessoas que deveriam receber a primeira dose da Coronavac ou Astrazeneca.

A vacinação ocorrerá em unidades de saúde nos bairros. Na região Central, a vacinação será na unidade José Maria de Magalhães Neto, antigo Sesp. A imunização deverá começar a partir das 8h.

Ainda na semana passada, quando ocorreu o caos nas unidades de saúde e no sistema drive thru, a secretária de Saúde de Itabuna, Lívia Mendes, pediu paciência às pessoas e alertou que a vacinação será gradual e somente avançará para outras faixas etárias quando concluída a aplicação da primeira dose de quem está nesta faixa dos 60 a 69 anos.

“Mesmo Itabuna sendo a quarta maior cidade da Bahia, o município recebeu apenas 2.340 doses. Na semana passada recebemos 5.710 doses e não foi suficiente. Diante da grande demanda, foi necessário fazer um pré-agendamento daqueles que ficaram na fila e não conseguiram atendimento”, explica Camila Brito.

Hoje, para a unidade de saúde do bairro São Caetano, por exemplo, foram destinadas 200 doses. No Califórnia 150 doses, para o Centro de Saúde José Maria de Magalhães Neto (antigo Sesp) 150 doses e Jardim Primavera 130 doses. “Estamos aguardando uma nova remessa de vacinas, mas não sabemos o dia que chegará”, informa.

POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES

Também nessa segunda-feira, a partir das 14h, serão vacinados os profissionais de salvamento que possuem mais de 50 anos e os agentes de trânsito do município. A imunização ocorrerá na Rede Frio que funciona no Centro de Saúde José Maria de Magalhães Neto (antigo Sesp).

Já na terça-feira, dia 6, na sede do 4º Grupamento de Bombeiros Militar, terá continuidade à vacinação dos policiais militares que estão na ativa, são lotados no 15º BPM e possuem mais de 50 anos, além dos bombeiros militares e Policiais Civis de Itabuna.

ATUALIZAÇÃO ÀS 11H

As informações desencontradas na vacinação contra a covid-19 levaram o governo a assegurar que o cronograma seria retomado apenas nesta terça-feira (6). Vinte minutos depois, o município divulgou que a imunização seria retomada às 11h desta segunda. A informação foi divulgada pelo governo somente às 10h52min devido aos desencontros na Pasta da Saúde.

Bahia recebe mais um carregamento de vacinas contra a Covid-19
Tempo de leitura: < 1 minuto

Mais 606.950 doses de vacinas contra a Covid-19 chegaram ao hangar do Grupamento Aéreo da Polícia Militar da Bahia (Graer), em Salvador, nesta quinta-feira (1º). São 45.750 doses da vacina Astrazeeca/Fiocruz e 561.200 doses da vacina Coronavac/Butantan.

Segundo a coordenadora estadual de imunização, Vânia Vanden Broucke, as vacinas recebidas são em sua maioria remessas de segundas doses. “Iremos liberar hoje para os municípios duas remessas de segundas doses, referentes ao dia 10 de março. A remessa do dia 17 de março ficará retida ainda nas centrais regionais de Rede de Frio para que, na próxima semana, possa ser entregue também nos municípios”, explicou.

A coordenadora destacou que somente os municípios que já utilizaram 85% das doses recebidas estão habilitados para receber uma nova remessa de primeiras doses, que serão distribuídas também nesta quinta-feira (1º).

Até as 11h de hoje, 1.646.254 moradores do estado receberam a primeira dose da vacina, sendo que 317.231 tomaram também a segunda dose.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, anunciou previsão de chegada do material
Tempo de leitura: 2 minutos

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, confirmou hoje (25) a chegada de insumos para a produção da vacina contra covid-19, a Covishield, desenvolvida pela universidade de Oxford, em parceria com a farmacêutica britânica AstraZeneca, e produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). “O volume desembarcado deve gerar produção de mais de 12 milhões de doses”, escreveu em publicação nas redes sociais.

De acordo com o Ministério das Comunicações, os insumos virão da China com previsão de chegada ao Brasil no próximo domingo (28). Segundo a pasta, a medida faz parte “do esforço do governo federal” para garantir a imunização da população. Em viagem à Suécia no início deste mês, Faria conversou com o sócio majoritário da AstraZeneca, Marcus Wallenberg, e pediu que a empresa acelere o envio de insumos e vacinas para o combate da covid-19 no Brasil.

O acordo de cooperação da Fiocruz com a AstraZeneca prevê a produção e entrega 210,4 milhões de doses da Covishield até o final deste ano, sendo 110,4 milhões até julho. Para isso, serão enviados 14 lotes do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) da vacina. Esse será o segundo lote desses insumos enviado pelo laboratório chinês Wuxi Biologics, contratado pela farmacêutica AstraZeneca. O primeiro lote, que chegou no dia 6 de fevereiro, possibilitará a produção de mais 2,8 milhões de doses da vacina.

A previsão é que a primeira entrega dessas vacinas ao Ministério da Saúde, com 1 milhão de doses, ocorra na segunda quinzena de março.

No segundo semestre não será mais necessária a importação do IFA da vacina, que passará a ser produzido no laboratório Bio-Manguinhos da Fiocruz, após a conclusão da transferência de tecnologia pela AstraZeneca. De agosto a dezembro serão mais 110 milhões de doses de vacinas produzidas inteiramente na instituição.

Paralelamente a isso, o governo brasileiro também está recebendo doses prontas da Covishield, produzidas pelo Instituto Serum, da Índia, também parceiro da AstraZeneca. Agência Brasil.

Até o momento, estado recebeu 945.600 doses do imunizante
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia receberá mais remessas de vacinas contra o novo coronavírus nesta quarta-feira (24). Ao todo, 208.700 doses chegarão ao aeroporto de Salvador em dois voos comerciais. O primeiro deles, com 129.500 vacinas produzidas pela AstraZeneca/Fiocruz, pousou no final da manha. O outro, que trará 79.200 doses da Sinovac/Butantan, está programado para pousar às 21h20.

Após a chegada dos imunizantes, o estado vai organizar as doses para distribuí-las para os núcleos regionais de saúde, de onde serão encaminhadas para os municípios.

Esta é a quinta remessa de vacinas que a Bahia recebe, no total 945.600 doses recebidas, desde o dia 18 de janeiro.

VACINAÇÃO

Com 417.396 vacinados contra o coronavírus (Covid-19), dos quais 69.964 receberam também a segunda dose, até as 15 horas de ontem (23), a Bahia é um dos estados do país com o maior número de imunizados, informa a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

Foto Tomaz Silva
Tempo de leitura: < 1 minuto

Oitenta e duas cidades da Bahia têm estoques zerados de doses da vacina contra a Covid-19, segundo o painel de vacinação da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab). Outras 134 cidades, incluindo Salvador, já usaram pelo menos 90% do armazenamento, noticia o Metro1.

Até o momento, a Bahia já usou 85,5% das quase 440 mil doses distribuídas pelo governo do estado, e ainda não há data definida para a chegada do novo lote. Em contato com o jornal Correio, o Instituto Butantan informou que a partir do dia 23 de fevereiro começará a entregar 600 mil doses por dia ao Ministério da Saúde.

O Ministério, em seguida, fará a distribuição para os estados, os estados enviarão para as 31 Diretorias Regionais de Saúde da Bahia e cada município buscará suas doses. Assim, a previsão é que as novas vacinas só cheguem ao interior da Bahia em 25 de fevereiro.

>> Confira a relação de municípios com estoque zerado no Leia Mais, abaixo.Leia Mais

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, promete novas doses da vacina de Oxford
Tempo de leitura: 2 minutos

A presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade, disse que a instituição negocia com a AstraZeneca, a possibilidade de receber 15 milhões de doses prontas de vacinas para garantir a imunização até que chegue ao Brasil o Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA). O ingrediente permitirá a produção de vacinas em BioManguinhos, da Fiocruz.

“Até que esse gap possa ser superado sempre com o objetivo de trazer de forma mais rápida possível a vacina para nossa população e também de começar a produzir o mais rápido possível”, informou neste sábado (23), minutos antes do início da distribuição de 2 milhões de doses de vacina da AstraZeneca para os estados brasileiros. O imunizante chegou na sexta-feira (22) ao Brasil, vindo da Índia.

De acordo com Nísia Trindade, as medidas estão estabelecidas no contrato de encomenda e tecnologia e também no memorando de acordo geral da AstraZeneca para encomenda e depois de transferência de tecnologia, quando todas as etapas serão feitas em BioManguinhos. “Isso tudo é contratual. Estaremos recebendo inicialmente 15 milhões de doses”, disse.

ENVIOS POSTERIORES

Nísia Trindade acrescentou que há um aceno da AstraZeneca para antecipar os envios posteriores, que permitiriam completar até de 110 milhões e 400 mil doses da vacina. “Um aceno de que possa antecipar, não nesse momento, mas tão logo esse processo da exportação se resolva, antecipar a vinda de meses seguintes”, revelou.

Para a presidente da Fiocruz, a grande preocupação atual da instituição é com a chegada mais célere possível do Ingrediente Farmacêutico Ativo para a produção de vacinas em BioManguinhos da Fiocruz.

Segundo Nísia, a perspectiva é de receber o insumo no início de fevereiro, por volta do dia 8, mas não há ainda uma data definida. A presidente disse que o processo passa por muitas etapas na China, além de por questões diplomáticas, e por isso não é possível saber quanto tempo vai levar para ser concluído.

INSUMOS E DOSES MENSAIS

O diretor de BioManguinhos, Maurício Zuma, informou que pelo contrato, a Fiocruz vai receber por mês insumos referentes a 15 milhões de doses em dois lotes equivalentes a 7,5 milhões de vacinas, com intervalo de duas semanas em cada lote.

Leia Mais

Chegada ao Brasil de voo da Emirates com 2 milhões de doses da vacina
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Ministério da Saúde pretende iniciar na tarde deste sábado (23) a distribuição da vacina AstraZeneca, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, para os estados. Na noite de sexta (22), o Brasil recebeu dois milhões de doses da Índia, onde o imunizante de origem inglesa é fabricado.

Segundo o ministro Eduardo Pazuello, antes do envio aos estados, a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) vai inspecionar os lotes da vacina no Rio de Janeiro.

Até o momento, o Brasil tem 12,8 milhões de vacinas contra a Covid-19, sendo 10,8 milhões da CoronaVac, da fabricante chinesa Sinovac.

Vilas-Boas faz anúncio de hospital materno-infantil em Itabuna || Foto Paula Fróes/GovBA
Tempo de leitura: < 1 minuto

O primeiro lote de vacinas contra o novo coronavírus (Covid-19) chegará à Bahia por volta das 19 horas desta segunda-feira (18), segundo informou, há pouco, o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas. A estimativa é de que a Bahia receba lote com 319.520 doses da Coronavac hoje.

Segundo ele, a distribuição do imunizante aos 417 municípios começará em até 12 horas depois do desembarque em solo baiano. De acordo com o secretário, a vacinação deverá começar na próxima quarta (20). No Brasil, a Coronavac é produzida pela chinesa Sinovac e o Instituto Butantan.

Ontem (17), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial das vacinas Coronavac e Astrazeneca no país. As doses já podem ser distribuídas por todo o país.

Ainda ontem, uma enfermeira de São Paulo foi a primeira pessoa brasileira a ser vacinada contra o vírus após a liberação por parte da Anvisa.

Há pouco, o governador da Bahia, Rui Costa, usou as redes sociais para celebrar o aniversário dele no dia da chegada da vacina contra a covid-19.

– Hoje, quero comemorar meu aniversário com a chegada da vacina à Bahia! Chego aos 58 anos com muita esperança e vontade de trabalhar para vencer a guerra contra a Covid-19. Estamos prontos para receber as primeiras doses ainda hoje e iniciar a distribuição às 417 cidades baianas – escreveu no Twitter.

Vacina é a da farmacêutica britânica AstraZeneca, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford
Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma missão coordenada pelo Ministério da Saúde vai até a Índia para buscar dois milhões de doses da vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo consórcio da farmacêutica britânica AstraZeneca e da Universidade de Oxford. O lote foi fabricado pelo laboratório indiano Serum.

A missão sai amanhã (14) em um avião que parte da cidade do Recife e fará uma viagem de 15 horas de duração até a cidade indiana de Mumbai. A aeronave deve retornar ao Brasil no sábado (16). A chegada será no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

Segundo o Ministério da Saúde, os documentos de importação já estão prontos. O procedimento compreenderá apenas a chegada ao país e o carregamento das doses. A carga está estimada em 15 toneladas.

A distribuição da vacina, contudo, só poderá ocorrer após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) dar a autorização em caráter emergencial. O órgão avalia o pedido feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que firmou parceria com a AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

A Anvisa informou que a reunião para tomada da decisão sobre a concessão ou não da autorização em caráter emergencial está prevista para este domingo (17). A agência também decidirá sobre a solicitação feita pelo Instituto Butantan.

Caso a Anvisa dê a autorização, a previsão do Ministério da Saúde é que em até cinco dias as vacinas sejam distribuídas aos estados. Para além das duas milhões de doses da vacina da AstraZeneca, o governo informou que estariam disponíveis também, caso a Anvisa permita, mais seis milhões de doses da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. Informações da Agência Brasil.