Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesta sexta-feira (3), às 9h, o governador Rui Costa (PT) inaugura a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) construída pelo governo estadual na Avenida Esperança, em Ilhéus, no sul da Bahia. O ato também contará com a presença do prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), outras lideranças.

De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), o investimento na obra foi de R$ 4,5 milhões, sendo R$ 3,1 milhões financiados pelo Ministério da Saúde e R$ 1,4 milhão pelo tesouro estadual. A nova UPA é do tipo 2.

ESTRUTURA

Com capacidade para atender 250 pacientes por dia, as unidades de pronto atendimento tipo 2 têm equipe de mais de 100 profissionais, sendo, no mínimo, seis médicos presentes diariamente. São disponibilizados raio-X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação.

Além disso, a unidade presta o primeiro atendimento aos casos de natureza cirúrgica e de trauma, estabilizando os pacientes e realizando a investigação diagnóstica inicial, de modo a definir, em todos os casos, a necessidade ou não de encaminhamento aos serviços hospitalares de maior complexidade. Nas localidades que contam com uma UPA desse tipo, 97% dos casos são solucionados na própria unidade.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Prefeitura de Ilhéus divulgou, nesta quarta (25), nota de esclarecimento sobre vídeo que mostra a retirada de cadeiras de rodas da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) construída pelo Governo do Estado na Avenida Esperança. Segundo a Prefeitura, as cadeiras foram levadas para que seus pneus fossem cheios e, após o serviço, foram devolvidas à unidade.

“As cadeiras de rodas foram retiradas unicamente para esta finalidade. Os pneus foram enchidos no posto de gasolina mais próximo e, logo em seguida, os equipamentos retornaram à unidade, onde já se encontram disponíveis para utilização”, diz trecho da nota da Secretaria de Saúde de Ilhéus (Sesau).

O vídeo não passa de um factoide, segundo a Sesau, e os autores serão identificados e responsabilidades por sua veiculação. “A Sesau lamenta a postura de pessoas que disseminam informações falsas com o intuito de atrapalhar o andamento da gestão e inviabilizar o trabalho dedicado e comprometido que a administração municipal vem realizando nos últimos cinco anos”, concluiu o texto.

Tempo de leitura: 2 minutos

Um ofício da Secretaria de Saúde de Ilhéus (Sesau) para a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) preocupa servidores estaduais lotados no Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus. O documento, ao qual o PIMENTA teve acesso, lista trabalhadores para remanejamento do hospital para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Avenida Esperança.

De acordo com o ofício da supervisora de Média e Alta Complexidade da Sesau, Thaiane Lima, os trabalhadores listados devem comparecer a reuniões na sede da pasta municipal, ao longo desta semana, conforme a data agendada para cada grupo. A convocação, segundo a gestora, foi combinada numa reunião da Sesab.

Após o vazamento do ofício e a repercussão entre os trabalhadores, as reuniões foram desmarcadas.

Trecho do ofício da Sesau para a Sesab

Ouvidos pelo site, servidores se dizem surpresos com o conteúdo do ofício e afirmam que não têm intenção de aderir à mudança, porque consideram o remanejamento inadequado e temem perder valores que integram suas remunerações, a exemplo da Gratificação de Incentivo ao Desempenho (GID).

TRANSFERÊNCIA NÃO SERÁ OBRIGATÓRIA, ESCLARECE DOMILENE BORGES

O PIMENTA conversou sobre o assunto com a diretora do Núcleo Regional de Saúde Sul, Domilene Borges, nesta segunda-feira (23). Ela esclareceu que nenhum servidor será obrigado a aceitar a transferência, enquanto os servidores que aceitarem não vão perder nenhuma gratificação salarial.

Na última sexta (20), conforme Domilene, após reunião de representantes do Costa do Cacau e da Sesab, foi esclarecido que apenas um servidor do hospital está disponível para a transferência, pois ele mesmo já havia manifestado esse interesse.

O site informou à diretora que os servidores temem a possibilidade de serem transferidos de forma compulsória. Ela explicou que a transferência será facultativa. Os trabalhadores vão preencher um formulário para informar se têm ou não interesse no remanejamento.

Segundo a diretora, em paralelo à situação do Costa do Cacau, Estado e Prefeitura de Ilhéus entraram em acordo para que servidores do antigo Hospital Geral Luiz Viana Filho, que já atuam no município, sejam alocados na UPA. A exemplo do outro caso, o Estado continuará a remunerá-los. “Sem perda de nada, perda salarial nenhuma”, ressalta, acrescentando que a unidade foi construída pelo Governo da Bahia e será administrada pelo município.