Leandro Troesch em foto com a companheira Shirley da Silva Figueredo || Reprodução/Instagram
Tempo de leitura: < 1 minuto

Exatamente um ano após a prisão por extorsão mediante sequestro, o empresário Leandro Silva Troesch foi encontrado morto com um tiro na cabeça. A polícia civil investiga as circunstâncias da morte do dono da pousada Paraíso Perdido, em Jaguaripe, no recôncavo baiano.

O corpo do empresário estava caído, dentro do estabelecimento. Policiais militares isolaram o local e acionaram a polícia técnica para perícia e remoção, informa o Correio24h. Acostumado com os holofotes e a vida glamourosa que levava na cidade de Jaguaripe, na região do Recôncavo Baiano, Leandro foi preso em fevereiro do ano passado, ao lado da companheira Shirley da Silva Figueredo (relembre aqui).

O casal estava dentro da pousada quando foi surpreendido pela polícia e, na época, a defesa lutava pela soltura, alegando prescrição do crime. Eles foram sentenciados pelos crimes de roubo e extorsão mediante sequestro contra a uma mulher em Salvador. O crime foi cometido em 2001.

Leandro e Shirley levavam uma vida normal, apesar de terem sido condenados em segunda instância pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), em 2010, a 14 e 9 anos de prisão, respectivamente, em regime fechado. Apesar disso, os dois estavam foragidos, mas viviam publicando fotos normalmente nas redes sociais.

Após a morte de Leandro, a pousada suspendeu todas as reservas feitas para o período de Carnaval, justificando apenas que houve um “gravíssimo acidente sofrido pelo proprietário”. Não há informações sobre como ficará a situação dos clientes.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.