Quase 32 mil pescadores artesanais têm registro suspensos
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) suspendeu 31.903 registros de pescadores profissionais artesanais. Já publicada no Diário Oficial da União, a decisão foi tomada para averiguar os cadastros em que foram identificadas divergências.

As licenças ficarão suspensas por até 60 dias para averiguação do Departamento de Registro e Monitoramento de Aquicultura e Pesca da Secretaria de Aquicultura e Pesca (SAP).

Os pescadores que tiveram sua licença suspensa poderão, no prazo de 10 dias úteis, apresentar recurso na Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento com qualquer documento oficial com foto.

Segundo a SAP, foi realizada uma intensa e profunda averiguação nos cadastros, que foram identificados como suspeitos, devido às divergências encontradas, como por exemplo, nomes errados (que não batem com o CPF), CPFs inválidos, pescadores que pescam no mar e na licença alegam que pescam no rio.

Após análise das informações, as licenças consideradas com inserção irregular no Sistema Informatizado do Registro Geral da Atividade Pesqueira serão canceladas e as licenças consideradas regulares serão reativadas automaticamente. Veja aqui a relação com os nomes, por estado, dos pescadores profissionais artesanais que tiveram seus registros suspensos.

Adeílson e Tiago estão desaparecidos
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Delegacia dos Portos em Ilhéus ganha, na tarde deste sábado (14), um reforço importante na operação de buscas de um barco pesqueiro que está desaparecido em Itacaré, no sul da Bahia. Uma aeronave da Polícia Militar da Bahia vai sobrevoar região para tentar localizar a embarcação Nanda I.

O barco com duas pessoas saiu para o mar na segunda-feira (9), por volta das 16h.  Estão na embarcação Adeílson Francisco dos Santos de Lima e outro homem conhecido como Tiago Chinês, que deveriam ter retornado na quinta-feira (12).

Tempo de leitura: 2 minutos
Pescadores resgatados nesta quarta-feira (10).

Os quatro pescadores ilheenses que não retornaram para casa no domingo (7), porque estavam à deriva em alto-mar, foram resgatados nesta quarta-feira (10) por colegas de profissão. Janildo Cerqueira Soares e Carlos Miranda, além dos colegas de prenomes Gildásio e Edson receberam o socorro de um barco de pescadores de Itacaré.

Janildo Cerqueira contou que não conseguiram retornar porque o motor do barco apresentou problemas mecânicos depois do mau tempo que enfrentaram durante a pescaria. Ele relatou que já estavam praticamente sem água e comida, que passou a ser racionada depois que descobriram o defeito no barco de pesca.

Os percadores estavam no barco menor, colorido ao fundo||Foto TV Santa Cruz

Janildo Cerqueira relatou que viveram momentos de muita tensão por causa das fortes ondas e praticamente não dormiram nos últimos dias. “Um de nós tinha que ficar a acordado para retirar a água para o banco não afundar. Havia um revezamento a cada três horas”, disse.

O barco dos pescadores foi rebocado por uma embarcação maior até o farol do Rio de Contas, no encontro com o mar, em Itacaré. O resgate ocorreu por volta das 8h30min e todos estão bem de saúde. Os pescadores deveriam ter retornado para casa na madrugada do último domingo (7). Redação com informações da TV Santa Cruz.

Tempo de leitura: 2 minutos
Wagner critica instalações de terminal. Seta aponta origem dos questionamentos (Foto Pimenta).

O governador Jaques Wagner demonstrou insatisfação e defendeu mudanças no setor de recepção e beneficiamento de produtos do Terminal Pesqueiro de Ilhéus, ontem, momentos antes de descerrar a placa de inauguração da obra. As críticas foram feitas internamente e ao discursar no palanque instalado dentro do terminal.

Ao visitar a área de recepção e beneficiamento de pescado com o ministro Marcelo Crivella (Pesca e Aquicultura) e o presidente da Bahia Pesca, Isaac Albagli, Wagner discordou de parte da estrutura física. “Eu trabalhei em fábrica. Tem que aumentar [a estrutura para recepção de pescado]”, disse.

A conversa com o presidente da Bahia Pesca e o ministro Marcelo Crivella foi acompanhada pelo PIMENTA. Um engenheiro de aquicultura foi chamado para dar explicações ao governador sobre “inadequações do projeto”, quando a equipe do blog e e assessores de governo não puderam mais acompanhar a discussão. “Eles vão ter conversa reservada”, argumentou um representante do cerimonial do governador.

Logo após, Wagner externou as críticas em público. “Gosto das coisas bem feitas. Quando está malfeita, eu falo”. O ministro Marcelo Crivella ponderou afirmando que entendia a necessidade de adequações defendidas pelo governador, mas lembrou do custo baixo do terminal e a relevância da obra para os pescadores, reféns do mercado.

– Os pescadores tinham que vender o peixe a preços baixos porque não havia local para refrigeração, congelamento e estocagem. Agora, eles poderão esperar e vender seu produto por um preço justo.

No palanque, Isaac Albagli falou da economia feita para execução da obra com R$ 10 milhões e citou interesse privado para operar em Ilhéus, a exemplo da Atlântica Tuna. A empresa do Rio Grande do Norte arrendou, no Japão, 10 embarcações de grande porte no Japão e fará operações no terminal ilheense.

ISAAC EXPLICA: ÁREA É PARA BENEFICIAR PEIXES PEQUENOS

Engenheiro explica funcionamento de terminal após críticas de Wagner (Foto Pimenta).

Hoje pela manhã, o presidente da Bahia Pesca explicou ao blog que as críticas de Wagner se deram porque o governador entendia que  a estrutura de recepção e beneficiamento do terminal era para pescados de grande porte, que tem fluxo diferente. “Será área para peixes de pequeno porte. Não será para peixe de grande porte”.

O presidente da Bahia Pesca disse que o ministro Marcelo Crivella se comprometeu a fazer novo aporte para que o terminal pesqueiro tenha linha para peixe de grande porte. Antes desses investimentos, explicou, essa recepção de pescado poderá ser feita em navios no Porto do Malhado, pois precisará de estrutura que conta com guindastes para movimentação de contêiner.

O terminal inaugurado ontem tem capacidade para beneficiar 150 toneladas de pescados por mês. “Importante é que tem gelo suficiente, óleo diesel e beneficiamento”. O dirigente da estatal da pesca afirmou que há espaço para ampliações que possibilitem movimentar cargas de pescados de grande porte.