Tempo de leitura: < 1 minuto

Macedo disse que agiu como "um homem que ama" (foto JBO)

Foi como um enredo de novela o depoimento do secretário afastado da Assistência Social, Augusto Macedo, na tarde desta terça-feira, 07, em Ilhéus.
Macedo afirmou que é vítima de parcela da imprensa ilheense, que teria utilizado “métodos nazistas” para corroer a sua imagem. Quanto ao governo Newton Lima, ele comparou a um sistema parlamentarista, onde o prefeito seria uma espécie de rei, porém com dois primeiros-ministros. Estes seriam os secretários de Governo, Alcides Kruschewsky, e da Fazenda, Jorge Bahia.
Quando questionado sobre os depósitos na conta da ex-companheira Letícia Lázaro, Macedo extravazou todo o seu romantismo:
“Fiz e teria feito muito mais por ela. Essa é a conduta de um homem que ama”.
Apesar de toda essa dedicação ao ser amado, o secretário acusou Letícia de se conluiar com figuras do governo para conspirar contra ele. “Eu disse ‘vá’. Mas ela, quando foi, contou verdades e inverdades”.
Macedo disse aos vereadores que pedirá exoneração do cargo, mas vai aguardar o resultado da auditoria que acontece na SAS. O prefeito Newton Lima, que não quer mais o secretário no cargo, prefere aguardar que ele peça para sair.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Augusto "Bigode": Ataques à administração e promessa de processos (Foto Tabuleiro).

O (ainda) secretário de Ação Social de Ilhéus, Augusto Macêdo, optou pelo ataque ao conceder entrevista ao radialista Vila Nova, d´O Tabuleiro, para falar das traquinagens em sua pasta.
O secretario, que mudou o estilo e agora preserva um “bigodão”, disse que não é só a sua ex-amante Letícia Lázaro que recebe, irregularmente, o Bolsa-Família em Ilhéus. Vários funcionários municipais também são agraciados pelo programa de transferência de renda.
Também fez denúncia grave de que recursos de programas federais são usados para cobrir 80% da folha de pagamento da sua pasta (ouça aqui). Por fim, ainda ameaça entrar com processos contra veículos de comunicação. Ele evitou responder porque a sua ex-amante Letícia Lázaro abriu o bico sobre as irregularidades na secretaria.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do Jornal Bahia Online
Enquanto Alexandre Simões e Paulo Carqueija seguem firmemente disputando a indicação para ocupar a titularidade da secretaria municipal de Saúde de Ilhéus, o Partido dos Trabalhadores não descarta uma outra alternativa. A mudança pode ir além de nomes. Pode ser de cargos. O Partido dos Trabalhadores (PT) pode deixar a secretaria municipal da Saúde para assumir a pasta do Trabalho e Ação Social.
No momento este debate acontece internamente e não há absolutamente nada definido. Segundo uma fonte palaciana ligada ao prefeito Newton Lima, a grande dúvida é se a troca não traria prejuízos políticos à sigla pelo fato de não ter conseguido conquistar avanços significativos enquanto esteve à frente da Saúde. A diferença agora é que o PT passaria a ter 100 por cento o comando das indicações, ao contrário do que acontecera com a Saúde, onde teve que conviver com “adversários dentro da própria casa”, conforme definiu um influente dirigente da sigla.
Este foi, de fato, na opinião do dirigente, o grande empecilho para que o ex-secretário Antônio Carlos Rabat pudesse determinar o novo ritmo da secretaria. O resultado, após seis meses de tentativa, foi frustrante e a análise do partido é de que os interesses internos na secretaria são tão grandes que independem de nomes para uma solução com a rapidez que a sociedade hoje exige.
Clique aqui e leia matéria na íntegra

Tempo de leitura: < 1 minuto

O chefe de Gabinete da Prefeitura de Ilhéus, José Nazal Pacheco, é quem assume interinamente o comando da secretaria municipal de Assistência Social e Trabalho.
Ele entra no lugar de Augusto Macedo, afastado pelo mesmo prefeito Newton Lima, por praticar irregularidades na pasta.
Mesmo com a apuração da comissão de sindicância criada para investigar o caso, a missão de Nazal é continuar com os diversos projetos sociais que não podem ser paralisados no município.
Estavam sob a responsabilidade de Augusto Macedo o setor de convênios e os projetos federais e estaduais de apoio aos portadores de necessidades especiais, à criança e ao adolescente e ao idoso.
Além deles, Augusto Macedo também era o responsável pelos serviços de promoção e desenvolvimento humano, de erradicação do trabalho infantil, projeto Sentinela, ProJovem, Bolsa Família, Credibahia, distribuição de sopa e de leite e ao Cras.