Centro de Triagem de Materiais Recicláveis em Itabuna está em fase final de construção
Tempo de leitura: 3 minutos

Itacaré venceu a descrença, na tarde de quinta-feira (25), ao tornar-se marco em cuidado ambiental no sul da Bahia com a decretação do fim do lixão e projeto estruturado da cadeia envolvida na coleta, triagem e destinação final de resíduos sólidos. A cerimônia histórica começou no auditório do Ecoporan Hotel.

“A maior vitória disso tudo isso não é só o fechamento do lixão. Estamos dando local digno de trabalho para os catadores, com o Centro de Triagem e Econegócios, um local seguro e digno de moradia, construindo 25 casas para essas famílias e capacitando essas pessoas para gerar maior renda reciclando o lixo. Nossa maior vitória tem sido cuidar dessas pessoas”, disse o prefeito Antônio Mário Damasceno, Tonho de Anízio (PT).

Para o ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, o projeto Lixão Nunca Mais é um dos maiores projetos que o país já presenciou por assegurar a preservação do meio ambiente e do desenvolvimento sustentável. “Ter um projeto dessa magnitude concretizado, é de extrema importância. Isso é um avanço significativo na questão ambiental e social, é, na verdade, a realização de um sonho coletivo”, disse o ministro.

Para o presidente da Associação Vitória, Emerson (Binho), Deus tem usado o prefeito Antônio de Anízio e as Secretarias para realizar este trabalho. Ainda segundo ele, a esperança era que iria morrer no lixão. “No início, eu não acreditava. Pensei que seria mais uma grande mentira, mas hoje eu posso ver o sonho se tornar realidade”, disse Binho.

Tonho de Anízio inaugura transbordo e centro de triagem e negócios

UMA NOVA REALIDADE

Entre mau cheiro, chorume, ratos, porcos, urubus e insetos viviam os catadores que tiravam do lixão o seu sustento. Submetendo-se diariamente ao risco de doenças e sem usar equipamento de segurança, estavam ainda expostos a muitos tipos de contaminação e acidentes.

Desde o ano passado, a prefeitura, em parceria com o Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR) e a agência alemã de cooperação técnica GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit GmbH), com o apoio do Ministério Alemão do Meio Ambiente, Proteção da Natureza, Segurança Nuclear e Defesa do Consumidor (BMUV); vem realizando uma série de ações coordenadas pelo Projeto ProteGEEr, contando com a participação da Associação de Catadores Vitória com o objetivo de encerrar definitivamente as atividades no lixão.

Em ato simbólico, Tonho e secretário Marco Luedy fecham acesso ao lixão

As ações que fazem parte do Projeto Lixão Nunca Mais envolvem a desativação do lixão, o Programa de Coleta Seletiva, o funcionamento da Estação de Transbordo e do Centro de Triagem e Econegócios, a recuperação da área degradada, a implementação da Educação Ambiental nas escolas e a construção de casas para todas as famílias que atualmente residem no lixão do município, oferecendo mais conforto, e acima de tudo, dando mais dignidade aos munícipes que mais necessitam.

NEGÓCIOS

Após a cerimônia de abertura, ocorreu a coletiva de imprensa. Logo depois, a comitiva seguiu para visitação e fechamento do lixão. Por fim, inauguraram a Estação de Transbordo. A ação do município e de parceiros tem a participação da CVR, empresa credenciada pelo Ibama e Inema para recepção e destinação final de resíduos sólidos é parceira da Prefeitura de Itacaré na implantação da Estação de Transbordo e já realizou algumas doações e tem acompanhado o desenvolvimento do Lixão Nunca Mais.

Dando continuidade às inaugurações, foi a vez do Centro de Triagem e Econegócios que conta com sala de administração, banheiro feminino e banheiro masculino, copa, cozinha, showroom, brechó, espaço para produção de vassouras ecológicas, local de oficina de artesanatos e estação de reciclagem.

HISTÓRICO

Local de disposição inadequada de resíduos com mais de cinco hectares de extensão em plena Mata Atlântica, o lixão de Itacaré recebia cerca de 30 toneladas de lixo não tratado por dia há mais de 30 anos. O lixão ameaçava a biodiversidade, a saúde pública e o turismo local, provocando poluição das águas, desmatamento da Mata Atlântica e o aumento da emissão de gases de efeito estufa e da erosão. Vinte e cinco catadores e suas famílias buscavam sua subsistência, catando recicláveis em meio ao lixão, em condições inadequadas de trabalho.

A desativação do lixão segue determinação do Novo Marco Legal do Saneamento (Lei nº. 14.026/20), que prevê o fechamento de mais de 3 mil locais de disposição final inadequada de resíduos sólidos espalhados por todo o País. O de Itacaré é o primeiro lixão na Mata Atlântica a ser encerrado desde a sanção da legislação

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.