HRCC sedia mutirão do Projeto Expedicionários da Dor
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus, vai sediar mutirão do Projeto Expedicionários da Dor, com o atendimento de 30 pacientes, nesta quinta (2) e sexta-feira (3). O trabalho será coordenado pelos médicos Marcus Puentes, representante local do Projeto Expedicionários da Dor, e Ramon Alves, coordenador da equipe de Ortopedia do Costa do Cacau.

Todos os pacientes foram regulados para participar da atividade, que se concentrará no tratamento de dores de coluna, artrose, tendinites, inflamações e bursites. O Ambulatório receberá 20 pacientes e o Centro Cirúrgico, 30.

Programa filantrópico do Instituto Pain Brasil, o Projeto Expedicionários a Dor é tocado por médicos voluntários, sob a coordenação do médico Charles Amaral de Oliveira, membro do Instituto Mundial da Dor (WIP, na sigla em inglês). Ilhéus será a terceira cidade brasileira a receber o mutirão.

Yuri Oliveira precisa de transplante de coração, segundo hospital ilheense
Tempo de leitura: < 1 minuto

O juiz Antônio Silva Pereira, plantonista de primeira instância do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), ordenou que o Estado da Bahia assegure, com urgência, a transferência de Yuri Oliveira Santos, 21 anos, do Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus, para unidade especializada em cardiologia.

Proferida na última sexta-feira (27), a decisão estabeleceu multa diária de R$ 1.302,00 por cada dia de descumprimento. Nesta tarde de segunda-feira (30), a mãe do paciente, Marilene Oliveira, informou ao PIMENTA que o filho ainda não foi transferido.

Ao PIMENTA, a direção do Costa do Cacau confirmou que Yuri necessita de um transplante de coração. “Até que haja a transferência, o Hospital o mantém em vigilância e suporte intensivo”, diz trecho da nota enviada ao site.

De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), a Central Estadual de Regulação ainda busca unidade hospitalar capaz de atender as necessidades do caso de Yuri.

Internado no Hospital Costa do Cacau, Yuri precisa ser levado a centro de cardiologia
Tempo de leitura: < 1 minuto

O jovem Yuri Oliveira Santos, de 21 anos, está internado no Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus, e precisa ser transferido para um centro especializado em cardiologia, segundo relatório médico. “A transferência é urgente”, disse a mãe do paciente, Marilene Oliveira, ao PIMENTA, nesta sexta-feira (27).

Yuri deu entrada no Hospital no último dia 3, após exame de ultrassom revelar que ele sofreu um derrame pleural. Hoje, ele está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e recebe medicamento para estabilizar as funções cardíacas. Segundo Marilene, sem o tratamento, o coração do filho pararia.

Como hipótese de diagnóstico, o relatório médico aponta uma miocardite aguda e solicita que Yuri seja transferido para unidade onde possa ser avaliada a necessidade de transplante cardíaco ou de dispositivos mecânicos de assistência circulatória.

Marilene afirmou ao PIMENTA que Yuri recebe bom atendimento, mas precisa da transferência imediata para ter chance de continuar lutando pela vida. “Meu filho está sendo bem assistido, sim, isso eu não posso negar. Ele está sendo estabilizado até que se encontre a vaga. Porém, o Hospital não tem o recurso [para tratá-lo]”, declarou. A família buscou o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), pedindo ajuda para agilizar o procedimento.

A equipe responsável pelo atendimento do paciente solicitou a transferência na noite de quarta-feira (25). Consultada pelo PIMENTA nesta sexta-feira (27), a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) confirmou o registro do caso na Central Estadual de Regulação e informou que ainda procura vaga em unidade habilitada para casos como o de Yuri.

Hospital Costa do Cacau é primeiro a fazer procedimento pelo SUS na rede Sesab || Foto Divulgação
Tempo de leitura: 2 minutos

O Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, expandiu a oferta de serviços de urologia, com a primeira implantação de cateter duplo J em um paciente no último dia 23 de novembro e agora tornado público. O procedimento consiste na introdução de um stent no canal uretral a fim de evitar a obstrução no processo de eliminação da urina, permitindo seu fluxo adequado do rim para a bexiga, ajudando o funcionamento do sistema urinário do indivíduo.

De acordo com o médico Egídio Feitosa, diretor técnico do HRCC, a unidade conta com serviço de urologia e está organizada com aplicação de equipamentos para intervenção cirúrgica e endoscópica. “Um cateter duplo J na emergência urológica é algo que muda a vida do paciente. Um rim pode ser salvo por esse procedimento feito de imediato. Iniciamos em novembro a colocação do implante cateter duplo J que é um momento de ganho para sul da Bahia”, avaliou.

O diretor técnico do HRCC destacou que o Hospital é o primeiro do Sistema Único de Saúde (SUS), da rede da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), na região sul, a iniciar este serviço de urologia de emergência.

– Nós vamos iniciar o serviço de urologia, com um urologista todos os dias no hospital, de domingo a domingo. Vamos ter um serviço ambulatorial com 40 consultas semanais em urologia, com cirurgia de próstata, retirada de cálculo, colocação de duplo J, procedimentos intervencionistas da urologia de todos os segmentos – enfatizou.

Leia Mais

Hospital Costa do Cacau dá posse à Comissão de Ética em Enfermagem
Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesta terça-feira (20), o Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (Coren-BA) empossou a Comissão de Ética de Enfermagem do Hospital Regional Costa do Cacau, de Ilhéus. O ato solene cumpre a legislação do Sistema Cofen/Coren.

João Araújo, coordenador de Enfermagem do HRCC, destaca que, de acordo com a Decisão nº 34 do Coren-BA, é obrigatória a criação e funcionamento de comissão onde existirem serviços de Enfermagem com mais de 50 profissionais da categoria em seus quadros de colaboradores.

“A Comissão de Ética é de extrema importância e termos aqui Ho hospital uma comissão é uma forma de valoriza os profissionais de enfermagem, garantindo um atendimento humanizado, com qualidade, segurança e ética”, disse.

A solenidade contou com a participação da presidente do Coren, Giszele Paixão, e os conselheiros Stella Renathe, Kátia Gama e Jefferson Alves, além da coordenadora de Enfermagem da Clínica Médica e ex-presidente da Comissão de Ética da instituição, Gisele Santiago, e Antônio Walter Luna coordenador administrativo do hospital.

Foram empossados na comissão Kitiana Carvalho Pacheco, Ana Paula Mota Lavigne de Lemos, Daniele Cabral Lobo, Jemima Queren dos Santos Oliveira e Luana dos Santos.

Tempo de leitura: 2 minutos

A Agência Transfusional do Hospital Regional Costa do Cacau, responsável pela distribuição, controle e monitoramento de bolsas de sangue destinadas a pacientes que precisam de transfusão, alerta para o nível crítico de estoque de sangue da unidade. A situação preocupa a equipe de assistência do hospital ilheense.

De acordo com o médico Alfredo Boa Sorte Júnior, responsável técnico pela AT do HRCC, o problema também atinge os hospitais de Base e Santa Casa de Misericórdia, em Itabuna, além do São José, em Ilhéus.

– Aqui, no Costa do Cacau, nosso estoque encontra-se em nível crítico, principalmente dos tipos O e A, fator Rh negativo. Quero pedir a colaboração dos doadores cadastrados que se dirijam aos bancos de sangue, também faço um apelo àqueles que podem: façam a sua doação –  afirmou.

Fraana Andrade, farmacêutica bioquímica e coordenadora operacional da AT do HRCC, reforçou que, no momento, alguns pacientes de grupo sanguíneo O negativo e A negativo, com solicitação de transfusão, dependem da regularização dos estoques.

– Quero ressaltar a importância da doação de sangue, de todos os tipos e fatores, para transfusão, procedimento essencial para salvar vidas de muitas pessoas acolhidas nos diversos setores da assistência, da nossa e de outras unidades hospitalares – observou Fraana.

QUEM PODE DOAR

De acordo com o Ministério da Saúde, podem doar sangue pessoas que tenham de 16 a 69 anos e pesem mais de 50 quilos. Menores de 18 anos só podem doar com o consentimento dos responsáveis. Pessoas com febre, gripe ou resfriado, diarreia recente, grávidas e mulheres no pós-parto não podem doar temporariamente.

A pessoa não pode ingerir alimento gorduroso, pelo menos, 3 horas antes da doação. Se for após o almoço, deve aguardar 2 horas. Outra condição é ter dormido, pelo menos, 6 horas nas últimas 24 horas. O homem pode doar até 4 vezes por ano. A mulher, 3 vezes. O intervalo entre uma doação e outra é de 2 meses para homens e 3 meses para mulheres.

LOCAIS DE DOAÇÃO DE SANGUE

ILHÉUS
Banco de Sangue de Ilhéus (Santa Casa de Misericórdia)
Hospital São José, na Rua Dom Manuel Paiva, Ladeira do Café, 226, bairro Teresópolis.
Telefone: (73) 3234-5774.

ITABUNA
Banco de Sangue de Itabuna (Santa Casa de Misericórdia)
Rua Antônio Muniz, 200 (prédio anexo ao Hospital Calixto Midlej Filho), bairro Pontalzinho.
Telefones: (73) 3214-9126 / 9127 / 9154.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A coordenadora do Núcleo Regional Sul de Saúde, Domilene Borges, informou ao PIMENTA que a Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) confirmou, nesta terça-feira (26), o primeiro caso de varíola dos macacos em Ilhéus.

Trata-se de paciente que fez viagem ao continente europeu há pouco tempo, voltou ao Brasil com sintomas da doença e está em isolamento no Hospital Regional Costa do Cacau. Já o primeiro caso suspeito do município, de paciente que não viajou ao exterior, foi descartado, acrescenta Domilene Borges.

Até o momento, o estado tem 6 casos confirmados da doença; cinco em Salvador e, agora, um em Ilhéus. Outros 31 casos suspeitos são investigados, após notificações dos municípios de Barra (01), Ibicaraí (02), Laje (01), Mutuípe (03), Porto Seguro (01), Salvador (15), Santa Cruz Cabrália (01), Santo Antônio de Jesus (03), São Miguel das Matas (01) e Vitória da Conquista (03).

Tempo de leitura: 2 minutos

O Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, sob orientação da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), criou um comitê multiprofissional para elaboração do plano de contingência para definir ações na prevenção do Monkeypox vírus, a varíola do macaco, com o objetivo de evitar a possível propagação da doença no ambiente hospitalar. O comitê foi criado após alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS) e aparecimento de 7 casos suspeitos no Brasil.

Segundo o HRCC, a estratégia está fundamentada pela Nota Técnica Anvisa Nº03/2022, divulgada em 31 de maio passado, assegura a enfermeira Ana Paula Lavigne. “Nosso comitê é composto pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), Núcleo Hospitalar Epidemiologia (NHE), Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) e diretorias Técnica e Operacional, com a finalidade de instituir, orientar, monitorar e garantir o funcionamento das ações de prevenção a propagação do Monkeypox contidas no plano de contingência”, afirmou.

A enfermeira explicou que a varíola do macaco é uma zoonose viral, vírus transmitido aos seres humanos a partir de animais, com sintomas semelhantes aos observados no passado em pacientes com varíola, porém com uma menor gravidade endêmica nos países da África Ocidental e Central.

“Os sintomas da doença são relativamente leves em muitos casos, com aparecimento de bolha ou ferimento na pele, o que conhecemos como erupção cutânea localizada e linfadenopatia, doença que afeta os nódulos linfáticos, provocando inchaços”, disse.

PROCURE O MÉDICO

Ana Paula Lavigne alerta que muitas pessoas podem não procurar os serviços de saúde pelos sintomas da enfermidade. “É necessária a procura pelo atendimento médico e ficar atento, pois essa doença é transmitida principalmente por meio de contato direto ou indireto com sangue, fluidos corporais, lesões de pele ou mucosa de animais infectados”, esclarece.

“A transmissão secundária, de pessoa a pessoa, pode ocorrer por contato próximo com secreções respiratórias infectadas, lesões de pele de uma pessoa infectada ou com objetos e superfícies contaminados. Deve-se evitar contato e manter a higienização adequada”, orienta a enfermeira.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A direção do Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, emitiu nota para esclarecer que todos os procedimentos realizados na unidade hospitalar são gratuitos. Por isso, qualquer tipo de cobrança feita em nome da instituição deve ser denunciada como tentativa de golpe.

“Caso alguém ligue ou solicite valores para realização de algum exame ou cirurgia no HRCC, denuncie imediatamente”, informa trecho do alerta feito nesta segunda (30). O texto ainda reforça que o hospital pertence ao Estado da Bahia e atende à população pelo Sistema Único de Saúde (SUS), exclusivamente.

Tempo de leitura: < 1 minuto

As primeiras horas desta terça-feira (10) foram de aflição para a família do jovem Paulo Henrique de Jesus Santos. Desde a noite de ontem, o estudante de Direito da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) não mantinha contato com familiares e amigos nem atendia as ligações para o seu celular, algo que não costuma fazer. Hoje, correu a notícia do seu desaparecimento.

Sabia-se apenas que, no início da manhã de segunda-feira (9), Paulo deixou a casa que divide com amigos em Itabuna, com destino à Uesc. Por volta das 21h, avisou que estava com um amigo, mas não foi visto na Universidade à noite.

Paulo é de Gandu e mudou-se para Itabuna neste ano, para iniciar a graduação na Uesc. Ao PIMENTA, um amigo do estudante disse que ele é pacato e não gosta de festas, características que tornavam remota a hipótese de que ele tivesse caído numa farra e esquecido do mundo.

Na tarde de hoje, após horas de buscas, Paulo Henrique foi localizado no Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus. Seu amigo, que falou ao site sob a condição de ter a identidade mantida em sigilo, não soube informar o que aconteceu exatamente. Ele conta que o estudante passou mal e foi levado para a unidade médica, onde continua internado. Não há informações sobre o estado de saúde dele.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Neste domingo (8), o Serviço Social do Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, com apoio de outros setores, promoveu ação especial em homenagem ao Dia das Mães. A unidade foi decorada com balões em formato de coração e com frases em homenagens às mamães durante o período de visita de filhos e filhas dessas pacientes.

Para Edinalva Santos Silva, filha de Idalina Santos, foi muito bom o hospital liberar a visita especial no Dia das Mães. “As mães não podem ir até os filhos, mas os filhos podem ir até as mães. Esse recado eu deixo para todos os filhos que têm suas mães internadas. Tira um tempinho para visitar suas mães. Desde já, quero agradecer a todos”, disse.

De acordo com Vitor Hugo Melo, filho da paciente Maria de Lourdes Melo, a visita para o Dia das Mães foi muito importante. “Nessa data tão especial, a recepção por parte dos funcionários do hospital foi ótima. Os balões que foram postos à disposição para que pudéssemos entregar às nossas mães foi algo bem pensado e um diferencial”, declarou.

Ester Vitória, neta da paciente Maria de Lourdes dos Santos Rocha, parabenizou a unidade hospitalar pela iniciativa. “Venho aqui parabenizar o Hospital Costa do Cacau, pois no Dia das Mães está autorizando visitas dos filhos para suas mães. Agradeço em nome de todos os filhos. Muito obrigado”, retribuiu.

Tempo de leitura: 2 minutos

Diretora técnica do Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), a médica pneumologista Rosângela Melo fez, na última semana, a tradicional entrega simbólica dos jalecos aos médicos residentes recém-chegados para os Programas de Clínica Médica, Cirurgia Geral e Medicina Intensiva.

A Comissão de Residência Médica (Coreme) da unidade hospitalar acolheu os novos médicos residentes, em março, em encontros que reuniram líderes de setores. Os líderes apresentaram os serviços referentes às suas áreas de gestão. Este ano, o HRCC entra em seu segundo ano dos Programas de Residência Médica.

De acordo com e médica Rosangela Melo, em abril do ano passado o hospital havia admitido a primeira turma de residência médica, em clínica médica e cirurgia geral, composta por quatro médicos residentes.

“Agora, em março de 2022, a unidade recebeu a segunda turma, com seis residentes, com agregação do programa de residência médica em terapia intensiva. O programa de clínica médica oferece duas vagas por ano e tem duração de dois anos. Os de cirurgia geral e terapia intensiva oferecem duas vagas por ano e têm duração de três anos”, disse.

Chegaram este ano para os programas de Clínica Médica, Cirurgia Geral e Medicina Intensiva, os médicos residentes Natália Pereira de Oliveira (Clínica Médica), Maurício Novais Bastos (Clínica Médica), Carlos Henrique Ribeiro Araújo (Cirurgia Geral), Clara Nascimento Passos Silva (Medicina Intensiva), Matheus Lagariça Lawinscky (Medicina Intensiva) e Kelvin Celio Alves de Almeida (Cirurgia Geral).

Rosângela Melo ressalta ainda que a Residência Médica é o padrão ouro na formação de especialistas médicos no Brasil. “O Hospital Regional Costa do Cacau vem mostrando, com a implantação de novas especialidades, a sua vocação de centro formador de profissionais de elevada qualidade e comprometimento, com atendimento de excelência aos usuários do SUS”, destacou.

“Todos os nossos programas foram visitados e autorizados pela Comissão Nacional de Residência Médica, isso é uma grande satisfação. O empenho do corpo clínico na assistência a esses jovens médicos é realmente notável. Todos estão bastante empenhados para que a formação aconteça da melhor forma. O grupo de preceptores é formado por especialistas, mestres e doutores nas áreas específicas, muito comprometidos com o sucesso do programa”, informou.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O impacto da batida entre a moto que conduzia e um carro arremessou o motociclista Laílson Santos Ribeiro em cima do outro veículo, nesta terça-feira (29), em Ilhéus. O acidente aconteceu na BA-001. Ele sobreviveu, mas foi ferido.

A companheira de Laílson, Lorena Oliveira Souza de Jesus, estava na garupa da moto e também ficou ferida. Socorrido pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu-192), o casal foi levado para o Hospital Regional Costa do Cacau. Não há informações sobre o estado de saúde deles.

O motorista do carro, Jorge Rocha de Cerqueira, não se feriu. A Polícia Rodoviária Estadual o submeteu a teste de etilômetro e constatou que ele não consumiu bebida alcoólica antes de dirigir. A ocorrência foi registrada na delegacia da Polícia Civil, que investigará a causa do acidente. Informações do G1.

Rosângela Melo ressalta importância da residência médica para a formação de especialistas
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, anunciou a expansão do seu programa de residência médica. A partir deste ano, além das especializações em clínica médica e em cirurgia geral, os profissionais da área poderão disputar duas vagas para a residência em terapia intensiva, que terá duração de três anos.

Diretora técnica do HRCC, a pneumologista Rosângela Melo explica que a residência médica é o padrão ouro na formação de médicos especialistas no Brasil. “O Hospital Regional Costa do Cacau vem mostrando, com implantação de novas especialidades, a sua vocação de centro formador de profissionais de elevada qualidade e comprometimento, com atendimento de excelência aos usuários do SUS”, acrescentou.

Os três programas de formação do hospital foram visitados e autorizados pela Comissão Nacional de Residência Médica. “Isso é uma grande satisfação”, afirma Rosângela, que também é professora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

Ainda conforme a diretora, além da tecnologia de ponta, o Costa do Cacau tem um corpo técnico extremamente qualificado e comprometido, formado por especialistas, mestres e doutores.

Além dos pacientes na UTI-Covid, hospital tem 25 leitos clínicos ocupados
Tempo de leitura: < 1 minuto

Todos os dez leitos de UTI-Covid do Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus, estão ocupados na manhã desta sexta-feira (21), informa o painel eletrônico da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

Dos dez pacientes em tratamento intensivo no hospital, nove foram intubados para receber ventilação mecânica.

O Costa do Cacau tem 35 leitos clínicos para acolher infectados pelo coronavírus e 25 estão em uso.

Já o Hospital Vida Memorial, também localizado em Ilhéus, mantém dez leitos UTI-Covid e tem dois pacientes em tratamento intensivo, sem necessidade de ventilação mecânica. Dos vinte leitos clínicos da unidade, cinco estão ocupados.

Os dois hospitais recebem pacientes de todo o litoral sul da Bahia.