Tempo de leitura: < 1 minuto

Marco Feliciano é acusado de estupro e agressão (Foto Agência Câmara).
Marco Feliciano é acusado de estupro e agressão (Foto Agência Câmara).
A líder da minoria na Câmara, deputada Jandira Feghali (PCdoB), e parlamentares da bancada feminina apresentaram hoje (10) uma representação contra o deputado Marco Feliciano (PSC-SP). O documento, com 22 assinaturas, pede que seja aberto um processo no Conselho de Ética para apurar as denúncias de uma estudante que disse ter sido vítima de tentativa de estupro pelo parlamentar.

“As denúncias são muitas e muito graves e queremos que a Câmara apure. Não estamos prejulgando ninguém, mas a omissão da Casa não é aceitável”, afirmou Jandira. Ela, por mais de uma vez, lembrou que a medida é apartidária e alertou que não deve abrir brechas para uma “culpabilização” antes que os fatos sejam esclarecidos. “Esperamos uma apuração isenta, que se apure tudo e, se houver comprovação, que se tome as providencias necessárias”, disse.

O direito de defesa de Feliciano também foi destacado pela deputada Érika Kokay (PT-DF) que, apesar de defender todas as possibilidades de argumento, lembrou que cinco crimes estão envolvidos nas denúncias.

“Agressão sexual, agressão física, ameaça, tentativa de corrupção e cárcere privado. Estas denúncias têm que ser apuradas com o rigor que a democracia exige. Não podemos permitir que denúncias de tamanha gravidade não tenham uma resposta desta Casa”, afirmou.

Tempo de leitura: 2 minutos

marivalguedes2Marival Guedes | marivalguedes@gmail.com

 

Após a derrota de Aécio, Geddel Vieira Lima, que já havia perdido a eleição ao senado para Otto Alencar, postou no twitter num final de semana que iria recomeçar a vida. Um internauta gozador sugeriu:

– O Sinebahia (Serviço de Intermediação para o Trabalho) abre na segunda-feira.

 

Os políticos cederam aos encantos das redes sociais e até mesmo os denominados imigrantes digitais (pessoas que nasceram antes das novas tecnologias) já aderiram ao Twitter, Face, Instagram etc.

Vamos às postagens. A ex-candidata à Presidência da República, Luciana Genro (PSOL), em defesa da descriminalização da maconha escreveu no Twitter que “a guerra às drogas atinge os pequenos traficantes. Os grandes não estão nas favelas, mas estão, inclusive, no Congresso.”

O deputado Marcos Feliciano (PSC-SP) questionou de forma intimidatória: “Esta acusação é gravíssima. Pode citar nomes? Com provas irrefutáveis?”.

Luciana treplicou: Acho que o Marco Feliciano esqueceu que um helicóptero da família do senador Zezé Perrela foi apreendido em 2013 com 450 kg de cocaína!

A ex-candidata foi contemplada no twitter também pelo pastor Silas Malafaia, numa frase irônica:
“Acabo de comprovar que Luciana Genro me ama, acaba de me citar no debate da record, minha mulher esta ficando com ciúmes kkkkkkkkkk”.

Quem rebateu foi um fake (perfil falso) de Luciana Genro, com a mesma criatividade da original:
“Se citar você é prova de amor, você deve ser apaixonado por um gay! É só o que você fala.”

Troca de farpas entre Feliciano e perfil fake de Luciana Genro (Reprodução).
Troca de farpas entre Feliciano e perfil fake de Luciana Genro (Reprodução).

Após a derrota de Aécio, Geddel Vieira Lima, que já havia perdido a eleição ao senado para Otto Alencar, postou no twitter num final de semana que iria recomeçar a vida. Um internauta gozador sugeriu:

O Sinebahia (Serviço de Intermediação para o Trabalho) abre na segunda-feira.

Marcelo Nilo, presidente da Assembleia Legislativa, também entrou na onda, pegou o “gancho” corrupção/hipocrisia, última moda em Brasília, e alfinetou o deputado Antonio Imbassahy”:

– O deputado Imbassahy ainda não se pronunciou sobre a denúncia contra o tucano Anastasia na Lava Jato. Vamos q Vamos.”

Texto inesquecível é o do presidente do DEM, deputado José Carlos Aleluia. Ele afirmou que a culpa pela queda do Bahia e do Vitória para a segunda divisão é do PT.

O presidente do PT/Bahia, Everaldo Anunciação, resumiu: “Tá fora de órbita”.

Marival Guedes é jornalista e escreve crônicas aos domingos no Pimenta.

Tempo de leitura: 4 minutos

zacariasJosé Zacarias Pereira | jzacarias12@hotmail.com

Particularmente, possuo diversos conhecidos homossexuais com os quais tenho boa convivência, pessoas que gosto. Todavia, ter boa convivência e ser favorável a esse tipo de união é algo diferente.

Diante da realidade que atravessa a sociedade brasileira, volve minhas lembranças aos filmes épicos, em especial àquelas cenas em que cristãos eram jogados para serem dilacerados pelos leões. Deparo-me imaginando o que passava na cabeça daquelas pessoas prestes a virarem refeições humanas, ávidas por socorro humano ou divino.
A partir dessas imagens, passo a fazer um paralelo com o momento atual dos brasileiros que têm opção moral e sexual oposta a dos gays, lésbicas e simpatizantes, os quais estão sendo lançados ao abismo, oprimidos e obrigados a tomar partido: se é contra ou a favor da permanência do deputado Marco Feliciano na presidência da Comissão Direitos Humanos da Câmara dos Deputados,  se é homofóbico ou não, se opõe ao casamento homossexual (gay) ou não.
Em resumo, uma minoria usa a mídia e demais meios para tentar mostrar e incutir que a opção sexual e moral que seguem é a correta, a normal, à semelhança dos seguidores fanáticos que tentam catequizar adeptos e simpatizantes, e busca transparecer que não forma minoria e sim maioria no Brasil. Essa minoria tenta distorcer a realidade da sociedade brasileira (formada de maneira esmagadora por pessoas heterossexuais).
O jornalista Alexandre Garcia em um dos seus comentários manifestou-se dizendo que estão condenando o deputado Marco Feliciano por crime de opinião e no Brasil não existe crime de opinião. Faltou acrescentar ainda às palavras daquele jornalista que constitui dispositivo Constitucional a garantia de que ninguém pode ser considerado culpado antes de transitada em julgado uma Ação Penal (Art. 5º, LVII, da Constituição Federal de 1988).
Leia Mais

Tempo de leitura: < 1 minuto

Dilmá, da Parafernalha, faz críticas ao deputado federal Marco Feliciano (PSC). Bem no estilo “Parafernalha”, sobra crítica até para a chapinha do parlamentar presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara Federal. “Seu cabelo não nega as origens”. O vídeo tem quase 900 mil visualizações no Youtube. Hilário – e não indicado para menores de 18…

Tempo de leitura: < 1 minuto
O Sábado de Aleluia foi aproveitado por manifestantes para prestar homenagem ao deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), acusado de racismo e homofobia. Em Brasília, malhação de Judas com boneco onde é estampada foto do rosto do parlamentar presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara (Foto Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr).
O final e semana foi aproveitado por manifestantes para “homenagear” o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), acusado de racismo e homofobia. Em Brasília, em frente à Câmara dos Deputados, malhação de Judas com boneco onde é estampada imagem do parlamentar presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara (Foto Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr).

Tempo de leitura: < 1 minuto

caricatura vaneOs leitores opinaram na seção Comentários e o prefeito Claudevane Leite, de Itabuna, foi o escolhido para o posto de “Judas do Ano”, com 44 menções, ante 38 do ex-prefeito Capitão Azevedo. No geral, os leitores citaram o atual gestor pelo início de governo “cambaleante”. Já o ex-prefeito é lembrado pelo caos financeiro que provocou em Itabuna.
O governador Jaques Wagner foi lembrado por 10 dos leitores que opinaram. O vice-prefeito de Itabuna, Wenceslau Júnior, recebeu 8 menções, seguido do prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, com seis. Houve ainda quem citasse o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, e o deputado federal Marco Feliciano, acusado de racismo e homofobia.

Tempo de leitura: < 1 minuto
PSC bate o pé e diz que Feliciano fica na presidência da comissão.
PSC bate o pé e diz que Feliciano fica na presidência da comissão.

Puxa de cá, estica de lá… E o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), se depender do partido dele, permanecerá à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal.

O presidente do partido, pastor Everaldo Pereira, emitiu nota. O conteúdo evidencia possibilidade de confrontos. Everaldo cita que, se for preciso, convocará manifestantes para defender o pastor acusado de racismo e homofobia por deputados e movimentos sociais.

-Respeitosamente, quero pedir que as lideranças dos partidos nesta Casa respeitem a indicação do PSC e peçam a seus militantes que protestem de maneira respeitosa. Não fazemos ameaças, mas se fosse preciso convocar 100, 200, 300, 500 ou mais militantes que pensam como nós, também convocaríamos, mas o PSC é pela paz e harmonia. Queremos o entendimento – ressalta Everaldo Pereira em nota.

O dirigente partidário cita que Feliciano é ficha limpa, não foi condenado pelo Supremo Tribunal nem indiciado.”Feliciano é um deputado ficha limpa, tendo, então, todas as prerrogativas para estar na presidência da Comissão de Direitos Humanos”.

O pastor e dirigente encerra a carta afirmando que o “PSC defende a vida, a família e os direitos humanos de todos, inclusive das minorias”.