Anvisa determina recolhimento de lotes de vacina contra a covid-19
Tempo de leitura: 3 minutos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou o recolhimento de alguns lotes da vacina CoronaVac, contra a covid-19, que foram interditados após constatação de que “dados apresentados pelo laboratório não comprovam a realização do envase da vacina em condições satisfatórias de boas práticas de fabricação”.

A determinação foi anunciada hoje (22) por meio da Resolução (RE) 3.609, que determinou o recolhimento dos lotes da CoronaVac que já haviam sido interditados de forma cautelar pela Resolução (RE) 3.425, de 4 de setembro de 2021.

No dia 3 de setembro, a agência foi comunicada pelo Instituto Butantan que o parceiro na fabricação DA vacina CoronaVac, o laboratório Sinovac, havia enviado para o Brasil 25 lotes na apresentação frasco-ampola (monodose e duas doses), totalizando 12.113.934 doses, que foram envasados em instalações não inspecionadas pela Anvisa.

LOTES INTERDITADOS

Segundo a Anvisa, 12.113.934 doses de lotes cujo recolhimento foi determinado pela Anvisa já foram distribuídos. São eles: IB: 202107101H, 202107102H, 202107103H, 202107104H, 202108108H, 202108109H, 202108110H, 202108111H, 202108112H, 202108113H, 202108114H, 202108115H, 202108116H e L202106038.

Diante da situação, e “considerando as características do produto e a complexidade do processo fabril, já que vacinas são produtos estéreis (injetáveis) que devem ser fabricados em rigorosas condições assépticas”, a Anvisa adotou medida cautelar com o objetivo de mitigar um potencial risco sanitário.

Em nota divulgada há pouco, a agência informa que, desde a interdição cautelar, avaliou todos os documentos encaminhados pelo Instituto Butantan, “dentre os quais os emitidos pela autoridade sanitária chinesa”.

“Os documentos encaminhados consistiram em formulários de não conformidades que reforçaram as preocupações quanto às práticas assépticas e à rastreabilidade dos lotes”, detalha a nota.

A Anvisa acrescenta que também fez a análise das documentações referentes à análise de risco e à inspeção remota realizadas pelo Instituto Butantan, “e concluiu que permaneciam as incertezas sobre o novo local de fabricação, diante das não conformidades apontadas”.

Leia Mais

Mais de 80% da população da Bahia com mais de 18 anos já recebeu a primeira dose da vacina
Tempo de leitura: < 1 minuto

Mais de 80% dos baianos com mais de 18 anos receberam a primeira dose ou dose única da vacina contra Covid-19. Até esta quarta-feira (1º), 8.671.555 pessoas receberam a primeira aplicação e outras 254.964 foram imunizadas com a vacina de dose única. Somados, os números representam 80,51% da população baiana adulta, estimada em 11.087.169.

Para a secretária da Saúde da Bahia em exercício, Tereza Paim, o número deve ser celebrado, mas os esforços devem ser reforçados para que toda a população seja vacinada. “Principalmente com a chegada da variante Delta ao nosso estado, é essencial que as estratégias de vacinação sejam reforçadas pelos municípios. Os gestores devem criar meios para facilitar o acesso ao imunizante, como horários estendidos e vacinação de domingo a domingo”, afirma.

Paim também pontua a importância de completar o esquema vacinal para garantir a proteção contra a Covid-19. “As pessoas que tomaram a primeira dose precisam buscar os postos para a segunda dose, que completa a eficácia da vacina. Já iniciamos também a aplicação de terceira dose para pessoas com 80 anos ou mais e idosos que vivem em Instituições de Longa Permanência. Todos os baianos devem se vacinar”, alerta a secretária.

A Bahia já recebeu o total de 16.720.858 doses de vacinas, sendo 6.384.718 da Coronavac, 6.751.580 da AstraZeneca/Oxford, 3.323.460 da Pfizer e 261.100 da Janssen.

Bahia recebe mais um carregamento de vacinas contra a Covid-19
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia receberá 714 mil doses de vacinas contra o novo coronavírus nesta sexta-feira (20). A primeira remessa, com 362.700 imunizantes da Pfizer/BioNTech, chegará em um voo programado para pousar no aeroporto de Salvador às 9h40min. A segunda carga, com 351.300 doses de Coronavac, tem previsão de chegada ao aeroporto às 15h.

Para essas remessas, haverá uma mudança no critério de divisão. A distribuição dessas vacinas, que deve começar a ser feita ainda nesta sexta-feira, seguirá o critério definido em reunião da Comissão Intergestores Bipartite, realizada nesta quinta-feira (19).

“Do total, 80% serão destinadas conforme critério populacional e 20% como fator de correção para aqueles municípios que ainda não conseguiram chegar à faixa abaixo dos 25 anos. A ideia é que todos os municípios possam avançar ainda mais com a cobertura vacinal de forma equitativa na faixa etária”, explica a diretora da Vigilância Epidemiológica do Estado, Márcia São Pedro.

Conforme levantamento da coordenação estadual de imunização, até esta quinta-feira, 139 municípios ainda não tinham alcançado a vacinação de pessoas menores de 25 anos, enquanto que outros 128 já estavam imunizando as pessoas com 18 anos ou mais.

A Bahia ultrapassou 70% da população vacinada contra a Covid-19 com a primeira dose ou com o imunizante de dose única. A marca foi alcançada nesta quarta-feira (18). Ao todo, até as 12h desta quinta-feira (19), 7.912.326 baianos com 18 anos ou mais já haviam, ao menos, iniciado o esquema vacinal, o que representa 71,3% da população desta faixa etária, estimada em 11.087.169.

Bahia recebe mais um carregamento de vacinas nesta sexta-feira
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia recebe, nesta sexta-feira (13), mais 314.678 doses de vacinas. O primeiro carregamento, com 192.998 doses de Coronavac, chega no aeroporto de Salvador, em um avião com pouso previsto para as 9h40min. A segunda remessa, com 121.680 doses da Pfizer/BioNTech, chegará em um voo marcado para as 16h40.

Com estas duas novas cargas, a Bahia chegará ao total de 12.893.518 doses de vacinas recebidas, sendo 4.416.298 da Coronavac, 6.151.580 da AstraZeneca/Oxford, 2.064.540 da Pfizer/BioNTech e 261.100 da Janssen.

Com 7.097.133 vacinados contra o coronavírus (Covid-19) com a primeira dose, dos quais 2.997.127 receberam também a segunda aplicação, e mais 252.287 foram imunizados com dose única, até as 17h desta quinta-feira, a Bahia já vacinou 66,3% da população com 18 anos ou mais (estimada em 11.084.666) com, pelo menos, a primeira dose ou com a vacina de dose única.

As vacinas que chegam nesta sexta-feira devem começar a ser enviados aos municípios neste sábado (14), em aeronaves do Grupamento Aéreo da Polícia Militar e da Casa Militar do Governador.

Gestantes e puérperas que tomaram primeira dose da vacina AstraZenca/Oxford podem receber segunda dose da Coronavac ou da Pfizer
Tempo de leitura: < 1 minuto

A intercambialidade de doses de vacinas contra a Covid-19 para gestantes foi aprovada pela Comissão Intergestores Bipartite (CIB) da Bahia. Com a decisão desta terça-feira (10), as gestantes e puérperas que receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca/Oxford/Fiocruz poderão completar a cobertura vacinal com a Pfizer/BioNTech ou a vacina Sinovac/Butantan.

Publicada hoje (11) no Diário Oficial do Estado, a resolução também vale para grávidas sem fatores adicionais de risco.

Às gestantes e puérperas que ainda não receberam a primeira dose de vacina, a orientação é para que tomem os imunizantes que não têm o vetor viral, isto é, a Coronavac ou a Pfizer.

A diretora da vigilância Epidemiológica do Estado, Márcia São Pedro, explica que os municípios já podem seguir a resolução da CIB, respeitando o intervalo previsto entre as doses.

SUSPENSÃO DE CONDICIONANTE PARA ENVIO DE DOSES A MUNÍCPIOS

A CIB também mudou o critério para a distribuição de doses de vacinas aos municípios. “Até então, de acordo com uma resolução da CIB, as vacinas estavam sendo remetidas, exclusivamente, aos municípios que tinham aplicado 85% ou mais das doses anteriores. A partir de agora, todos receberão”, explica Márcia São Pedro.

A mudança poderá ser revisada, caso os municípios não utilizem as vacinas com celeridade. “Essa questão será constantemente reavaliada para que não haja prejuízo no avanço da imunização”, conclui a gestora.

PGE entra no STF por mais vacina para a Bahia || Foto Sesab/Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia recebe mais 318.080 doses de vacinas contra Covid-19 nesta segunda-feira (9) e terça-feira (10). A primeira remessa, com 102.800 doses de Coronavac, chegou ao aeroporto de Salvador hoje, às 9h25min. A segunda remessa, com 215.280 imunizantes da Pfizer BioNTech, deve chegar amanhã em um voo programado para aterrissar às 9h35min. As ssvacinas serão destinadas para primeira e segunda aplicações.

As vacinas serão conferidas pela equipe da coordenação de imunização da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) e devem começar a ser enviadas para as regionais de saúde, de onde serão encaminhadas para os municípios nesta terça-feira. Elas serão remetidas, exclusivamente, aos municípios que aplicaram 85% ou mais das doses anteriores. Esta foi uma decisão da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que é uma instância deliberativa da saúde e reúne representantes dos 417 municípios e o Estado.

Contando com as remessas de hoje e amanhã, a Bahia chegará ao total de 12.438.040 doses de vacinas recebidas, sendo 4.223.300 da Coronavac; 6.086.830 AstraZeneca/Oxford; 1.866.810 da Pfizer e 261.100 da Janssen.

Semana também vai ter aplicação da 2ª dose das vacinas Astrazeneca e Coronavac
Tempo de leitura: 3 minutos

A Secretaria Municipal de Saúde divulgou o calendário de vacinação contra Influenza e Covid-19 desta semana em Itabuna. Desta segunda-feira (9) até a próxima sexta-feira (13), prossegue a vacinação contra Influenza (gripe), pela manhã, nas Unidades Básicas e de Saúde da Família das 8h às 11h. Serão vacinadas pessoas com idade a partir de 6 meses. A documentação exigida é o RG, CPF ou cartão do SUS, comprovante nominal de residência.

No período vespertino, prossegue a aplicação da primeira dose contra a Covid-19, das 13h às 16h. Nesta segunda-feira (9), serão vacinadas pessoas com idade a partir de 27 anos completos. Na terça-feira (10), pessoas com idade a partir de 26 anos completos.

Na quarta-feira (11), será vacinado o grupo de pessoas com idade a partir de 25 anos. Na quinta-feira (12), serão contemplados com a imunização contra o coronavírus, pessoas com idade a partir de 24 anos. Já na sexta-feira (13), pessoas com idade a partir de 23 anos.

A documentação necessária é a Carteira de Identidade (RG), CPF ou cartão do SUS e comprovante nominal de residência. Quem mora de aluguel precisa apresentar fotocópia do contrato.

GESTANTES E PUÉRPERAS

Também nas UBS e USF até a sexta-feira, das 13h às 16 h, serão vacinadas contra Covid-19 gestantes e puérperas com a vacina da Pfizer ou Coronavac.

A documentação necessária é RG, CPF ou cartão do SUS e comprovante nominal de residência, relatório médico atestando a gravidez ou fotocópia do ultrassom ou do cartão de pré-natal (assinado e carimbado pelo médico ou enfermeiro). Para as puérperas, também é preciso levar a fotocópia da certidão de nascimento da criança.

DRIVE THRU

Nesta semana, haverá um dia destinado ao drive thru para aquelas pessoas que não conseguem se vacinar no turno diurno. Será no sábado (14), quando será aplicada a primeira dose da vacina contra covid-19 nas pessoas com idade a partir de 22 anos completos.

A vacinação será no Teatro Candinha Doria, das 10h às 14h ou até acabar as fichas. Segundo a Secretaria de Saúde, serão distribuídas 500 senhas, por ordem de chegada. A documentação é o RG, CPF ou cartão do SUS e comprovante nominal de residência. Para aqueles que moram de aluguel, é preciso que apresentar a fotocópia do contrato.

2ª DOSE CORONAVAC e ASTRAZENECA

Nas Unidades Básicas e de Saúde da Família, das 13h às 16 h, haverá aplicação das segundas doses das vacinas Oxford e Coronavac para aquelas pessoas que receberam a primeira dose das respectivas vacinas.

Para a Oxford, o grupo contemplado nesta semana para a segunda aplicação é aquele que recebeu a primeira dose entre os dias 3 e 11 de maio. Já para a segunda dose da Coronavac, o público é aquele que recebeu a primeira aplicação da vacina entre os dias 12 e 16 de julho.

Na quarta-feira (11), receberão a segunda dose da vacina Oxford contra Covid-19 os trabalhadores da educação da rede municipal, com idade a partir de 45 anos. A ação será na UniFTC, das 9h às 14h. A documentação necessária é o RG, CPF ou cartão do SUS e cartão de vacina com registro da primeira dose.

Na quinta-feira (12), receberão a segunda dose da vacina Oxford, trabalhadores da educação das redes estadual e privada e da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), com idade a partir de 45 anos. A ação será na UniFTC das 10h às 14h. A documentação necessária é o RG, CPF ou cartão do SUS e cartão de vacina com registro da primeira dose.

Já na sexta-feira (13), pacientes do Cerpat e trabalhadores da saúde de clínicas e consultórios receberão a segunda dose da vacina Oxford contra o Covid-19. A ação será na Rede de Frio das 9 às 14 h. A documentação exigida é o RG, CPF ou cartão do SUS e cartão de vacina com registro da primeira dose.

PGE entra no STF por mais vacina para a Bahia || Foto Sesab/Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia receberá mais 613.060 doses de vacinas contra o novo coronavírus. Os imunizantes estão previstos para chegar em três remessas. A primeira, com 255.300 doses da Coronavac e 63.600 da Oxford/AstraZeneca, chegará ao aeroporto de Salvador em um voo com pouso marcado para às 9h35min desta terça-feira (27).

A segunda carga, com 150.250 imunizantes da Oxford/AstraZeneca, chegará em um voo com aterrissagem programada para 19h15min, também de terça-feira. A terceira remessa, com 143.910 doses da Pfizer/BioNTech será trazida em um voo previsto para às 15h de quarta-feira (28). São doses para primeira e segunda aplicação.

De acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), as vacinas devem começar a ser distribuídas ainda na terça-feira por via terrestre e também em aeronaves do Grupamento Aéreo da Polícia Militar e da Casa Militar do Governador, após conferência da equipe da Coordenação de Imunização do Estado.

Os imunizantes serão remetidas, exclusivamente, aos municípios que aplicaram 85% ou mais das doses anteriores. Esta foi uma decisão da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que é uma instância deliberativa da saúde e reúne representantes dos 417 municípios e o Estado.

Com estas novas remessas, a Bahia chegará ao total de 10.835.440 doses de vacinas recebidas, sendo 3.809.700 da Coronavac, 5.586.900 da Oxford/AstraZeneca, 1.184.040 da Pfizer e 254.800 da Janssen.

Ministro Marcelo Queiroga anuncia atualização de recomendações da pasta sobre a aplicação de vacinas contra a Covid-19 em gestantes e puérperas
Tempo de leitura: 3 minutos

Após reincluir grávidas e puérperas (mulheres no período pós-parto, de 45 dias) entre os grupos prioritários para receber a vacina contra a covid-19, o Ministério da Saúde alertou, hoje (8), que isso deve ser feito com os imunizantes da Pfizer (ComiRNAty) ou da Sinovac/Butantan (CoronaVac e ButanVac).

“Os imunizantes que podem ser utilizados em mulheres grávidas são os da Pfizer e da Coronavac. AstraZeneca e Janssen não”, declarou o ministro, Marcelo Queiroga, esta manhã.

A exceção à recomendação ministerial é para as grávidas e puérperas que já tenham recebido uma primeira dose da vacina da AstraZeneca. Nestes casos, o ciclo vacinal deve ser completado com a aplicação da segunda dose com o imunizante do mesmo fabricante.

“Para as grávidas que tomaram a AstraZeneca, a orientação é a mesma: que após o puerpério seja feita a imunização com a mesma vacina e, com isso, completada a imunização”, disse o ministro, assegurando que, nestes casos, a vigilância sanitária será reforçada de forma a “monitorar a possibilidade de eventos tardios que, embora raros, podem acontecer.”

O ministério já tinha incluído grávidas e puérperas no Programa Nacional de Vacinação (PNI) no fim de abril deste ano, mas, em maio, a pasta recomendou a suspensão temporária da vacinação de gestantes sem comorbidades depois da morte de uma mulher que havia recebido uma dose da AstraZeneca, no Rio de Janeiro. Na ocasião, o ministério anunciou que acompanharia todas as gestantes que já tinham sido vacinadas a fim de verificar as reações aos imunizantes.

“Após a análise dos dados e do debate amplo com especialistas, houve o entendimento de se voltar a vacina nas gestantes sem comorbidade”, afirmou Queiroga, hoje.

De acordo com o ministro, a decisão de retomar a vacinação de grávidas e puérperas levou em conta o elevado índice de mortalidade entre este grupo de mulheres, bem superior que o do restante da população, conforme assinalou o secretário nacional de Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara, sustentando os riscos de eventuais reações adversas superam os benefícios já comprovados das vacinas.

“Temos que pesar o risco benefício. Principalmente com a nova variante, a epidemia da covid-19 afetou as grávidas. Tanto que a letalidade [da doença] entre elas está em torno de 10%, enquanto entre a população geral é menor que 2%. Portanto, ao avaliarmos o custo benefício [de aplicar o imunizante], não há nenhuma discussão: é muito favorável o uso das vacinas nas grávidas de forma geral”, disse o secretário.

INTERCAMBIALIDADE

O ministério desautorizou a combinação de vacinas, a chamada intercambialidade – estratégia já adotada por alguns municípios, que, em alguns casos, aplicaram a primeira dose de uma vacina para, em seguida, utilizar, na mesma pessoa, o imunizante de outro fabricante. Segundo Queiroga, ainda não há nenhuma comprovação médico-científica que valide a prática da intercambialidade, que não é recomendada em nenhum caso.

“Estudos de intercambialidade estão sendo realizados, mas ainda não são suficientes para tomarmos decisões como estratégias de saúde pública. Na hora que houver mais estudos, aí sim os especialistas vão se manifestar no [âmbito] do Programa Nacional de Imunização, apoiado pela câmara técnica”, disse o ministro ao fazer um alerta para os secretários de saúde de estados e municípios que, porventura, tenham adotado a combinação de vacinas.

“Os secretários estaduais e municipais de Saúde que, por acaso, queiram modificar as orientações do PNI não devem fazê-lo por conta própria. Devem fazê-lo após aprovação do grupo intergestor do PNI, apoiado pela Câmara Técnica. Claro que eles têm sua autonomia, mas não para mudar o cerne do que foi discutido na política tripartite”, disse Queiroga.

“Se é uma questão operacional do município, o secretário tem autonomia plena, mas não pode ficar criando esquemas vacinais diferentes, de maneira discricionária, sem ouvir ao PNI. A melhor maneira de termos eficiência na nossa política de vacinação é a discussão ampla, com o apoio dos especialistas”, acrescentou o ministro. Informações da Agência Brasil.

Nesta sexta-feira (9), estado chegará ao total de 9.333.930 doses recebidas
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia receberá mais duas remessas de vacinas contra a Covid-19. A primeira, com 111.150 doses do imunizante da Pfizer/BioNTech, chegará nesta quinta-feira (8), no aeroporto de Salvador, às 16h50min. A outra, com 61.800 doses da Coronavac, tem previsão de chegada nesta sexta-feira (9), em um voo com aterrisagem marcada para as 9h35min.

Os imunizantes da Pfizer/BioNTech serão destinados para a primeira aplicação, enquanto as vacinas Coronavac serão metade para a primeira aplicação e as demais para o complemento do esquema vacinal.

Os lotes devem começar a ser enviados para as regionais de saúde, de onde serão encaminhadas para os municípios, nesta sexta-feira, em aeronaves do Grupamento Aéreo da Polícia Militar e da Casa Militar do Governador, após conferência da equipe da Coordenação de Imunização do Estado. Eles serão remetidos, exclusivamente, aos municípios que aplicaram 85% ou mais das doses anteriores. Esta foi uma decisão da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), instância deliberativa da saúde que reúne representantes dos 417 municípios e do Estado.

Com a chegada das cargas, a Bahia alcançará o total de 9.333.930 doses de vacinas recebidas, sendo 3.422.000 da Coronavac, 4.698.900 da AstraZeneca/Oxford, 958.230 da Pfizer e 254.800 da Janssen.

Bahia recebe mais uma carga de vacinas nesta quinta
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia receberá, nesta quinta-feira (24), 343.630 doses de vacina contra o novo coronavírus. A primeira remessa com 181 mil doses de imunizantes Coronavac está prevista para chegar às 9h35min ao aeroporto de Salvador, em um voo comercial. A segunda carga, com 162.630 doses da vacina Pfizer/BioNTech, será trazida em um voo com previsão de pouso no aeroporto de Salvador às 15h.

As vacinas começarão a ser enviadas, na sexta-feira (25), para as regionais de saúde em aeronaves do Grupamento Aéreo da Polícia Militar e da Casa Militar do Governador, após conferência da equipe da Coordenação de Imunização do Estado.

As doses serão remetidas para os 417 municípios. As vacinas da Pfizer/BioNTech serão encaminhadas em sua totalidade enquanto que metade do quantitativo da Coronavac será reservada para a segunda aplicação.

Com esta nova remessa, a Bahia chegará ao total de 8.348.770 doses de vacinas, sendo 3.360.200 da Coronavac, 4.285.400 da AstraZeneca/Oxford e 703.170 da Pfizer/BioNTech.

Estado chegará ao total de 7.531.400 doses de vacinas recebidas
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Bahia receberá novas remessas de vacinas contra a Covid-19. Na noite desta quinta-feira (17), chegarão 201.240 doses de imunizantes produzidos pela Pfizer/BioNTech. A previsão é deque o voo trazendo a carga pouse no aeroporto de Salvador às 20h45. Na manhã desta sexta-feira (18), chegarão, em um voo com pouso previsto para 9h35, 143.400 imunizantes produzidos pelo Butantan, Coronavac.

As vacinas da Pfizer/BioNTech serão destinadas para a primeira aplicação, enquanto que as do Butantan, além da primeira dose, serão utilizadas também para completar o esquema vacinal.

Os imunizantes começarão a ser enviados nesta sexta-feira (18) para as regionais de saúde em aeronaves do Grupamento Aéreo da Polícia Militar e da Casa Militar do Governador, após conferência da equipe da Coordenação de Imunização do Estado.

Conforme a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), elas serão remetidas, exclusivamente, aos municípios que aplicaram 85% ou mais das doses anteriores. Esta foi uma decisão da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que é uma instância deliberativa da saúde e reúne representantes dos 417 municípios e o do Estado.

Com estas novas cargas, a Bahia chegará ao total de 7.531.400 doses de vacinas recebidas, sendo 3.179.200 da Coronavac, 3.794.150 da AstraZeneca/Oxford e 558.090 da Pfizer/BioNTech.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria de Saúde de Ilhéus (Sesau) marcou para esta segunda-feira (17) a aplicação da segunda dose da Coronavac em pacientes que deveriam ter completado o ciclo de imunização contra a Covid-19 até o dia 5 de maio.

O público-alvo desta etapa da campanha poderá receber a vacina nas unidades do Centro de Referência da Assistência Social (Cras), na sede da Cruzada do Bem pelo Bem, localizada perto do Ginásio de Esportes Herval Soledade, e nos pontos de drive-thru montados na Praça São João Batista, no bairro Pontal, e na Avenida Soares Lopes, ao lado do Centro de Convenções Luís Eduardo Magalhães. O atendimento ocorrerá das 8h às 14h.

De acordo com a Sesau, para receber a segunda dose, é necessário apresentar o cartão de vacinação, Registro Geral (RG) e Cadastro de Pessoa Física (CPF).

DOSES INSUFICIENTES E ATRASO NACIONAL

A Sesau informa que as 3.950 doses recebidas pelo município não são suficientes para atender todas as pessoas que aguardam a vacina atrasada.

Cerca de seis mil moradores de Ilhéus  não receberam a 2ª dose da Coronavac no prazo de 28 dias após a primeira vacinação, intervalo no qual o imunizante de origem chinesa obteve maior eficácia na prevenção de contágio da Covid-19 e de formas graves da doença.

O mesmo problema afetou a campanha na maior parte das cidades brasileiras, por causa do atraso do cronograma de distribuição de vacinas do Ministério da Saúde, que havia orientado estados e municípios a não manter reservas de imunizantes para a aplicação da segunda dose da coronavac.

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, disse que, apesar da chegada no estado de nova remessa de vacinas nesta sexta-feira (14), o cenário da campanha de vacinação é muito preocupante – leia aqui.

Com nova remessa, Instituto paulista cumpre primeiro contrato com o governo federal
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Instituto Butantan entregou hoje (12) mais 1 milhão de doses da vacina contra o novo coronavírus, a Coronavac, ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). Com essa remessa, o Butantan totaliza 46,112 milhões de doses disponibilizadas ao Ministério da Saúde desde o início deste ano e cumpre o primeiro contrato firmado com o governo federal em janeiro.

Segundo informações do governo de São Paulo, na próxima sexta-feira (14) começa a entrega das doses previstas no segundo contrato, que é de 54 milhões de vacinas. A primeira remessa será de 1,1 milhão de doses.

“As vacinas entregues em maio foram produzidas a partir de 3 mil litros de insumos recebidos no dia 19 de abril. Assim que um novo lote de insumos da China chegar ao país, será possível retomar a produção e efetuar novas entregas do imunizante ao governo federal”, informa o governo paulista.

Para moradora da zona norte, Sesau divulgou falta de vacinas de forma ampla; secretário responde
Tempo de leitura: 2 minutos

Por volta das 6 horas desta terça-feira (4), uma senhora de 62 anos tomou seu lugar na fila da vacina no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Savóia, na zona norte de Ilhéus. Estava marcada para hoje a aplicação da sua 2ª dose da Coronavac, mas, segundo ela, foi só às 7h30 que as pessoas da fila foram informadas sobre a falta de doses da vacina chinesa.

Conforme a mulher, que procurou o PIMENTA para reclamar da fila inútil, o episódio é consequência de “total desrespeito da Prefeitura de Ilhéus à população idosa que hoje receberia a segunda dose da Coronavac”.

“As pessoas se aglomeravam em filas desnecessárias desde 6 horas da manhã para apenas às 7:30h serem comunicadas que não tinha vacina. Por que este aviso não foi dado pela imprensa evitando o deslocamento e aglomerações da população idosa? Para que esta notícia não chegue à imprensa?”, questionou.

O PIMENTA levou o questionamento da moradora da zona norte ao secretário de Saúde de Ilhéus, Geraldo Magela. Ele respondeu que foi dada ampla divulgação à falta de doses para o reforço da imunização da Coronavac. E nos enviou link de nota divulgada hoje pela Prefeitura.

“A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) informa que a aplicação da 2ª dose da CoronaVac continua suspensa em Ilhéus. De acordo com a pasta, o município não recebeu até o momento quantitativo suficiente do imunizante, voltado ao reforço da vacinação. A Sesau reitera que a estratégia será retomada conforme a entrega de novas remessas. Os dias, horários e pontos de vacinação serão divulgados previamente, por meio dos canais oficiais da Prefeitura”, diz a nota publicada às 8 horas.

Antes, na terça-feira (27) da semana passada, outra nota da Sesau informou que o município aguardava nova remessa da Coronavac para retomar a aplicação da 2º dose.

A falta de doses da Coronavac para o reforço da imunização se deve ao atraso do cronograma de entregas do Ministério da Saúde e afeta todo o país. Antes do atraso, a pasta recomendou o uso de vacinas reservadas para a 2ª dose. Sem a reserva, faltam lotes para as pessoas que tomaram a primeira dose da vacina no início de abril.

60 ANOS

Também perguntamos ao secretário quando será retomada a imunização de idosos de 60 anos ou mais contra a Covid-19. “O repasse dos acima de 60 anos ocorrerá na próxima sexta feira [7], no Drive Thru do Centro de Convenções e do Pontal”, respondeu Magela.