Mais de 34 mil vão atuar na operação eleições 2022|| Foto Divulgação
Tempo de leitura: 2 minutos

A Secretaria da Segurança Pública da Bahia está utilizando, durante a Operação Eleições 2022, mais de 34 mil profissionais, entre policiais militares, civis, peritos e bombeiros militares. As ações têm o objetivo de garantir a segurança dos mais de 11 milhões de baianos aptos a votar no próximo domingo (2). Os profissionais têm como aliadas as ferramentas tecnológicas.

A Secretaria de Segurança apoiará a Justiça Eleitoral durante o primeiro turno, com reforço do policiamento ostensivo para a garantia do direito de voto, escolta de urnas eletrônicas, prevenção e repressão a crimes eleitorais, além do resgate e atendimento de eleitores ou candidatos.

No Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), em operação desde a última segunda-feira (26), acontece a interlocução com 23 Centros Integrados de Comunicação (Cicoms) espalhados na Bahia e o monitoramento da operação.

Instalado no Centro de Operações e Inteligência, no Cab, no CICC atuam profissionais das Superintendências de Inteligência (SI), de Gestão Tecnológica e Organizacional (Sgto), de Gestão Integrada da Ação Policial (Siap), Corregedoria Geral (Coger), e integrantes das Polícias Militar, Civil, Técnica e Corpo de Bombeiros Militar, além de profissionais convidados de forças municipais e federais.

POLÍCIA CIVIL

A Polícia Militar emprega 29 mil policiais militares dos Comandos de Policiamentos Regionais (CPRs) da Capital e RMS e do Interior (CPRs Chapada, Oeste, Leste, Norte, Sul e Sudoeste), além de profissionais do Comando de Policiamento Especializado (CPE), com o Grupamento Aéreo (Graer), Batalhão e Companhias Independentes de Policiamento Rodoviário (BPRv e CIPRv), Companhias Independentes de Policiamento Especializado (Cipes), de Policiamento Ambiental (Coppa e Cippas), de Policiamento Montado, além de unidades de ensino e administrativas.

Os profissionais contarão com viaturas quatro e duas rodas e aeronaves para o patrulhamento ostensivo e repressivo, em especial no combate a crimes como transporte irregular de eleitores, violação do sigilo ou compra de voto, ameaça, vias de fato, diligências e escoltas.

POLÍCIA CIVIL

A Polícia Civil reforçará o efetivo nas unidades de polícia judiciária com mais de dois mil delegados, escrivães, investigadores e servidores administrativos em Salvador, RMS e interior, para monitorar, detectar e investigar crimes eleitorais.

Serão empregados profissionais lotados nos Departamentos de Polícia Metropolitana (Depom), de Polícia do Interior (Depin), de Inteligência (DIP), de Proteção à Pessoa (DHPP), Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), Coordenação de Operações Especiais (Coe), dentre outros setores.

Para delitos praticados na rede, a PC irá dispor de uma equipe realizando o cyber patrulhamento em redes sociais, sites e blogs. Todo o material auxiliará no processo investigativo.

Em áreas e zonas com grande aglomeração de eleitores, drones auxiliarão na observação e apuração de crimes. Durante a votação, os policiais do Departamento de Inteligência desenvolvem atividades veladas nas áreas de grande interesse.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.