Estudante do interior tirou nota máxima em redação no último Enem
Tempo de leitura: 2 minutos

O estudante Helder dos Santos Lima, 19 anos, do município baiano de Xique-Xique, está entre os 28 estudantes do país que conquistaram a nota 1000 na Redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Esta é a terceira vez que ele alcança bom desempenho na redação, o que já contribuiu para o seu ingresso no curso de Direito na Universidade Federal de Goiás.

Filho da professora Juliana, da rede municipal, e do porteiro Nilton, Helder é só orgulho dos pais por todo apoio que sempre deram a ele para estudar. “Venho de uma família simples em que poucos tiveram acesso ao estudo, mas, mesmo assim, sempre fui estimulado a estudar para garantir o melhor no meu futuro”, conta.

Estou muito feliz e grato, principalmente aos meus pais, Juliana e Nilton, que sempre me deram incentivo para eu atingir esta conquista. Tive uma boa base no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Xique-Xique, onde conclui o Ensino Médio, e atribuo a minha conquista também ao meu permanente interesse pelo conhecimento”, revela.

ROTINA DE ESTUDOS

Helder conta que, em 2018, passou a ter uma rígida rotina de estudos nos três turnos: pela manhã estudava Português e treinava redação, em casa; pela tarde frequentava as aulas do colégio; e à noite fazia o cursinho do UPT, programa do Governo do Estado da Bahia que se destina ao fortalecimento das aprendizagens e à preparação dos estudantes concluintes e egressos das redes públicas de ensino estadual e municipais para os processos seletivos de ingresso no Ensino Superior.

“Naquele ano, fiz o Enem pela primeira vez e alcancei 680 pontos na redação, passando em primeiro lugar no curso de Direito da Universidade Federal de Goiás. Em 2019, mesmo já tendo ingressado no Ensino Superior, continuei fazendo o Enem, quando tirei 880 na redação e, no ano passado, alcancei a nota máxima na redação”, celebrou.

Nascido em Xique-Xique, onde sempre morou, Helder também teve residência fixa em Gameleira do Assuruá, no município de Gentio do Ouro, onde estudou por todo o Ensino Fundamental. Já o 1° e 2° ano do Ensino Médio foram cursados no Colégio Estadual Maria Quitéria, localizado em Itajubaquara, outro distrito de Gentio do Ouro.

5 respostas

  1. Parabéns pelos seus esforços e a quem acredita na Escola Pública tendo muito interesse em aprender. Viva ao aluno da escola pública, viva à escola pública , viva nossos grandes mestres da escola pública, viva ao ensino da Bahia!

  2. Coisa que não entendo, pq colocou filho de porteiro ? Pq logo esse tema na reportagem?
    Quer dizer que não é normal um “filho de porteiro” ter sucesso em algo ? Só quem tem condições ou trabalha em outra coisa, de status maior, tirar nota alta ?
    Lixo esse tipo de tema para uma reportagem !!

  3. Seria mais interessante escrever “Aluno da escola pública tirou 1000 em redação.” Ser filho de porteiro não o torna menor cognitivamente. Mas sabemos o quão desafiador é ser egresso da escola pública e ter um desempenho tão maravilhoso no ENEM.

  4. Achei desnecessário esse tipo de tema pra essa reportagem! Só por ser filho de porteiro ele não poderia ter a inteligência de tirar uma boa nota? Parabéns para o Heldee! Que Deus abençoe 🙏.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *