Tempo de leitura: < 1 minuto

Criticada pela demora em se pronunciar sobre o envolvimento de um de seus membros nas execuções de sindicalistas e dois traficantes em Porto Seguro, a executiva provisória do PSB baiano emitiu nota oficial em que repele “qualquer conivência com qualquer tipo de crime contra a vida”.

A nota foi emitida ao final da noite de ontem e diz que a “decretação da prisão preventiva do então Secretário de Governo de Porto Seguro, Edésio Lima, membro da direção de nosso partido, solicitada pelo Ministério Público antes mesmo da conclusão do inquérito policial em curso, surpreendeu tanto o PSB como a todos que conhecem a pessoa e a trajetória política de Edésio”.

A nota elenca as qualidades do acusado, político muito próximo à presidente da comissão provisória do PSB. “Edésio Lima nunca apresentou nessas funções qualquer vinculação com atividades criminosas de qualquer natureza, tendo em todo esse tempo gozado da confiança e da estima de seus companheiros”.

Confira a íntegra da nota oficial