"Chucky" no destaque teria determinado o assassinato de Agnaldo Felipe
Tempo de leitura: 2 minutos

Um homem acusado de balear nove pessoas, na Avenida Manoel Chaves, no bairro São Caetano, próximo a uma localidade conhecida como Gogó da Ema, em Itabuna, no sul da Bahia, foi condenado, nesta terça-feira (8), pelo tribunal júri. No julgamento de hoje, Lavosier Souza de Oliveira, de 26 anos, foi considerado autor dos disparos deflagrados na madrugada do dia 19 de agosto de 2018.

Lavosier Souza foi condenado pela tentativa de homicídio contra sete dos nove baleados. A maioria dos jurados acatou a tese do Ministério Público da Bahia de que o alvo do acusado era Agnaldo Felipe Silva Aguiar, que minutos antes do ataque teria recebido uma ameaça de Kaique Junior Assunção Nunes, o Chucky, morto dias depois da tentativa de chacina do bairro São Caetano. Chucky seria integrante de uma facção criminosa.

De acordo com a polícia, Lavosier Souza recebeu ordens de Chucky para assassinar Agnaldo Felipe, morador de um bairro dominado por uma facção rival. Conforme as investigações policiais, as quais o PIMENTA teve acesso a um trecho, o condenado hoje fez os primeiros disparos contra Agnaldo em um local próximo ao bar, nas imediações da Vila Olímpica.

Segundo provas apresentadas pelo MP-BA, Agnaldo Felipe correu para o interior do bar. Sem entender o que estava acontecendo, um grupo de pessoas que participar de uma festa de “paredão” também tentou buscar proteção no mesmo local, onde estavam clientes do estabelecimento.

Mesmo com o bar lotado, Lavosier Souza não teria parado de atirar e acabou baleando outras oito pessoas. O atirador só deixou o local quando descarregou toda a arma. Uma das vítimas afirmou que Agnaldo Felipe só não foi atingido por mais disparos porque usou um cliente do estabelecimento comercial como escudo.

Esse cliente foi a vítima ferida com maior gravidade, mas sobreviveu e prestou depoimento nesta terça-feira. Já Agnaldo Felipe foi atingido com dois tiros, mas sem gravidade. Hoje ele mora em uma cidade de Santa Catarina.

O ataque foi gravado em câmeras de segurança do bar, que acabou fechado dois anos depois. Os baleados no ataque da madrugada do dia 19 de agosto de 2018 foram sete homens e duas mulheres, mas somente um homem identificado como Ascletiade Sá dos Santos com maior gravidade.

Lavosier Souza já estava preso no Conjunto Penal de Itabuna. O tempo da condenação de acusado não foi divulgado porque o juiz ainda iria calcular a penalidade pela ação contra cada vítima. Ele alegou inocência e que não conhecia nenhum dos feridos. Texto exclusivo do PIMENTA.

Uma resposta

  1. Atualiza aí , a Condenação foi só em 15 anos…
    Inclusive ele já vai sair do presídio, devido tempo que tava preso..

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.