Manifestação ocupa escadaria do Palácio Paranaguá || Imagem de Sheila Carvalho
Tempo de leitura: < 1 minuto

Movimentos estudantis se manifestaram contra a retirada de recursos do Ministério da Educação, nesta terça-feira (18), em Ilhéus. O ato fez parte do Dia Nacional de Luta contra o Confisco das Verbas da Educação, convocado após o Decreto Nº 11.126/2022, do Governo Federal, que impede a execução de R$ 1,1 bilhão do orçamento de institutos, Cefets e universidades federais de todo o país (veja aqui).

Os manifestantes se reuniram na escadaria do Palácio Paranaguá, antiga sede da Prefeitura de Ilhéus, e entoaram palavras de ordem contra o presidente Jair Bolsonaro (PL). No vídeo de Sheila Carvalho, é possível ver bandeiras do DCE Carlos Mariguella, da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), e do Movimento Popular da Juventude (MPJ). Assista.

Cidades sulbaianas estão no roteiro do Dia Nacional em Defesa da Educação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Movimentos estudantis e docentes farão atos em defesa da educação, nesta terça-feira (18), em diversas cidades do país. Itabuna e Ilhéus estão no roteiro das manifestações, que são uma resposta ao corte de recursos do Ministério da Educação (MEC). A manifestação em Ilhéus será na Praça Castro Alves (Irene), na Avenida Soares Lopes, às 9h. Já em Itabuna, o ato está marcado para as 15h, no Jardim do Ó.

No último dia 30, o Decreto Nº 11.126, do Governo Federal, reprogramou a execução orçamentária das universidades e dos institutos federais de ensino até o final do mês de novembro, retirando mais de R$ 1,1 bilhão de recursos do MEC.

Após a repercussão negativa da medida, às vésperas do primeiro turno das eleições, o ministro da Educação, Victor Godoy, anunciou o desbloqueio dos recursos, informação ainda não confirmada pelo Ministério da Economia.

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), que tem campi em Itabuna, Teixeira de Freitas e Porto Seguro, informou, em nota, que já teve mais de R$ 3 milhões bloqueados nos últimos meses (relembre).

"Enfermagem na rua. Barroso, a culpa é sua", diz cartaz em manifestação
Tempo de leitura: 2 minutos

Nesta segunda-feira (5), enfermeiros de Ilhéus se reuniram nas imediações do Opaba Praia Hotel para uma manifestação contra a suspensão da Lei 14.434/2022, determinada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). A lei estabeleceu remuneração mínima de R$ 4.750,00 para enfermeiros e valores proporcionais de 70% para os técnicos e 50% para auxiliares e parteiras.

“Enfermagem na rua. Barroso, a culpa é sua”, gritaram os profissionais

, que empunhavam cartazes e, por alguns instantes, bloquearam o trânsito na BA-001. O protesto recebeu o apoio de motoristas que passaram pelo local. Confira no vídeo a seguir.

COBRANÇA AO GOVERNO MARÃO

Após o ato, a Associação dos Enfermeiros de Ilhéus (Asseni) divulgou carta aberta em que cobra o cumprimento do piso salarial e a implantação do plano de cargos e salários da categoria no âmbito da Prefeitura de Ilhéus. Segundo o texto, as duas demandas foram apresentadas ao Governo Marão, formalmente, no dia 6 de julho passado, via ofício protocolado no Gabinete do Prefeito.

– Reforçamos que a enfermagem de Ilhéus é composta por profissionais altamente qualificados, que trabalham com afinco e dedicação, fazendo a saúde acontecer nas unidades de saúde do município, muitas vezes expostas às más condições de trabalho e com salários extremamente defasados, mas colocando em primeiro lugar a dignidade dos moradores de Ilhéus – diz trecho da carta

No final da carta, a categoria relembra o papel dos profissionais de saúde nos momentos críticos da pandemia de Covid-19. Segundo o texto, os aplausos que louvaram a dedicação à vida “devem ser convertidos em reconhecimento e valorização profissional”.

SECRETÁRIO AFIRMA QUE PISO É OBJETO DE DISCUSSÃO NACIONAL

O PIMENTA perguntou ao secretário de Saúde de Ilhéus, André Cezário, se o município vai pagar cumprir a Lei do Piso Nacional da Enfermagem. Ele respondeu que o tema é objetivo de uma discussão nacional sobre a fonte de recursos para o cumprimento da legislação.

Segundo o secretário, o debate envolverá o governo federal e todos os órgãos ligados ao Sistema Único de Saúde, além dos hospitais que prestam serviços ao SUS. “A categoria merece todo o tipo de valorização”, acrescentou. Atualizado às 21h13min.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Praça Camacan, em Itabuna, é palco do ato político em defesa da democracia e de eleições livres, na manhã desta quinta-feira (11). Manifestações com a mesma pauta ocorrem em diversas cidades brasileiras.

Confira, abaixo, o momento da leitura da Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em Defesa do Estado Democrático de Direito, iniciada pelo reitor da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Alessandro Fernandes de Santana.

Veja outras imagens da manifestação.

Ato reúne democratas em Itabuna || Imagens Daniel Thame

Manifestantes reunidos na Praça Camacan, em Itabuna

Tempo de leitura: < 1 minuto

Moradores do Banco da Vitória interditaram, nesta sexta-feira (1º), a Ilhéus-Itabuna (BR-415). Eles reivindicaram a normalização das linhas de ônibus do serviço público de transporte. O protesto começou por volta das 7h e se estendeu até as 9h20min, causando grande congestionamento no trânsito.

Ao PIMENTA, o superintendente de Trânsito de Ilhéus, Valci Serpa, informou que outras duas manifestações ocorreram nesta manhã, uma no Iguape, na zona norte da cidade, e outra em frente ao Opaba Praia Hotel, na zona sul. “[Foi uma ação] orquestrada”, declarou. Após o fim das interdições, os manifestantes se reuniram na Praça Cairu, no Centro.

Perguntamos se as empresas de ônibus Viametro e São Miguel não obedeceram a determinação de retomada de 100% das linhas, feita pelo prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), em março passado. Serpa respondeu que o acordo judicial das concessionárias com o município as autoriza a manter 85% das linhas de ônibus em atividade, mas, segundo ele, 87% estão em operação.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O corpo de um motorista de transporte por aplicativo no sul da Bahia foi encontrado, na manhã deste domingo (26), em um distrito de Itajuípe. Adriano de Jesus Alcântara estava desaparecido desde a manhã de sábado (25), após aceitar uma corrida de Itabuna e sair dirigindo o Ford Fiesta, branco, placa Mercosul OKU-7C75, que foi deixado pelos bandidos numa garagem abandonada.

A polícia ainda não divulgou muitos detalhes sobre a morte de Adriano de Jesus, que era morador do bairro Banco Raso, em Itabuna. Ele foi atingido por, pelo menos, três tiros, que atingiram rosto, peito e pescoço. O corpo da vítima foi removido para o Departamento de Polícia Técnica de Itabuna. Ainda não há informações sobre velório e horário de sepultamento.

Adriano de Jesus foi o segundo motorista de aplicativo do sul da Bahia morto em pouco mais de um mês. No dia 13 de maio, o motorista Sátiro Menezes Filho, mais conhecido como John Menezes, de 38 anos, desapareceu após aceitar uma corrida de Ilhéus para Uruçuca. O corpo de John Menezes foi encontrado no dia 16 em Serra Grande, distrito daquele município.

PROTESTO

A violência no sul da Bahia tem deixado os motoristas de aplicativo em alerta. Eles estão se mobilizando para protestar em Itabuna neste domingo (26).

Tempo de leitura: < 1 minuto

Moradores de Ilhéus se organizam para fazer um protesto na BA-001, onde a cirurgiã-dentista Ranitla Scaramussa Bonella foi atropelada e morreu. A manifestação, que tem o nome da jovem, seria às 7h mas foi remarcado para as 12h desta quarta-feira (15), em frente à Faculdade de Ilhéus.

O modo como o ato será feito ainda é discutido. Uma das propostas é a ocupação das faixas de pedestres dos dois sentidos da rodovia, por três minutos, antes de liberar o tráfego e repetir o movimento a cada dez minutos, ao longo de 1h30min. A cada parada, distribuirão panfletos e exporão cartazes aos condutores.

A pauta de reivindicações inclui a construção de passarelas sobre a rodovia e de nova rótula de acesso aos bairros São Francisco e Nelson Costa, além da redução do limite de velocidade na via para 40km/h (o limite atual é de 60km/h).

FISCALIZAÇÃO DA RODOVIA CABE À PRE, INFORMA SERPA

Ao PIMENTA, o superintendente de Trânsito do município, Valci Serpa, explicou que a responsabilidade de fiscalizar a via é da Polícia Rodoviária Estadual (PRE). Perguntamos se a Prefeitura de Ilhéus já fez alguma solicitação ao Estado com o propósito de reduzir o risco de acidentes na BA-011, a exemplo da construção de passarelas. “Já fizemos vários expedientes, por isso colocaram radares e diminuíram a velocidade”, respondeu Serpa. (Atualizado às 20h de 14 de junho de 2022)

Tempo de leitura: < 1 minuto

Moradores de Banco do Pedro e Castelo Novo, comunidades rurais de Ilhéus, no sul da Bahia, interditaram a BA-262 em protesto contra a falta de ônibus, nesta terça-feira (17). A manifestação causou congestionamento na rodovia conhecida como Ilhéus-Uruçuca.

Os secretários municipais de Serviços Urbanos e Rurais, João Aquino, e de Ordem Pública, Marcelo Barreto, foram ao local e convenceram os manifestantes a liberar a estrada, o que aconteceu por volta das 9h. Depois, convidaram representantes das comunidades para uma reunião na sede da Prefeitura de Ilhéus, na Conquista.

Manifestantes usaram galhos de árvores e pedras para interditar via

Os moradores afirmam que Banco do Pedro, Lava-pés e Castelo Novo não têm ônibus aos domingos e feriados e, durante a semana, o serviço funciona em horário reduzido, prejudicando estudantes, pessoas que trabalham na zona urbana, comerciantes e agricultores. Segundo eles, os estudantes do turno vespertino são obrigados a deixar as aulas antes do término, pois não há transporte público depois das 16h30min.

Os protestos por melhoria do serviço de transporte tornaram-se frequentes em Ilhéus e se intensificaram nas últimas semanas, com manifestações de norte a sul do município. No último dia 7, o prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), determinou que as concessionárias Viametro e São Miguel voltassem a operar nos distritos aos domingos e feriados (veja aqui). A determinação foi ignorada, conforme os manifestantes da zona rural.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma manifestação contra as deficiências do sistema público de transporte interdita, desde às 6h de hoje (2), a BA-262, na altura do bairro São José, em Ilhéus. Os manifestantes cobram a disponibilidade de linhas de ônibus aos finais de semana e feriados, além da regularização do serviço durante a semana.

A Polícia Militar acompanha o ato no local. Ouvida pelo PIMENTA, uma moradora do bairro informa que a pista continuava bloqueada até as 10h15min, ao menos, com longas filas de veículos nos dois sentidos da via.

Os organizadores do ato reivindicam a presença de representantes da Prefeitura de Ilhéus e o compromisso de que a oferta de transporte público será normalizada.

Protesto da comunidade de Sapucaeira acabou por volta das 11h40min
Tempo de leitura: < 1 minuto

Por volta das 11h40min desta segunda-feira (21), os manifestantes que protestavam na BA-001, em frente ao Aeroporto Jorge Amado, na zona sul de Ilhéus, desinterditaram as pistas. Devido ao longo congestionamento, o trânsito flui lentamente no sentido do Centro. A manifestação desta manhã cobrou melhorais para a estrada de Sapucaeira, comunidade da zona rural do município (veja aqui).

Manifestação ocupa pátio do Centro Administrativo de Ilhéus || Foto APPI/APLB
Tempo de leitura: < 1 minuto

Professores e outros trabalhadores da rede municipal de ensino foram até a sede da Prefeitura de Ilhéus, no Bairro Conquista, na manhã desta quarta-feira (16), para reivindicar direitos trabalhistas. Segundo a Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI-APLB), o protesto fez parte de uma mobilização nacional.

Os manifestantes, conforme o sindicato, cobram o cumprimento do piso salarial do magistério, além de demandas locais, a exemplo da Campanha Salarial dos docentes da rede de ensino de Ilhéus e a reserva de 1/3 da carga horária de trabalho para atividades extraclasse. A Prefeitura ainda não se manifestou sobre as reivindicações.

Manifestantes cobram recuperação da ladeira que dá acesso à comunidade
Tempo de leitura: < 1 minuto

Moradores do Novo Ilhéus interditaram a BA-262, por volta das 6h desta quarta-feira (16), para reivindicar que a Prefeitura de Ilhéus melhore as condições de trafegabilidade da ladeira que dá acesso à comunidade. Nos dias chuvosos, comuns neste mês, o lamaçal prejudica o tráfego na via.

Os manifestantes usaram pedaços de madeira e galhos de árvores para bloquear a estrada, que é conhecida como Rodovia Ilhéus-Uruçuca. A Polícia Militar foi ao local para negociar o desbloqueio da pista, que só foi liberada às 8h, depois que o secretário municipal de Serviços Urbanos e Distritais, João Aquino, conversou com os responsáveis pelo protesto.

Fala de agente da PRF gerou reação do governo municipal; confira
Tempo de leitura: 2 minutos

Na manhã desta segunda-feira (24), durante a manifestação que bloqueou a BR-415, um policial rodoviário federal tentou convencer os manifestantes de que o lugar adequado para o protesto seria a Prefeitura de Ilhéus. Segundo ele, o prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), que foi xingado no ato, não se abalaria para ir ao local.

“A forma é reunir todo mundo, ir pra porta da Prefeitura e tocar fogo lá. Marão mora de frente pro mar; verão, Marão não vai vir aqui nem aqui nem China”, disse o agente. “Mas, se a imprensa vier, já é alguma coisa”, retrucou o homem a quem o servidor se dirigia.

Na sequência, o membro da Polícia Rodoviária Federal (PRF) afirmou que o prefeito irá à comunidade solicitar votos para a primeira-dama e secretária de Desenvolvimento Econômico e Inovação de Ilhéus, Soane Galvão. “Ele vai vir na outra semana, com a mulher do lado, a tiracolo, pra pedir voto pra vocês, pra ela ser deputada estadual. Aí ele vai vir. Pode anotar”, disse. A declaração foi registrada em vídeo. Confira.

REAÇÃO 

A fala do policial gerou reação do governo. Ao PIMENTA, o superintendente de Comunicação Mauro Alves enviou o vídeo com a declaração do agente federal acompanhado por texto que classifica o ato como “vergonhoso”.

Segundo o texto, o policial incitou populares a invadir e a atear fogo em prédio público. “A gravação demonstra o despreparo de um servidor público federal, que deve ser responsabilizado pela postura antiética e punido”, diz a mensagem.

PROTESTO

No protesto, que foi feito por pessoas desalojadas pela cheia do Rio Cachoeira, os manifestantes cobraram solução para a falta de moradia, pois teriam sido notificados a deixar uma escola municipal e o prédio da Uesc onde receberam abrigo provisório. A suposta notificação de saída dos abrigos não foi confirmada pela Prefeitura.

Ouvido pelo PIMENTA, o superintendente Mauro Alves explicou que a Prefeitura de Ilhéus tem dado assistência aos desabrigados, com entrega semanal de donativos. Segundo ele, o prefeito Mário Alexandre acompanha o caso e trabalha para resolver os problemas que afligem as famílias afetadas pela enchente.

Conforme o superintende, na semana passada, em Salvador, o prefeito Mário Alexandre pediu o auxílio da Conder (Companhia de Desenvolvimento Urbano da Bahia) para que a construção de novas casas para os desalojados de Ilhéus seja tratada com prioridade.

O site também mencionou a suposta notificação para que os desalojados deixem a escola municipal e o prédio da Uesc. O superintende de Comunicação afirmou que vai levantar informações sobre o caso e divulgar nota à imprensa.

Pista ficou bloqueada por mais de 2h || Foto Pimenta
Tempo de leitura: < 1 minuto

A BR-415, no trecho Ilhéus-Itabuna, foi liberada por volta das 11h20min desta segunda-feira (24), após manifestação de moradores do bairro Salobrinho, que bloquearam a pista no início da manhã (veja aqui).

Policiais militares e bombeiros foram ao local para liberar a pista, que havia sido interditada por famílias desabrigadas pela cheia do Rio Cachoeira.

Mais informações em instantes.

 

Manifestantes incendeiam objetos para bloquear rodovia || Foto Pimenta
Tempo de leitura: < 1 minuto

Equipes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros chegaram ao Salobrinho, em Ilhéus, por volta das 9h50min desta segunda-feira (24), para tentar liberar a BR-415, que foi interditada por uma manifestação de moradores do bairro.

Enquanto os bombeiros apagam o material incendiado que bloqueia a rodovia, os policiais negociam a liberação do tráfego de veículos com os manifestantes.

Segundo as primeiras informações, o protesto teria sido motivado pela retirada de famílias desabrigadas de uma escola pública do bairro, onde estavam desde a enchente do Rio Cachoeira, ocorrida no Natal de 2021.