Geane Brito (à direita) foi morta em escola de Barreiras || Fotos Redes Sociais/Reprodução
Tempo de leitura: < 1 minuto

O adolescente que matou uma estudante na Escola Municipal Eurides Sant´Anna, em Barreiras, tem 14 anos e usou a arma do pai no crime. Nas redes sociais, ele costumava fazer publicações contra judeus, nordestinos e a população LGBTQI+ e, horas antes do ataque desta segunda-feira (26), afirmou que estava tranquilo. “Nem parece que irei aparecer em todos jornais hoje”.

O ataque vitimou Geane da Silva Brito, de 19 anos, que fazia o 9º ano do Ensino Fundamental e usava cadeira de rodas. Ainda não se sabe se ela era alvo preferencial do agressor ou se apenas não conseguiu fugir dele. A jovem foi baleada várias vezes, teve o corpo ferido por golpes de facão e morreu no local.

Além de um revólver calibre 38 e do facão, o adolescente portava uma bomba caseira e uma machadinha. Na ação, iniciada por volta das 7h, usou o mesmo capuz preto em que aparece em fotos na internet.

O adolescente foi baleado por uma pessoa não identificada, que o atingiu em um dos ombros, no abdômen e em uma das pernas. O atirador foi socorrido e levado para o Hospital Geral do Oeste, onde chegou às 8h10min. Não há detalhes sobre o estado de saúde dele.

Policial, o pai do atirador disse à Polícia Civil que mantinha a arma escondida em casa e que não sabia que o filho tinha conhecimento do esconderijo.

AULAS SUSPENSAS

A Prefeitura de Barreiras suspendeu as aulas da escola por uma semana. A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) prestou solidariedade à família de Geane Brito e colocou a equipe de psicólogos da pasta à disposição para o atendimento da comunidade escolar e dos familiares da vítima. Com GloboNews.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.