Tharciso é indiciado por homicídio doloso
Tempo de leitura: < 1 minuto

O empresário Tharciso Romeiro Aguiar, de 38 anos, que dirigia o carro que atropelou e matou a dentista Ranitla Scaramussa Bonella, de 23 anos, no dia 11 de junho, em Ilhéus, foi indiciado, nesta quinta-feira (11), pelo crime de homicídio doloso (dolo eventual).

Ao encerrar as investigações, o delegado do Núcleo de Homicídios da Polícia Civil de Ilhéus, Helder Carvalhal de Almeida, entendeu que as provas produzidas comprovam a materialidade e a autoria do crime de homicídio com dolo eventual, que ocorre quando a pessoa não tem intenção de atingir determinado resultado, mas assume o risco de produzi-lo.

FALSO TESTEMUNHO

Durante o inquérito policial, duas testemunhas que prestaram depoimento com evidente objetivo de beneficiar Tharciso também foram indiciadas pelo crime de falso testemunho, previsto no artigo 342 do Código Penal. Leia mais no Radar 64.

Droga estava em embalagens com bandeira do Peru || Foto Blog Agravo
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Civil interceptou um carro onde dois homens transportavam três quilos de cocaína, nesta quarta-feira (10), em Ilhéus. A ação envolveu agentes do setor de inteligência da corporação. A dupla também estava com 165g de maconha no momento da abordagem.

A cocaína estava dividida em três tabletes, e as embalagens de dois deles tinham a bandeira do Peru, referência ao possível local de origem da droga.

Presos em flagrante, os suspeitos foram levados para a sede da 7ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin). Com informações do Blog Agravo.

Cédulas falsas apreendidas pela Polícia Federal || Reprodução/G1
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Federal prendeu um jovem de 18 anos em Ibirataia, no sul da Bahia, quando ele foi a um posto dos Correios para buscar remessa de dez cédulas falsas de R$ 100,00, nesta terça-feira (9).

A PF informou que a prisão faz parte de inquérito sobre falsificação e compra de moeda falsa, crimes com pena prevista de 3 a 12 anos de reclusão e multa. O jovem foi levado para a unidade da Polícia Federal em Ilhéus e, em seguida, encaminhado para Jequié, onde foi apresentado à Justiça Federal.

As investigações tentam identificar quem produziu o dinheiro falso e outras pessoas que o adquiriram. Informações do G1.

Ilheense quase foi morto em boate em Portugal
Tempo de leitura: 2 minutos

Um ilheense que mora em Portugal foi espancado junto com amigos venezuelanos após o grupo ser expulso de uma boate no país europeu. O caso foi relatado por Gislaine Rosa, esposa da vítima.

Douglas Rosa trabalha na área da construção civil e vive há três anos na cidade de Faro. Ele estava com a esposa e um grupo de amigos em uma boate da cidade para comemorar um aniversário, quando todos os homens do grupo foram agredidos.

“[Douglas e os amigos] Estavam bailando, dançando normal, quando, de repente, mais ou menos cinco minutos depois, entraram sete seguranças apontando para o meu companheiro e mais dois amigos nossos, dizendo ‘tira esse, tira esse, tira esse’. Aí começaram a tirar eles brutalmente dentro da discoteca”, relatou Gislaine Rosa, esposa de Douglas.

Ilheenses estão em Portugal há 3 anos || Fotos divulgação

Gislaine, que trabalha como auxiliar de cozinha e também é natural de Ilhéus, conversou com a equipe da TV Santa Cruz, afiliada da TV Bahia, e relatou detalhes do caso. Ela ainda disse que o marido não tinha condições de participar da entrevista por estar bastante machucado.

“Meu esposo levou uma paulada na cabeça, está com hematomas, vários pontos na cabeça. Meu amigo também levou um soco no olho, fraturou a parte de baixo do olho”, contou.

EXPULSOS A PONTAPÉS

A companheira do brasileiro afirmou que não houve motivo para que eles fossem retirados do local e, até então, não entende o que teria motivado as agressões.

“Começaram a empurrar com pontapés, jogaram na rua e dizendo: ‘Vão embora, sumam daqui, não queremos vocês aqui”, afirmou a esposa da vítima.

A auxiliar de cozinha contou que o caso aconteceu no sábado (6). Informou que a situação de saúde dos feridos foi tão grave que eles precisaram ser transferidos para uma emergência em Lisboa, pois, segundo ela, em Faro não há unidades de saúde que realizem alguns procedimentos cirúrgicos os quais os feridos necessitavam.

Gislaine disse também que a polícia foi chamada, mas ninguém foi preso. Um dos homens agredidos já prestou queixa na delegacia e ela disse que vai procurar o Consulado do Brasil, em Lisboa, para pedir auxílio jurídico.

ASSUSTADOS

“Estou só esperando meu esposo ficar bem e a gente ficar bem mentalmente, porque estamos bem abalados, assustados. Não é fácil, a gente nunca viveu isso no nosso país e chegar aqui para se deparar com isso, ainda mais com o segurança de um local que deveria dar a nossa segurança e não causar o que causaram”, desabafou.

Gislaine disse que apesar de estarem assustados com a violência que sofreram, não pensam em deixar Portugal e enxergam esse como um caso isolado de discriminação.

“Creio que esse momento não vai apagar tudo que eu vivi de bom. É um país que me proporcionou muitas coisas em três anos, já consegui conquistar muita coisa que no Brasil nunca consegui conquistar”, disse Gislaine.

Ela ainda revelou que não está com medo, nem receio do que possa acontecer caso leve o caso adiante na esfera policial. “Eu não vou ser mais um caso, eu vou ser o caso aqui. Vamos revolucionar Portugal porque isso não vai ficar assim, eu quero justiça”, disse. Com informações do portal G1-BA.

Segundo Emasa, crime não interrompeu serviço de saneamento
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Estação Elevatória de Esgoto 5 (ETE 5), no bairro Conceição, em Itabuna, teve toda a fiação das suas bombas de tratamento furtada, na madrugada de hoje (9). Apesar do prejuízo, o crime não comprometeu o funcionamento da unidade, conforme explica o gerente de Saneamento da Emasa, Tauan Sampaio.

“Todas estações possuem um desvio de direção antes da entrada em caso de interrupção repentina. Há bypass para a estação mais próxima. Com isso, o trabalho de bombeamento de esgoto para a lagoa de decantação do São Judas Tadeu ocorre normalmente, sem prejuízos para a população”, acrescenta o gerente.

BUSCAS

O furto é investigado pela Polícia Civil. De acordo com a Emasa, a Guarda Civil Municipal de Itabuna faz diligências para auxiliar a investigação policial. Além do ou dos autores do crime, a apuração tenta identificar receptadores do cobre dos fios.

A Emasa informou que levanta os custos para a implantação de segurança eletrônica em todas as estações elevatórias de água e esgoto, com objetivo de inibir a ação de criminosos.

Operação Sossego apreende paredões em Itabuna|| Foto Divulgação
Tempo de leitura: 2 minutos

No final de semana, a Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal tiveram muito trabalho no combate ao som abusivo em diferentes bairros de Itabuna. Uma das ocorrências foi registrada num Lava Jato, na Rua Felícia de Novaes, no bairro de Fátima. No estabelecimento comercial, uma festa de pagode foi encerrada durante a Operação Sossego.

Outra festa barulhenta encerrada por causa de som abusivo foi no Núcleo Habitacional da Ceplac, onde dois paredões estavam perturbando o sossego público. Antes da apreensão, uma equipe da Polícia Militar passou pelo local e orientou quanto ao som abusivo, mas logo após a saída da viatura o som ficou ainda mais alto.

Minutos depois, integrantes da Operação Sossego se deslocaram para o local. Além dos paredões, uma caixa de som foi apreendida. Os equipamentos estão no pátio da Guarda Civil Municipal. Os proprietários vão arcar com os custos do guincho e do pátio durante os dias em que os equipamentos permanecerem apreendidos.

Operação resulta em apreensão de equipamentos

Os acusados de descumprirem a lei, foram multados e devem responder a Processo Administrativo, inclusive respondendo junto ao Ministério Público da Bahia (MP-BA) a um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

PUNIÇÃO

Quem é autuado por abuso de equipamento sonoro responde na esfera administrativa a multa ambiental, que, segundo o Código Municipal de Meio Ambiente, pode variar entre R$ 150,00 e R$ 50.000,00, em caso de reincidência.

Ainda em conformidade ao Decreto nº 14.480, de 13 de junho 2022, os donos de equipamentos de som apreendidos pela Operação Sossego ou pelas forças de Segurança Pública (Polícia Militar e Polícia Civil) podem ser obrigados a pagar até 30 diárias de pátio, cada uma no valor de 1 Unidade Fiscal Municipal (UFM), no valor de R$ 140,64.

Porém, se o material não for retirado em 40 dias do pátio da GCM, de acordo com a Lei, a Secretaria de Segurança e Ordem Pública (Sesop) dará o perdimento do bem, que poderá ser doado ou destruído.

A ação da noite de ontem, coordenada pela Sesop, contou com a participação de equipes das Rondas Ostensivas (ROMU), do Grupamento de Proteção Ambiental (GOPA), da Guarda Civil Municipal (GCM) e guarnições da Polícia Militar e Polícia Civil, além de equipes de fiscalização das secretarias municipais de Indústria, Comércio, Emprego e Renda (Sicer) e da Agricultura e Meio Ambiente (Seagrima).

Caminhoneiro foi morto durante operação da Polícia Federal || Foto Henrique Mendes/G1 BA
Tempo de leitura: 2 minutos

O juiz federal Fábio Moreira Ramiro, da 2ª Vara Federal Criminal da Seção Judiciária da Bahia, absolveu o delegado da Polícia Federal Carlos Faria Júnior, da acusação de homicídio que vitimou o caminhoneiro Márcio Néris dos Santos. O magistrado  reconheceu que o réu não agiu com excesso doloso durante o exercício de legítima defesa ante a injusta e iminente agressão.

O caso teve origem na Operação Carga Pesada, em junho de 2015. De acordo com a Justiça Federal, o alto risco da operação e a periculosidade de seus alvos, que eram investigados pela prática de roubo de cargas e de homicídio, justificaram a convocação do Comando de Operações Táticas (COT) da Polícia Federal.

Durante a ação policial, Márcio Neris dos Santos, que se encontrava em sua residência, localizada no interior do edifício, em Salvador, foi alvejado com seis tiros. Os policiais estavam no prédio para o cumprimento de mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão, expedidos em desfavor de dois vizinhos da vítima, pai e filho, que residiam no mesmo condomínio.

MPF PEDIU A ABSOLVIÇÃO DO DELEGADO

Após os depoimentos colhidos das testemunhas de acusação e de defesa e o interrogatório do réu, o Ministério Público Federal (MPF), autor da ação, e a defesa pediram a absolvição do réu. Entenderam que o acusado não incorreu em excesso durante sua legítima defesa.  Entenderam ainda que a vítima empunhava arma de fogo direcionada à equipe de policiais, então chefiada pelo réu, delegado e integrante do COT da Polícia Federal. A denúncia do Ministério Público Federal era restrita à ocorrência do excesso doloso, o que foi afastado pelo juiz federal.

Ao analisar o caso, o juiz federal Fábio Ramiro consignou que o acusado, ora absolvido, repeliu injusta e iminente agressão da vítima. Para o magistrado, existia um cenário onde havia expectativa de confronto com pessoas perigosas, em uma operação de alto risco, quando, então, surgiu Márcio Neris dos Santos, com arma em punho, desobedecendo, diversas vezes, a ordem verbal do delegado e dos demais integrantes do grupo tático para neutralização do perigo, que seria baixar a arma e se entregar.

JUIZ ENTENDEU QUE NÃO HOUVE EXCESSO DE DOLO

Segundo o magistrado, o réu não agiu com excesso doloso, pelo contrário, ele atuou de acordo com a doutrina ensinada aos policiais do COT, como de resto aos demais policiais que atuam na Polícia Federal, usando moderadamente dos meios necessários para fazer cessar, naquele momento, a ameaça de agressão de Márcio Neris dos Santos, tal como preconiza a norma do art. 25 do CP, que estabelece os requisitos da legítima defesa.

Na época,  Viviane Bastos Souza Neris, contou que o marido estava de férias e em casa dormindo quando foi baleado pelos policiais. “Como vocês podem ver [apontou para cama que dividiam], o sangue está todo na cama. Não tem como ele ter reagido. Não precisa ser uma pessoa estudada para saber que o que eles fizeram foi errado. Não tem explicação”,  contou.

Foragido foi localizado por sistema de reconhecimento facial
Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesta quarta-feira (3), em Itabuna, a Polícia Militar prendeu um homem suspeito de estupro de vulnerável e alvo de mandado de prisão expedido pela Vara de Jurisdição Plena de Itacaré, cidade onde ele teria cometido o crime.

Ele foi localizado com auxílio do sistema de reconhecimento facial da Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SPP-BA). Conforme a pasta, só em Itabuna, essa foi a quarta prisão de pessoa foragida feita com o suporte da tecnologia e a 338ª em todo o estado.

Responsável pela prisão, uma equipe do 15º Batalhão da Polícia Militar levou o suspeito para a 6ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), onde sua identificação foi confirmada.

Na ação, bandido agrediu mulher || Imagem extraída de vídeo
Tempo de leitura: < 1 minuto

Câmeras de segurança registraram o momento em que uma mulher foi assaltada, na noite desta segunda-feira (1º), no Pontalzinho, em Itabuna. O crime foi cometido por uma dupla, que, aparentemente, se antecipou à passagem da vítima pela Travessa Monsenhor Moisés, por volta das 22h59min.

A ação durou menos de dois minutos e foi filmada a partir de duas perspectivas. No vídeo abaixo, é possível ver os dois bandidos chegando numa motocicleta. Um deles desce do veículo e corre na direção da rua ao lado, enquanto o outro o espera.

Na gravação feita no segundo ponto, o ladrão corre até uma esquina, onde aborda a mulher, que reage ao assalto com um grito de desespero. O criminoso puxa algo que parece ser a bolsa da vítima e a agride no rosto, antes de sair correndo de volta ao local onde o comparsa o aguardava. Assista.

Hércules foi atingido por tiro e encontrado na beira da estrada
Tempo de leitura: < 1 minuto

Hércules Souza Santos, de 22 anos, foi encontrado morto às margens da BR-101, na noite desta segunda-feira (1º). O corpo tinha marca de tiro e estava perto da motocicleta em que ele trafegava, no sentido Itajuípe-Itabuna.

As informações preliminares indicam que ele foi vítima de um assalto, mas não esclarecem em qual parte do corpo foi atingido pelo disparo.

Morador de Itajuípe, Hércules era estudante de Farmácia e trabalhava na farmácia do Hospital Manoel Novaes, em Itabuna. Mantenedora do hospital, a Santa Casa de Misericórdia de Itabuna emitiu nota de pesar pelo falecimento do jovem trabalhador.

Conforme a nota, Hércules era profissional exemplar e tinha futuro promissor na Santa Casa, onde ingressou em 2020 como estagiário. Dedicado, no início de 2022, foi promovido ao cargo de atendente. A direção da Santa Casa manifestou solidariedade aos familiares e amigos do jovem.

Apreensões foram feitas no último fim de semana
Tempo de leitura: 1 minuto

A Prefeitura de Itabuna divulgou balanço da Operação Sossego no último fim de semana, quando foram apreendidos cinco paredões e outros aparelhos de som em espaços públicos e privados, inclusive residências.

O trabalho foi coordenado pela Secretaria de Segurança e Ordem Pública (Sesop) e envolveu a Guarda Civil Municipal, o Grupamento de Proteção Ambiental (Gopa) e servidores das secretarias de Transporte e Trânsito (Settran); de Indústria, Comércio, Emprego e Renda (Sicer); e de Agricultura e Meio Ambiente. A Operação Sossego também mobilizou equipes da Polícia Militar e da Polícia Civil.

APREENSÕES TÊM AMPARO LEGAL, SEGUNDO PREFEITURA

De acordo com a Prefeitura de Itabuna, antes das apreensões, a Operação Sossego fez abordagens educativas e preventivas, e as medidas drásticas foram tomadas apenas nos casos reincidentes de abuso e perturbação do sossego alheio, que darão base a processos administrativos na Sesop e, eventualmente, na esfera criminal.

A Operação Sossego, segundo a Prefeitura, tem amparo no Decreto Municipal nº 14.480/2022, no Código de Postura do Município (Lei nº 1.331/1985 e no Código Ambiental de Itabuna (Lei nº2.195/2011).

Força-tarefa é amparada pela legislação, segundo Prefeitura

A força-tarefa também cumpre obrigação assumida pelo município junto ao Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), por meio de Termo de Ajuste de Conduta (TAC), no curso de uma Ação Civil Pública. O instrumento conciliatório também obrigou o município a criar, organizar, manter e adotar procedimentos de emissão e utilização de Alvará de Sonoridade.

Polícia Civil cumpre mandado de prisão contra líder religioso
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira (27), o pastor de uma igreja de Jacobina, no norte da Bahia, suspeito de abuso sexual contra duas adolescentes da comunidade religiosa liderada por ele. O mandado de prisão foi cumprido por policiais da 16ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin).

As mães das adolescentes denunciaram o pastor em abril. Segundo a denúncia, a violência sexual foi cometida quando as garotas estavam na casa do suspeito, em fevereiro passado.

Para o delegado Antônio Eduardo Brito, coordenador da 16ª Coorpin, o homem se valeu da posição de liderança espiritual para cometer os abusos. “Ele se aproveitou da confiança das mães, pelo fato de ser um líder religioso, e cometeu os crimes. A prisão foi decretada esta semana, quando levantamos a sua localização e cumprimos o mandado”, complementou.

O homem está preso, à disposição da Justiça, e as vítimas foram encaminhadas para atendimento psicológico.

Cipe Cacaueira inaugura base em Santa Luzia
Tempo de leitura: < 1 minuto

Companhia Independente de Policiamento Especializado Cacaueira (Cipe) inaugurou, hoje (28), a sua base avançada em Santa Luzia, que também reforçará o policiamento em Arataca, Camacã, Itajú do Colônia, Jussari, Mascote e Pau Brasil, no sul do estado.

O ato contou com a presença do comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Paulo Coutinho. “Mais uma unidade que ajudará a combater a criminalidade e apoiará unidades ordinárias, não só na área urbana, mas, principalmente, nas zonas rurais”, assegurou o oficial.

ESTRUTURA

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, a compra do mobiliário e os reparos do imóvel da nova base custaram R$ 40 mil. Localizada no Centro de Santa Luzia, a unidade tem alojamentos, copa, sala de estar, banheiros, sala de tevê, quintal e garagem.

A base recebeu o nome do sargento da reserva João Selva, que atuou na Cipe Cacaueira. “Um profissional disciplinado que sempre honrou e se dedicou na missão de servir e proteger a sociedade”, declarou o comandante da especializada, major Fábio Rodrigo Silva.

Além de Santa Luzia, a Cipe Cacaueira tem bases avançadas em Ilhéus, Ituberá, Una, Coaraci e no distrito do Caubi. O município de Valença, em breve, também será receberá unidade da companhia.

Deyvid Oliveira Dantas (à esquerda) foi condenado pela morte do dentista Cleidson Cardoso
Deyvid Oliveira (à esquerda) foi condenado pela morte do dentista Cleidson Dias Cardoso (à direita)
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Tribunal do Júri da Comarca de Ibicaraí condenou, nesta quarta-feira (27), o motorista Deyvid Oliveira Dantas dos Santos pelo assassinato do dentista Cleidson Dias Cardoso, que tinha 31 anos na época que foi atingido com vários disparos de arma de fogo. Os jurados concordaram com as provas apresentadas pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) e condenaram o réu a cumprir 12 anos de prisão em regime fechado.

De acordo com as provas apresentadas, Deyvid Oliveira atirou em Cleidson Cardoso em julho de 2013. O crime ocorreu na porta da casa do dentista, quando ele retornava de uma festa, na madrugada do dia 8 de julho. Os jurados condenaram o  motorista por por homicídio duplamente qualificado e deve terminar de cumprir a pena no Conjunto Penal de Itabuna.

A Polícia Civil apurou que Cleidson Cardoso  foi surpreendido pelo assassino, no momento em que tentava entrar,pela garagem, na casa onde morava. A vítima tinha acabado de estacionar o carro quando foi atacada. O jovem chegou a ser levado, por vizinhos, para o Hospital Arlete Magalhaes, em Ibicaraí.

Deyvid Oliveira já cumpriu parte da pena. Ele foi detido em 2016, no Rio de Janeiro, depois de ficar três anos foragido; e recambiado para prisão em Itabuna, onde aguardou o julgamento.  A expectativa é que o Ministério Público da Bahia recorra para aumentar a pena que o réu deve cumprir.

Publicação de Juninho Espoliano no Instagram
Tempo de leitura: < 1 minuto

O influenciador digital Juninho Espoliano publicou vídeo em que aparece com a cabeça ensanguentada. Segundo ele, o ferimento foi causado por um golpe de cassetete desferido por um segurança da festa de aniversário de Ubaitaba, na noite desta terça-feira (26).

– Ele me empurrou e eu empurrei ele também. Fechei minha boca e vi o cassetete na cabeça. Isso é inveja, é ódio pelo meu crescimento, da minha vida pública. Entreguei ele nas mãos de Deus. Eu poderia hoje estar morto com uma pancada dessa na cabeça – declarou Juninho. Após a publicação no Instagram, o vídeo foi retirado da rede social.

A Prefeitura de Ubaitaba divulgou nota de esclarecimento sobre o caso, informando que abrirá sindicância para investigar a denúncia e tomar as providências cabíveis. No texto, a gestão municipal também lamentou a agressão e afirmou que nutri apreço por Juninho. Atualizado às 20h52min.