Manifestantes protestam pela remoção de Bolsonaro da Presidência da República || Foto Blog Pimenta
Tempo de leitura: < 1 minuto

A jornada nacional de atos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai ganhar novo capítulo em Itabuna e Ilhéus neste sábado (24).

O Sindicato dos Bancários é uma das entidades que fazem parte da mobilização em Itabuna. Conforme o sindicato, o ato vai começar às 9 horas, no Jardim do O.

Já em Ilhéus a manifestação pelo impeachment do presidente vai ocorrer na Praça Misael Tavares, localizada no bairro Cidade Nova, em frente ao Estádio Mário Pessoa. No local, os manifestantes também vão arrecadar alimentos para doar a famílias carentes. Quem quiser contribuir deve levar 1 quilo de alimento não perecível.

Implicação do presidente da República em suspeita de esquema no Ministério da Saúde leva manifestantes a antecipar atos marcados para o fim de julho
Tempo de leitura: 2 minutos

Movimentos sociais e partidos políticos de Ilhéus e Itabuna convocaram manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), neste sábado (3), inserindo os dois municípios sulbaianos no circuito nacional de atos a favor do impeachment do chefe do Executivo.

Os manifestantes de Itabuna vão se encontrar no Jardim do Ó, no Centro, às 9 horas. No mesmo horário, em Ilhéus, o ato começará na Central de Abastecimento do Malhado. Depois, às 12h30min, os participantes vão se concentrar na Praça Castro Alves (Praça da Irene), na Avenida Soares Lopes.

PGR ABRE INQUÉRITO PARA INVESTIGAR BOLSONARO

Os próximos atos contra o presidente estavam marcados para o dia 24 de julho, mas foram antecipados por causa das últimas descobertas da CPI da Covid, que implicam o governo Bolsonaro num suposto esquema de superfaturamento na compra de 20 milhões de doses da vacina Covaxin, cujo contrato foi suspenso pelo Ministério da Saúde após denúncia dos irmãos Miranda à CPI. Eles afirmam que revelaram as supostas irregularidades a Bolsonaro, que teria citado o líder do próprio governo, o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), como o homem por trás das pressões para que o negócio fosse concretizado.

O relato e os documentos colhidos pela CPI levaram os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Fabiano Contarato (Rede-ES) e Jorge Kajuru (Podemos-GO) a denunciar Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo Randolfe, há indícios consideráveis de que o presidente pode ter cometido, pelo menos, o crime de prevaricação.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) anunciou nesta sexta-feira (2) a abertura de inquérito para investigar se Bolsonaro foi realmente informado dos indícios de irregularidade do negócio e se o presidente, caso tenha sido mesmo alertado pelos Miranda, adotou medidas para evitar o avanço dos supostos malfeitos no Ministério da Saúde.

VACINA CARA, NEGOCIAÇÃO RÁPIDA E CARTA PRESIDENCIAL

A Covaxin é a vacina mais cara já negociada pelo Ministério da Saúde até o momento. Sua dose custaria R$ 75,25, mais do que os R$ 50,17 da Janssen ou os R$ 60 da Pfizer, e muito acima da dose da AstraZeneca, que saiu a R$ 15,85.

Com valor global de R$ 1,6 bilhão, o contrato da Covaxin foi o único que teve uma empresa, a Precisa Medicamentos, intermediando a negociação entre o governo Bolsonaro e o fabricante da vacina, o laboratório indiano Bharat Biotech.

A negociação da Covaxin também foi mais rápida do que a média das outras vacinas, durou três meses, enquanto as tratativas para a compra da Pfizer, por exemplo, se arrastaram pelo dobro desse tempo.

Assinado em 25 de fevereiro, o contrato da Covaxin teve outra peculiaridade. Somente ele foi antecedido por envio de carta oficial do presidente Jair Bolsonaro ao Chefe do Executivo do país de origem da vacina, o primeiro-ministro indiano Narendra Modi. Na missiva, datada de 8 de janeiro, Bolsonaro informa a intenção do Brasil de comprar a Covaxin, que, naquela altura, não tinha sequer os resultados finais dos testes clínicos em humanos.

Tupinambás protestam contra tese do marco temporal para demarcação de terras indígenas, tema de julgamento marcado para hoje no STF
Tempo de leitura: 2 minutos

Com o som de maracás ao fundo, que lembra o canto de cigarras na mata, um índio tupinambá explica por que manifestantes do seu povo interditaram a rodovia BA-001, na manhã desta quarta-feira (30), em Olivença, litoral sul de Ilhéus. Segundo o indígena, que gravou um vídeo no local, o protesto é contra o Projeto de Lei 490/2007, que pretende transferir do Executivo Federal para o Congresso a competência para demarcar terras ocupadas por povos tradicionais.

Os tupinambás reivindicam  a demarcação do território que se estende ao longo das divisas entre os municípios de Ilhéus, Una e Buerarema. O relatório circunstanciado de identificação e delimitação da referida Terra Indígena, elaborado por grupo técnico da Fundação Nacional do Índio (Funai), foi concluído em abril de 2009, mas o governo federal ainda não concluiu o procedimento.

Para os tupinambás da Mata Atlântica do Sul da Bahia e outros povos que lutam pela efetividade do direito territorial garantido na Constituição, se o PL 490/2007 for aprovado, o Poder Legislativo não vai demarcar mais nenhum território tradicionalmente ocupado. Ao contrário, com a tese do marco temporal – defendida por deputados e senadores ligados a ruralistas e garimpeiros -, congressistas pretendem abrir caminho para desfazer demarcações de terras indígenas e quilombolas.

“Diga ao povo que avançaremos”, avisa índio tupinambá de Olivença em vídeo sobre manifestação

No mesmo vídeo, o índio afirma que a manifestação em Ilhéus vai seguir ao longo de todo o dia, até a votação do Supremo Tribunal Federal sobre a tese que condiciona a demarcação de terras aos casos em que os índios possam provar a ocupação desde antes do marco da Constituição de 1988. O relator do processo no STF, ministro Edson Fachin, votou contra a tese do marco temporal na sessão plenária de 11 de junho passado. O julgamento será retomado na tarde de hoje (30).

Ainda com o som dos chocalhos como background, olhando para a câmera frontal do smartphone, o tupinambá avisa: “Diga ao povo que avançaremos”.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram congestionamento de veículos sobre a nova ponte de Ilhéus e na orla sul
Tempo de leitura: < 1 minuto

Moradores da comunidade de Sapucaeira interditaram o trânsito na altura da pista do Aeroporto Jorge Amado, na Zona Sul de Ilhéus, por volta das 13 horas desta segunda-feira (7), em protesto contra a falta de serviços públicos na zona rural do município. O ato reúne também indígenas da etnia Tupinambá que vivem em Sapucaeira e adjacências.

A Polícia Militar está no local e tenta liberar o tráfego. O protesto causa congestionamento de veículos nos dois sentidos da BA-001, inclusive sobre a nova ponte da cidade.

Carros parados sobre a nova ponte de Ilhéus durante protesto de moradores de Sapucaeira

Os manifestantes criticam a falta de manutenção frequente das estradas rurais e a redução da oferta de ônibus do transporte coletivo.

No dia 5 de maio, o PIMENTA mostrou passageiros “espremidos” no ônibus de Sapucaeira – veja aqui. Antes, em fevereiro deste ano, noticiamos a precariedade de uma ponte da estrada vicinal – lembre aqui.

Numa tentativa de sensibilizar as autoridades políticas, os manifestantes de Sapucaeira trouxeram aos moradores da sede do município a experiência do sofrimento por falta de mobilidade.

Em contato com o PIMENTA, por volta das 14h25min, um motorista, que pediu para não ser identificado, informou que os manifestantes liberam o trânsito aos poucos no sentido Centro-Zona Sul.

Um dos manifestantes informou ao site que membros do governo municipal iniciaram diálogo com os participantes do ato. Atualizado às 14h35min. 

Categoria protesta contra venda de refinarias e política de preços da Petrobras
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro) decidiu vender o litro de gasolina por R$ 3,50 como forma de protestar contra a política de preços da Petrobras e a privatização de refinarias de petróleo da estatal.

Nesta terça-feira (16), a ação ocorreu no Posto Apache, no Dique do Tororó, em Salvador. Os 150 primeiros motoristas que chegaram no local puderam comprar até 20 litros do combustível pelo “preço justo”, conforme definição da categoria. A medida também beneficiou 50 motociclistas.

Amanhã (17) será a vez de Alagoinhas, com venda de gasolina pelo mesmo preço, às 7 horas, no Posto Laguna, localizado na Avenida Dantas Bião.

“Ao adotar o Preço de Paridade de Importação (PPI), a Petrobrás atrela os preços dos combustíveis no Brasil ao valor do barril de petróleo no mercado internacional, ou seja, a estatal produz em real, mas vende em dólar para o povo brasileiro”, critica o coordenador do Sindipetro, Jairo Batista.

O diretor de comunicação do Sindipetro, Radiovaldo Costa, alerta para as consequências da privatização da Refinaria Landulpho Alves, anunciada pela Petrobras. “Os consumidores serão ainda mais atingidos, pois os preços dos combustíveis devem ficar mais altos. E ainda será criado um monopólio regional privado e sem competitividade, como apontou estudo da PUC Rio ao analisar os efeitos da privatização de seis das oito refinarias colocadas à venda pela Petrobras”.

Neste ano, a Petrobras já aumentou o preço da gasolina três vezes. Veja mais aqui.

Moradores do São Domingos e São Miguel protestam contra descaso
Tempo de leitura: 2 minutos

Moradores dos bairros São Miguel e São Domingos, na zona norte de Ilhéus, fizeram um novo protesto no centro da cidade, nesta quarta-feira (26), para pedir providências em relação aos estragos causados pelo avanço da maré. Os moradores já tinham feito protestos na quinta-feira (20) e na sexta-feira (21).

Os manifestantes fizeram uma passeata pelas principais ruas do centro de Ilhéus e ficaram em frente à Câmara de Vereadores. “Só pedra não vai aguentar, é paliativo e nós não estamos atrás de paliativos. Queremos que eles [prefeitura] tomem as providências”, relatou Saionara Maria Santos, presidente da Associação de Moradores do São Miguel.

Desde de julho, o problema da força da maré aumentou, destruindo casas e cabanas de praias. O trecho mais atingido tem 4 quilômetros e fica entre os bairros São Domingos e São Miguel. Algumas medidas preventivas, como colocar pedras em alguns pontos, têm sido feitas por moradores e prefeitura, mas não são suficiente.

Na última sexta-feira (21), a prefeitura decretou situação de emergência por conta da erosão costeira e montou um comitê para preparar ações de contenção do avanço da maré. Os moradores disseram que, essa semana, a prefeitura prometeu 20 caçambas de pedra para cada bairro.

Na manhã desta quarta, foi realizada uma sessão de rotina na Câmara de Vereadores. Os moradores não foram autorizados a entrar para evitar aglomeração, mas pediram apoio dos vereadores.

PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) instaurou um procedimento administrativo para levantar a situação dos licenciamentos ambientais da Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba), responsável pelo porto de Ilhéus.

Um estudo feito em 2007, pelo Ministério do Meio Ambiente e pelo município, aponta que a construção do porto é responsável pelo avanço da maré, causando impactos social, econômico e ambiental em São Miguel e São Domingos.

Por meio de nota, a Companhia das Docas da Bahia (Codeba) esclareceu que existe uma ação civil pública de 2010 sobre o caso, que ainda aguarda a conclusão. No processo, não há estudo que comprove a influência da construção do porto e a responsabilidade da Codeba, e aguarda um estudo técnico da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Do G1.

Central do Malhado será reaberta nesta domingo
Tempo de leitura: < 1 minuto

Sem adotar medidas efetivas para tentar evitar o aumento na disseminação de casos do novo coronavírus, o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, anunciou neste sábado (2), que a Central de Abastecimento do Malhado será reaberta neste domingo (3). O anúncio ocorreu pouco tempo depois de um protesto de feirantes, que exigiram o funcionamento da feira.

“Amanhã [domingo, 3 de maio], com muito trabalho, com muita luta, atendendo todas as necessidades da Vigilância Sanitária para os cuidados da saúde do nosso cidadão e dos feirantes, estaremos reabrindo a Central de Abastecimento com toda a qualidade, com tudo tranquilo e também com toda a segurança em relação ao coronavírus, para o distanciamento e uso de máscaras. Isso é fundamental”, declarou o prefeito em vídeo publicado nas redes sociais.

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) informou que vai  disponibilizar, a partir da semana que vem, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os feirantes da Central de Abastecimento. Os comerciantes também serão contemplados com a doação de 150 novas barracas que a Prefeitura de Ilhéus viabiliza para a segurança e proteção de todos.

Foi iniciado na sexta (1º)  o cadastramento dos feirantes para o recebimento das barracas e organização do espaço da feira do Malhado. De acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia, o local só deveria ser reaberto depois que fosse reformulada a distribuição das barracas.

A Central de Abastecimento do Malhado interditada pelo Estado para evitar aglomerações e porque os feirantes não possuíam equipamentos de segurança e o distanciamento mínimo não era respeitado. A interdição, conforme a Vigilância Epidemiológica da Bahia, foi para evitar o aumento de casos do novo coronavírus por transmissão comunitária da doença.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Moradores de Itacaré protestaram contra a obra

O desembargador José Cícero Landin Neto, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), indeferiu recurso da empresa SVEA Empreeendimentos Imobiliários Ltda e manteve suspensas as obras de construção do restaurante ‘Beach Bar’ na Praia do Resende, em Itacaré. A empresa havia recorrido da sentença judicial de primeira instância em favor do pedido feito pelo Ministério Público da Bahia. O promotor de justiça Thomás Brito, autor da ação, foi notificado da decisão na segunda-feira (27).

O desembargador endossou a decisão do juiz Alysson Floriano que, acolhendo argumentos do MP-BA, apontou para a ausência de requisitos legais para realização da obra. Segundo a ação, o empreendimento de 152 metros quadrados não é apenas um quiosque, mas sim um bar/restaurante que seria instalado em local considerado Zona de Proteção Visual, o que contraria lei municipal.

Para promotor de justiça Thomás Brito,até poderia ser autorizada qualquer construção no local, desde que se tratasse de um equipamento para apoio à visitação, como mirantes e quiosques e que houvesse prévio estudo de impacto ambiental e visual, garantida a realização de audiência pública. Conforme a decisão, não houve no processo de licenciamento, em afronta à legislação municipal, prévia realização desse estudo, tampouco de Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e de Relatório de Impacto Ambiental (Rima).

Tempo de leitura: 2 minutos
BA-001 é bloqueada por tupinambás em Ilhéus || Foto Solon Cerqueira/Pimenta

Desde as primeiras horas desta quinta-feira (31), indígenas da tripo tupinambá bloqueiam trecho da BA-001 em Olivença e Águas de Olivença, Ilhéus. Eles reivindicam a demarcação de terras e a colocação de, ao menos, cinco quebra-molas no trecho da região de Águas de Olivença, ao sul de Ilhéus. Policiais militares chegaram ao local por volta das 7h30min.

Taguari cobra segurança no trânsito e demarcação || Foto Solon Cerqueira/Pimenta

De acordo com Taguari Tupinambá, a colocação de quebra-molas poderá evitar novas mortes por acidente de trânsito no trecho. Nos últimos 15 dias, dois indígenas morreram atropelados na região em frente ao Condomínio Águas e Olivença, vizinho à Aldeia Itapuã.

O líder indígena explicou que a mobilização desta quinta é parte do dia de mobilizações dos povos indígenas em todo o País. “Estamos revindicando e protestando contra os danos que a BA-001 vem trazendo aos indígenas. Queremos a colocação de cinco quebra-molas para que a gente possa ter mais tranquilidade quando nossos filhos descerem da aldeia para Águas de Olivença”, afirmou ele ao PIMENTA, observando que nem faixa de pedestre existe no local.

Tupinambás prometem liberar rodovia só após negociação || Foto Solon Cerqueira/Pimenta

O último acidente ocorreu há cerca de uma semana, quando um veículo a cerca de 140 quilômetros por hora atropelou um tupinambá que voltava da pesca na praia na região de Águas de Olivença. A promessa é de liberar a pista somente após a presença de representantes do governo estadual, que garantam a sinalização da rodovia.

Polícia Militar já chegou ao local do protesto || Foto Solon Cerqueira/Pimenta

“Não é só pra nós, indígenas. Todos aqui precisam de segurança [no trânsito]”, reforça. “Já chega de morte nesse lugar. A gente já perde vida com a demarcação de terras. O estado brasileiro tem dívida com os povos indígenas”.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Estudantes ocupam campus do If Baiano|| Fotomontagem TV Santa Cruz

Estudantes do Instituto Federal Baiano (IF Baiano) ocupam o campus da instituição em Uruçuca desde a quarta-feira (12). Eles protestam contra o atraso no pagamento do auxílio alimentação e por causa da quantidade insuficiente da comida oferecida pela instituição.
Os estudantes alegam, ainda, que a algumas áreas do campus estão com a estrutura ruim para o desempenho das atividades recreativas. É o caso, segundo eles, da quadra de esportes, que tem ferros expostos. Apenas duas, das três disponíveis, são usadas. O estudantes reclamam, ainda, que os materiais usados para a prática de esportes são levados por eles.

O OUTRO LADO
Em nota, a assessoria do IF Baiano informou que o pagamento do auxílio alimentação que estava atrasado já foi feito. Além disso, explicou que as refeições são oferecidas, de segunda à sexta-feira, e café e almoço no sábado.
Ainda conforme o IF Baiano, o aumento da demanda no consumo das refeições é pontual e a instituição busca resolver de forma imediata a situação.
Sobre a quadra e os equipamentos esportivos, o IF Baiano disse que o Núcleo de Esportes e Lazer da Reitoria já realizou um estudo para definir a demanda e está providenciando a solução, contudo, o IF Uruçuca já tem adotado providências. Com G1-BA.

Tempo de leitura: 2 minutos

Camelôs exibem cartazes com mensagens contra prefeito de Itabuna || Reprodução

Cerca de 40 camelôs da Praça Adami fazem protesto, no plenário da Câmara de Vereadores, contra o prefeito Fernando Gomes. Os ambulantes são contrários à cobrança de taxa e à transferência da praça para um imóvel na Avenida Inácio Tosta Filho. Até há pouco, havia apenas sete vereadores no plenário, todos de oposição, aguardando a retomada das discussões sobre a mudança de regime jurídico de celetista para estatutário. Os camelôs se juntaram aos servidores municipais.
A mobilização dos camelôs contra a mudança começou por volta das 10h desta quarta (5), na Avenida do Cinquentenário, no centro, quando a avenida foi parcialmente interditada pelos ambulantes. A mudança da Praça Adami para o imóvel onde funcionava uma casa de bingos, em frente à agência dos Correios, foi anunciada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Jorge Vasconcelos, no início de agosto.
TAXA DE R$ 200,00
Numa entrevista ao PIMENTA, Vasconcelos disse que a mudança era parte das ações de reordenamento do comércio. De acordo com ele, havia proposta de cobrança de cerca de R$ 200,00 mensais de cada camelô para manutenção do imóvel, a título de condomínio.
O valor da taxa não foi fixado, mas os camelôs alegam que não têm como pagar o valor devido à provável queda nas vendas com a mudança de local. “Querem tirar a gente da Praça Adami para colocar numa avenida que não tem movimento forte e ainda cobrar por isso? Fica inviável pra gente, senhor!”, reagiu camelô que se deslocava, há pouco, da Praça Adami para a Câmara de Vereadores. Abaixo, confira vídeo da manifestação no plenário da Câmara. As imagens são de Andreyver Lima.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Protesto bloqueia vários trechos de duas rodovias federais na Bahia || Foto Ricardo Ribeiro

Caminhoneiros bloquearam vários trechos das BRs 324 e 116, na Bahia, em municípios como Feira de Santana, Vitória da Conquista e Itatim. O bloqueio na BR-116 em Itatim ocorre no quilômetro 521 (imagem acima). O protesto é liderado pela Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam).
Os caminhoneiros fazem manifestação em todo o país, desde o início da madrugada desta segunda-feira (21), contra os constantes reajustes do diesel e da carga de impostos que incide sobre o combustível.

Tempo de leitura: 2 minutos
Professores fecham pista para cobrar um terço de férias || Foto Beto Bahia

Os professores da rede municipal de educação de Itabuna decidem, em assembleia na próxima segunda-feira (5), se aceitam a proposta do governo de parcelar em duas vezes o pagamento de um terço de férias, que deveria ser quitado até o dia 17 de janeiro. Além do terço de férias, os trabalhadores se queixam de prejuízos com a retirada de gratificações, no ano passado.

Na manhã desta quinta-feira (1º), os professores protestaram em frente a uma casa de eventos, na Avenida JS. Pinheiro, no bairro Lomanto, onde está sendo realizada a XXX Jornada Pedagógica. Eles interditaram, por alguns minutos, as uma das pistas.

O governo municipal alega que o pagamento do terço de férias não foi feito no prazo porque o repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação não é suficiente para quitar a folha dos trabalhadores da área. “Por isso fizemos a proposta de pagar o terço de férias em duas parcelas. A primeira no dia 15 de março e outra em abril”, explicou a secretária de Educação Anorina Lima.

De acordo a Secretaria de Educação, para o ano letivo de 2018, o município disponibilizou 20 mil vagas em 93 escolas nas zonas rural e urbana, mas nem todas devem ser ocupadas. Um balanço mostra que até esta quinta foram feitas cerca de 17 mil matrículas. Itabuna conta com 1.350 professores.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Tarifa de ônibus passará a R$ 3,30 a partir de 8 de fevereiro || Foto Pimenta/Arquivo

Após criar frente contra o reajuste da passagem de ônibus em Itabuna, movimento integrado por estudantes secundaristas e universitários, trabalhadores e usuários do transporte anunciaram manifestação para a próxima terça (30), com saída da Praça Simão Fitermann, no São Caetano, a partir das 9h30min. A passagem custa R$ 2,85 e saltará para R$ 3,30 em 8 de fevereiro, conforme decreto assinado pelo prefeito Fernando Gomes.
Para os integrantes do movimento, não houve transparência nos critérios adotados pela prefeitura para autorizar o aumento. Antes de decretar reajuste de R$ 3,30, o município havia sinalizado que a tarifa justa seria R$ 3,00 (reveja aqui).
Antes, o Conselho Municipal de Transporte de Itabuna havia autorizado aumento para R$ 3,50. A frente de luta questiona, por exemplo, o voto dos representantes dos usuários e dos estudantes secundaristas a favor do reajuste de R$ 3,50.
As pressões contra o reajuste se intensificaram nos últimos dias e houve protesto dos estudantes e trabalhadores durante a Lavagem do Beco do Fuxico, na quinta (18). O movimento criou uma página no Facebook para as ações contra o reajuste. O endereço é www.facebook.com/contratarifa.itb. A promessa é de que os protestos contra o reajuste aumentem nos próximos dias anteriores ao aumento.

Tempo de leitura: 2 minutos

 

Protesto reuniu moradores afetados e autoridades locais || Foto Roberto Souza
Protesto reuniu moradores afetados e autoridades locais || Fotos PIMENTA
Proprietários de imóveis foram notificados na semana passada || Foto Pimenta
Proprietários de imóveis foram notificados na semana passada || Foto Pimenta

Donos de imóveis residenciais e comerciais ao longo da BA-262, trecho Ilhéus-Uruçuca,  fazem protesto em Uruçuca, nesta tarde e noite de quinta (3), contra uma ordem de desocupação das margens da rodovia estadual.

A ordem de desocupação é da Superintendência de Infraestrutura de Transporte da Bahia (SIT), da Secretaria de Infraestrutura do Estado. Na manifestação de hoje, a pista foi fechada, nos dois sentidos, com barricadas. Manifestantes atearam fogo em pneus e madeira para impedir a passagem de veículos na  rodovia. A ordem de desocupação é do Governo do Estado.

Quem reside ou tem comércio dentro da faixa de domínio da rodovia, foi notificado para deixar o local. O prazo concedido para desocupação foi curto. A decisão afeta dezenas de moradores e atinge negócios. A notificação de desocupação das margens da BA-262 foi entregue no último final de semana.

Manifestantes atearam fogo em barricada para fechar rodovia.
Manifestantes atearam fogo em barricada para fechar rodovia.

ESTRADA DO CHOCOLATE

O Governo do Estado alega que fará investimentos ao longo da BA-262 para executar o projeto Estrada do Chocolate, lançado pelo secretário estadual de Turista, José Alves, e o vice-governador João Leão, em julho, durante o Chocolat Bahia, em Ilhéus.

Por trás da orientação de desocupação das margens da pista, também está a ordem para futuros projetos ligados à Zona de Processamento e Exportação (ZPE) e Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).

A desocupação das faixas de dominío, medida legal, seria uma das formas de atrair os chineses. Os orientais já estiveram no Brasil em duas missões, a última delas no último dia 14 de julho, para definir investimentos no sul da Bahia. Do PIMENTA.