Tempo de leitura: < 1 minuto

O Tribunal do Júri condenou, nesta quinta-feira (25), um dos acusados de participação no assassinato de Bruno Lino de Andrade Loureiro, gerente de uma pousada em Canavieiras, no sul da Bahia. Erionaldo da Cruz dos Santos foi punido por homicídio triplamente qualificado.

O julgamento durou mais de 7h e os jurados votaram com a tese do Ministério Público da Bahia (MP-BA), que apresentou um resumo das investigações feitas pela Polícia Civil. Erionaldo da Cruz foi condenado a cumprir pena em regime fechado.

Bruno Lino de Andrade foi assassinado em fevereiro de 2020. O réu Erionaldo da Cruz, que morava com a proprietária da pousada, foi preso dois dias após o corpo da vítima ser encontrado numa praia. A dona do estabelecimento é alemã e morava em Canavieiras na época do crime. Ela retornou para a Europa e também é suspeita de envolvimento no assassinato.

OUTROS ACUSADOS DO CRIME

Além de Erionaldo da Cruz e da dona da pousada, Jailson da Cruz e Társio Costa de Jesus são acusados de envolvimento no crime. A data do julgamento dos dois suspeitos não foi marcada pela justiça.

O corpo de Bruno Lino foi encontrado amarrado numa praia de Canavieiras. Ele sumiu depois ter ido a Itabuna e retornado para Canavieiras. A vítima, segundo a Polícia Civil, tinha procurações para administrar a pousada, que pertencia a empresária alemã.

Bruno Loureiro tinha o documento porque a dona do estabelecimento estava em situação irregular no Brasil e não poderia abrir contas e fazer transações financeiras, conforme informações do delegado. A polícia concluiu que Erionaldo da Cruz matou a vítima para assumir o controle da pousada em Canavieiras.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.