Valdemir e Leandro após a reunião de hoje (27)
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Conselho Administrativo do Instituto Biofábrica formalizou, nesta terça-feira (27),  a destituição do administrador Jackson Moreira do cargo da presidência do Instituto Biofábrica. O presidente do Conselho, Leandro Luiz Ramos Santos, afirmou que vai promover, na próxima semana, processo de transição conjunta, com Jackson e a atual diretoria, para que todas as informações administrativas sejam repassadas oficialmente, ajudando, assim, a diretoria que vai assumir a ter o conhecimento prévio da gestão da instituição.

Leandro Santos explicou que a saída de Jackson se deu por uma necessidade natural de reoxigenação da instituição, uma vez que o Conselho também foi refeito, com o vencimento do mandato de diversos conselheiros. “A Biofábrica é uma instituição privada, mas que sobrevive com dinheiro público. Houve a mudança do Conselho, está havendo mudança na SDR e no Governo como um todo. Natural a mudança na direção da Biofábrica”.

O presidente do Conselho nega que tivesse ocorrido, na reunião do dia 23, uma deliberação pelo afastamento de Jackson. Ele disse ter ficado constrangido com o modo como a informação da saída do gestor foi noticiada. “Na verdade, fiquei indignado com a forma como foi publicada a notícia. Não tenho amizade com Jackson, mas sei de sua conduta ilibada, e jamais houve qualquer motivo para afastamento”, declarou Leandro Santos.

Na mesma resolução que destituiu Jackson Moreira, Leandro designou Valdemir dos Santos, líder de Gestão, para responder pela Biofábrica até a nomeação do novo presidente.

Jackson Moreira: "não sabemos extensão do afastamento"
Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesta sexta-feira (23), o Conselho Administrativo do Instituto Biofábrica da Bahia decidiu afastar o presidente Jackson Moreira. A informação foi dada pelo site Políticos do Sul da Bahia e confirmada pelo PIMENTA.

“O Conselho acatou propositura de um dos conselheiros. Ainda não sabemos a extensão do afastamento, mas temos a tranquilidade de saber que nosso trabalho tem a lisura atestada, inclusive, pelo próprio Conselho, que acabou de aprovar nossas contas”, declarou Jackson ao PIMENTA.

Antes do afastamento do presidente, o Conselho aprovou os relatórios fiscais de 2020, 2021 e dos três primeiros trimestres de 2022 do Instituto, com a ressalva de que as contas deveriam ter sido apresentadas nos exercícios financeiros correspondentes.

Ao aprovar os relatórios fiscais, os conselheiros reconheceram as dificuldades enfrentadas desde o ano de 2020, como a pandemia de Covid-19. Questionado, Jackson informou o cumprimento das obrigações trabalhistas, fiscais e previdenciárias de 2022.

“Fizemos o pagamento do 13º salário antes até da data limite de 20 de dezembro. Também pagamos, neste dia 23 de dezembro, o salário do mês, quitando assim todas essas obrigações”, relatou o presidente afastado, que dirigia o Instituto desde 2020.

Tempo de leitura: 2 minutos

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) entregou mudas de novas variedades de mandioca e abacaxi à Biofábrica, em Ilhéus, no sul da Bahia, como parte de acordo de cooperação técnica. Aprimoradas geneticamente e mais resistente a pragas, as plantas ainda serão lançadas no mercado pela empresa federal.

De acordo com os pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura, Hermínio Rocha e Helton Fleck da Silveira, o trabalho da Biofábrica é importante para os processos de melhoramento genético da mandioca e do abacaxi, que integram os programas Reniva e Rede Ananás, respectivamente.

Na visita à Biofábrica, na semana passada, Hermínio e Helton observaram a quantidade e a qualidade das amostras de outras variedades dos dois programas, multiplicadas in vitro e também nos viveiros da instituição sul-baiana. “Nossa avaliação é a melhor possível. Foi realmente uma grata surpresa, tanto pela quantidade quanto pela qualidade dos materiais propagados no laboratório”, enfatizou Hermínio.

Variedade híbrida de abacaxi criada pela Embrapa

Ainda segundo Hermínio Rocha, a Biofábrica tem reconhecida capacidade de multiplicação de mudas de qualidade. “Sem falar nas condições climáticas do local onde está inserida”, acrescentou, referindo-se à Mata Atlântica do sul da Bahia.

REPRODUÇÃO

Biofábrica reproduzirá mudas em seu viveiro

Quando a Embrapa apresentar as novas variedades no site do Ministério da Agricultura, a Biofábrica poderá iniciar a multiplicação dos híbridos, que, em breve, serão disponibilizados aos produtores de abacaxi e de mandioca.

– Estamos trabalhando para oferecer, em breve, aos produtores, novas variedades de abacaxi e de mandioca, com grande capacidade produtiva e de resistência às doenças e pragas. Daí a importância desse acordo de cooperação técnica, que permite a difusão, por meio da multiplicação em larga escala, da tecnologia e inovação produzidas pela parceira Embrapa – resume Jackson Moreira, presidente da Biofábrica.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Jackson Moreira, diretor-presidente da Biofábrica Cacau

A Biofábrica da Bahia completou 22 anos na última quarta-feira (20), quando o presidente Jackson Moreira anunciou diversas ações e a entrega de um pacote de obras que estão sendo executadas em 2021 para que o instituto, considerado o maior produtor de mudas de alto valor agronômico do Brasil, garanta o melhor desempenho da sua produção.

“Aqui não paramos de buscar a melhoria dos serviços para atendermos os agricultores com a excelência que sempre buscamos, e, para isso, temos somado esforços junto à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio do secretário Josias Gomes”, destaca o presidente da Biofábrica, Jackson Moreira.

O pacote de obras conta com a troca de manilhas pela instalação de 200 metros de tubulação para melhorar a drenagem dos viveiros. “Isso garante um ambiente mais controlado nos viveiros, permitindo uma rápida saída da água do sistema após a irrigação ou a chuva, evitando o excesso de umidade”, explica.

A Biofábrica também investiu na revitalização de viveiros, da Casa de Defensivos e do acesso à Biofábrica, além da reforma da estufa de mandioca. “Também está em processo a reforma da Casa de Enxertia e da Unidade de Expedição e Controle de Qualidade. Em breve, a frota de veículos também será reforçada com a chegada de três novos carros, viabilizados por meio de emenda parlamentar do mandato do ex-deputado federal Bebeto Galvão”, finaliza.

Governador Rui Costa durante entrega de mudas em Itaju do Colônia, sul da Bahia
Tempo de leitura: 2 minutos

Resultado de convênio entre Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e Instituto Biofábrica da Bahia, milhares de agricultores familiares já foram beneficiados com o repasse de mais de meio milhão de mudas de diversas culturas. Coube ao governador Rui Costa, em visita ao município de Itaju do Colônia na manhã de quinta-feira (12), a entrega que ultrapassou a marca das mais de 500 mil mil unidades produzidas com a qualidade da Biofábrica.

Até agora foram distribuídas 504 mil mudas, segundo a direção da Biofábrica. O deputado federal licenciado e secretário do Desenvolvimento Rural, Josias Gomes, afirma que a parceria com a Biofábrica vem garantindo que o Governo do Estado ponha em prática sua política as políticas públicas de apoio à agricultura familiar e aos pequenos produtores.

– A Biofábrica segue dando grande contribuição ao desenvolvimento agrário baiano, através do fornecimento de mudas. Esse marco, de meio milhão de mudas fornecidas aos nossos parceiros agricultores familiares, é demonstração de que a parceria é vitoriosa em todos os sentidos – diz Josias.

O presidente da Biofábrica, Jackson Moreira, afirma que essa marca – mais de meio milhão de mudas – é uma conquista proporcionada pela parceria com a SDR e efetivada pela equipe do Instituto, desde as trabalhadoras e os trabalhadores de campo até os que integram o corpo diretivo.

“A Biofábrica tem atendido as demandas do governo com excelência, mas o que move a nossa equipe é também a oportunidade de contribuir para o desenvolvimento econômico e social dos trabalhadores rurais familiares, o que se reflete no desenvolvimento das regiões onde estão inseridos e no próprio estado”.

Mais de 500 mil mudas foram entregues pela Biofábrica
ALCANCE

Até o momento foram atendidas 50 associações de agricultores familiares e pequenos produtores em diversas regiões do estado. As mudas distribuídas, se fossem plantadas em terra nua, alcançariam uma área de 500 hectares, mas a conta, segundo o presidente Jackson Moreira, deve ser feita de outra forma.

“São mudas usadas normalmente para fazer recuperação de áreas, adensamento de lavouras. Há, ainda, no caso das mudas de mandioca, a possibilidade de maniveiros, o que significa que o produtor cria uma área de onde serão retiradas novas mudas, continuamente, funcionando como um banco de mudas, que cresce exponencialmente. Assim, essas 500 mil mudas beneficiam mais de mil hectares”.

As mudas distribuídas pelo Governo do Estado são de espécies frutíferas, raízes e essências florestais, sendo a maior parte de cacau de alta produtividade, além goiaba, graviola, mandioca e árvores da Mata Atlântica.

Iniciativa beneficiou agricultores de Ilhéus, Una, Pau Brasil, Simões Filho e Conceição de Feira
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Biofábrica da Bahia e a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) do estado contabilizaram, no mês de abril, a entrega de mais 72 mil mudas de fruteiras, mandioca e essências florestais a agricultores familiares. Una, Simões Filho, Pau Brasil, Ilhéus e Conceição da Feira foram os municípios contemplados no período.

“Estamos muito felizes por estarmos servindo à agricultura familiar baiana na proporção do que planejamos junto com a SDR. Encerramos, assim, mais um mês produtivo para o rural baiano, apesar dos obstáculos impostos pela pandemia”, destaca o diretor-presidente da Biofábrica, Jackson Moreira.

Somente na primeira quinzena de abril, foram distribuídas 50.750 mudas para os Territórios de Identidade Metropolitano de Salvador, em Simões Filho, e Litoral Sul, nos municípios de Una, Ilhéus e Pau Brasil. Na segunda metade do mês, foram entregues mais 21.580 mudas, para os Territórios do Sisal, no município de Araci, Portal do Sertão, em Conceição da Feira, e Litoral Sul, em Pau Brasil.

“Sem a parceria da Biofábrica e SDR, hoje não estaríamos desfrutando dessa distribuição de mudas, que aumenta a nossa esperança em dias melhores, nessa pandemia, para a agricultura familiar”, comemora Sandra Santana, representante do Quilombo do Dandá, em Simões Filho.

ENTIDADES CONTEMPLADAS

As entidades contempladas neste mês de abril pelo programa de distribuição de mudas da SDR e Biofábrica da Bahia foram o Quilombo do Dandá, o Instituto Ecobahia, a Aldeia Indígena Pataxó Hã-Hã-Hãe Caramuru Catarina Paraguaçu, a Cooperativa de Serviços Sustentáveis da Bahia (Coopessba), a Prefeitura Municipal de Una, a Cooperativa Agrícola de Pau Brasil, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Conceição da Feira e a Associação Comunitária de Resina.

Tempo de leitura: 2 minutos

A Biofábrica da Bahia recebeu a visita de um grupo composto pela Britvic Ebba – fabricante britânica de sucos que opera no Brasil, Associação das Indústrias Processadoras de Frutos Tropicais (ASTN) e Prefeitura de Estância, no estado de Sergipe. O grupo estuda iniciar parceria com a Biofábrica para produção de mudas de maracujá. A visita à unidade em Banco do Pedro, em Ilhéus, ocorreu nesta segunda (22).

Caso a parceria seja firmada, deverá ser desenvolvida, junto à Embrapa, uma nova variedade da fruta cítrica. A produção pode se tornar uma novidade no catálogo da Biofábrica, que atualmente não produz cítricos, mas conta com um dos mais importantes laboratórios de micropropagação vegetal da América Latina. O diretor-presidente do Instituto, Jackson Moreira, e equipe dialogaram com Mayara Silva, líder de campo da Britvic Ebba, Carlos Alberto Blinof, secretário-adjunto de Meio Ambiente de Estância, e Etélio Prado, presidente da ASTN.

“A ASTN aglutina produtores de indústria com o objetivo comum de desenvolver a lavoura da fruticultura em alguns produtos, como o maracujá. Dentro desse princípio, viemos visitar a Biofábrica da Bahia, que conheço em absoluto, dada a qualidade e produtividade dessa unidade”, disse Etélio.

DIVERSIFICAÇÃO

De acordo com Mayara, o objetivo é diversificar as variedades de maracujá para indústria. “A Britvic Brasil veio juntamente com a ASTN para buscar uma parceria junto à Biofábrica para podermos trabalhar em um programa e trazer uma diversificação para as variedades que temos de maracujá para indústria aqui no Brasil. Temos algumas variedades já pré-selecionadas e atuamos na Bahia, em Sergipe e principalmente no estado de Minas Gerais. E agora está surgindo a necessidade de trazermos novas variedades para o campo, com maior tolerância a certas pragas e doenças, com maiores teores de brix (açúcar), alto rendimento, dentre outras características que vão nos ajudar como indústria e ajudar muito ao produtor a nível de campo”.

Para Carlos Alberto, um novo material genético de maracujá mudará a economia da região de Estância. “Estamos buscando excelência na produção de mudas de qualidade, de melhoramento genético, para que a gente distribua um material mais produtivo, mais precoce e mais resistente a doenças. Isso vai mudar a economia local. Nessa visita, vimos uma excelente qualidade de propagação e essa parceria vai trazer o desenvolvimento econômico para toda a região sul sergipana no que tange a produção de maracujá”.

BIOFÁBRICA

O instituto, que é vinculado ao Governo da Bahia, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural, tem capacidade para armazenar 4,8 milhões de plantas. Atualmente, produz dez variedades de mudas frutíferas, além de essências florestais e mandioca.

“Nossa Biofábrica tem o compromisso de apresentar produtos de qualidade e não será diferente com o maracujá, considerando que temos expertise em várias frutíferas, como o cacau. A nossa expectativa é a melhor possível de que no menor espaço de tempo nós teremos materializado essa parceria e o compromisso com a agricultura baiana, sergipana, nordestina e brasileira”, disse Jackson Moreira.

Jackson Moreira assume direção da Biofábrica
Tempo de leitura: 2 minutos

O administrador de empresas Jackson Moreira vai dirigir o Instituto Biofábrica da Bahia. Ele foi escolhido pelo Conselho Deliberativo, por unanimidade, e vai substituir o engenheiro agrônomo Lanns Almeida. A Biofábrica é responsável pela fabricação e distribuição, em escala industrial, de mudas clonadas de cacau, mandioca, banana, cítricos entre outros.

Jackson Moreira, servidor aposentado da Ceplac, diz que assume o órgão com a expectativa de ajudar os demais atores a impulsionar a agricultura na Bahia, especialmente a familiar e a agricultura de subsistência, pensando na reconstrução da economia rural no pós-pandemia do coronavírus.

“Quero ajudar a fortalecer as relações políticas e institucionais da Biofábrica, a fim de melhorar a captação de recursos para fomentar uma expansão da produção, visando não apenas números, mas garantindo uma vida melhor para as famílias do campo e das cidades, pensando no pós-pandemia”.

Jackson afirma que o presidente do Conselho Deliberativo, Deraldo Alves Carlos foi extremamente simpático, assim como todo os membros, que aproveitaram para garantir apoio à nova direção, especialmente as secretarias da Agricultura, do Desenvolvimento Econômico e a de Desenvolvimento Rural, bem como a Ceplac, Embrapa, Uesc e UFSB, dentre outras instituições.Leia Mais

Lanns Almeida, ao centro, acompanhado de Paulo César, Jackson, Geraldo e Flávio Barreto
Tempo de leitura: 2 minutos

O engenheiro agrônomo e diretor da Biofábrica de Cacau, Lanns Almeida, foi convidado pela direção do PT itabunense para disputar vaga à Câmara de Vereadores. E aceitou. O martelo foi batido na tarde desta terça (3) durante encontro com o presidente do PT de Itabuna, Jackson Moreira, o pré-candidato a prefeito Geraldo Simões e com o ex-presidente do PT Flávio Barreto, além do assessor Paulo Sérgio.

Para Jackson Moreira, a filiação de Lanns é “demonstração de que o PT pretende qualificar o debate político” no município. “O companheiro Lanns dispensa apresentações. Um profissional reconhecido, mas também um pensador, que muito tem a contribuir para a elevação do nível da Câmara de Vereadores, quando eleito. É daqueles quadros que qualificam o cargo”.

Jackson reafirma o compromisso do PT de “apresentar soluções para o enfrentamento da situação de caos observado em diversos setores da administração pública” de Itabuna. “Para isso apresentamos o nome do companheiro Geraldo Simões, para candidato a prefeito, porque já tem o currículo duas gestões extraordinárias no município, além da experiência parlamentar e de gestão de diversos órgãos, como uma secretaria estadual e a Codeba. Vamos mostrar à população, com Geraldo e com nosso time de candidatos a vereadores e vereadoras, que temos um grande compromisso com o desenvolvimento de Itabuna”.

LANNS ALMEIDA

Engenheiro Agrônomo formado em 2013 pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Lanns Almeida é casado e pai de dois filhos. Já atuou como coordenador de projetos pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), como assessor técnico da diretoria executiva da CAR e secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Itabuna. Ele atua nas áreas de Planejamento e Gestão de Programa e Projetos, Geoprocessamento e Cacauicutura no Sistema Cabruca.

O presidente do PT de Itabuna, Jackson Moreira, afirma, ainda, que será realizado, nos próximos dias, um evento de filiação e lançamento da pré-candidatura a vereador. “Vamos marcar esse momento, que é muito importante, simbolicamente, para o PT e para o momento político em nossa cidade”.

Tempo de leitura: 2 minutos
Ex-ministro Zé Dirceu lançará obra em Itabuna nesta quinta (19)

Figura fundamental na fundação e consolidação do PT, o ex-ministro José Dirceu estará em Itabuna para o lançamento do livro Zé Dirceu – Memórias – Volume I, nesta quinta-feira (19). O evento será às 18 horas, no Plenário da Câmara de Vereadores de Itabuna. O lançamento da obra contará com a participação de autoridades regionais e dirigentes de partidos de esquerda, além do novo presidente do PT Itabuna, Jackson Moreira.

A obra Zé Dirceu – Memórias… foi escrita pelo ex-presidente nacional do PT e ex-ministro no período em que esteve na prisão. Nela, conta os bastidores inéditos da militância estudantil nos anos 1960, o exílio e o treinamento para ser guerrilheiro em Cuba e detalhes como a cirurgia plástica para mudar o rosto, além da vida clandestina no país nos anos 1970.

Na volta à legalidade, Dirceu conta a saga para fundar o Partido dos Trabalhadores (PT), do qual veio a se tornar presidente e os períodos dos governos Lula e Dilma Rousseff, que representam a chegada do maior partido de esquerda do Brasil ao poder central.

A obra traz segredos da política interna do PT e dos governos Lula e Dilma Rousseff, além de sua passagem pela Casa Civil do primeiro Governo Lula. Dirceu ainda aborda luta contra a ditadura militar, a redemocratização, a queda de Fernando Collor e a oposição ao Governo FHC. Dirceu também aborda um dos períodos mais duros para ele e PT, o julgamento do “Mensalão”.

Tempo de leitura: 2 minutos
Na foto com Wagner, Miralva Moitinho ainda acredita em acordo na disputa em Itabuna

Vencedora do primeiro turno da eleição à presidência do diretório do PT de Itabuna, a professora Miralva Moitinho disse ter esperança de unidade no Processo de Eleições Diretas (PED) do PT no município. “Trabalharemos até o último momento [sábado (21), véspera do pleito] para que esta unidade aconteça, respeitando as diferenças e reconhecendo o que nos une, a exemplo de bandeiras como o Lula Livre é a defesa dos direitos sociais”, disse ela ao PIMENTA. A candidata venceu o primeiro turno com 514 votos ante 437 de Jackson e 106 de Valdir Mesquita.

Miralva e o deputado estadual Rosemberg Pinto defenderam acordo com a chapa do segundo colocado, Jackson Moreira, o que evitaria um novo bate-chapa. O acordo passaria por alternância de poder no período do mandato, no qual Miralva presidiria o partido na primeira metade do mandato e Jackson ficaria à frente do diretório na metade final.

– Entendemos que todos estão trabalhando em busca de apoio dos filiados, mas nós acreditamos nessa unidade pelo fortalecimento do PT de Itabuna e das nossas bandeiras, e, também, tendo em vista as eleições de 2020 – afirmou Miralva, que representa, na disputa, diferentes correntes do partido e deputados como Rosemberg Pinto, Osni, Joseildo Ramos, Maria Del Carmem e Afonso Florence e o senador e ex-governador Jaques Wagner.

Miralva enfatizou que a proposta de unidade surgiu do terceiro colocado na disputa, Valdir Mesquita, e aceita por ela antes que se soubesse o resultado do pleito no primeiro turno, no último dia 8 de setembro. A candidata disse que o grupo de Jackson, liderado pelo ex-prefeito e ex-deputado Geraldo Simões, rejeitou a proposta de unidade, mesmo havendo predisposição do cabeça da chapa em aceitar. Assim, o grupo de Jackson optou por manter a disputa eleitoral.

Mas, na visão de Miralva, ainda há esperança de que a outra chapa volte atrás, porque, segundo ela, seria um importante passo para o fortalecimento do partido em nível local. Ainda, para a candidata, também seria a demonstração do amadurecimento das lideranças na cidade, além de passar uma mensagem para os partidos da base do governo Rui Costa sobre a necessidade de abrir mão de vaidades em prol da unidade.

Tempo de leitura: 2 minutos
Jackson Moreira disputou comando do PT itabunense.
Jackson Moreira disputou comando do PT itabunense.

Candidato derrotado na disputa pela presidência do diretório do PT de Itabuna, Jackson Moreira defendeu uma união do partido e mudança de postura do principal líder da legenda no município, Geraldo Simões.

– Estamos no firme propósito de participar da direção colegiada, recuperar essa história rica do nosso partido, mas a postura do principal líder municipal da legenda e de um ex-petista e hoje filiado ao PSL não ajuda. Geralmente, o vencedor é magnânimo com o vencido – ensina Jackson em contato com o PIMENTA.

De acordo com o petista, o ex-filiado passou a tripudiar de pessoas que não votaram em Flávio Barreto, seu adversário na disputa interna. “O ex-filiado tripudiava e mandava imagem dizendo para ir chorar no Pé do Caboclo, em Salvador”, indigna-se. Jackson ressalva que a postura de Flávio é diferente (“o presidente se posta com bastante decência, é pessoa solidária, companheira”).

Jackson defende que Geraldo faça uma reavaliação e se reaproxime de nomes como o deputado estadual Rosemberg Pinto, “que hoje é nossa maior liderança regional, buscar o campo e tempo perdidos, conquistar mandato de deputado federal e, quem sabe, voltar à prefeitura em 2020. Mas, para que isso aconteça, não dá para conquistar desse jeito de hoje, tripudiando das pessoas e fazendo jogo de palavras”, afirma.

VOTAÇÃO EM QUEDA

Na opinião de Jackson, o PT itabunense precisa também de uma reavaliação. Dos 3,5 mil filiados, só 2.240 estavam aptos a votar no último domingo (9), segundo ele. “Porém, pouco mais de 470 pessoas foram votar”, acrescentou.

Jackson também observou que o PT já obteve 40 mil votos em Itabuna. “Na última eleição [a prefeito], tivemos apenas para 8 mil”. Segundo ele, “o PT funciona na casa do ex-prefeito”.

DESEMPENHO

Jackson também avaliou seu desempenho na disputa, quando obteve 31% dos votos válidos. “Passamos mais de 40 dias, junto com Geraldo, buscando uma unificação. Sinalizaríamos para a militância a responsabilidade que temos com a cidade e com a reeleição de Rui Costa e a eleição do presidente Lula”, diz. “É injusto o ex-prefeito criticar o nosso governador tendo cargos para as três cunhadas no governo”, alfinetou.

Segundo ele, na véspera do registro das chapas, Geraldo teria comunicado da “impossibilidade de marchar” juntos também na disputa pela Estadual, com Everaldo Anunciação, o que impediu a unidade municipal. “Ele não deu outra alternativa a não ser formar outra chapa”.

SEM MILITÂNCIA

Jackson também afirma que, neste processo eleitoral, não houve participação da militância. “Parte da militância não foi votar, mas filiados do partido. Foi mais votação de cartório. “Cem votos da outra chapa, foram de filiados que moram em Ferradas. Filiados, mas não militantes”.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Wagner em audiência com ceplaqueanos na última quinta.
Wagner em audiência com ceplaqueanos na última quinta.

O governador Jaques Wagner recebeu representantes do Sindicato dos Servidores Federal (Sintsef) na última quinta (17). Na agenda, a modernização da Ceplac. A audiência foi solicitada pelo delegado regional do sindicato, José Carlos Veridiano, quando da última visita de Wagner a Itabuna.
– Estamos recebendo uma nova massa crítica. Entendemos que a região passará por uma profunda transformação e a Ceplac, como está hoje, não vai responder a essas demandas – ressaltou Veridiano (Badega) ao explicar o motivo da audiência.
Wagner se comprometeu para, em conjunto com ceplaqueanos e lideranças regionais, lutar pela reestruturação da Ceplac.
“Ele foi sensível à nossa demanda, por entender, inclusive, que faz parte de uma agenda que é do próprio governo estadual, assim como do federal”, resume Badega.
Para o grupo, a modernização do órgão federal não passa apenas pela realização de concurso. Primeiro, a institucionalização, depois o concurso. É uma ideia já exposta aqui no PIMENTA pelo dirigente do Sintsef em entrevista (reveja aqui).
Participaram da audiência o presidente do Sintsef Bahia, Edvaldo Pitanga, o chefe de Gabinete da Serin, Martiniano Costa, o presidente do PT baiano, Everaldo Anunciação, e os deputados federais Josias Gomes e Geraldo Simões, além dos ceplaqueanos Jackson Moreira, Sílvio Roberto e  Afrânio Andrade.