Tempo de leitura: 2 minutos
Gerson e Dadá investem na própria marca de chocolate (Foto Maurício Maron/Agência Sebrae).
Gerson e Dadá investem na própria marca de chocolate (Foto Maurício Maron/Agência Sebrae).

Renata Smith | Agência Sebrae

O casal Gerson Marques e Dadá Galdino é proprietário da Fazenda Yrerê, na zona rural de Ilhéus, no sul da Bahia. Integrada ao projeto do Sebrae Indústria Setorial Ilhéus – Derivados de Cacau, a propriedade é um case de sucesso no segmento do Turismo Rural. Na sede, os visitantes, a maioria de estrangeiros, são recepcionados pelos donos e por trabalhadores rurais. Em três horas, conhecem a história e o funcionamento da fazenda, degustam pratos típicos, ouvem ‘causos’ locais dos antigos coronéis de cacau e ainda visitam o maior orquidário da região.

Neste mês, os empresários lançam um novo produto para agregar valor a sua produção de cacau e oferecer mais um atrativo aos turistas: uma marca própria de chocolates finos feitos com amêndoas selecionadas e teor de 54% e 70% de cacau puro. O chocolate será produzido em parceria com o Instituto Cabruca e as primeiras unidades serão em barras de 80g e bombons de 12g.

Gerson Marques destaca que os chocolates de origem do Sul da Bahia estão ganhando o reconhecimento mundial e se tornando um bom e lucrativo negócio. “Os turistas antes chegavam perguntado por novelas. Hoje, a procura é por chocolates e vamos tê-los em nossa linha de produtos”, afirma.

Esta nova fase dos negócios também conta com o apoio do Sebrae, segundo o empresário. “Teremos uma consultoria para desenvolvimento do produto, envolvendo aspectos administrativos, financeiros e de marketing para a evolução da marca”.

O gestor do projeto Derivados do Cacau, Eduardo Andrade, destaca ainda que os empresários da Yrerê “conhecem bem o potencial do turismo rural e vivenciam a parceria com o Sebrae de forma criativa”.

De acordo com Dadá Galdino, “a nossa proposta é oferecer aos visitantes uma experiência única, provocando e estimulando seus sentidos, através da visão, paladar, olfato e audição em uma viagem diferente, uma experiência que vale para a vida inteira”.

DERIVADOS DE CACAU

O projeto Indústria Setorial Ilhéus – Derivados de Cacau atende a 40 micro e pequenas empresas do Sul da Bahia com ações subsidiadas em até 80% para suporte de gestão, tecnologia e mercado. O planejamento até 2018 apresentará, entre outros resultados, uma receita acumulada de R$ 1,8 milhão envolvendo os pequenos negócios na região.

Os interessados em conhecer mais sobre o projeto podem procurar o ponto de atendimento do Sebrae em Ilhéus, na Praça José Marcelino, nº 100, Centro, ou pelo telefone (73) 3634-4068.

0 resposta

  1. Que tentação!

    Hum! Que saudade dos meus doces tempos de infância e adolescência no meu doce Mutuns, uma tentação! Doces frutos de cacau, os meus doces papais produziam o chocolate caseiro para consumo próprio e o doce mel de cacau, que delicia! E deguste dos doces frutos! Hum!

    Olhando esta foto e vendo as doces frutas do cacau nesta bandeja, fico com água na boca e os meus pensamentos retrocedem no tempo e espaço da minha doce e indelével infância no meu doce Mutuns, inesquecível tentação.

  2. Parabens e sucesso aos dois, são livres da mentalidade coronelismo do cacau e são hoje empreendedores a ser seguidos e assim a região votará a ser um grande polo produtivo.

  3. Estão no caminho certo. Ilhéus respira turismo, demorou mas as pessoas, por força da necessidade, vide vassoura de bruxa, perceberam que Ilhéus respira turismo. Avante Ilhéus.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *