Tempo de leitura: 2 minutos

O Tribunal do Júri da Comarca de Itamaraju, no extremo-sul da Bahia, condenou dois homens por envolvimento numa chacina que teve como vítimas mãe e dois filhos.  Os criminosos deixaram ainda outras três pessoas da mesma família gravemente feridas a bala. Os  condenados são Vanderley Pereira Reis, que terá de cumprir 77 anos de prisão, e  Erly Ferreira Lima, que pegou 66 anos de reclusão. Os dois devem cumprir a pena em regime fechado.

A chacina ocorreu na noite do dia 21 de setembro de 2012, uma sexta-feira, na rua rua da Nilo Peçanha, no bairro Liberdade, em Itamaraju. O ataque resultou nas mortes de Maria da Glória da Pena, Elenílson Pena de Jesus e Evandro Pena de Jesus. Maria da Glória era mãe de Elenílson e Evandro.  Os irmãos estavam com 18 e 22 anos de idade na época.

De acordo com o Ministério Público da Bahia (MP), além dos três mortos, Vanderley Pereira e Erly Ferreira  também atiraram contra Eronildo Pena da Silva, Maria D’Ajuda de Jesus e João Batista de Freitas, que sobreviveram. Os atiradores foram condenados por três homicídios qualificados, por motivo fútil, com uso de recurso que dificultou a defesa das vítimas; e por três homicídios tentados, qualificados por motivo fútil.

De acordo com os promotores de Justiça João Batista Madeiro Neto e Caroline Stange, o motivo dos homicídios e das tentativas de morte foi uma briga que teve início em um bar, no mesmo bairro onde as vítimas moravam. A companheira de Erly, um dos condenados, por ciúmes, entrou em luta corporal com a filha de Maria da Glória, uma das vítimas.

Durante a briga, Erly ameaçou a vítima João Batista, por conta de ofensas verbais. A briga foi separada. Horas depois, os condenados, acompanhado por outras pessoas, foram até a casa de Maria da Glória e de João Batista, onde cometeram os crimes.