Luís Miranda e Bolsonaro
Tempo de leitura: < 1 minuto

A jornalista Bela Megale informa, na sua coluna desta quarta-feira (30) no jornal O Globo, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi alertado sobre o histórico de gravações do deputado federal Luís Miranda (DEM-DF). Junto com o irmão, Luís Roberto Miranda, servidor efetivo do Ministério da Saúde, o deputado denunciou ao presidente as suspeitas de corrupção em torno da compra da vacina Covaxin pelo governo federal. O encontro aconteceu em março de 2021, no Palácio do Planalto.

A possibilidade de ter sido gravado pelos denunciantes atormenta Bolsonaro, que tem evitado declarações sobre o que foi dito pelos irmãos à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a gestão da pandemia de Covid-19. O presidente não contestou, por exemplo, a informação de que sabia que o suposto esquema de superfaturamento da compra da vacina pode ter as digitais do líder do seu governo na Câmara dos Deputados, o ex-ministro da Saúde Ricardo Barros (PP-PR).

Segundo Bela Megale, Luís Miranda teria sido flagrado tentando gravar reunião liderada pelo presidente da Câmara Federal, Arthur Lira (PP-AL), no dia 2 de fevereiro, logo depois da eleição para o comando da Casa, quando Lira destituiu da Mesa Diretora parlamentares de partidos que votaram contra ele.

Luís Miranda nega que tenha gravado Lira ou Bolsonaro. Já o seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde, preferiu não responder à colunista se gravou ou não a conversa com o presidente da República.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.