Infectologista Roberto Badaró aponta acerto de medidas na Bahia || Foto Alberto Coutinho/GovBA
Tempo de leitura: 2 minutos

Considerado um dos maiores especialistas do pais sobre o novo coronavírus, o infectologista Roberto Badaró classificou como acertadas as ações do governo baiano para conter o avanço da Covid-19 no Estado até o momento. De acordo com ele, sem as medidas tomadas a Bahia poderia ter números alarmantes até aqui.

– Não se trata de uma competição, mas é preciso reconhecer que a Bahia respondeu muito antes do que a maioria dos estados à crise gerada pelo novo coronavírus. O Governo do Estado implantou um bloqueio sanitário severo, o chamado isolamento vertical, quando a Bahia não tinha nem 20 casos. O resultado foi muito eficiente. A Bahia apresenta, de forma significativa, uma diminuição na velocidade do aparecimento de novos casos – destacou o médico.

Segundo o infectologista, no gráfico dos casos oficiais no Brasil e no mundo são verificados comportamentos diferentes. “A China teve milhares de casos em Wuhan, onde tudo começou. A Itália agiu igual a Wuhan no início. Os Estados Unidos tiveram, devido à relação muito íntima de tráfego aéreo com a China, milhares de infectados chegando ao país diariamente, causando uma explosão de casos também. O Brasil tem a tendência da Coreia [do Sul], que interviu ainda relativamente cedo”.

PROJEÇÃO

Ainda segundo o infectologista, no gráfico da Bahia, a projeção é inferior em número de casos e mortes, pois iniciou o bloqueio logo de imediato ao surgimento de casos. “Estamos tendo números inferiores ao previsto. O Governo do Estado agiu com austeridade, contrariando o Ministério da Saúde, que orientou mal no início da chegada do Covid -19 ao Brasil”, afirmou. Neste domingo (29), a Bahia atingiu a marca de 156 casos confirmados e um óbito. A previsão era de que o estado já tivesse superado 300 ocorrências neste momento.Leia Mais

Itabuna é o quarto município com mais casos confirmados de covid-19 na Bahia || Foto José Nazal
Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, assinou decreto, nesta sexta-feira (13), suspendendo, por um período de 30 dias,  os eventos com grande número de pessoas. O documento prevê ainda a novação da medida, caso seja necessário, por períodos sucessivos.

De acordo com o decreto, o município não vai autorizar nenhum evento com mais de 50 pessoas, principalmente em espaços fechados.  Além disso, foi determinado que os bares e restaurantes distribuam suas mesas a uma distância de  dois metros entre elas.

O documento destaca ainda que as medidas são necessárias por causa da possível circulação do coronavírus na região cacaueira.  Com isso, estão suspensos eventos como seminários, formaturas, shows musicais e palestras. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Município desta sexta-feira (13).

Com relação às manifestações religiosas, o prefeito informou que a decisão caberá as suas lideranças.  Um um dos grandes eventos previstos para os próximos dias é a Procissão de São José,  quinta-feira (19). A Igreja Católica ainda não se manifestou sobre a realização do evento.