Ricardo sobreviveu ao atentado|| Foto Radar 64
Tempo de leitura: < 1 minuto

Investigações da Delegacia Territorial (DT) de Porto Seguro, no extremo-sul da Bahia,  resultaram na prisão, nesta quarta-feira (3), de três acusados de envolvimento numa tentativa de homicídio, ocorrida no dia 8 de fevereiro, naquele município. A vítima foi o autônomo Ricardo de Sena Leite, de 30 anos.

De acordo com a polícia, o mandante do crime é o ex-secretário de Trânsito e Serviços Públicos da Prefeitura de Porto Seguro e sargento da reserva da Polícia Militar. Ele tinha uma dívida de R$ 28 mil com a vítima. Os outros dois presos são guardas civis municipais e teriam sido responsáveis pelos disparos deflagrados contra a vítima.

Os mandados de busca e apreensão e de prisão provisória foram determinadas pela juíza Michele Quadros, substituta da 1ª Vara Crime da Comarca de Porto Seguro. Temendo sofrer um novo ataque, Ricardo de Sena deixou a cidade com a família. A ação na rua Antônio Osório foi flagrada por imagens de câmeras de segurança.

MOTOCICLETA

As equipes policiais ainda apreenderam uma motocicleta usada na ação criminosa, três pistolas e as roupas usadas no dia do ataque. O material será enviado à perícia, no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

O trio estava com mandados em aberto, após as prisões serem solicitadas a 1ª Vara Crime da Comarca de Porto Seguro. As buscas contaram também com a participação de policiais militares, além de equipes das Coordenações de Operações Especiais (COE) e Apoio Técnico à Investigação (Cati), do Departamento de Polícia do Interior (Depin).

Tempo de leitura: < 1 minuto

As autoridades paquistanesas elevaram hoje (28) para 72 o número de mortos no atentado suicida deste domingo na cidade de Lahore, no Leste do país.

Zaeem Qadri, porta-voz do governo da província de Punjab, da qual Lahore é capital, afirmou que entre os mortos estão 29 crianças. Mais 315 pessoas ficaram feridas no atentado, no parque público Gulshan-i-Iqbal, acrescentou o porta-voz, citado pela agência oficial chinesa Xinhua.

Zaeem Qadri informou ainda que já foram identificadas 54 vítimas, cujos corpos foram entregues aos familiares.

O atentado, cuja autoria foi reivindicada pelo grupo talibã Jamaat ul Ahrar, foi praticado por um homem-bomba de 28 anos, procedente da cidade de Muzaffargarh, pertencente a Punjab.

O suicida entrou no parque e acionou o explosivo que tinha no corpo, perto da área de jogos para crianças, por isso a maior parte das vítimas é formada por crianças e mulheres, disse um integrante da administração da cidade, Mohammad Usman, acrescentando que o número de vítimas pode ser maior.

O ministro-chefe de Punjab, Shahbaz Sharif, anunciou três dias de luto e disse que todos os edifícios governamentais da província vão colocar a Bandeira Nacional a meio-mastro. Informações da Agência Lusa.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Marcas de tiro na residência do magistrado.
Marcas de tiro na residência do magistrado.

A casa do juiz Francisco de Moleda Godói, no município de Formosa do Rio Preto, no oeste da Bahia, foi atingida por pelo menos quatro tiros, na madrugada deste domingo (25), informa a Associação dos Magistrados da Bahia (Amab). Localizada ao lado do fórum da cidade, a residência do magistrado teve a vidraça estilhaçada pelos disparos. O juiz não estava na cidade quando ocorreu o ataque.
A polícia técnica periciou o local em busca de informações que possam levar à autoria do atentado. “Temos conhecimento do risco, inerente à profissão, mas estamos convivendo com a insegurança e sem respaldo para realizar o trabalho com tranquilidade”, disse Godói, antes de lembrar que o município tem somente uma viatura da Polícia Militar.
O juiz mencionou ainda um arrombamento ocorrido no ano passado no fórum, quando armas de fogo apreendidas foram retiradas de um cofre. A presidente da Amab, Marielza Brandão Franco, lembrou que a Bahia é o terceiro estado com maior número de magistrados ameaçados. “Queremos chamar a atenção para esta triste situação que vivemos. Não podemos conviver com isso”, declarou.Informações do Bahia Notícias.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O ex-secretário de Comunicação e Governo de Porto Seguro Edésio Lima Dantas e os policiais militares Sandoval Barbosa dos Santos, Geraldo Silva de Almeida e Joilson Rodrigues Barbosa, presos acusados de participação nos assassinatos de dois líderes sindicais (Álvaro Henrique e Elisney Pereira) e de outras duas pessoas, serão transferidos de Salvador para Porto Seguro.

O juiz da Vara Crime da Comarca, Roberto Freitas Júnior, acatou o pedido do Ministério Público Estadual (MPE) e determinou a transferência dos presos. Segundo o MPE, o fato de eles estarem presos na capital estaria atrasando o andamento do processo, informa o Correio da Bahia.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Parece que as insatisfações com a administração municipal em Jequié ‘transbordaram’ e a população partiu para a “gororança”. Funcionários da prefeitura local foram surpreendidos por uma chuva de pedras por uma chuva de pedras.

Os alvos foram os setores de compra e de expediente. Nem mesmo os guardas municipais de plantão têm pista dos responsáveis pela “chuva pedras”. O prefeito Luiz Amaral (PMDB) não foi encontrado para comentar o atentado (confira mais no Jequié Repórter).

Sede da prefeitura de Jequié vira alvo de apedrejamento (Foto Jequié Repórter).

Tempo de leitura: < 1 minuto

Acusado de mandar matar os professores Elisney Pereira e Álvaro Henrique, o secretário de Governo de Porto Seguro, Edézio Lima, foi visto desde ontem numa fazenda em Euclides da Cunha. Pelo menos duas testemunhas viram o secretário na localidade conhecida como Fazenda Chão Vermelho, onde estaria ‘escondido’.

Edézio tem prisão preventiva contra si, decretada pelo juiz Roberto Freitas Júnior, da 1ª Vara Crime. Por volta das 3h da tarde desta segunda, três dos acusados de participar do assassinato dos professores se entregaram. Os três são policiais militares (confira em post abaixo).

Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma comissão de professores de Porto Seguro aproveitará a visita do governador Jaques Wagner ao município, neste sábado, para cobrar maior agilidade nas investigações da morte de dois colegas de profissão, Álvaro Henrique Santos e Elisney Pereira.

Os dois foram vítimas fatais de uma emboscada na noite da quinta, 17, na Roça do Povo, em Porto Seguro. Eles travavam uma batalha pela organização da categoria no município. Uma semana de investigação e nenhum suspeito foi encontrado até o momento. A polícia pouco informa sobre os trabalhos. No início desta semana, quem assumiu o inquérito foi o coordenador regional da Polícia Civil, Evy Paternostro.

Álvaro era o presidente e Elisney, secretário do sindicato dos professores em Porto. Elisney teve morte instantânea. E Álvaro morreu na última quarta-feira, após ser transferido em coma para o Hospital São Rafael, em Salvador, e passar por cirurgia para extração de projétil. O corpo do presidente da APLB em Porto foi sepultado hoje, em Aurelino Leal, sul da Bahia, onde ele nasceu.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Álvaro foi vítima de emboscada em Porto Seguro.
Álvaro foi vítima de emboscada em Porto Seguro.

Vítima de uma emboscada na última quinta-feira, o presidente do Sindicato dos Professores de Porto Seguro/APLB-Sindicato, Álvaro Henrique Santos, 28 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu nesta tarde, no Hospital São Rafael, em Salvador. O professor foi baleado na cabeça. Transferido para o hospital da capital baiana, Álvaro foi submetido a uma cirurgia para extração de um projétil alojado na cabeça.

Na quinta-feira à noite, quatro homens armados invadiram o sítio da mãe de Álvaro, na localidade conhecida como Roça do Povo. Os bandidos mantiveram reféns a mãe e o irmão do sindicalista e os obrigaram a ligar para Álvaro Henrique. Ele chegou ao local, acompanhado do amigo Elisney Pereira, 31, que acabou morto pelos bandidos.

A morte de Elisney, que teve o corpo sepultado na sexta-feira, fez com que cerca de 200 professores protestassem contra a morte do colega. Eles estavam em intensa campanha salarial em Porto Seguro. Quase uma semana depois do crime, ainda não foram encontrados suspeitos das duas mortes.

O delegado Renato Fernandes havia descartado a hipótese de assalto e afirmou que o crime se tratava de um atentado. A emboscada tem clara conotação política. Professores afirmam que esta foi a primeira vez que a categoria conseguiu, de fato, se organizar. Aí, aconteceu a tragédia. Com informações do Correio e foto do Radar 64.