Tempo de leitura: 2 minutos

O Shopping Jequitibá, em Itabuna, chega aos 22 anos de história nesta quinta-feira (5). Inaugurado em 5 de maio de 2000, o empreendimento se consolidou como o principal centro de comércio, serviços e lazer do sul da Bahia, região formada por cerca de 100 municípios e com mais de um milhão de habitantes.

Nas primeiras décadas deste século, o shopping atraiu grandes lojas, como Casas Bahia, Magalu, Le Biscuit, Americanas, Renner, C&A, Riachuelo e Big Bompreço. Também acompanhou a tendência da expansão dos serviços, a exemplo de academia de ginástica, laboratório de análises clínicas e bar temático. Hoje, tem quase 100% dos seus espaços de locação ocupados.

“Vivemos um processo permanente de modernização, crescimento e busca da qualidade na infraestrutura, segurança e atendimento, além da grande variedade de mix, proporcionado pela união, perseverança e empreendedorismo dos nossos lojistas”, afirma a superintendente Vera Lúcia Magalhães. Atualmente, o empreendimento possui 144 lojas, que empregam 1.500 trabalhadores.

LEGADO DE UM SONHO

Helenilson Chaves foi sucedido por Manoel Chaves Neto na gestão Jequitibá

“A partir de um sonho e da iniciativa desbravadora de meu pai, Helenilson Chaves, desde 2010 procuramos dar continuidade ao seu legado, seus valores e ensinamentos através de uma história de trabalho e muito amor por Itabuna. Nos últimos anos, não medimos esforços para trazer para o sul da Bahia a modernidade, a inovação e a tendência do que tem acontecido recentemente [no mercado], com as quebras de paradigmas e novas experiências na experiência do consumidor no varejo”, assegura Manoel Chaves Neto, sócio-proprietário e diretor do Jequitibá.

Segundo o gestor, é dever e compromisso de todos os colaboradores manter o Jequitibá em constante evolução, para acompanhar o desenvolvimento do sul da Bahia. “Ressalto nosso agradecimento à toda a população, aos nossos lojistas, ao nosso time e a todos os nossos prestadores de serviço por, juntos, transformarmos o Shopping Jequitibá num ser vivo em mutação diária”, conclui Neto.

Megastore da Magazine Luiza será inaugurada nesta sexta-feira (25) no Jequitibá
Tempo de leitura: < 1 minuto

A quarta loja do Magazine Luiza (Magalu) em Itabuna será inaugurada, nesta quinta-feira (25), no Shopping Jequitibá. A loja ocupará área de 560 metros quadrados no primeiro piso e terá em seu mix como móveis, eletrodomésticos, eletroportáteis, artigos de culinária e linha completa de televisores notebooks e celulares. Na semana de inauguração, a Magalu terá dezenas de produtos a preços promocionais.

Além das vendas físicas, a loja do shopping também trabalhará com vendas online pelo WhatsApp, que poderá ser acessado pelo perfil do instagram (@magalu.shopping.jequitiba), que aciona um dos vendedores, ou www.magazineluiza.com.br/lojas/1378.

Roqueline Brito, gerente de loja, afirma que a expectativa de vendas é alta pela estrutura da Magalu. “Porque, além da nossa variedade, qualidade, preço e facilidade de pagamento com o Cartão Luiza, o Shopping Jequitibá possui uma excelente estrutura e localização, atraindo clientes de dois grandes polos como Itabuna e Ilhéus e de toda a região Sul da Bahia”.

Para o diretor do Shopping Jequitibá, Manoel Chaves Neto, a cada nova loja o centro de compras, lazer e entretenimento se consolida. “A cada inauguração de uma nova loja, o shopping Jequitibá se reinventa, se consolida como um empreendimento, regional, dominante no Sul da Bahia, aumentando sua atratividade, conforto e conveniência para a população, além de ser um constante propulsor de emprego e renda na cidade”.

“Aproveitamos para agradecer aos nossos amigos e parceiros lojistas por fazerem junto com nosso time, nossos investidores, empreendedores e a confiança depositada na nossa gestão para fazermos o Shopping Jequitibá um case de sucesso nacional”, finaliza.

Shopping Jequitibá amplia mix com inauguração de novos empreendimentos
Tempo de leitura: 2 minutos

O Shopping Jequitibá em Itabuna vive uma semana que demonstra a capacidade do empreendimento – e do sul da Bahia – de superar crises cíclicas e apostar no potencial socioeconômico da região. Nesta semana, três novos empreendimentos estão sendo inaugurados – Five Sport Bar, Fino Malte e reabertura da Colcci.

O Five Sport Bar foi inaugurado na última segunda-feira. O restaurante temático une lazer e gastronomia e funcionará de domingo a quarta das 11h à 0h. De quinta a sábado, ficará aberto das 11h às 2h.

Fino Malte é uma das novidades da semana no Shopping Jequitibá, de Itabuna

Já o Fino Malte abre as portas nesta quarta-feira (6). Será um espaço dedicado à choperia e petiscaria, marca genuinamente itabunense, ideal para o happy hour e o encontro com amigos. No quiosque, haverá oferta da tradicional feijoada aos sábados e cozido aos domingos, além de diversos outros pratos.

Ainda nesta quarta-feira, há a reabertura da Colcci, franquia especializada em roupas, calçados e acessórios, num espaço repaginado e com as novidades da moda para o alto verão.

BURITI E MAGAZINE LUIZA

Até o final do ano, o Shopping Jequitibá ainda receberá novos empreendimentos, que estão em fase de implantação, dentre eles a nova loja da Buriti, além da chegada da Magazine Luiza, gigante do varejo brasileiro. Outras novidades são a Puket, Brasil Cacau, Usaflex, Hering, Track Field, Laboratórios LAP, Maxxi Móveis e Empório Don Duarte.

– Queremos agradecer os nossos parceiros pela confiança e pela demonstração de estarmos num processo crescente de retomada, tanto que o Jequitibá tem 100% dos espaços ocupados, com excelentes perspectivas para a Black Friday e festas de Natal e Ano Novo – afirma o diretor do Shopping Jequitibá, Manoel Chaves Neto.

Neto diz que, hoje, são 150 contratos de locação. “Agradecemos aos nossos lojistas que comungam do mesmo empreendedorismo e confiança no Sul da Bahia, pois o Shopping Jequitibá não seria nada a mais do que uma grande estrutura física se não fossem os 150 contratos de locação que trazem vida, alegria e felicidade para nosso dia a dia. Não posso omitir e ficar sem agradecer a cada um do time e família Jequitibá que, juntamente comigo, choram, ficam ansiosos, sem dormir, mas também dão risadas, se motivam, se unem, não perdem o foco, vencem obstáculos”. Atualizada às 11h17min para acréscimo de informações.

A empresária Luiza Helena Trajano e a reitora Joana Angélica Guimarães
Tempo de leitura: < 1 minuto

Um bate-papo virtual da reitora Joana Guimarães com a empresária Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho Administrativo do Magazine Luiza e do Grupo Mulheres do Brasil, marcou a abertura da Semana de Acolhimento, atividade que iniciou, nesta segunda-feira (30), o quadrimestre letivo da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).

No início do diálogo, Joana Guimarães destacou a desenvoltura com que Luiza Trajano une a atividade empresarial às ações sociais que lidera. Segundo a empresária, isso se deve à compreensão de que as mudanças positivas só acontecem a partir da organização social. “Percebi, estudando e analisando, que as transformações do país nascem de uma sociedade civil organizada. Elas não nascem de nenhum líder, de nenhum salvador da pátria”, argumentou.

A empresária também explicou o projeto Unidos pela Vacina, por meio do qual empresas se uniram para dar suporte logístico e ajudar estados a distribuir as vacinas contra a covid-19 para municípios de difícil acesso.

Outro tema da conversa foi o programa de trainees da rede varejista presidida por Luiza, que destinou todas as vagas para candidatos negros e negras. Confira o bate-papo na íntegra.

Tempo de leitura: 2 minutos

Trainee para negros foi lançado pela rede Magazine Luiza

O Ministério Público do Trabalho (MPT) em São Paulo indeferiu, na última semana, uma série de denúncias recebidas contra a Magazine Luiza relatando discriminação da empresa em processo de seleção para trainee voltado para pessoas negras. O MPT concluiu que o caso não se trata de violação trabalhista, mas de uma ação afirmativa de reparação histórica.

Em 18 de setembro, a Magazine Luiza abriu seleção para vagas de trainee exclusivas para pessoas negras. O MPT recebeu 11 denúncias em que a empresa é acusada de promover prática de racismo e, segundo um dos denunciantes, o motivo seria o impedimento a “pessoas que não tenham o tom de pele desejado pela empresa” de participarem do processo seletivo.

No indeferimento das denúncias, o MPT afirmou que a política da empresa é legítima, que não existe ato ilícito no processo de seleção e que a reserva de vagas à população negra é plenamente válida e configura ação afirmativa, além de “elemento de reparação histórica da exclusão da população negra do mercado de trabalho digno”. Segundo o órgão, essa exclusão se traduz na falta de oportunidades de acesso ao emprego, na desigualdade de remuneração e na dificuldade de ascensão profissional, quando se compara à situação de pessoas brancas.

“O que os empregadores não podem fazer é criar seleções em que haja reserva de vagas ou preferência a candidatos que não integram grupos historicamente vulneráveis”, disse a coordenadora nacional de Promoção da Igualdade de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho, procuradora Adriane Reis de Araujo.

AÇÃO TEM AMPARO CONSTITUCIONAL

O MPT ressaltou ainda que ações afirmativas como a da Magazine Luiza têm amparo na Constituição Federal, no Estatuto da Igualdade Racial (lei 12.288/2010) e na Convenção Internacional sobre a Eliminação de todas as Formas de Discriminação Racial, da qual o Brasil é signatário. Tais ações são também objeto de atuação estratégica e prioritária do próprio MPT, por meio do Projeto Nacional de Inclusão Social de Jovens Negras e Negros no Mercado de Trabalho, consolidado em 2018 na Nota Técnica do Grupo de Trabalho de Raça.

No texto de anúncio do programa de trainee, a empresa divulgou que tem em seu quadro de funcionários 53% de pretos e pardos. No entanto, apenas 16% deles ocupam cargos de liderança. “O alerta despertado por essa baixa participação fez com que o Magalu [Magazine Luiza] decidisse atuar, oferecendo oportunidades para quem ainda está começando a carreira”, diz o comunicado.

ESTUDO ETHOS

O MPT citou, em nota, que, em 2017, uma pesquisa do Instituto Ethos com as 500 empresas de maior faturamento do Brasil alertou que os profissionais negros correspondiam a apenas 6,3% dos postos de gerências e 4,7% do quadro executivo. Conforme avaliou o órgão, o estudo ilustra que nas posições de liderança se refletem as desigualdades raciais que impedem a representatividade majoritária da população negra, configurando o racismo estrutural que inviabiliza a equidade no mercado de trabalho. A Agência Brasil solicitou posicionamento da Magazine Luiza, mas não teve retorno até a conclusão da reportagem.

Tempo de leitura: 2 minutos

A live foi uma palestra, com doses de entusiasmo, chamada de responsabilidade, inovação, tradição, simpatia e respeito. A fala de Luiza nos faz sair do lugar comum e avançar. Luiza é sinônimo de trabalho, adjetivo e também filosofia de vida, como disse a ela na oportunidade.

Rosivaldo Pinheiro || rpmvida@yahoo.com.br

Como já disse anteriormente, estamos observando no Brasil as vísceras e veias expostas desta nação, uma verdadeira explosão de falta de estrutura e ação vieram à tona, impulsionadas pelo novo coronavírus. O vírus fez aumentar a lente de observação dos nossos problemas seculares que havíamos conseguido reduzir a partir da eleição de Fernando Henrique Cardoso, ganhando maior celeridade com o conjunto de políticas públicas implementado nos governos Lula e Dilma. Após o impeachment, tivemos um achatamento de curva, a da atenção social. E, agora, com a expansão da curva pandêmica, essas vulnerabilidades se mostraram ainda mais explícitas.

Tive a honra de entrevistar, na última terça-feira (13), a empresária Luiza Helena Trajano, responsável pelo comando da Magazine Luiza. Uma história de sucesso. É a maior empresa do segmento varejista nacional, que se iniciou com uma lojinha em Franca, interior de São Paulo, aberta por Luiza Helena Donato, tia da atual comandante.

Luiza nos contou que a empresa nasceu do espírito empreendedor da tia e que, inicialmente, ela só queria gerar emprego para a família. Hoje, a Magalu emprega mais de 40 mil funcionários, diretamente, e outros milhares de forma indireta, sendo a empresa de maior valor do setor no Brasil. O valor de mercado da Magalu é de R$ 110,7 bilhões (Ibovespa, maio de 2020).

O que mais me impressionou nesse papo empreendedor foi observar aquela mulher humana, sensível, compromissada com o país, com o trabalho e sabedora das suas qualidades e limitações. Mas, acima e apesar de tudo, com a alma e o coração imersos na humildade. Foi uma verdadeira aula de sabedoria e valor de cidadania. Apesar de ocupar um espaço de poder, algo que pode envaidecer muitos que não são pé no chão, não deixou aflorar o ego.

Concluo dizendo que a live – confira no vídeo abaixo –  foi uma palestra, com doses de entusiasmo, chamada de responsabilidade, inovação, tradição, simpatia e respeito. A fala de Luiza nos faz sair do lugar comum e avançar. Luiza é sinônimo de trabalho, adjetivo e também filosofia de vida, como disse a ela na oportunidade. E serve de inspiração para mulheres e homens que querem revolucionar os seus olhares e ações na construção de uma sociedade menos desigual, onde os nossos papéis sociais possam ser exercidos buscando construir pontes em prol de uma sociedade mais harmônica e feliz.

Rosivaldo Pinheiro é economista e especialista em Planejamento de Cidades (Uesc).