Sidney Santos de Jesus foi vítima de infarto fulminante || Foto Reprodução/Facebook
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Movimento dos Povos de Terreiros de Ilhéus emitiu nota de pesar pelo falecimento de Sidney Alessandre Santos de Jesus, na manhã desta terça-feira (25), após sofrer infarto fulminante na casa onde morava, no bairro Nelson Costa, na zona sul da cidade. O Núcleo de Saúde do Renafro-Ilhéus também assina a nota.

Sidney tinha 46 anos e era bisneto de Percília da Costa Nascimento, a mãe de santo que introduziu o Candomblé de Angola no Pontal, nos idos da Segunda Grande Guerra. No Terreiro de Luando, Sidney Nirêcongo, seu nome de iniciado, dava continuidade à tradição que aprendeu com a bisavó. Ele era ogan, responsável por tocar os atabaques da casa.

Amigo do ogan, Marcello Souza Kavungêcy destacou o caráter generoso e amável de Sidney. “[Ele tinha] inúmeras qualidades. Quem o conheceu sabe o que estou tentando passar. Os N’gomas (atabaques) do Luando se calaram”, escreveu numa rede social.

O sindicalista Renilson Gomes, também bisneto de Mãe Percília, disse ao PIMENTA que Sidney era marinheiro de convés. Trabalhou na empresa fluminense Pan Marine Brasil até a aposentadoria precoce por causa da insuficiência renal crônica, condição que o obrigava a fazer três sessões de hemodiálise por semana.

O sepultamento do marinheiro será no Cemitério São João Batista, no Nelson Costa, na manhã desta quarta-feira (26).

Sidney Nirêcongo deixou a esposa Lewacy Maia, as filhas Náthilla, Nathiara e Gabriela e o silêncio dos atabaques do Terreiro de Luando. Atualizado.

Uma resposta

  1. Lamentavelmente perdemos um Pai , um amigo e irmão, e grande homen , obrigado meu primo pela contribuição de manter a nossas raízes vivas e eternizar a família Malungo Mônaco…..vai em paz

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.