Secult determinou remoção de tinta da escultura || Fotos Chico Passos e PMI
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria Municipal de Cultura (Secult) botou na conta de um servidor a decisão de pintar de branco um dos leões de mármore Carrara da escadaria da Catedral São Sebastião, no Centro Histórico de Ilhéus. Segundo a pasta, o trabalhador tomou a iniciativa de modo isolado, sem consultar a gestão, por ignorar a inadequação do feito.

“Se houve decisão de pintar, não partiu da secretaria, pois já tínhamos combinado a limpeza adequada. Infelizmente, o desconhecimento sobre a importância do patrimônio histórico e artístico gera não só em Ilhéus, mas ao redor do mundo, situações terríveis, algumas irreversíveis”, afirmou o secretário de Cultura do município, Geraldo Magela.

Antes da manifestação do secretário, a mão de tinta na escultura gerou reações críticas. Uma delas partiu do fotógrafo Chico Passos. “Só em Ilhéus para se pintar de esmalte sintético uma peça de mármore de Carrara italiano! Estamos vivendo um período sombrio para a memória artística e arquitetônica da cidade. Triste!”, escreveu o artista em uma rede social.

O memorialista e também fotógrafo José Nazal (Rede) lembrou que a escultura tem mais de cem anos. “Somente num governo recheado de gente que não tem amor pela cidade e sua história, pode ocorrer uma situação dessa: pintar uma peça centenária de mármore Carrara com tinta óleo. Lastimável”, disparou o ex-vice-prefeito, que pediu providências ao prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), e ao vice-prefeito Bebeto Galvão (PSB).

Após os puxões de orelha, a Secult determinou a limpeza da escultura. “Além da retirada da tinta, a peça vai receber lavagem completa, a fim de que seja mostrado todo o esplendor da obra de arte”, diz trecho da nota divulgada pela pasta.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.