Tempo de leitura: 3 minutos

A notícia de que a Câmara de Vereadores de Ilhéus fará uma festa no Mar Aberto menos de uma semana após a morte da cirurgiã-dentista Ranitla Scaramussa Bonella, atropelada por um dos sócios do estabelecimento, foi recebida por críticas de moradores da cidade, que se manifestaram nas redes sociais.

A escolha do local do Arraiá da Câmara, marcado para esta quinta-feira (16), é inoportuna, segundo as manifestações, mesmo após o anúncio de que o empresário Tharciso Aguiar, envolvido no acidente, deixou a sociedade empresarial que administra o bar. Essa opinião ganhou eco na Casa do Povo

Dirigindo-se ao presidente da Câmara, Jerbson Moraes (PSD), na sessão desta terça-feira (14), o vereador Augusto Cardoso, Augustão (PT), sugeriu o adiamento da festa e ressalvou que expressava sua opinião por ser amigo de Jerbson, que havia acabado de informar a decisão de manter a data e o local do Arraiá. Augustão não criticou o colega, mas o convidou a refletir.

– Gostaria de dar uma sugestão, até para o bem desta Casa, para o bem de vossa excelência, devido ao momento. Não tenho nenhum problema em me colocar nessa posição, porque sou amigo de vossa excelência. Se não fosse, tipo assim, me omitia, ficava calado. Mas, eu ia apenas fazer o pedido de adiar o evento, porque amanhã [15 de junho] vai haver uma manifestação na cidade [motivada pelo acidente]. Talvez a sociedade não entenda muito bem, porque o acontecido foi fatal, uma perda. [Trago] uma reflexão pra vossa excelência.

Jerbson decide manter data e local do Arraiá da Câmara

“Essa reflexão eu já fiz”, respondeu Jerbson. “Já temos toda a estrutura da festa montada. O bufê já está sendo feito, com comidas juninas, as bandas já estão compromissadas para aquela data. Não se transfere uma festa dessa forma. Outra coisa, se fosse no dia da manifestação, não, vai ser no outro dia. A gente não pode dar asas a uma interpretação que não é a verdade”, complementou.

“NÃO VAMOS JOGAR PRA TORCIDA”

Antes do diálogo com Augustão, Jerbson Moraes disse que ficou tocado com a tragédia, pois passou no local do acidente no sábado (11), quando o corpo de Ranitla Bonella ainda estava à beira da pista. Naquele momento, acrescentou, foi tomado pela lembrança de que sua filha costuma atravessar a BA-001 na mesma região da zona sul da cidade.

Para ele, a Câmara deve dar uma resposta à sociedade, mas dentro das suas atribuições. Uma comissão parlamentar vai acompanhar o caso. “Vamos dar uma resposta com amadurecimento e não vamos jogar pra torcida. Não vamos fazer política jogando pra torcida. Quer ver uma coisa? A nossa festa junina está marcada para o Mar Aberto. Eu não tive, em momento nenhum, relação de negócio com quem provocou o acidente. Não conhecia, inclusive. Sabia quem era, conheci pelas fotos, ouvi falar”.

Segundo Jerbson, a Câmara pagará apenas o bufê do Arraiá, sendo as atrações musicais e demais custos do festejo bancados pelo Mar Aberto. “A gente não tá pagando espaço, a gente não tá pagando iluminação, como tem muita gente aí dizendo”, emendou.

Na sequência, defendeu que a empresa e seus funcionários não podem ser punidos em razão do acidente. “São 21 famílias empregadas. Quer dizer que se o dono da Gol [Linhas Aéreas atropelar alguém], ninguém viaja mais de Gol? Isso não é política de amadurecimento. Nosso festejo vai acontecer lá. É decisão minha. Pensei muito nisso. Pensei muito hoje. Vinha mais cedo [para a Câmara], mas disse vou ficar aqui refletindo todo o acontecimento.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Moradores de Ilhéus se organizam para fazer um protesto na BA-001, onde a cirurgiã-dentista Ranitla Scaramussa Bonella foi atropelada e morreu. A manifestação, que tem o nome da jovem, seria às 7h mas foi remarcado para as 12h desta quarta-feira (15), em frente à Faculdade de Ilhéus.

O modo como o ato será feito ainda é discutido. Uma das propostas é a ocupação das faixas de pedestres dos dois sentidos da rodovia, por três minutos, antes de liberar o tráfego e repetir o movimento a cada dez minutos, ao longo de 1h30min. A cada parada, distribuirão panfletos e exporão cartazes aos condutores.

A pauta de reivindicações inclui a construção de passarelas sobre a rodovia e de nova rótula de acesso aos bairros São Francisco e Nelson Costa, além da redução do limite de velocidade na via para 40km/h (o limite atual é de 60km/h).

FISCALIZAÇÃO DA RODOVIA CABE À PRE, INFORMA SERPA

Ao PIMENTA, o superintendente de Trânsito do município, Valci Serpa, explicou que a responsabilidade de fiscalizar a via é da Polícia Rodoviária Estadual (PRE). Perguntamos se a Prefeitura de Ilhéus já fez alguma solicitação ao Estado com o propósito de reduzir o risco de acidentes na BA-011, a exemplo da construção de passarelas. “Já fizemos vários expedientes, por isso colocaram radares e diminuíram a velocidade”, respondeu Serpa. (Atualizado às 20h de 14 de junho de 2022)

Tempo de leitura: 2 minutos
Empresários criticam projeto que pode fechar espaços de shows e cinema || Foto O Tabuleiro
Empresários criticam projeto que pode fechar espaços de shows e cinema || Foto O Tabuleiro

Três grupos empresariais da área de shows e eventos em Ilhéus se posicionaram contra o Projeto de Lei 053/2017, em tramitação na Câmara de Vereadores. De autoria do vereador Jerbson Moraes (PSD), o projeto já ganhou a alcunha de “Lei da Carteirada”. Se aprovado, ele permitirá que agentes de segurança pública e seus dependentes tenham acesso a cinema, casas de shows e espetáculos culturais de forma gratuita.

“Caso seja aprovada, [a lei] acarretará em profundos impactos negativos à economia dese município, já que inviabilizaria toda manutenção de uma sensível cadeia produtiva de eventos”, reforçam os grupos empresariais ligados ao Cine Santa Clara, Batuba Beach e Mar Aberto. O grupo assina nota de repúdio contra o projeto de lei.

A proposta de Jerbson seria votada na última terça (25), mas a discussão acabou adiada. o Instituto Nossa Ilhéus já emitiu nota em que aponta ser inconstitucional a iniciativa do vereador. Abaixo, confira a nota contra a “Lei da Carteirada”.

NOTA DE REPÚDIO

Diante o Projeto de Lei 053/2017, de autoria do vereador Jerbson Moraes (PSD), que propõe a entrada gratuita para agentes de segurança e meia-entrada para seus familiares em diversas atividades culturais realizadas no município de Ilhéus, produtores, gestores e empreendedores culturais vêm a público repudiar o que chamam de “Lei da Carteirada”, que, caso seja aprovada, acarretará em profundos impactos negativos a economia deste município, já que inviabilizará toda manutenção de uma sensível cadeia produtiva de eventos.

Salientamos que, na realidade atual, os empreendedores culturais já encontram dificuldades para a realização de suas atividades e pouco dispõe de apoiadores ou patrocinadores para a realização destes, sendo o ingresso a única fonte de receita para garantir a viabilidade financeira das suas ações.

Tendo em vista isso, anunciamos as consequências que a aprovação da “Lei da carteirada” trará a Ilhéus e à sua população, além de visitantes, já que se trata de um município com grande apelo turístico:

– O Cine Santa Clara, localizado na Avenida Soares Lopes, e único cinema existente, terá as suas atividades encerradas no dia seguinte à aprovação da projeto de lei proposto pelo edil;

– O Batuba Beach Sound, maior evento privado de réveillon da Bahia, realizado há 10 anos em Olivença, terá a sua realização alterada para outro município da região, com condições favoráveis a isso;

– A contratação de atrações regionais em casas de shows, como o Mar Aberto, na zona sul, não será mais viável.

Todas as consequências são declaradas pelos gestores responsáveis aos empreendimentos citados e produtores locais.

Este grupo conta com o bom senso do vereador responsável pela criação do projeto, bem como dos demais legisladores de Ilhéus, eleitos para atenderem, de forma responsável, aos anseios da população.

Ilhéus, 26 de julho de 2017.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Italiano Marco Belli sofreu lesões graves e aguarda novas cirurgias.
Italiano Marco Belli sofreu lesões graves e aguarda novas cirurgias.

Uma confusão ocorrida por volta das 2h40min do sábado (8), no Mar Aberto, em Ilhéus, entre dois médicos, um fisioterapeuta e o italiano Marco Belli foi parar na polícia, mas acabou com sérias consequências para a vítima, que está internada e já passou por três cirurgias.

Os médicos são acusados de espancar o italiano, após um incidente entre Belli e o fisioterapeuta Ícaro Pinto. Segundo uma testemunha, a confusão começou depois que o italiano esbarrou no fisioterapeuta.

Após o mal-entendido, Ícaro se despediu do italiano dando-lhe tapinha nas costas. Era blefe, segundo a testemunha. O fisioterapeuta voltou logo depois, com um irmão, Jonathas Pinto, e o amigo Marcus Vinícius, que afirma ter agido para separar a briga, o que é rebatido pela testemunha.

– Alguns minutos depois, Belli é atacado pelas costas, sem direito a defesa, pelo Ícaro e mais dois, jogado no chão e pisoteado e golpeado por chutes na cabeça, rosto, pernas, em todo corpo – narra a testemunha, amiga de Belli.

O italiano foi socorrido e levado para o hospital, enquanto os brigões foram encaminhados para a Delegacia Central, onde foram soltos após pagamento de fiança. O médico Jonathas Pinto, acusado das agressões contra Belli, está internado no Hospital de Base de Itabuna, mas por outro motivo: sofreu acidente grave na BR-101, quando retornava para Ilhéus. Atualizado às 23h.