Itabuna registra mais dois óbitos pela Covid-19|| Foto Pedro Augusto
Tempo de leitura: < 1 minuto

O número de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus não para de crescer em Itabuna. Nas últimas 24 horas foram registrados mais 112 casos da Covid-19 do município do sul da Bahia. Com isso, passou de 2.751 infectados, ontem, para 2.863 nesta sexta-feira (3), segundo boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

O número de mortes causadas pela doença também subiu nas últimas horas. Passou de 69 para 72, sendo que 13 desses óbitos ocorreram em domicílio. Hoje, o município conta com apenas três leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis, incluindo os pediátricos. Há somente 21 leitos clínicos disponíveis.

Itabuna tem 10.980 notificações, das quais 7.484 casos foram descartados. Existem 251 pessoas aguardando o resultado de exame, 284 esperando a coleta de material para a realização de exames. O número de curados subiu para 1.136.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Cliente ficou 3 horas e 12 minutos aguardando atendimento (Reprodução Pimenta).
Cliente ficou 3 horas e 12 minutos aguardando atendimento (Reprodução Pimenta).

O Banco do Brasil anunciou, em novembro, plano de incentivo à demissão voluntária e aposentadoria e fechamento de agência. Com a estrutura ainda mais enxuta, clientes que enfrentam longas esperas já imaginam o que poderá acontecer. Nesta quarta (7), o publicitário Nuno Damasceno aguardou mais de 3 horas para ser atendido.

Ontem, havíamos noticiado aqui a  espera de mais de 2 horas de um cliente da Caixa. Como se vê, difícil superar o Banco do Brasil. Longa espera mesmo a cidade tendo uma lei que determina o atendimento em até 30 minutos em início de mês e 20 minutos em dias de menor fluxo, a Lei Sena.

O cliente que levou chá de cadeira no BB, Nuno Damasceno, já decidiu acionar o banco no Juizado de Pequenas Causas.

 

 

Tempo de leitura: < 1 minuto

Existe em Itabuna uma lei para a qual os bancos, que deveriam cumpri-la, dão as costas com a maior tranquilidade, na certeza de que não serão punidos. A norma, fruto de projeto de autoria do ex-vereador Luís Sena, determina que nenhum cliente pode esperar mais do que 20 minutos para ser atendido nas agências, o que até hoje não passa de uma quimera.
Um exemplo cabal do desrespeito é o caso de um “candidato” a cliente da Caixa Econômica Federal. Na manhã desta quinta-feira, dia 17, o cidadão entrou na agência da Praça Otávio Mangabeira com a intenção de abrir uma conta corrente no banco estatal. Exatamente às 10h32, ele retirou a senha AE-24, e foi atendido somente às 14h20, quase quatro horas depois!
Indignado com o desrespeito, o rapaz anotou o número da Ouvidoria da CEF e assegurou que iria registrar sua bronca. É o que todos deveriam fazer, além, é claro, de exigir que a Prefeitura, a quem compete fiscalizar o cumprimento da chamada Lei das Filas, faça valer o que está somente no papel.