Tempo de leitura: < 1 minuto

Isaquias Queiroz, o maior canoísta brasileiro em atividade, confirmou que pretende se aposentar após olimpíadas de Paris, em 2024. Nascido em Ubaitaba, no sul da Bahia, o atleta revelou que quer se tornar referência como um dos maiores atletas olímpicos brasileiros da história. Ele havia anunciado a decisão no início do ano.

Isaquias Queiroz que, recentemente conquistou mais quatro medalhas no pan-americano, já ganhou olimpíadas e mundial, ainda se diz muito motivado. “Eu sempre quero ser melhor que o Queiroz de um ano atrás”. Isaquias já conquistou 7 medalhas de ouro em mundial.

Ele também falou sobre aposentadoria, algo que já vinha se decidindo. “Sempre me perguntam: “que idade você vai parar?”, e eu falo que vou parar com 30, sempre falam que eu sou novo mas a canoa, em si, é um esporte que começa cedo e se para cedo”.

Isaquias explica que geralmente nos 30 você já sente o corpo, o metabolismo, as dores. “E eu quero ser o atleta campeão, o atleta que soube a hora de sair. Então eu sei que não aguento até Los Angeles 2028, nos Estados Unidos. O meu objetivo é me dedicar o máximo, porque a minha vontade hoje é desacelerar a minha rotina”.

Ainda assim, ele revelou que tem uma meta antes de encerrar a carreira: “Eu quero chegar a sexta medalha olímpica. Ultrapassar os velejadores Robert Scheidt e Torben Grael, que são inspiração no esporte. E 2024 será meu último ano de competição olímpica”.

O Brasil fechou o Pan-americano de Halifax, no Canadá, no último dia 12, com mais duas medalhas de bronze, além das quatro conquistadas por Isaquias, com Ana Paula Vergutz e Vagner Souza. Com informações da Rádio Bandeirantes.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O canoísta Isaquias Queiroz conquistou, neste sábado (6), Halifax, no Canadá, o seu sétimo título mundial. O baiano de Ubaitaba dominou a prova do C1 500 metros e conquistou a medalha de ouro para o Brasil no Mundial de Canoagem Velocidade.

“Não foi fácil. Foi um grande trabalho que fizemos. Uma prova que teve muito vento de frente, mas consegui dominando e também aproveitar para a prova de amanhã. Para recuperar, agora é falar com a família, os amigos e, pegar também essa energia da torcida brasileira que estava aqui”, falou o campeão mundial.

Desde a edição de 2013 que Isaquias Queiroz não sai de um mundial sem medalha. São cinco ouros somente no C1 500 metros. Ao todo somam-se sete, cinco dos 500 e mais uma do C1 1000 que veio em 2019 e em 2015 a do C2 1000. Neste domingo (7) poderá conquistar mais uma dourada nos 1000 metros, às 11h33min.

ERLON DE SOUZA

Erlon de Souza e Filipe Santana Vieira também entraram na água, neste sábado. Eles disputaram a Final B e garantiram a 2ª colocação. Mas essa prova não vale disputa pelo pódio. Neste domingo (7), a partir das 12h21min, a dupla faz mais uma final no Canadá. Desta vez, os dois atletas do sul da Bahia disputam a prova C2 1000 metros.

Tempo de leitura: 2 minutos

Os representantes do sul da Bahia começaram muito bem o Mundial de Canoagem Velocidade, que está sendo realizado em Halifax, no Canadá. Isaquias Queiroz foi imbatível nesta quarta-feira (3). Ele foi o mais rápido da 3ª bateria da eliminatória, terminando o percurso do C1 500 metros em apenas 1min52s70, ficando à frente do italiano Carlo Tacchini e do polonês Aleksander Kitewski.

Com o resultado, o atleta de Ubaitaba foi direto para a final da competição, que acontecerá no sábado (6). “A gente chegou aqui analisando a questão do vento. A primeira largada, eu queimei, dai dei uma “seguradinha” na saída. Saí mais atrás e final eu dei um gás. Agora é descansar e pensar nas próximas provas” disse Isaquias.

Esta quarta-feira foi dia de estreia. A dupla formada por Erlon de Souza e Filipe Santana Vieira iniciou a largada em competições internacionais por volta do meio-dia para disputar o C2 500 metros. Eles tiveram dificuldades no início da prova, mas conseguiram avançar bem.

A dupla do sul da Bahia terminou o percurso na eliminatória em 1min43s67 segundos, apenas 0.91s, atrás dos primeiros colocados, a dupla italiana formada por Nicolae Craucin e Daniele Santini. Erlon é de Ubatã e Filipe é de Ubaitaba, mesma cidade de Isaquia Queiroz, que já fez dupla com Erlon.

Com o resultado de hoje, eles garantiram vaga para a disputa da semifinal. “Foi uma prova muito boa. Fizemos um sprint final muito bom. A gente viu que existe uma possibilidade de estarmos em uma final. O barco está bem. Agora vamos ver os tempos nas outras eliminatórias para analisar a nossa posição”, explicou Erlon.

Filipe Vieira destacou a prova de recuperação que fizeram. “É a primeira que competimos juntos. Fomos fortes. Tivemos uma pequena dificuldade no início, mas deu para perceber que temos nível para chegar em uma final”, avaliou Filipe.