Enfermeiros e técnicos de enfermagem participam de curso de capacitação
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria de Saúde de Uruçuca promoveu curso de capacitação em sala de vacina para enfermeiros e técnicos de enfermagem do município. A atividade buscou desenvolver a aptidão dos profissionais para as boas práticas de vacinação, além da organização dos processos de trabalho.

Para a assessora técnica Juliana Neves, o enfrentamento da pandemia de Covid-19 ressaltou a importância da capacidade de resposta de todo o sistema de saúde, inclusive das equipes de imunização. “Ter mais vacinadores capacitados no município irá nos proporcionar um avanço nas ações de prevenção das doenças imunopreveníveis”, acrescentou.

O prefeito Moacyr Leite Júnior (UB) prestigiou a solenidade de conclusão do curso, no último final de semana. “A saúde de Uruçuca é uma grande referência para toda a região. Estamos felizes em proporcionar um serviço de excelência para toda a população”, disse o mandatário.

Prefeitura de Jequié abre processo seletivo
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Prefeitura de Jequié, no sudoeste da Bahia, abriu, nesta quarta-feira (17), inscrições no processo seletivo simplificado para o preenchimento de 30 vagas. Os candidatos têm até sexta-feira (19) para assegurar participação no processo. O resultado será publicado no dia 23 de março.

Os candidatos devem possuir ensino superior completo. As oportunidades são para profissionais como médicos clínicos, enfermeiros, cirurgião‐dentista, fonoaudiólogos, psicólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, farmacêuticos e biomédicos.

De acordo com o edital, o processo seletivo será realizado em duas etapas, sendo de contagem de pontuação em caráter classificatório e eliminatório, e terá prazo de validade pelo período de 180 dias. A validade do processo poderá ser prorrogado por igual período.

Os contratados ficarão lotados na Secretaria Municipal de Saúde e vão atuar no rastreamento e monitoramento da pandemia do novo coronavírus. Os selecionados terão que cumprir uma carga horária de 30 horas semanais e o salário será de R$ 1.780,00. Acesse o edital no Diário Oficial, a partir da página 75.

Tempo de leitura: 2 minutos

Em audiência para celebrar o Dia Internacional da Enfermagem, presidente do Conselho Federal de Enfermagem, Manoel Neri, afirmou que o novo coronavírus já é responsável pelo óbito de cerca de 100 profissionais de enfermagem que trabalham na linha de frente do combate ao vírus em todo o país.

Para o presidente do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Manoel Neri, a categoria não tem “nada a comemorar” no Dia Internacional da Enfermagem, celebrado hoje (12), em uma audiência da Comissão Externa da Câmara dos Deputados que acompanha ações de combate ao novo coronavírus (covid-19) para prestar homenagens aos profissionais.

Neri lembrou que a pandemia do novo coronavírus já é responsável pelo óbito de cerca de 100 profissionais de enfermagem que trabalham na linha de frente do combate ao vírus em todo o país. “Não temos tanto a comemorar como profissionais de enfermagem, não só pela grande tristeza pelos 100 profissionais que perderam suas vidas na linha de frente do combate à covid-19, não apenas pelo grande desgaste emocional e físico, mas também pelo medo de nos contaminarmos, de levarmos a contaminação às nossas famílias”, afirmou.

2,3 MILHÕES DE PROFISSIONAIS NO PAÍS

Em todo o país há mais de 2,3 milhões de profissionais de enfermagem, que, além de enfermeiros, também reúne técnicos e auxiliares em enfermagem. De acordo com Neri, até o momento, o Cofen registrou 98 óbitos de profissionais de enfermagem e mais de 13 mil enfermeiros contaminados pelo novo coronavírus.

Segundo o conselho, a letalidade é de 2,17%. “Cada profissional desse é um ser humano que tem uma família, que tem seus entes queridos, da mesma forma que os mais de 11 mil brasileiros que ja perderam a vida pela covid-19”, lamentou.

O presidente do Cofen disse que os profissionais de saúde que estão trabalhando na linha de frente de combate ao novo coronavírus vêm sofrendo um “grande desgaste emocional”  e denunciou que, “muitas vezes, faltam equipamentos de proteção individual, como máscaras e luvas tanto em quantidade, quanto em qualidade”.

“Esta situação se agrava nesse período de pandemia, em razão do risco de contaminação”, alertou.

BAIXOS SALÁRIOS

Neri disse ainda que, em razão dos baixos salários, os profissionais acabam tendo que trabalhar em mais de um local. “São profissionais que precisam de trabalhar em mais de um vínculo empregatício, alguns trabalhando em dois, três lugares, em função dos baixíssimos salários que são praticados nos serviços de saúde brasileiros, e muitas vezes se ausentam de cuidar da própria família”, disse.

O presidente do Cofen defendeu o fortalecimento e o combate ao subfinanciamento do Sistema Único de Saúde (SUS) como principal referência de atendimento à população contra a pandemia. “Nesse momento de pandemia tem sido mais que visível a importância do SUS para atender a população brasileira”, disse.

Neri disse que o Parlamento precisa debater a situação dos profissionais de enfermagem e pediu a aprovação de projetos que garantam melhores condições de trabalho e remuneração para a categoria. Entre os projetos citados estão o que regulamenta a jornada de 30 horas semanais para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e o que garante o pagamento da insalubridade em grau máximo (40% sobre salários) aos profissionais envolvidos no combate à pandemia.

Itabuna registra mais 127 casos de Covid-19
Tempo de leitura: 2 minutos

De acordo com boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde de Itabuna,  dos 246 casos de novo coronavírus confirmados no município, 119 são profissionais de saúde. Eles trabalham em Itabuna e outras cidades do sul da Bahia. A maior quantidade  dos que contraíram o vírus são técnicos de enfermagem. Nada menos que 56 testaram positivo para a doença.

Médicos e enfermeiros também estão entre os mais infectados, com 16 e 26 profissionais, respectivamente. Os infectados estão em quarentena. Até o início da noite desta segunda-feira (4), Itabuna era o município do interior da Bahia com maior quantidade de casos de Covid-19. Salvador lidera no estado, com 2.128 infectados.

Itabuna, assim como Ilhéus,  está entre as cidades baianas com maior quantidade de mortes confirmadas, conforme dados das secretarias municipais de Saúde e Secretaria de Saúde da Bahia. São sete óbitos no primeiro e nove no segundo município. A maioria das vítimas estava no grupo de risco.

Na linha de frente de enfrentamento do vírus, profissionais acabam sendo infectados.

Itabuna, além dos 246 casos positivos,  registra 59 pacientes curados e 304 aguardando resultado de exames.  Outros 287 esperam a coleta de material para exames e 657 pessoas são monitoradas.

Em Ilhéus, no geral, são 241 casos confirmados da Covid-19 e 289 pessoas são monitoradas. Existem 117 pacientes que apresentaram os sintomas aguardando o envio dos resultados pelo Laboratório de Saúde do Estado (Lacen) e outros 126 estão curados da doença.  Hoje, 11 pessoas estão internadas em estado grave em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A Secretaria de Saúde de Ilhéus ainda não divulgou o número de profissionais da área infectados.

IPIAÚ

Em Ipiaú, são 53 casos de Covid-19 confirmados  e  duas mortes. Existem ainda 320 casos suspeitos e 488 pessoas em quarentena porque tiveram contato com infectados pela doença.  Há também 14 pessoas curadas e 120 aguardando o resultado dos exames. Entre os infectados em Ipiaú está a vice-prefeita Margarete Chaves, conhecida como Margarete do Abrigo. Ela confirmou, sexta-feira (1º), que estava com doença, mas não apresenta os sintomas.  A vice-prefeita passa bem.