Rui Chapéu, lenda da sinuca mundial, faleceu neste sábado || Foto Divulgação
Tempo de leitura: < 1 minuto

Morreu na madrugada deste sábado (29) o lendário sinuquista brasileiro Rui Chapéu. Vitima de uma parada cardíaca. Grande nome da sinuca do país, Rui faleceu aos 76 anos, em São Paulo.

Baiano de Itabuna, José Rui de Mattos Amorim, o Rui Chapéu, nascido em 1940, ficou nacionalmente conhecido a partir de sua aparição no programa Show do Esporte, na Rede Bandeirantes, atração idealizada por Luciano do Valle.

Contratado pela Rede Bandeirantes em 1984, Rui Chapéu contribuiu para dar jogo de sinuca uma roupagem mais nobre, desmistificando a imagem de uma prática de malandros e desocupados, como a modalidade era considerada, a partir de sua participação em campeonatos transmitidos ao vivo pela televisão aberta, ao lado de outros nomes que se tornaram familiares aos brasileiros, como Roberto Carlos, Jesus e o inglês Steve Davis, campeão mundial por seis vezes. (com TTempo)

Tempo de leitura: < 1 minuto

Bombaim treinou com o mestre Rui Chapéu
Bombaim treinou com o mestre Rui Chapéu

O taquista itabunense Krishna Kumar, o “Bombaim”, corre atrás de patrocínio para participar do Torneio Interestadual de Sinuca, que será disputado de 17 a 19 deste mês, na cidade de Tabuleiro do Norte, Ceará.
Bombaim diz que teve um intenso período de treinamentos com o lendário Rui Chapéu, e pode absorver novos conhecimentos técnicos.
O taquista também se prepara para o Campeonato Baiano, que pode lhe garantir vaga na competição nacional da modalidade.

Tempo de leitura: < 1 minuto

bombaimO taquista itabunense Krishna Kumar, o Bombaim, de origem indiana, participa de competição estadual de sinuca programada para os dias 8 e 9, em Jequié. O torneio irá reunir 48 competidores de todo o Estado e Bombaim é o único representante do sul da Bahia.
Na preparação, o itabunense, que possui vários títulos dentro e fora da Bahia, treina três horas por dia com o técnico Ailton Pinho, o Jabá. Bombaim conta com apoio das empresas Cedep e Tarik Plaza Hotel.

Tempo de leitura: 2 minutos

A Itabuna campeã no futebol amador, o voleibol de grandes revelações, o handebol temido no interior baiano, o futsal competitivo… Esqueça tudo isso. Uma das principais potências do esporte baiano passa pela sua pior fase.
A prefeitura retirou o que existia de apoio a modalidades tradicionais e nos esportes individuais os atletas estão sendo obrigados a buscar apoio em outras praças.
Veja o caso do taquista Krishna Kumar, o Bombaim. Apesar de não treinar com material oficial – por falta de apoio -, ele lidera o ranking baiano deste esporte, conforme a Federação de Sinuca da Bahia (Fesiba). “Mesmo sem ter bolas oficiais para treinar,com muito esforço liderei o ranking baiano de 2010”.
Bombaim cansou de mendigar apoio na prefeitura de Itabuna e encontrar porta fechada. O reconhecimento vem de longe. O atleta recebeu proposta – e aceitou – para representar o município de Santo Amaro, a partir de 2011.  O município que revelou Rui Chapéu para o mundo da sinuca, vê mais um filho indo bater em outra porta.
Este é só um dos exemplos. Outro: Treinadores e atletas de handebol se juntaram para realizar a segunda edição do Master de Handebol em Itabuna, há quase quatro meses. Prepostos da prefeitura trabalharam para “melar” o evento interestadual. Vergonhoso. Mais um: o voleibol de tantas glórias praticamente não mais representa a cidade nas principais competições estaduais. Falta o mínimo de apoio. E a Vila Olímpica espaço para abrigar os “babas” dos amigos do rei.
Que é que há, Alcântara?
Que é que há, Azevedo?

Bombaim (à esquerda) vai representar Santo Amaro em 2011.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Bombaim, ao lado de Rui Chapéu, um mestre da sinuca

O taquista itabunense Krishna Kumar, o Bombaim, que possui ascendência indiana, será o único representante do sul do estado no Campeonato Brasileiro de Sinuca. A competição está agendada para acontecer de 25 a 28 de novembro, em Fortaleza.
Bombaim é atualmente o primeiro no ranking baiano de sinuca, sendo heptacampeão estadual. Na preparação para o campeonato brasileiro, o jogador treina diariamente por três horas no salão de sinuca do Grapiúna Tênis Clube, sob a orientação do técnico Ailton Pinho, o “Jabá”.