Tempo de leitura: < 1 minuto

Informes vindos de Salvador dão conta de uma possível soltura do ex-secretário de Governo de Porto Seguro, Edésio Lima, ainda nesta quinta-feira, 18. Ele entregou-se à polícia no dia 10 e é acusado de mandar matar os professores sindicalistas Álvaro Henrique e Elisney Pereira, em setembro do ano passado, e dar ordem de execução de supostos participantes dos crimes contra os educadores.

As execuções de Antônio Marcos Carvalho, vulgo ‘Pequeno’, e do “pistoleiro” Rodrigo Santos Ramos, o “Terceiro”, seriam “queima de arquivo”.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do Xilindró Web

Os três policiais militares acusados de participação no assassinato de dois professores sindicalistas, na cidade de Porto Seguro, foram transferidos para Salvador. Sandoval Barbosa dos Santos, Geraldo Silva de Almeida e Joilson Rodrigues Barbosa se entregaram em Porto e agora estão detidos no Batalhão de Choque da Polícia Militar em Lauro de Freitas.

O secretário de Comunicação e Governo de Porto Seguro, Edézio Lima Dantas, e mais dois suspeitos continuam foragidos da Justiça. A prisão preventiva dos acusados foi decretada desde o dia nove deste mês.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A notícia da decretação de prisão preventiva do secretário de Governo, Edézio Lima, não pegou a cúpula da prefeitura de Porto Seguro, como se diz, “de surpresa”. Desde a sexta-feira, 26, havia movimentação acima do comum. Teria vazado a informação de que o delegado Evy Paternostro havia pedido a prisão preventiva de Edézio.

Este é o segundo secretário do governo de Gilberto Abade (PSB) que se enrosca com a polícia. O primeiro, Robson Roberto Santana, integrava o esquema da famigerada “Máfia das Funerárias”, denunciada pelo Ministério Público estadual. Ficou no governo até horas antes da polícia civil pedir pela sua prisão.

Um grupo de funerárias atuava em, pelo menos, oito municípios do extremo-sul baiano, fornecendo urnas funerárias a prefeituras cobrando preços muito acima daqueles de mercado. Pior que isso, os abutres também recebiam de familiares dos mortos. O prefeito de Porto Seguro faz uma das piores administrações da história do município.

De acordo com notícias vindas da cidade, centenas de professores estão no encalço do secretário Edézio Lima. O policiamento foi reforçado por temer o pior. A última informação é de que Edézio teria deixado o município ainda no final de semana, temendo o anunciado “par de algemas”.