Obras de esgotamento sanitário beneficiam prolongamento da Manoel Chaves
Tempo de leitura: 2 minutos

As obras de instalação da rede de esgotamento sanitário no prolongamento da Avenida Manoel Chaves, no Bairro São Caetano, seguem em bom ritmo, na avaliação da equipe técnica da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa). Estão sendo implantados 650 metros lineares de tubulação de 150 milímetros, 12 poços de visita (PVs) e aproximadamente 250 metros de ramais, ligando estabelecimentos comerciais e residenciais à nova rede.

Segundo o encarregado da obra, Elivado Braga, já foram executados cerca de 400 metros de expansão de rede, além da implantação de cinco PVs. “Há um mês iniciamos a obra. Nesse trecho, quando chovia sérios transtornos eram causados, já que as águas pluviais se misturavam com esgoto, alagando a parte baixa e provocando retorno nas casas. Agora, com a nova rede de esgoto, esses problemas deixarão de existir”, garante.

As obras de expansão da rede de esgotamento sanitário do prolongamento na Manoel Chaves, no trecho que liga a Avenida Princesa Isabel, no São Caetano, à Avenida Roberto Santos, no Pedro Jerônimo, está sendo executada com recursos próprios da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa) e integram parte do programa de implantação de obras estruturantes do governo Augusto Castro (PSD).

MODERNIZAÇÃO

Segundo o presidente da Emasa, Raymundo Mendes Filho, a ampliação dessa rede de esgotamento sanitário é parte de um projeto de modernização por que passa a zona sul da cidade, o que inclui a requalificação da Avenida Manoel Chaves no prolongamento em direção aos bairros Pedro Jerônimo, Daniel Gomes e São Pedro.

“A área sul da cidade é um novo vetor de crescimento e vem recebendo uma atenção especial do prefeito Augusto Castro. Depois de a Emasa concluir essa obra de saneamento, a Prefeitura fará toda urbanização desse trecho, melhorando a qualidade de vida das pessoas do São Caetano e de seu entorno”, afirma Raymundo.

Serviço iniciado nesta quarta-feira (15)
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Empresa Municipal de Águas e Saneamento de Itabuna (Emasa) iniciou hoje (15) a troca de parte da rede de esgotamento sanitário da Rua Humberto Campos, no Bairro Santa Inês.

Conforme a empresa, o serviço consiste na substituição do esgotamento sanitário condominial, que usa tubos de 100 mililitros, pelo sistema convencional, cujo diâmetro da tubulação é de 150 milímetros. O aperfeiçoamento da rede vai beneficiar 6 famílias de forma direta, além de reduzir o risco de vazamentos.

O gerente de Saneamento da Emasa, Inácio Soares, explica que os tubos de 100 mililitros não são adequados para o uso nesse tipo de rede, pois suportam carga menor do que a determinada por normas técnicas do setor. “Em determinados casos, quando há um serviço desobstrução ou de extravasamento de esgotos, avaliamos a situação. E havendo a ocorrência, é mais viável fazer a substituição total da rede”, complementa.

Município executa obras de urbanização do prolongamento da Manoel Chaves || Foto Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto
Depois de assinar ordem de serviço para implantação do novo sistema de iluminação pública na Avenida Manoel Chaves, hoje (27), o prefeito de Itabuna, Augusto Castro (PSD) e o presidente da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa), Raymundo Mendes Filho, visitaram as obras de esgotamento sanitário que a Emasa está executando no prolongamento da via.
A Emasa está investindo pouco mais de R$ 250 mil, em recursos próprios, na colocação de 650 metros de extensão de rede coletora de esgoto que vai ampliar o sistema de saneamento básico para todos os imóveis residenciais, comerciais e terrenos no trecho entre as avenidas Princesa Isabel, no São Caetano, e Roberto Santos, no Pedro Jerônimo.
Na solenidade de assinatura da Ordem de Serviço, o prefeito Augusto Castro falou da importância do investimento em saneamento básico para a cidade avançar. “Antes de qualquer intervenção de pavimentação, vamos implantar esgoto e drenagem. Só assim, teremos uma cidade muita mais estruturada, Itabuna tem apenas 18% de rede de esgoto, vamos mudar essa triste realidade”, assegurou.
QUALIDADE DE VIDA 
O presidente da Emasa, Raymundo Mendes Filho, citou o papel social da empresa em investir na melhoria de vida da população. “A Emasa tem valorizado o social, investido e contribuindo na melhoria da qualidade de vida da cidade, realizando obras de saneamento básico, que proporciona bem-estar e saúde”, salientou.
As obras de saneamento que estão sendo realizadas no prolongamento da Avenida Manoel Chaves, além de beneficiar os bairros São Caetano e Pedro Jerônimo, também atende aos bairros das zonas sul e leste de Itabuna, como Fonseca, Daniel Gomes e São Pedro.

Equipe faz reparo em rede de esgoto estourada || Foto Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Equipes de campo da Emasa atuaram em várias frentes de serviço, ontem e hoje (3 e 4), para atender demandas da comunidade em relação a vazamentos de água e esgoto estourado. Por meio do serviço de 0800, redes sociais e dos veículos de comunicação, as informações chegam à empresa, que acionou os plantões.

Segundo o diretor técnico da Emasa, o engenheiro Bruno Mendonça, as equipes de campo atuam dentro de programação pré-estabelecida. Porém, abrem espaços para atender as reivindicações que chegam pelos canais oficiais da empresa e também dos veículos de imprensa. “Mesmo com a agenda de serviços, atuamos para atender as demandas que chegam pelos nossos canais de comunicação e também pela imprensa”, afirma Mendonça.

O gerente de Produção e Distribuição de Água, Moisés Ferreira Rosa, disse que nesses dois dias foram atendidos e reparados vazamentos nas ruas Monte Alto (Fátima), Ramiro Nunes (Pontalzinho), Santa Catarina (Conceição) e na 6 (Jardim Primavera), próximo ao Centro de Atenção Integral à Criança (Caic). Ele destaca o apoio das equipes de campo que não medem esforços para solucionar os problemas.

“Nossas redes de distribuição de água e esgoto têm mais de 30 anos. Por isso, em função da idade é normal surgir casos de vazamento. Mas, a disposição dos nossos colaboradores em atender aos chamados da população é merecedora de parabéns”, destaca Ferreira Rosa.

Já a Gerência de Saneamento atuou na desobstrução das redes de esgoto das ruas Osvaldo Ferreira (São Lourenço) e dos Operários (Novo Horizonte), fazendo uso de um caminhão hidrojato de alta pressão. O cliente da Emasa pode fazer contato com a empresa para solicitar reparos nas redes e apresentar reclamações por meio do Call Center (0800 073 1195), (73) 98848-0808 (WhatsApp) e pelo site www.emasaitabuna.com.br e ou pelas redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter).

Bombas são instaladas no Pedro Fontes I e II
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa) concluiu hoje (28) o trabalho de instalação das novas bombas submersas na central de esgoto dos condomínios Pedro Fontes I e II, no São Roque. Os equipamentos para este tipo de operação foram danificados, o que obrigava a empresa a enviar caminhão limpa-fossa periodicamente.

Segundo o gerente de Esgotamento Sanitário da Emasa, Elânio Santos de Oliveira, no condomínio Pedro Fontes II existe uma Estação Elevatória de Esgoto (EEE), que faz o escoamento dos dejetos para a Estação de Tratamento (ETE) que fica no Pedro Fontes I.

“As estações de esgoto são implantadas pelas empresas construtoras dos residenciais e, posteriormente, entregues à Emasa, que assume a responsabilidade pela coleta e tratamento dos dejetos, além da manutenção dos equipamentos”, afirma Oliveira.

Os custos por essa prestação de serviço são cobertos pelos condôminos na tarifa das contas de água cobradas pela Emasa. Para a aquisição das bombas submersas, a Emasa realizou processo licitatório conforme determina a legislação.

Tempo de leitura: 3 minutos

A Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa), nos 100 primeiros dias da gestão do prefeito de Itabuna, Augusto Castro, focou no enfrentamento ao novo coronavírus, no cuidado e valorização de seus colaboradores, equação de débitos, combate ao desperdício, a realização de obras, além da elaboração de projetos estruturantes, avalia a direção da empresa.

ENFRENTAMENTO AO CORONAVÍRUS

Numa parceria com a Superintendência de Serviços Públicos da Secretaria de Infraestrutura e Urbanismo, a Emasa fez a sanitização das principais avenidas, ruas, praças e calçadas do centro e dos bairros da cidade. Esse trabalho também foi realizado nos pontos de ônibus e táxis, utilizando água com solução de cloro concentrado de 0,5% e carros-pipas para diminuir o contágio da Covid-19 na cidade.

CUIDADO COM OS FUNCIONÁRIOS

Outra ação de destaque nesses primeiros 100 dias da nova administração da Emasa, foi a realização de testes para a detecção da Covid-19 no quadro de colaboradores da empresa. Foram realizados testes rápidos e RT-PCR em praticamente todo corpo de funcionários. Também foi implantado o Programa de Atenção Psicológica e Social, coordenado pela psicóloga organizacional Carolina Loureiro e a assistente social Maria D’Ajuda Nascimento, com o objetivo de proporcionar o bem-estar ao colaborador e também de seus familiares.

OBRAS E MANUTENÇÃO DAS REDES 

O constante trabalho de manutenção das redes de abastecimento de água tem proporcionado a regularidade no fornecimento de água a mais de 98% dos domicílios de Itabuna. O mesmo ocorre com a rede de esgotamento sanitário, que atende a 84% das casas e tem 34% do coletado tratado.

A lagoa de decantação de esgoto, que fica no bairro São Judas Tadeu, estava em total estado de abandono. Agora, vem passando por um completo trabalho de limpeza, com o recolhimento da Eichornia crassipes, planta aquática popularmente conhecida por baronesa. A retirada da vegetação proporciona maior eficiência no tratamento do esgoto.

Outra importante ação da Emasa foi o acordo de cooperação com Prefeitura para a limpeza e a implantação da rede de esgoto que atualmente é lançado no canal de macrodrenagem do bairro Santo Antônio, que corta as ruas Santos Dumont e José Bonifácio.

Com extensão de aproximadamente 1,5 quilômetro, em paralelo ao canal serão implantadas redes coletoras de esgoto nas duas margens para levar os dejetos através em dutos até a destinação final. Dessa forma, está sendo atendida uma antiga reivindicação dos moradores das duas ruas do Santo Antônio e haverá a melhoria da qualidade de vida das pessoas que moram no entorno do canal.

PROJETOS ESTRUTURANTES 

A Diretoria de Projetos e Expansão da Emasa vem atuando na formulação de projetos estruturantes que serão apresentados nas esferas federal e estadual para a captação de recursos externos, além de contar também com recursos oriundos do orçamento do município.

Estão sendo priorizando projetos relacionados à expansão do abastecimento de água e a ampliação da captação e tratamento do esgoto. Dentre os projetos destacam-se o de captações “em tempo seco”, uma tecnologia de captação de dejetos que traz benefícios imediatos ao meio ambiente e a população. O projeto envolve a construção de três captações à margem direita do Rio Cachoeira e outro no canal de macrodrenagem da Avenida Amélia Amado.

A interceptação dos dejetos presentes nas galerias de águas pluviais em tempos de estiagem, evita o lançamento do esgoto in natura no Rio Cachoeira, contribuindo com a redução de efluentes através de águas pluviais, melhorando em curto prazo as condições sanitárias do ambiente.

Outro ponto importante nos projetos estruturantes diz respeito à melhora na distribuição de água, com a implantação de duas novas adutoras, ligando a Estação de Tratamento de Água (ETA), ao Jardim Cordier (setor do bairro São Caetano), e outra, derivando da BR-101, para o bairro Novo Lomanto.

As duas vão contar com o suporte de dois reservatórios, sendo um implantado um com a capacidade para armazenamento de 5.000 m³ (metros cúbicos) e outro, para 3.000 m³. Eles serão erguidos no Jardim Cordier e Novo Lomanto, respectivamente.

EQUAÇÃO DE DÉBITOS E COMBATE AO DESPERDÍCIO

Depois de realizar um detalhado diagnóstico, a nova administração da Emasa identificou uma dívida junto à Receita Federal do Brasil de pouco mais de R$ 80 milhões. O Departamento Jurídico está atuando para negociar e parcelar esse débito, para evitar bloqueio das contas da empresa, o que poderia inviabilizar as operações cotidianas da empresa.

A implantação do Programa de Combate ao Desperdício, agora no mês de abril, visa gerar um acréscimo de receita de cerca de R$ 1 milhão, que serão aplicados na melhoria do sistema de água e esgoto. Para isso, a Emasa realizou um processo licitatório para a contratação de empresa que irá realizar o levantamento e corte de ligações clandestinas, implantar hidrômetros, além de realizar o reparo das vias que são abertas para serviços de manutenção da rede em no máximo de 24 horas.

Atualmente, a Emasa tem uma perda de mais de 50% da água tratada que produz, devido problemas na rede de distribuição e também com o popular “gato”, com o combate as ligações clandestinas. Além disso, será desencadeado um trabalho mais eficaz de monitoramento na rede de distribuição para que resultados de eficiência sejam conseguidos no curto prazo.

Governador inaugura sistema de esgotamento sanitário em Ilhéus || Foto Mateus Pereira/GovBA
Tempo de leitura: 2 minutos

Com R$53 milhões em investimentos, a primeira etapa da ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário de Ilhéus-Pontal foi entregue à população, na manhã desta segunda-feira (31). Após inaugurar as novas instalações, o governador Rui Costa, acompanhado dos deputados Rosemberg Pinto e Paulo Magalhães e autoridades regionais, assinou a ordem de serviço para início das obras da segunda etapa, que contará com um recurso adicional de aproximadamente R$18 milhões.

Com a ampliação, Ilhéus eleva de 57% para 80% o percentual de coleta e tratamento de esgoto. “É um investimento grande do Governo do Estado para resolver o problema de esgotamento sanitário no município. Além da estação de tratamento, estamos investindo também na rede de esgoto. Essa região de Ilhéus é belíssima e esses investimentos abrem um novo vetor de valorização e crescimento do turismo, gerando mais empregos e melhorando a vida de moradores e de quem visita a cidade”, destacou o governador.

A obra é executada pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) e, nesta primeira fase, é composta por 55 quilômetros de redes coletoras, 13 novas estações elevatórias e uma moderna estação de tratamento de esgoto (ETE), com capacidade para tratar 148 litros por segundo. Decantadores, tanques de aeração, digestores anaeróbios de fluxo, leito de secagem e depósito de resíduos são algumas das estruturas presentes na ETE.

Ilhéus passa a coletar e tratar 80% do esgoto, segundo Embasa || Foto Mateus Pereira/GovBA

A primeira etapa vai acarretar na despoluição das praias da região e a segunda, na da baía. A atendente Lis Jesus acredita que a ação só traz benefícios. “O meio ambiente agradece e os banhistas também agradecem por estarem se banhando em uma água limpa, né?”, avaliou.

A diretora de Empreendimentos da Embasa, Rita Bonfim, explicou que as estações de tratamento antigas já não permitiam condições adequadas de sanitização. “A vida útil das antigas estações estava chegando ao fim e essas estruturas já não cumpriam eficientemente esse papel. A obra garantiu a instalação de um moderno sistema de lodo ativado e a transferência de 11.500 ligações, melhorando a qualidade do efluente”, destacou.

DUPLICAÇÃO DE TRECHO DA BA-001

Rui ainda vistoriou as obras de duplicação de 2,7 quilômetros da BA-001, até o entroncamento com a BR-251, sentido Una. Nesta ação, o Estado está aplicando R$9 milhões.

Tempo de leitura: 2 minutos

claudio_rodriguesCláudio Rodrigues | aclaudiors@gmail.com

Caso os interesses de alguns poucos prevalecerem sobre os de toda uma cidade, Itabuna realmente estará fadada a um retrocesso permanente. E a marchinha carnavalesca Lata d´água passará a ser nosso hino oficial.

Ainda permanece fresca como água cristalina na mente de todos o drama sofrido por toda Itabuna com a crise hídrica que nos atingiu desde o ano passado. Sem capacidade financeira para realizar investimentos, a Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa), que sempre foi deficitária, serve como cabide de emprego para abrigar apadrinhados políticos de gestores e partidos políticos.

No auge da crise, o governador Rui Costa propôs que a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) assumisse o controle do saneamento básico da cidade. Após alguma relutância por parte de membros do governo do município, no dia 21 de setembro foi assinado o protocolo de intenções para que o governo do Estado assumisse a gestão do saneamento de Itabuna. Porém, no meio do caminho há uma pedra para que o Estado seja o responsável pelo controle do saneamento da cidade:  a transferência depende de aprovação dos vereadores. E aí, “o bicho pega”.

Na assinatura do protocolo de intenções, o governador Rui Costa pediu agilidade por parte dos vereadores para a realização da transferência e se comprometeu em realizar investimentos na ordem de R$ 260 milhões. Mas desde setembro o projeto está literalmente parado na Câmara. O relator da matéria, Carlito do Sarinha, nem sequer tem comparecido às reuniões da comissão que trata do assunto. Encaminhou ao presidente da Casa, Aldenes Meira, vasto pedido de documentação para que seja feita a análise detalhada do assunto. Tudo isso tem contribuído para que a concessão não aconteça.

É de se questionar qual o real motivo para protelar tanto a aprovação da transferência de serviços de uma empresa deficitária para outra com capacidade de investimentos. Vale lembrar que, no termo de cooperação assinado entre o prefeito Claudevane Leite e o governador Rui Costa, a Embasa assume 150 dos 300 funcionários concursados da empresa municipal, além de o Estado absorver toda dívida da Emasa, estimada em R$ 26 milhões.

Cabe à sociedade civil organizada, por meio dos clubes de serviços, os sindicatos, entidades patronais, igreja, associações de moradores e o povo em geral, cobrar dos atuais vereadores a aprovação da concessão da Emasa para a Embasa. Caso os interesses de alguns poucos prevalecerem sobre os de toda uma cidade, Itabuna realmente estará fadada a um retrocesso permanente. E a marchinha carnavalesca Lata d´água passará a ser nosso hino oficial.

Cláudio Rodrigues é jornalista e empresário.

Tempo de leitura: < 1 minuto
(Foto Eliés Haun Neto)
 Baía do Pontal, em Ilhéus, poluída por dejetos e entulhos lançados por “cidadãos” (Foto Eliés Haun Neto).

A beleza da Baía do Pontal, em Ilhéus, contrasta com o cenário de degradação ambiental. Esgoto – e entulhos – é lançado sem nenhum tipo de tratamento nas águas da baía. Aos cidadãos, falta consciência – alguns diriam respeito mesmo. E a Embasa, responsável pelo saneamento de Ilhéus, o que diz deste cenário?