Carta aberta cita irregularidades e assédio no Simpi
Tempo de leitura: 3 minutos

Esquentou o clima no Simpi, entidade que representa cerca de 1,5 mil educadores da rede municipal de Itabuna. Parte das dirigentes do Sindicato rachou com a presidência da entidade e tornou pública a decisão em uma carta aberta. As dissidentes, na carta, fazem menção a irregularidades na prestação de contas e denunciam prática de assédio moral.

A carta aberta é subscrita pelas agora ex-diretoras Normagnolândia Guimarães Sant´Ana (Imprensa), Danielle Gomes (Jurídico) e Ionae Santos (Cultura), além da secretária Gillis Lisboa. “Não existe nenhuma possibilidade de seguirmos juntos, diante do cenário de descontentamento, desumanidade, massacre, humilhação e assédio moral, enfrentados nesta atual gestão, o que se agravou ainda mais nos últimos dias”, informam na carta aberta.

As diretoras e a secretária apontam irregularidades na prestação de contas de 2019 e afirmam discordar da forma como “as gestoras do fundo financeiro da entidade vêm conduzido e administrado esses recursos”. Na carta, as dirigentes não apontam as irregularidades, mas afirmam que elas constam em atas do Simpi. O site não conseguiu contatar a direção do Simpi para falar das denúncias. Abaixo, confira a íntegra da Carta Aberta.

CARTA ABERTA AOS PROFESSORXS DA REDE MUNICIPAL DE ITABUNA-BA

“PERMITIR UMA INJUSTIÇA, é abrir caminho para todas as outras que virão depois.”
Willy Brandt

Caros colegas e filiados ao Simpi! Todos nós, sem exceção, fomos surpreendidos, por uma pandemia que vem assolando a humanidade, antes mesmo de adentrarmos ao teor desta carta queremos desejar, proteção, força e esperança, a todos trabalhadorxs da educação grapiúna, bem como, às suas respectivas famílias, a todos nós, juntos venceremos esta batalha, com fé em Deus.

É com imensa tristeza que as diretoras subscritoras desta carta, vêm informar para esta categoria, que rompemos internamente. Não existe nenhuma possibilidade de seguirmos juntos, diante do cenário de descontentamento, desumanidade, massacre, humilhação e assédio moral, enfrentados nesta atual gestão, o que se agravou ainda mais nos últimos dias.

É sabido, por toda categoria, do nosso posicionamento na última assembleia de prestação de contas onde votamos contrárias e declaramos o voto; sim, porque não podemos concordar com a forma que as gestoras do fundo financeiro da entidade, vêm conduzindo e administrando esses recursos.

Repudiamos veementemente, os fatos ocorridos, relacionados às prestações de contas do ano de 2019, onde foram comprovadas irregularidades, já veiculadas por alguns professores, de amplo conhecimento na Rede Municipal e, para que não remanesça qualquer sombra de dúvidas, sugerimos inclusive, sejam disponibilizadas as atas internas, documento público, onde qualquer associado possa ter acesso ao seu conteúdo.

Não bastasse isso, funcionários, colaboradores e diretores (subscritores) vêm sofrendo assédio moral no ambiente de trabalho, somos monitorados por áudio e câmeras as quais são administradas por terceiros estranhos à relação de trabalho, que a revelia da nossa vontade, em flagrante desrespeito, por imposição unilateral, foram instaladas para “fiscalizar” o trabalho interno, sob a pseudo alegação de suposta “segurança”, o que não corresponde a verdade, de logo se diga, não estamos em um reality show, somos trabalhadores que merecem dentre outros pontos, seja garantida proteção à intimidade do trabalhador, Princípio albergado por nossa Constituição.

A nossa Entidade Sindical tem uma História de Luta, ética e moralidade, não pode ser manchada pela prática de tais comportamentos. Ora, o SIMPI está perdendo a sua essência, afinal, ele foi fundado com o firme propósito da DEFESA DOS DIREITOS DA SUA CATEGORIA. Ele é o nosso patrimônio maior, as pessoas passam, mas ele continuará cumprindo o seu papel institucional, com transparência, compromisso e responsabilidade.

Diante do acima exposto, finalizamos esta carta, com a alma lavada, por conseguirmos nestas linhas, partilhar com vocês as nossas angústias, inquietações e por fim comunicar da cisão ocorrida neste grupo.

Reiteramos nosso protesto de profundo respeito a esta categoria, nos colocamos à inteira disposição para maiores esclarecimentos.

Itabuna-Ba, 19 de maio de 2020

ATENCIOSAMENTE,

Normagnolandia Guimarães Sant`Ana (diretora da imprensa), Danielle Gomes (diretora do departamento jurídico), Gillis Lisboa (secretária) e Ionae Santos (diretora do dep. de cultura), Professoras da Rede Municipal de Itabuna-Ba

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.