O casal Victor e Leomara dá vida à dupla Pirulito e Paçoca
Tempo de leitura: < 1 minuto

O videoclipe da música “Parabéns” vai ser lançado nesta quinta-feira (2º) no canal da dupla Pirulito e Paçoca no Youtube. Hoje (30), em conversa por telefone, o casal itabunense que dá vida aos dois palhaços, Victor e Leomara, falou ao PIMENTA sobre as expectativas para a estreia da música autoral nas telinhas.

Victor Roberto Santiago de Jesus tinha 5 anos de experiência como animador de festas quando Leomara Silva Oliveira criou Paçoca, em 2016. Desde então, trabalham juntos na linha de frente da animação de eventos, especialmente aniversários infantis.

A criançada também é o público-alvo das canções autorais dos palhaços: Hora de alegria, Piuí, A nave e Parabéns de Pirulito e Paçoca. Todas estão disponíveis nos serviços de streaming, a exemplo do Spotfy, além do Instagram. O Tik Tok é a rede social onde o casal tem mais seguidores, 12.300.

Pirulito e Paçoca também se aventuram num programa de humor no Youtube, como no episódio em que a dupla visitou um parque de diversões em Itabuna. Confira.

PRÉ-LANÇAMENTO PARA CONVIDADOS

O pré-lançamento do videoclipe será às 19h desta quarta-feira (1º), no espaço Belas Eventos, localizado na Avenida Juracy Magalhães. Segundo Leomara, o evento exclusivo para convidados foi uma forma de agradecer às pessoas que apoiam e patrocinam o trabalho da dupla.

O reconhecimento do público comove Victor. “As mães têm o prazer de gravar as crianças nos assistindo no Youtube e dançando, e depois nos mandam. Isso é muito gratificante”, disse.

Para Leomara, a produção audiovisual na internet também é uma maneira de levar alegria às crianças e às famílias de todo o mundo. “A gente quer poder passar para as pessoas a nossa arte de animação, de recreação, do palhaço, porque hoje a gente precisa muito de alegria e amor no mundo”.

Paulo Magalhães, o contramestre de capoeira angola "Sem Terra"
Tempo de leitura: 2 minutos

Paulo dedica-se à capoeira angola há 22 dos seus 41 anos e abriu um espaço para o ensino da modalidade em Ilhéus, no sul da Bahia. As aulas ocorrerão às terças e quintas-feiras, sempre às 19h, na academia A.rrisca, localizada no Jardim Pontal.

Jornalista, mestre em Ciências Sociais e doutor em Cultura, Paulo Andrade Magalhães Filho é um estudioso da arte-luta que pratica. Elementos significativos das suas pesquisas estão registrados nos livros Jogo de Discursos: a disputa por hegemonia na tradição da capoeira angola baiana e Capoeira da Bahia, histórias, territórios e trajetórias, que foi lançado na última quarta-feira (24).

Paulo nasceu em Ilhéus, mas teve seu primeiro contato com a capoeira na vizinha Itacaré, em 1989, com o mestre Jorge Rasta, atual coordenador da Casa do Boneco, o Quilombo D’Oiti. Dez anos depois, foi morar em Belo Horizonte para estudar Comunicação Social na UFMG e passou a treinar com o professor Murcego, então aluno do mestre Zé Paulo, do Grupo Raízes – Cordão de Ouro.

“CONVERSÃO”

Ainda em Minas Gerais, Paulo Magalhães acompanhou Murcego no que chama de “conversão à capoeira angola”, iniciados pelo mestre João Bosco. Segundo o ilheense, esse é o estilo mais tradicional de capoeira, com ritmo mais compassado. “É um diálogo corporal de perguntas e respostas. Jogo, dança, luta, ritual, a capoeira angola potencializa condicionamento físico, autocontrole, musicalidade, além de uma conexão mais profunda com nossas raízes culturais, e pode ser praticada por pessoas de todas as idades”, acrescentou.

De volta à Bahia, Paulo treinou com o mestre Virgílio, lenda viva da Associação de Capoeira Angola Mucumbo, de Ilhéus. Há cinco anos, formou-se contramestre de capoeira angola pelas mãos do mestre Pelé da Bomba.

O apelido é um dos símbolos importantes do universo cultural da capoeira. O de Paulo é Sem Terra. Ganhou a alcunha em 2007, como referência à militância no núcleo de comunicação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Nêgamanda avança em mais uma fase do "The Voice Brasil", da Rede Globo || Reprodução
Tempo de leitura: < 1 minuto

A itabunense Nêgamanda superou o nervosismo inicial na noite de batalhas no The Voice Brasil desta terça-feira (23), para encantar os técnicos e avançar à próxima fase do reality da Rede Globo.

A cantora itabunense interpretou Mas que nada, de Jorge Ben Jor, em batalha com Milla Paz, que também avançou com o “peguei” do técnico Michel Teló.

Na apresentação, a cantora Iza rasgou elogios a Nêgamanda. “Você é um acontecimento. Eu te acho incrível. Sua voz é forte e suave na medida certa. Você é muito inteligente e elegante interpretando”, disse Iza, que observou o nervosismo inicial da candidata, vencido quando “foi soltando seu corpo”.

VOZES GIGANTES

Carlinhos Brown deveria decidir a vencedora da batalha. “Milla Paz e Nêgamanda têm por tradição a elegância vocal”, observou o técnico. A dupla compunha o time de Brown. Na hora de decidir… “Estou diante de pessoas gigantes”, reforçou. “Essa [escolha] foi difícil. “Esse é um programa onde as vozes são apresentadas ao público. Minha escolha, hoje, é Nêgamanda”.

Após o show da noite, Nêgamanda, a vencedora da batalha, fez os agradecimentos. “Muito emocionante estar aqui. Eu só quero agradecer a oportunidade mais uma vez. Vou me dedicar a ser um instrumento da música”, disse a itabunense. Confira um pouco mais da apresentação.

Retorno do Cola na Manu tem duas atrações de peso no cenário baiano
Tempo de leitura: < 1 minuto

Harmonia do Samba e Filhos de Jorge serão as atrações da primeira edição de grande porte do Cola na Manu no Comando em Itabuna. A festa será em 18 de dezembro, no Bairro São judas, e ainda terá como terceira atração a banda ilheense Via de Acesso.

– Estamos preparando um retorno lindo. A pedida é ao menos uma peça de roupa branca, para atrair as melhores energias para o ano que está chegando – afirmou Manu Berbert, empresária e dona da marca que trouxe para Itabuna, em 2019, Dorgival Dantas.

Os ingressos para o Cola Na Manu No Comando estão à venda na Bigodon Barbearia Pub, em Itabuna, e no Stand do Karioca, em Ilhéus. Todos os detalhes do evento podem ser acompanhados na página oficial no Instagram.

Targino Gondim é principal atração de esquenta para festival de forró em Itacaré
Tempo de leitura: < 1 minuto

O forró ditará o ritmo do Feriadão da Proclamação da República em Itacaré, no sul da Bahia, com atrações como Targino Gondim, Flor Serena e Trio Marinês, pelas ruas da Pituba. O Esquenta Festival de Forró leva o arrastão da Rural Elétrica para a rua sempre a partir das 20h no sábado e no domingo (13 e 14). O esquenta do festival é promovido pela Prefeitura de Itacaré.

Além de Targino Gondim, nome garantido em todas as edições do Festival, o Esquenta reunirá Flor Serena, Trio Marinês, Rafael Zalela e Os Três da Bahia, Marlon Moreira e Trio Baianado, Marcos Abaga, Natureza e o Forró da Bahia e Aram e Os Bahiunos.

O prefeito Antônio de Anízio diz que o evento, além de promover o lazer e o entretenimento, atrai turistas para a cidade e resgata o melhor do forró nordestino. Durante a festa, também rola campanha de prevenção contra a Covid-19, orientando os participantes para a necessidade de usar máscaras e álcool em gel 70%.

PROGRAMAÇÃO

De acordo com a programação, no sábado (13) se apresentam Targino Gondim, Flor Serena, Trio Marinês, Marlon Moreira e Trio Baianado e Aram e Os Bahiunos. Já no domingo (14), apresentam-se na Rural Elétrica Targino Gondim, Flor Serena, Marcos Abaga – Meu Nobre, Rafael Zalela e Os Três da Bahia e Natureza e Forró da Bahia.

Ouça faixa por faixa de "Preto sem açúcar"
Tempo de leitura: < 1 minuto

OQuadro lançou “Preto sem açúcar”, seu terceiro álbum, nos primeiros minutos desta sexta-feira (5). Produzido pela Isé Música Criativa, o disco já está disponível em todas as plataformas de streaming, além do canal da banda no Youtube.

A lista de participações especiais inclui Jorge Du Peixe, Ellen Oléria, Xênia França, Vanessa Melo, Russo Passapusso e outros nomes consagrados da música brasileira. BillyFat, expoente da nova geração do rap de Ilhéus, Terra Natal d’OQuadro, marca presença na faixa Campo Minado junto com o Cronista do Morro.

“Preto sem açúcar” ainda marca a volta do MC Rans Spectro – e sua lírica corrosiva – à linha de frente da banda. Ouça.







Leia Mais

Nêgamanda arrebata técnicos em audição às cegas do The Voice Brasil 21 || Reprodução
Tempo de leitura: < 1 minuto

A cantora itabunense Nêgamanda arrebatou os técnicos do The Voice Brasil (Rede Globo) na penúltima noite de Audições às Cegas, nesta terça-feira (2) em seu retorno ao reality musical.

Ao entoar Killing me softly with his song, Amanda conseguiu, nos primeiros segundos, que todos os técnicos virassem. Carlinhos Brown, Cláudia Leitte, Iza e Lulu Santos.

Foi a redenção de quem persistiu.

Há exatos oito anos, no programa que foi ao ar em 31 de outubro de 2013, Nêgamanda, que ainda assinava artisticamente como Amanda Chaves, não conseguiu avançar no programa nem obteve a aprovação dos técnicos, dentre eles Cláudia Leitte, ainda hoje no reality.

Confira um pouco da participação de Amada na noite de ontem e a reação imediata dos técnicos

“Esse 13 com 31 significa um amalgama de sorte. Você se preparou para este momento”, destacou Brown para Nêgamanda quando ela disse que esteve lá em 2013 e hoje tem 31 anos.

“Você tomou a melodia para você. E, com autoridade e instinto musical, tudo que você fez deu certo”, afirmou Lulu Santos.

Na hora de escolher o técnico, Nêgamanda fez referência as suas origens e ficou com Carlinhos Brown. Há pouco mais de três, outro músico itabunense fazia história no The Voice Brasil, o instrumentista David Nascimento (relembre aqui).

Festiva de Dança Itacaré está com inscrições abertas para oficinas
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Edição IX do Festival de Dança Itacaré está com inscrições abertas para oficinas, palestras e rodas de conversas, que serão realizadas entre os próximos dias 8 e 14 deste mês de novembro. O evento ainda contemplará o lançamento do documentário “Tenho ouvido pra dançar, danças filmadas e performances gravadas”.

As atividades são gratuitas e as vagas limitadas. Por isso, os interessados devem garantir a participação por meio da plataforma Sympla. Os detalhes sobre dias e horários das atividades que serão realizadas entre os dias 8 e 13, bem como os currículos dos profissionais que irão conduzi-las, estão disponíveis no site festivaldedancaitacare.com.br/ANO-IX/.

As oficinas previstas são: Mito Pessoal e Mistério do Inconsciente, com Tânia Bispo; Corpo-cidade-casa: habitar a si para habitar o mundo, com Fabiana Dultra Britto, Clara Passaro, Dilton Lopes de Almeida Júnior, Gábe Maria Pires dos Santos, Júlia Domínguez, Maria Eduarda Azevedo e Rafaela Lino Izeli; e Estéticas plurais: a diáspora em movimento, com Soraya Martins.

CONVERSAS COM GRUPOS

O Festival de Dança Itacaré promoverá conversas com grupos e profissionais diversos. A primeira será Roda de Conversa – BTCA 40 anos, com Mônica Nascimento, Fernanda Santana, Paullo Fonseca e a diretora artística do BTCA, Ana Paula Bouzas. A segunda será Centro de Formação em Artes: Por Uma Política Formativa Afrodiaspórica.

Os convidados serão Jacson do Espírito Santo, diretor do CFA, e Márcio Fidélis, professor do Curso Técnico em Dança da Funceb. Já o último bate-papo, Processos Criativos – Performances Gravadas, reunirá os artistas Letícia Sekito, Felipe Lwe, João Rafael Neto e Giltanei Amorim.

O projeto Festival de Dança Itacaré tem apoio financeiro do Governo do Estado, por meio do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

Karol e Márcia Mascarenhas comandam podcast da Cia da Esbórnia
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Cia Esbórnia de Teatro entra no universo do podcast e estreia seu canal História Rimada, adaptando contos populares para a literatura de cordel. O lançamento será neste domingo (31), às 17h, após uma live no Instagram @cia.esbornia. O público poderá conferir o áudio no Spotify e sua versão legendada no canal do YouTube do grupo. Pegando carona no clima de Halloween, o primeiro episódio será “A menina enterrada viva”. A classificação é livre.

A ideia para o História Rimada surgiu das atrizes Márcia Mascarenhas e Karoline Vital, que trabalharam juntas no projeto de contação de histórias on-line Caminhos Indígenas em Cordel, também da Cia Esbórnia de Teatro. Dessa vez no lugar de lendas de povos tradicionais, serão adaptados para a literatura de cordel contos populares brasileiros.

O texto do episódio A menina enterrada viva foi adaptado para a literatura de cordel por Márcia Mascarenhas e revisado por Karoline Vital, que também assume a edição do podcast. A trilha sonora original foi composta pelo diretor musical Danilo Nascimento, que também participou do projeto Caminhos Indígenas em Cordel.

live de lançamento do podcast vem com o título de A bruxa tá solta na Esbórnia. A transmissão gratuita no Instagram @cia.esbornia contará com membros do grupo de teatro, convidados e participação do público, que poderá compartilhar sua história de halloween ao vivo.

Atriz Neusa Borges ganha maior honraria da cultura catarinense
Tempo de leitura: 2 minutos

A atriz Neusa Borges receberá a Medalha Cruz e Sousa, na próxima sexta-feira (22), em cerimônia na Casa do Olodum, no Pelourinho, em Salvador. A medalha será entregue pelo presidente da Fundação Catarinense de Cultura, Edinho Lemos, às 10h30min. A entrega simbólica da honraria ocorreu em cerimônia virtual em novembro de 2020, devido à pandemia de covid-19.

Nascida em Florianópolis, no dia 8 de março de 1941, Neusa Maria da Silva Borges começou a carreira como atriz e crooner de orquestra em São Paulo, onde trabalhou com grandes maestros, como Clóvis Lima e Salgado Filho, sempre cantando e dançando.

A estreia na televisão ocorreu na telenovela Venha ver o sol na estrada, na TV Record. No começo da carreira, atuou ainda em Beto Rockfeller, na extinta Rede Tupi, fazendo pequenas participações, até chegar à Rede Globo, onde fez novelas de sucesso, como Escrava Isaura, Dona Xepa, Dancin’ Days, A IndomadaDe Corpo e Alma, O Clone, Caminho das Índias, Amazônia, América e Salve Jorge, além de Carmem, na extinta Rede Manchete.

A Medalha Cruz e Sousa é a maior honraria da área cultural de Santa Catarina. Foi criada em 1994, por meio do decreto nº 4892/94, e tem como objetivo reconhecer importantes feitos em prol do desenvolvimento cultural do Estado.

BOLSHOI, OLUDUM E INSTITUTO LIBERDADE FIRMAM TERMO DE COOPERAÇÃO

Na sequência, às 11h30min, será assinado o Termo de Cooperação entre Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, Olodum e Instituto Liberdade, com apoio institucional da FCC. O documento visa à realização do espetáculo Bolshoi/Olodum, em março de 2022, na cabeceira continental da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis. O evento será feito por meio de projeto aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura, do Governo Federal, e já está em captação. O Governo do Estado de Santa Catarina apoia o espetáculo.

Em 2018, o Olodum e o Instituto Liberdade assinaram um convênio para a instalação da unidade da Escola Olodum em Santa Catarina, a única fora da Bahia. Depois de implantada, a unidade vai atender 800 crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social, no contraturno escolar. A Escola Olodum em Santa Catarina está em obras e vai funcionar no antigo terminal de ônibus no bairro Jardim Atlântico, região continental da capital catarinense.

Ciranda é palco de intervenções artísticas em praça de Ilhéus || Reprodução/Facebook
Tempo de leitura: < 1 minuto

O projeto Ciranda, Ilhéus na Praça será retomado a partir das 17h do próximo sábado (23), mais de 18 meses após sua última edição. Conforme a Prefeitura, que apoia a iniciativa, as atividades comerciais e artísticas na Praça Antônio Vianna, no bairro Cidade Nova, vão acontecer de forma simplificada, respeitando as medidas de prevenção à covid-19.

A 27ª edição da Ciranda reúne as organizações não governamentais Filtro dos Sonhos, Organização Gongombira de Cultura e Cidadania e Coletivo Absorvendo, que coletará absorventes para doar às mulheres do Assentamento Itariri, comunidade na zona rural de Ilhéus.

Festival Sabores de Itacaré reúne chefs renomados || Foto Divulgação
Tempo de leitura: 2 minutos

Mistura de sabores, cores, magia, arte, agricultura familiar e aulas-shows com grandes nomes da gastronomia da Bahia, o Festival Sabores de Itacaré, aberto na noite desta quinta-feira(14), vai até o dia 24 de outubro. Neste ano, conta com a participação de mais de 40 estabelecimentos comerciais e mais de 40 pratos.

O tema escolhido foi Da Origem ao Prato, destacando a história de cada ingrediente e todo o processo de produção e preparo até chegar à mesa do cliente. A realização é da Prefeitura de Itacaré, por meio da Secretaria Municipal de Turismo, em parceria com o Governo da Bahia.

A abertura oficial foi na noite de quinta-feira, contando com a participação do prefeito Antônio de Anízio, do diretor-presidente da Companhia de Ação e Desenvolvimento Regional (CAR), Wilson Dias, do diretor da Bahiagás, Wenceslau Júnior, além de vereadores, secretários municipais e participantes do festival.

Prefeito e demais autoridades descerram fita de abertura do Festival

Durante a abertura do evento, o prefeito enfatizou que o festival tem peso para o turismo da cidade, gerando mais empregos, renda e desenvolvimento. Neste ano, segundo o prefeito, além de mostrar o potencial da culinária local, o festival ganhou alguns ingredientes a mais, com a valorização da agricultura familiar e com a Feira de Artesanato da Bahia.

GASTRONOMIA DE ITACARÉ

O secretário municipal de Turismo, José Alves, fez questão de ressaltar o potencial da gastronomia de Itacaré, que hoje é uma referência para toda a Bahia. O diretor-presidente da CAR, Wilson Dias, ressaltou a parceria firmada entre o Governo da Bahia e a Prefeitura de Itacaré, principalmente no fortalecimento da agricultura familiar e no potencial do Turismo de Base Comunitária.

Festival Sabores de Itacaré ocorre na região da Praça São Miguel

O Festival Sabores de Itacaré entra para sua 8ª edição com uma série de novidades. Além dos pratos do Festival Gastronômico, o evento conta com as já tradicionais aulas-shows na Praça São Miguel, com direito a degustação de porções dos pratos apresentados. A programação de aulas vai até domingo (17), a partir das 17h, com a participação de chefs renomados.

Cena de "Teodorico Majestade, as últimas horas de um prefeito" || Foto Kelson Souza
Tempo de leitura: 2 minutos

O Teatro Popular de Ilhéus ainda não realizou o sonho da casa própria, mas nunca esteve tão perto dele, assegura o dramaturgo Romualdo Lisboa, diretor da companhia. Entrevistado pelo PIMENTA, ele contou a história da doação do imóvel onde a sede do grupo será construída. Trata-se do terreno do antigo Clube Social do Pontal, na rua Coronel Pessoa, perto da praça São João Batista.

Durante uma edição do programa O Tabuleiro, o radialista Vila Nova lamentou o fato de o Teatro Popular de Ilhéus ainda não ter sua sede, apesar da trajetória de 25 anos. Um ouvinte da Ilhéus FM, que é filho de um dos sócios do clube, ligou para a emissora e sugeriu que o terreno no Pontal fosse doado ao grupo. Vila telefonou para o dramaturgo e o chamou para conhecer o espaço. “Uma imensidão, 1.300m² abandonados, no centro do Pontal, de uma rua a outra”, descreve Romualdo.

A princípio, quatro dos cinco sócios do clube fundado em 1947 hesitaram em fazer a doação, porque não conheciam a história do Teatro Popular de Ilhéus. A dívida do IPTU do imóvel não permitiu que ele fosse emprestado ao grupo no regime de comodato. Por fim, todos os sócios optaram por doar o terreno. A formalização do negócio jurídico está nos trâmites finais.

O dramaturgo e diretor Romualdo Lisboa

Segundo Romualdo, o Teatro recebeu ajuda da Prefeitura de Ilhéus para limpar a área, que não é utilizada há cerca de 30 anos. O grupo prepara o imóvel para receber cobertura, piso e banheiros novos. Com isso, pretende abrir as portas da casa em dezembro próximo.

Depois, em abril de 2022, o TPI iniciará a construção da sede definitiva, cujo projeto é concebido pelo arquiteto e urbanista Carl von Hauenschild. A obra será feita com metais usados em tubulações de petróleo. “A estrutura será toda metálica, reaproveitando tubos da Petrobras, que a empresa usa para fazer bombeamento de petróleo. Eles têm um tempo de vida útil pequeno para a empresa, mas podem ser reaproveitados na construção civil’, explica Romualdo.

O grupo vai recorrer a diversas formas de financiamento para tirar o projeto do papel. “O Teatro Popular de Ilhéus é uma OS [Organização Social] e tem toda a estrutura administrativa, contábil, financeira, que permite captar emendas parlamentares, captar direto com o poder público. Isso é bacana, porque a gente mantém a instituição sempre organizada para ter acesso a recursos públicos e privados”, disse o diretor.

Terceiro parecer contrário ao projeto foi publicado nesta quinta-feira (14)
Tempo de leitura: < 1 minuto

O governo Bolsonaro emitiu, na tarde de quinta (14), um terceiro parecer contrário ao Festival Jazz do Capão, na Bahia, que busca recursos da Lei Rouanet. Desta vez, ele é assinado pelo presidente da Funarte, Tamoio Marcondes.

O novo parecer vem em resposta à intimação da Justiça Federal da Bahia que pedia que a Secretaria Especial da Cultura e a Funarte comprovassem o cumprimento de decisão, de agosto, para reanálise do projeto do evento.

O festival, que está em sua nona edição, havia pedido autorização para captar R$ 147.290. As informações são da coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo; leia a íntegra aqui.

Durval Caldas, crooner da banda, teve a ideia de reunir os músicos nos 50 anos da Mach Five || Foto Tetê Marques
Tempo de leitura: 2 minutos

Uma das bandas de baile de maior sucesso da Bahia nos anos 1980 e 1990, a Mach Five estará de volta. Músicos vão se reunir para o show Vivo no Coração, uma homenagem póstuma ao empresário da banda, Italmar Meireles, e celebração dos 50 anos do conjunto. Será no dia 6 de novembro, na AABB de Valença. O ingresso custará R$ 50,00.

A Mach Five foi uma das bandas de baile mais bem-sucedidas de todos os tempos na Bahia, com repertório romântico e dançante, formado por sucessos de Stevie Wonder, Paul McCartney, Phill Collins, Djavan, Jovem Guarda e sambas, entre outros.

As apresentações do conjunto pelo interior da Bahia, nas décadas de 1970 a meados de 1990, marcaram muitos fãs, que seguiam a caravana de shows pelas cidades, onde conheciam novas pessoa, namoraram e se casaram. Essa interação entre os músicos e fãs criou laços de amizade e afeto que perduram até os dias de hoje.

A Banda Mach Five arrastava multidões em carnavais e micaretas || Foto Arquivo/Micareta de Valença

O SHOW

Em 2021, o diretor musical e tecladista da Mach Five, Estevam, junto com o crooner e contrabaixista da banda, Durval Caldas, movidos pelo desejo do reencontro e atender amigos e fãs do conjunto, tiveram a ideia de promover show na cidade onde tudo começou.

“Por WhatsApp tivemos a brilhante ideia de reunir a coroada para fazer um encontro, com um emocionante baile na cidade de Valença, terra natal do conjunto musical”, conta Durval Caldas. “É a realização de um desejo antigo de nos reencontrarmos e também a oportunidade de colocar em cima do palco uma banda de peso, com músicos que têm uma bagagem profissional incrível”, completa.

Todos os integrantes da Mach Five em foto que será atualizada em novembro

O show Vivo no Coração reunirá integrantes da formação original do conjunto, composto por Estevam Souza (teclados), Durval Caldas (crooner), Jorge Time (crooner), Zé Tenaz (Bateria), Gilmar Santos e Railton Aquino (baixistas), Otacílio Lima (guitarrista), Clóvis Reis (trompete), Nonoge (trompete) e Escopeta (crooner e trombone).

A apresentação também contará com a participação dos músicos Estevinho Souza e Julio Caldas, que são filhos de alguns integrantes da banda e de outros componentes do passado e fundadores da banda de baile, como Valdei (guitarrista) e Ivan (trompetista).

SERVIÇO
Vivo no Coração, show de baile da Banda Mach Five
Quando: 6 de novembro (sábado)
Onde: Clube AABB de Valença
Ingressos: R$ 50 (com direito a camisa)
Mais informações: 75 99966-7618 (Nonoge)/ 75 98879-3090 (Topo Gigio)/ 75 99930-8035 (Otávio Mota)