Eleitores aguardam na fila de votação do CPM, em Ilhéus || Foto Pimenta
Tempo de leitura: 2 minutos

O domingo (2) de eleições gerais transcorre em clima de tranquilidade em Ilhéus, apesar das longas filas. Nas portas dos colégios eleitorais, muito movimento de eleitores e milhares de santinhos espalhados no chão.

Movimento de eleitores na porta do CPM, em Ilhéus || Foto Pimenta

O PIMENTA visitou um dos principais locais de votação de Ilhéus, o Colégio da Polícia Militar Rômulo Galvão, no Pontal, no final manhã. A escola integra a 26º zona eleitoral e reúne 17 seções, da 150 a 167. Por volta das 12h, a maioria das seções estava cheia e com filas extensas.

Porta do Ceamev tomada por santinhos || Foto Maurício Maron

A movimentação de eleitores também é intensa no Centro Estadual de Educação Profissional Álvaro Melo Vieira (Ceep Ceamev)e no Instituto Municipal de Ensino Eusínio Lavigne (IME), ambos na Avenida Canavieiras. Os dois colégios são os locais de votação de grande parte dos moradores da região central do município.

Eleitora observa materiais de candidatos || Foto Maurício Maron

Com horário unificado em todo o país, a votação começou às 8h (horário de Brasília) e seguirá até as 17h. Para votar, basta apresentar documento oficial com foto. É possível consultar o local de votação no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Tempo de leitura: < 1 minuto

Estudantes do 9º ano do Instituto Municipal de Ensino Eusínio Lavigne (IME), em Ilhéus, embarcaram numa viagem de autoconhecimento para refletir sobre as relações que estabelecem com a própria escola. O ponto de partida é uma máxima do filósofo grego Sócrates (470-399 a.C.), com a exposição fotográfica IME, conheça-te a ti mesmo: Filosofia e Arte construindo uma formação cidadã.

Coordenada pelo professor de Filosofia Anildo de Souza Silva, a exposição estreou nesta segunda-feira (22) e ficará aberta ao público até amanhã (24), no horário escolar.

Exposição ficará aberta ao público até esta quarta-feira (24)

Para instigar a reflexão dos estudantes, Anildo propôs que eles representassem, com fotografias, o que pensam da escola. A exposição também é composta por imagens em três dimensões, que permitiram a participação dos estudantes com deficiência visual no processo criativo.

Um dos objetivos do trabalho artístico e filosófico é despertar nos estudantes a compreensão de que, hoje, eles também são atores da história do IME, a mais tradicional escola pública de Ilhéus, concebida no Governo Eusínio Lavigne (1930-1937) e inaugurada em 1939, após a cassação do mandatário pela ditadura do Estado Novo.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Estudantes do 9º ano do Instituto Municipal de Ensino Eusínio Lavigne (IME), em Ilhéus, embarcaram numa viagem de autoconhecimento para refletir sobre as relações que estabelecem com a própria escola. O ponto de partida é uma máxima do filósofo grego Sócrates (470-399 a.C.), com a exposição fotográfica IME, conheça-te a ti mesmo: Filosofia e Arte construindo uma formação cidadã.

Coordenada pelo professor de Filosofia Anildo de Souza Silva, a exposição estreou nesta segunda-feira (22) e ficará aberta ao público até amanhã (24), no horário escolar.

Exposição ficará aberta ao público até esta quarta-feira (24)

Para instigar a reflexão dos estudantes, Anildo propôs que eles representassem, com fotografias, o que pensam da escola. A exposição também é composta por imagens em três dimensões, que permitiram a participação dos estudantes com deficiência visual no processo criativo.

Um dos objetivos do trabalho artístico e filosófico é despertar nos estudantes a compreensão de que, hoje, eles também são atores da história do IME, a mais tradicional escola pública de Ilhéus, concebida no Governo Eusínio Lavigne (1930-1937) e inaugurada em 1939, após a cassação do mandatário pela ditadura do Estado Novo.

Meninas dizem que caminham longas distâncias por deficiência do transporte escolar
Tempo de leitura: 2 minutos

Na véspera deste Dia Internacional da Mulher, um vídeo de estudantes viralizou nas redes sociais de Ilhéus. Na gravação, a porta-voz do grupo segura a câmera para enquadrar a si mesma e quatro colegas. Elas estão na estrada do distrito de Lagoa Encantada, onde moram, e reclamam do serviço de transporte escolar.

Segundo as meninas, que estudam no Instituto Municipal de Ensino Eusínio Lavigne (IME), localizado no Centro, o ônibus não chega até a Lagoa Encantada. Isso as obriga a acordar muito cedo, às 4h, para caminhar longa distância até a entrada do povoado do Retiro, último ponto de parada do transporte.

As más condições da estrada são obstáculos comuns naquela região de terreno acidentado e chão de barro. Nos dias chuvosos, a lama aumenta o risco de acidentes. No vídeo, a porta-voz da revolta estudantil diz que o motorista do ônibus escolar, funcionário da empresa contratada pela Prefeitura de Ilhéus, se recusa a dirigir até o distrito ribeirinho.

“Ele quer que a gente suba todas as ladeiras, sete ladeiras, pra poder pegar a gente lá em cima, na entrada do Retiro. Quem é que vai acordar quatro da manhã pra poder andar na chuva? Estamos todos molhados. Tudo encharcado. Todo mundo revoltado, com fome”, declara a estudante.

Também afirma que o problema já foi comunicado à direção do IME e à Secretaria de Educação de Ilhéus (Seduc), mas não havia sido solucionado até a manhã de ontem (7). No mesmo vídeo, a estudante diz que a escola não fornece merenda. “Nem biscoito seco”, emenda. Assista.

O QUE DIZ A SEDUC

Na tarde de ontem (7), a reportagem do PIMENTA manteve contato com a professora Eliane Oliveira, secretária de Educação de Ilhéus. Ela estava ciente do problema e informou que já havia tomado providências junto à empresa terceirizada, a DZSet Transporte e Logística.

Hoje (8), contatada novamente pela reportagem, a secretária enviou ao site nota divulgada pela Seduc. Conforme o texto, na última sexta (4), representantes da Secretaria se reuniram com estudantes da Lagoa Encantada, tomaram conhecimento da situação e notificaram a DZSet para solucioná-la.

A solução encontrada pela empresa foi substituir o motorista que foi alvo da reclamação. O texto da Seduc não faz menção às condições da estrada.

Perguntada a respeito da reclamação de falta de merenda, a secretária Eliane Oliveira não respondeu ao site até o momento desta publicação.