CVR Costa do Cacau é credenciada pelo Inema e pelo Ibama
Tempo de leitura: 3 minutos

Única empresa do sul da Bahia credenciada pelo Inema e Ibama para destinação de resíduos sólidos, a CVR Costa do Cacau está completando dois anos de atividades. A empresa atende as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos e do Marco Regulatório de Saneamento.

Localizado numa área de 75 hectares, às margens da Rodovia Jorge Amado (Ilhéus-Itabuna), o empreendimento atua com foco na sustentabilidade, contribuindo para extinção de lixões em cidades como Itabuna, Ilhéus e Itacaré e apoiando projetos de coleta seletiva e de conservação ambiental.

Em Itabuna, a CVR Costa do Cacau apoiou a capacitação dos catadores e a construção do Centro de Triagem Reciclagem e em Itacaré, além de implantar uma Estação de Transbordo, foi parceira na construção do Centro de Triagem e Econegócios, garantindo condições dignas de trabalho a centenas de catadores, mesmo processo em execução em Ilhéus.

Também foram distribuídos ecopontos nos municípios, para incentivar população a aderir à coleta seletiva. O fim dos lixões e a destinação correta de resíduos, além da questão ambiental e da qualidade de vida da população, é considerada fundamental para atrair novas empresas e aquecer a economia sul-baiana, gerando emprego e renda.

O prefeito Augusto Castro (PSD), de Itabuna, destaca a parceria com a CVR Costa do Cacau e a importância de fazer a Lei de destinação dos resíduos sólidos. “Fomos o primeiro município no sul da Bahia a firmar contrato com a CRV Costa do Cacau e assim demos fim ao antigo lixão, onde famílias tiravam o sustento de forma subumana. Hoje, além de dar uma destinação correta aos resíduos sólidos, as pessoas que dependiam do antigo lixão agora trabalham de forma digna, através da Associação de Agentes Ambientais e Catadores de Materiais Recicláveis de Itabuna (AACRRI)”, afirma Castro.

FIM DO LIXÃO

O prefeito de Ilhéus, Mario Alexandre, ressalta que a contribuição da CVR foi extremamente importante para atender as necessidades ambientais e sociais com o impacto positivo do fim do lixão. “Além da destinação correta dos resíduos, vamos investir na coleta seletiva, inserindo os catadores no mercado de trabalho em condições dignas. Isso numa cidade turística como Ilhéus é fundamental na preservação da natureza e valorizando a conservação da Mata Atlântica”, diz Mário Alexandre.

Já o secretário de Meio Ambiente de Itacaré, Marcos Luedy, destaca que o programa Lixão Nunca Mais teve o apoio importante da CVR Costa do Cacau, que atende todas as normas para a destinação correta de resíduos. “A CVR oferece aos municípios as condições de atender a região numa área fundamental para a conservação do meio ambiente, numa região que precisa valorizar os seus recursos naturais”.

Além de prefeituras, a CVR atende empresas como Shopping Jequitibá, Atacadão, Big Bompreço, Bamin/Porto Sul, OLAM Cacau e Joanes.

MEIO AMBIENTE

A conservação ambiental é um dos focos principais da CVR Costa do Cacau. Durante esses dois anos, foram distribuídas milhares de mudas para prefeituras, escolas, associações de moradores e prefeituras, para projetos de arborização e recuperação de matas ciliares. Em breve, a empresa vai implantar o Centro de Educação Ambiental, para a promoção de palestras e apresentações com uma ampla abordagem da educação socioambiental.

A estrutura do empreendimento inclui os sistemas de recepção e áreas de armazenamento de e os projetos de expansão incluem reciclagem para o beneficiamento de material com a instalação de ecoindústrias e produção de energia a partir do gás metano.

O diretor comercial da CVR Costa do Cacau, Rodrigo Zaché faz uma avaliação positiva dos dois anos do empreendimento. “A CVR se consolida como um equipamento de utilidade pública que vem prestando um serviço essencial para a região. Além do conceito ambiental, a CVR se destaca em vários projetos de inclusão social e capacitação, incentivando a coleta seletiva, fortalecendo o surgimento e ampliação de polos industriais, que também precisam atender a legislação que determina a destinação adequada de resíduos”.

MARCA AMBIENTAL

A CVR Costa do Cacau tem participação acionária do grupo capixaba Marca Ambiental, com 26 anos de experiência na construção e operação de centrais de tratamento de resíduos. A Marca Ambiental é uma empresa pioneira e a maior do Espírito Santo, atuando desde 1995 em soluções completas para resíduos, com forte impacto para a preservação ambiental e foi fundamental para que o estado atingisse a meta de lixão zero.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A rede de supermercados varejista-atacadista Atacadão abrirá nova unidade em Ilhéus, dessa vez, na zona sul da cidade, ao lado do concorrente Assaí. A informação foi divulgada pelo prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), nesta segunda-feira (22).

O prefeito visitou o local do empreendimento. “A obra, orçada em torno de 50 milhões de reais, irá gerar cerca de 800 empregos, entre diretos e indiretos!! Com entrega prevista até Fevereiro do próximo ano!”, escreveu Marão em uma rede social.

Marão em visita ao local da futura loja

A rede Atacadão faz parte do grupo Carrefour. Inaugurada em 2010, a primeira loja da marca em Ilhéus funciona às margens da BR-415, perto da entrada de Itabuna.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Makro encerra as atividades em Ilhéus e pega funcionários de surpresa

Os funcionários do Makro da Rodovia Ilhéus-Itabuna, em Ilhéus, foram pegos de surpresa, nesta manhã de quarta-feira (15), ao chegar para trabalhar. Logo no portão da loja, um aviso de que a empresa havia encerrado as atividades na loja sul-baiana.

O Makro inaugurou a loja ilheense em 2010, com cerca de 150 funcionários. A empresa informou aos funcionários que haveria, para quem desejar, a opção de transferência para lojas em Minas Gerais.

No mercado, a informação é de que a estrutura na Rodovia Ilhéus-Itabuna pode ser adquirida por um grupo mineiro que já trabalha no sistema atacarejo, o Mineirão Atacarejo, que já atua no extremo-sul do Estado. Desde o ano passado, o Makro está no alvo do Carrefour, dono do Atacadão, para compra em negócio estimado em R$ 5 bilhões.

OUTRO LADO

O PIMENTA entrou em contato com a assessoria de comunicação da Rede Makro. A empresa ainda deverá se posicionar publicamente quanto ao encerramento das atividades no sul da Bahia.

http://157.230.186.12/2020/01/15/makro-diz-que-venda-de-loja-e-para-garantir-eficiencia-operacional-da-companhia/

Tempo de leitura: < 1 minuto
Bandidos tentaram assaltar motel (Foto Google Imagens).
Bandidos tentaram assaltar motel (Foto Google Imagens).

Três bandidos tentaram assaltar clientes e funcionários do Motel Smile, no quilômetro 24 da Rodovia Ilhéus-Itabuna, neste domingo (22). A ação criminosa ocorreu por volta das 10h30min.

Os assaltantes não conseguiram levar nada das vítimas, porque elas foram mais rápidas ao se trancarem na recepção e apartamentos. A tensão somente diminuiu com a chegada da polícia.

Homens da Companhia de Policiamento Especializado da Região Cacaueira (Cipe Cacaueira) fizeram rondas na região, mas os assaltantes não foram localizados. O motel está localizado em uma região que possui três filiais de atacadões (Maxxi, Makro e Atacadão).

Tempo de leitura: < 1 minuto
Viametro deixa funcionários do Makro e do Atacadão sem ônibus.
Viametro deixa funcionários do Makro e do Atacadão sem ônibus.

A Viametro está sendo acusada por comerciários de retirar o último horário da linha que liga a região central de Ilhéus ao Atacadão e do Makro, localizados no quilômetro 24 da Rodovia Ilhéus-Itabuna. Alegando prejuízos, a Viametro não faz mais o trajeto na faixa das 22h30min, de acordo com as vítimas da medida.

A empresa, de acordo com os comerciários, retirou o último horário após alegar “que não compensava [financeiramente] o trajeto até o Atacadão para pegar somente 10 colaboradores”.

Um dos funcionários entrou em contato com a nossa redação e desabafou: “Gostaria de dizer que são 10 seres humanos que merecem respeito. São pais de família e que hoje estão sem transporte para voltar para casa. Precisamos do emprego e do transporte”.

Localizados próximos ao limite entre Itabuna e Ilhéus, tanto o Makro como o Atacadão situam-se em território ilheense. “Toda a arrecadação em impostos gerados pelas empresas vai para Ilhéus”, reforça a vítima da Viametro.

Agora, resta à Superintendência de Transporte e Trânsito de Ilhéus (Sutran) se posicionar: a Viametro continuará deixando os trabalhadores na mão?

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Rede Atacadão, do Carrefour, informou, em nota enviada ao Pimenta, que “nenhum colaborador ou cliente foi ferido” durante tentativa de assalto a um carro-forte da Prossegur, no domingo (15), em Feira de Santana (relembre aqui).

De acordo com a nota, a Polícia Militar foi acionada imediatamente. “A empresa vai colaborar com as autoridades”, assegurou a rede atacadista.

O ataque ao carro-forte ocorreu no início da tarde do domingo, quando a loja ainda estava aberta. Seis homens chegaram em uma Volkswagen Kombi, mas foram surpreendidos pela reação dos vigilantes.

Os bandidos tomaram uma escopeta de um dos vigilantes e fugiram sem levar nada. Dois veículos Renault Sandero foram utilizados na fuga, segundo a Polícia Militar. Um dos funcionários da Prossegur foi atingido na mão, porém não corre risco de morte.

Cena de tiroteio no estacionamento do Atacadão no domingo (Reprodução Pimenta).
Cena de tiroteio no estacionamento do Atacadão no domingo (Reprodução Pimenta).

Tempo de leitura: < 1 minuto
Cena de tiroteio no estacionamento do Atacadão (Reprodução Pimenta).
Cena de tiroteio no estacionamento do Atacadão (Reprodução Pimenta).

Oito homens atacaram um carro-forte da Prossegur, ontem à tarde, no momento em que caixas eletrônicos seriam abastecidos no Atacadão, na Avenida Eduardo Fróes, em Feira de Santana. Para despistar vigilantes,  os bandidos chegaram em uma Volkswagen Kombi (JQB-2697) roubada. Os homens usavam armas de grosso calibre, segundo a Polícia Militar, além de brucutus e máscaras.

Houve reação dos vigilantes e a tentativa de assalto acabou frustrada. Um dos seguranças foi atingido na mão, sendo atendido no Hospital Unimed, em Feira. No tiroteio, os bandidos conseguiram roubar uma escopeta calibre 12. Os bandidos fugiram em um  Renault Sandero Stepway. Nenhum dos bandidos foi preso até agora. As imagens das câmeras do estacionamento do Atacadão registraram tiroteio e fuga dos assaltantes. Confira abaixo:

Tempo de leitura: < 1 minuto

Loja Maxxi tem inauguração adiada para abril (Foto Amanda Oliveira/Pimenta).
Loja Maxxi tem inauguração adiada para abril (Foto Amanda Oliveira/Pimenta).

O Atacadão do Maxxi adiou a inauguração da loja em Itabuna para o dia 28 de abril. O motivo foram os atrasos na execução da obra de construção da unidade, no quilômetro 25 da BR-415 (Rodovia Ilhéus-Itabuna).
A loja gerou cerca de 100 empregos diretos. Os comerciários já foram contratados e estão em fase de treinamento em lojas Bompreço e Maxxi. A unidade do Maxxi de Itabuna representa investimento de R$ 30 milhões da norte-americana Walmart, também detentora da bandeira Hiper Bompreço.
A área escolhida para o Maxxi de Itabuna encontra-se em franca expansão. Ao lado da loja, está sendo construído o Jardim das Hortênsias, condomínio residencial de alto padrão da Módulo. A pouco mais de 500 metros do Maxxi estão os concorrentes Makro e Atacadão, também na Ilhéus-Itabuna.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Obras de construção da loja Maxxi na Rodovia Ilhéus-Itabuna (Foto Amanda Oliveira).
Obras de construção da loja Maxxi na Rodovia Ilhéus-Itabuna (Foto Amanda Oliveira).

A rede Walmart já definiu a data de inauguração do atacadão Maxxi em Itabuna. A loja funcionará no quilômetro 25 da Rodovia Ilhéus-Itabuna e abrirá as portas no dia 21 de fevereiro do próximo ano.

O investimento na aquisição de terreno, construção e funcionamento do atacadão atingirá aproximadamente R$ 30 milhões. Já foi concluída a fase de seleção e contratação dos 90 funcionários, que passam por treinamento em lojas da rede Walmart (incluindo Bompreço).

Tempo de leitura: < 1 minuto
Trecho tem sinalização ruim e muitos buracos (Foto Pimenta/Arquivo).

A imprudência dos motoristas e a precária sinalização na BR-415, trecho Ilhéus-Itabuna, tem sido apontados como principais causas de acidentes neste trecho da rodovia, entre os mercadões de atacado e o viaduto da entrada de Itabuna. Na segunda, 2, o Peugeot JMK-2051 e a caminhonete Ranger NZL-7343, dirigida pelo funcionário público estadual Raul Villas Boas, colidiram no trecho dos supermercados Makro e Atacadão. Além do susto, os motoristas nada sofreram.

Segundo o funcionário público, a motorista que ia à sua frente na pista deu sinal de conversão à esquerda para se dirigir a um dos atacadões em vez de ir ao acostamento à direita e fazer o contorno. O choque, diz ele, foi inevitável e causou danos materiais.

Além de não obedecer à sinalização, alguns condutores sinalizam a conversão que pretendem fazer, sem observar se outros veículos vêm atrás, o que acaba em choques e abalroamentos. Em sua opinião, o Derba deveria colocar quebra-molas no local para diminuir o numero de acidentes.

O chefe da Residência do Derba, Fernando Sanches, não foi encontrado para falar sobre o assunto. De acordo com a assessoria, Fernando está em viagem a Salvador. O trecho em frente aos atacadões é cheio de buracos e o mato está avançado sobre a pista.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do Política Etc:

Carlos Freitas, o Marquês de Quiricós, grita: "Uhu, o Atacadão é nosso!"

Nossas duas maiores cidades sul-baianas, embora aspirem o grau de cosmopolitas, não cessam de adotar posturas provincianas que fazem ambas ser comparadas à eterna Sucupira. As peripécias e bizarrices de Odorico Paraguaçu são em tudo, por a mais b e c menos d, comparáveis às atitudes de figuras políticas dos dois municípios, coisa que ficou evidente na mais recente disputa travada entre eles.

Na “Batalha de Quiricós”, com direito a ampla cobertura dos veículos de imprensa, Itabuna e Ilhéus reivindicavam o direito sobre as terras onde estão instalados dois mercadões. Itabuna, mais perto deles, não quer se limitar a ir às compras; também deseja se beneficiar com a receita dos impostos dessas empresas. Ilhéus, mais longe, pode não frequentar os estabelecimentos com a mesma assiduidade, mas é oficialmente dona das terras e exige o devido retorno pela sua ocupação.

Leia mais

Tempo de leitura: 2 minutos

O marco de Carlinhos Freitas…
seria diferente do marco da Fazenda Rochedo?

O marco encontrado nesta segunda-feira, 21, na Ilha dos Quiricós, supostamente encerraria a polêmica entre Ilhéus e Itabuna no que se refere ao limite entre os dois municípios. Por trás da briga, o interesse pela receita tributária gerada pelos supermercados Makro e Atacadão, que hoje beneficia Ilhéus.

Ontem, o secretário de Serviços Públicos de Ilhéus, Carlos Freitas, comemorou a descoberta do marco nos Quiricós. Alguns dias antes, uma missão formada por representantes dos dois municípios vasculhou a ilha no Rio Cachoeira e não achou a estrutura de concreto que identifica a linha divisória.

Segundo uma fonte da Prefeitura de Itabuna, o desbravador ilheense teria quebrado um compromisso acertado entre os dois governos. Eles haveriam combinado que toda ação para resolver a dúvida sobre o limite deveria ser empreendida em conjunto. Freitas foi sozinho em busca do marco perdido.

O fotógrafo e memorialista José Nazal, chefe de gabinete do prefeito Newton Lima, acompanha de perto a pendenga e diz que foi o secretário de Planejamento de Itabuna, Fernando Vita, quem abriu mão das missões conjuntas. Nazal defende a autenticidade da demarcação e sustenta que está encerrada a polêmica. “Vita foi a primeira pessoa para quem eu liguei quando soube da descoberta”, diz o chefe de gabinete.

O OUTRO MARCO – A imagem de outro marco, este situado na Fazenda Rochedo, na margem esquerda do Rio Cachoeira, colabora com a polêmica. Segundo fontes da Prefeitura de Itabuna, há diferenças entre o ponto dos Quiricós e o da fazenda, como o formato, os sinais da ação do tempo e a placa metálica incrustada na ponta, com informações sobre o limite.

Para Nazal, as diferenças se justificam pela localização de cada marco. “Um está numa ilha que fica totalmente submersa em períodos de cheia, enquanto o outro fica sob uma árvore da fazenda, protegido”, argumenta. O chefe de gabinete supõe que a placa antes existente no marco da ilha foi furtada.

Tempo de leitura: 2 minutos
Marco auxiliará levantamento topográfico (Foto Clodoaldo Ribeiro).

Acabou a dúvida sobre os limites territoriais entre Ilhéus e Itabuna. Por volta das 16 horas desta segunda, uma equipe de técnicos localizou o marco oficial da Ilha dos Quiricós, que define com exatidão os limites entre os dois maiores municípios baianos na região do Makro e Atacadão.

A descoberta tem implicações econômico-financeiras para os dois municípios. E, por ele, os técnicos não têm mais dúvidas de que o Makro – além do Atacadão – está mesmo localizado em Ilhéus. Apenas cerca de 10% da loja, por esta descoberta, estaria em solo itabunense, segundo o chefe de Gabinete da prefeitura de Ilhéus, o memorialista José Nazal Soub.

Amanhã, às 8h30min, técnicos das prefeituras de Ilhéus e de Itabuna se encontram em frente ao Atacadão, no quilômetro 24 da rodovia Ilhéus-Itabuna, para oficializar a descoberta. José Nazal diz que o governo ilheense optou por um comportamento de equilíbrio, criando as condições para que a justiça fosse feita e sem traumas. “O tempo todo a administração defendeu a legalidade, sem privilégio para um ou para outro”, diz.

Quem descobriu o marco, uma coluna de aproximadamente 3 metros de fundura, foi o secretário de Serviços Públicos, Carlos Freitas. “Justiça seja feita a ele”, diz o sorridente chefe de gabinete, José Nazal. Sem o marco reencontrado hoje, a definição sobre onde começaria o território de Itabuna e onde terminaria o de Ilhéus duraria mais seis meses, segundo previsão da Secretaria Estadual de Planejamento.

Freitas, "o descobridor", sobre o marco da Ilha (Foto Clodoaldo Ribeiro).

Tempo de leitura: < 1 minuto

A faixa de terra onde se encontram instaladas as lojas do Makro e do Atacadão, na rodovia Ilhéus – Itabuna, pode ser considerada atualmente como a área mais disputada em todo o sul da Bahia. Sabe-se que, apesar de serem “colados” na zona urbana de Itabuna, os terrenos oficialmente ficam no município de Ilhéus e é para este que converge a receita tributária oriunda do comércio ali praticado.

Itabuna, por sua vez, reivindica o território e apresenta uma série de argumentos na tentativa de evidenciar que o mesmo lhe pertence. Um deles é o de que as pessoas que vivem na área têm a cidade como referência e utilizam os serviços, inclusive os públicos, por ela oferecidos. Antigos limites, no entanto, colocam a “Faixa de Gaza” dentro do município ilheense.

A questão é objeto de estudos da Secretaria de Planejamento da Bahia e será discutida logo mais, às 10 horas, em Itabuna. O prefeito ilheense, Newton Lima, vai à casa do adversário para pregar a paz e, ao mesmo tempo, defender seu peixe.

Republicamos charge de Marcos Maurício sobre a disputa entre Newton e Nilton