Perseguida há anos, jovem pede socorro para se livrar de acusado || Foto Redes Sociais
Tempo de leitura: 2 minutos

Depois de ser atacada na rua Adolfo Maron, no centro de Itabuna, a jovem Esther Vasconcelos, de 21 anos, recorreu às redes sociais para fazer um apelo às autoridades para que adotem medidas urgentes para evitar uma tragédia com ela. A jovem e o companheiro foram agredidos por um homem em pleno centro da cidade.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o homem, que estaria sofrendo transtornos mentais, caminhando em direção às vítimas, xingando-lhes. “Qual a cor da sua pele. Ela é minha. Ela é minha mulher. Qual a cor da sua pele branquelo, macaco?” questionou o agressor. Ao chegar mais próximo, ele tenta atacar a jovem, que é defendida pelo companheiro dela. Os dois chegaram a trocar agressões físicas e o acusado só foge quando outro homem se aproxima.

Essa não foi a primeira agressão sofrida pela jovem. Esther Vasconcelos relata que, apesar de nunca ter dado qualquer tipo de liberdade, há sete anos é perseguida por um homem, que tem apresentado um comportamento cada vez mais agressivo. O acusado chegou a ser preso em julho de 2021, por determinação judicial. O problema é que o suspeito acabou liberado tempo depois para o desespero da jovem e preocupação da família.

A jovem reclamou que o suspeito ficou pouco tempo preso. Segundo ela, foi informada pela justiça que o homem seria levado para tratamento psiquiátrico em Salvador, o que não ocorreu. “Quanto ele estava solto, eu voltei a ter uma vida, pois foram sete anos sem viver, ter adolescência. Depois que foi solto, ele descumpriu a medida protetiva por três vezes”, reclama.

Esther Vasconcelos afirma que começou a ser perseguida pelo acusado quando tinha 15 anos. Durante anos, conforme relato, lutou para obter uma medida protetiva, somente conseguida depois que a sua mãe foi agredida. A jovem relata ainda que, quando é agredida, liga para a polícia e ouve sempre a mesma conversa: a prisão em flagrante só pode ocorrer se ela ainda estiver diante do agressor.

No início da noite, começou a circular novos vídeos. Um deles com grupo de homens agredindo o acusado. Em outro, ele aparece todo sujo de sangue. Assiste aos vídeos com o desabafo de Esther e com as cenas da nova agressão.

Daniel voltou para o Conjunto Penal de Itabuna
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Polícia Militar cumpriu, nesta quinta-feira (11), mandado de prisão contra Daniel Palma Santos, apontado como líder de uma facção criminosa do sul da Bahia. Equipe do 15º Batalhão de Polícia Militar (BPM) chegou ao alvo após denúncia anônima. Daniel Cinzento, como é conhecido, foi preso no bairro Urbis IV, em Itabuna.

De acordo com a PM, ele é acusado de tráfico de drogas, posse ilegal de arma de fogo e outros crimes. Já havia sido preso em 2017 e 2019, quando conseguiu fugir do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, onde estava custodiado. Agora, Daniel voltou para o Conjunto Penal de Itabuna.

É a primeira vez em dois anos que índice fica dentro da meta || Foto ABr
Tempo de leitura: 2 minutos

A inflação do país foi de 0,56% em dezembro. Com isso, o IPCA fechou 2023 com alta acumulada de 4,62%, dentro do intervalo da meta da inflação determinada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que era de 3,25%, com tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, ou seja, entre 1,75% e 4,75%. Os dados são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado hoje (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em dezembro, todos os nove grupos de produtos e serviços analisados pela pesquisa registraram alta. A maior veio de alimentação e bebidas (1,11%), grupo que acelerou em relação ao mês anterior (0,63%) e exerceu o maior impacto sobre o resultado geral (0,23 ponto percentual). Com o aumento nos preços da batata-inglesa (19,09%), do feijão-carioca (13,79%), do arroz (5,81%) e das frutas (3,37%), a alimentação no domicílio subiu 1,34%. Por outro lado, o preço do leite longa vida baixou pelo sétimo mês seguido (-1,26%).

“O aumento da temperatura e o maior volume de chuvas em diversas regiões do país influenciaram a produção dos alimentos, principalmente dos in natura, como os tubérculos, hortaliças e frutas, que são mais sensíveis a essas variações climáticas”, explicou, em nota, o gerente do IPCA, André Almeida.

Leia Mais

Momento em que autor do crime inicia ataque à vítima || Foto Reprodução
Tempo de leitura: < 1 minuto

A vítima de um ataque a tiro ocorrido na última madrugada, no Centro de Ilhéus, não resistiu ao ferimento e faleceu nesta quinta-feira (11), no Hospital Regional Costa do Cacau. Atingida na cabeça, Fernanda dos Santos Ferreira, de 23 anos, chegou a ser entubada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas perdeu muita massa encefálica.

O crime foi cometido por um homem que teria relacionamento afetivo com a vítima. Por isso, há suspeita de feminicídio. Ele deixou o local em um carro e ainda não foi identificado. Câmera de segurança registrou o momento do ataque (veja aqui).

O PIMENTA entrou em contato com a assessoria de comunicação da Polícia Civil em busca de mais informações sobre o caso e aguarda retorno.

Homens observam agressor atacando mulher || Foto Reprodução
Tempo de leitura: < 1 minuto

Uma mulher foi atingida por disparo de arma de fogo, na madrugada desta quinta-feira (11), em um posto de combustíveis próximo à Praça Cairu, no Centro de Ilhéus. Câmera de segurança registrou o momento em que um homem imobilizou Fernanda dos Santos Ferreira, de 23 anos, e atirou contra a cabeça da vítima.

A gravação, que circula na internet, mostra Fernanda se abaixando para pegar algo no chão, quando o homem se aproxima, empunhando uma arma, e a agride com um chute. A vítima se levanta e tenta se afastar do agressor, mas é perseguida até revidar com tapas. Nesse momento, o homem a agarra e atira. Ela caia desacordada.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-192) levou Fernanda para o Hospital Regional Costa do Cacau. Não há informações sobre o estado de saúde dela.

Tudo foi visto por pessoas que bebiam na loja de conveniência do posto. Após o crime, o autor fugiu de carro. Até o momento, ele não foi identificado. A Polícia Militar esteve no local e registrou a ocorrência.

Cúpula da Segurança Pública apresenta balanço sobre 2023 || Foto GOVBA
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) informou que, em 2023, foram registradas 4.855 mortes violentas no estado, uma queda de 6% na comparação com 2022, segundo a Pasta. Os dados foram apresentados pelo secretário Marcelo Werner, nesta quarta-feira (10), no Centro de Operações e Inteligência, em Salvador.

O estado registrou, em 2023, o menor índice de mortes violentas dos últimos oito anos, saindo de mais de 6.600 casos para 4.855, conforme a SSP-BA. “Desde 2016 não havia uma redução tão acentuada nos crimes contra a vida. A nossa meta é seguir combatendo o crime organizado de forma integrada e inteligente, preservando vidas”, assegurou Marcelo Werner.

Nos 12 meses do último ano foram computadas quedas de 6,3% no índice de homicídios, 1,9% no número de feminicídios e 23% nos latrocínios (roubo seguido de morte), ainda segundo a Secretaria.

Também participaram da apresentação do balanço o comandante-geral da PM, coronel Paulo Coutinho; a delegada-geral da Polícia Civil, Heloísa Brito; a diretora-geral do Departamento de Polícia Técnica (DPT,  perita criminal Ana Cecília Bandeira; o comandante-geral dos Bombeiros, coronel Adson Marchesini; e outras autoridades.

Hanseníase registra aumento de número de casos || Foto SMS Mesquita
Tempo de leitura: 5 minutos

Entre janeiro e novembro de 2023, o Brasil diagnosticou ao menos 19.219 novos casos de hanseníase. Mesmo que preliminar, o resultado já é 5% superior ao total de notificações registradas no mesmo período de 2022.

Segundo as informações do Painel de Monitoramento de Indicadores da Hanseníase, do Ministério da Saúde, o estado de Mato Grosso segue liderando o ranking das unidades federativas com maiores taxas de detecção da doença.

Até o fim de novembro, o total de 3.927 novos casos no estado já superava em 76% as 2.229 ocorrências do mesmo período de 2022. Em seguida vem o Maranhão, com 2.028 notificações, resultado quase 8% inferior aos 2.196 registros anteriores.

A Secretaria de Saúde de Mato Grosso informou que nos últimos anos os diagnósticos da doença vêm aumentando gradualmente, resultado de uma “política ativa de detecção” que, entre outras medidas, inclui a “capacitação dos profissionais da saúde”.

A exemplo do Mato Grosso, outras unidades federativas seguem abastecendo o cadastro nacional com informações anteriores a novembro, o que significa que o percentual de 5% tende a aumentar ainda mais.

A pasta também atualizou os dados estaduais. Somados os diagnósticos de dezembro e outros ainda não reportados ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), o total de novos casos notificados em 2023 já chega a 4.212.

“Para nós, o aumento [dos diagnósticos] nacional do último ano não é novidade, pois há uma grande subnotificação de casos no país”, disse o coordenador Nacional do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan), Faustino Pinto, explicando que, paradoxalmente, o aumento de diagnósticos é, em um primeiro momento, algo positivo.

De acordo com Faustino, até 2019, o número de novos casos identificados vinha aumentando ano a ano, sem, com isso, representar a real gravidade da situação. “Como há muitos anos não há uma campanha nacional de esclarecimento e estímulo para as pessoas procurarem o serviço de saúde em caso de suspeita da doença, os diagnósticos são resultado de uma busca espontânea. As pessoas procuraram o serviço de saúde por iniciativa própria, buscando as causas de uma mancha na pele; área dormente ou dores nos nervos”, explicou Pinto, acrescentando que a situação piorou de 2020 a 2021, devido à pandemia da covid-19.

A Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, no boletim epidemiológico divulgado em janeiro de 2023, com os dados da doença relativos a 2022, admite que a pandemia impôs um desafio extra, exigindo estratégias direcionadas ao fortalecimento das ações de controle da hanseníase.

“A pandemia de covid-19 criou dificuldades para novos diagnósticos e para o tratamento de pacientes com hanseníase, contribuindo para a subnotificação e o pior prognóstico dos casos”, disse a secretaria ao demonstrar que, de 2019 a 2020, o total de casos diagnosticados caiu de 27.864 para 17.979. Além disso, em 2021, 11,2% dos 18.318 novos pacientes identificados já apresentavam lesões graves nos olhos, mãos e pés quando foram diagnosticados.

“Ou seja, hoje não retornamos sequer aos números pré-pandemia, quando já acusávamos a subnotificação. O que significa que a situação atual é ainda mais grave, porque se estamos identificando apenas os pacientes que chegam por demanda espontânea, muitas pessoas estão deixando de ser tratadas a tempo de evitar sequelas neurológicas. Também estamos falhando nos esforços para interromper o ciclo de transmissão da doença”, comentou Pinto, destacando que, uma vez iniciado o tratamento, a pessoa infectada deixa de transmitir a bactéria causadora da hanseníase para outras pessoas susceptíveis a desenvolver a doença.

JANEIRO ROXO

Considerada uma das mais antigas doenças a afligir o ser humano, a hanseníase é uma doença infecciosa e contagiosa que atinge a pele, mucosas e o sistema nervoso periférico, ou seja, nervos e gânglios. Embora tenha cura, pode causar lesões e danos neurais irreversíveis se não for diagnosticada a tempo e tratada de forma adequada.

Entre os sinais e sintomas mais frequentes estão o aparecimento de manchas, que podem ser brancas, avermelhadas, acastanhadas ou amarronzadas, e/ou áreas da pele com alteração da sensibilidade e o comprometimento dos nervos periféricos, geralmente com engrossamento da pele, associado a alterações sensitivas, motoras e/ou autonômicas.

Também podem ser indícios da doença o surgimento de áreas com diminuição dos pelos e do suor; sensação de formigamento e/ou fisgadas, principalmente em mãos e pés; diminuição ou perda da sensibilidade e/ou da força muscular na face, e/ou nas mãos e/ou nos pés, bem como a ocorrência de caroços (nódulos) no corpo, em alguns casos avermelhados e dolorosos.

A maioria das pessoas expostas à bactéria Mycobacterium leprae não desenvolve a doença.

Leia Mais

Uilian estava desaparecido desde sábado (6) || Foto Ilhéus 24h
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Departamento de Polícia Técnica de Itabuna (DPT) confirmou a identidade do homem encontrado morto na foz do Rio Cachoeira, em Ilhéus. Trata-se de Uilian Silva de Oliveira, de 29 anos. A família ajudou na identificação, e o corpo foi liberado na tarde ontem (10). A causa da morte não foi divulgada.

Uilian morava no bairro Pontal e estava desaparecido desde a manhã de sábado (6). A família chegou a registrar boletim de ocorrência na Polícia Civil. O corpo do jovem foi encontrado sem sinais de violência, na tarde de terça-feira (9), no rio, próximo a uma área de mangue, na Sapetinga.

O sepultamento foi ontem, no Cemitério São João Batista, no Nelson Costa. Uilian deixa uma filha.

Calçadista anuncia 20 vagas em Camacan, no sul da Bahia, para costurador a máquina || Imagem Abicalçados
Tempo de leitura: 3 minutos

 

Três municípios sul-baianos e um do sudoeste do Estado reservam mais de 80 oportunidades de trabalho em vários setores, nesta quinta-feira (11), da indústria ao comércio e serviços, dentre outras. São 27 vagas em Ilhéus, 21 em Itabuna, 20 em Camacan e 15 em Jequié, todas com intermediação do SineBahia.

As vagas estão listadas logo abaixo, no Leia Mais, e os interessados devem procurar o SineBahia até as 13h30min em Camacan e até as 15h30min nas demais unidades, mas é importante não deixar para a última hora, pois o preenchimento das oportunidades é dinâmico.

Para o cadastramento, necessário apresentar carteiras de Identidade e de Trabalho, CPF e comprovantes de residência e de escolaridade. Para as vagas em Camacan, todas ofertadas por uma indústria de calçados, não é exigida experiência mínima.

O SineBahia em Camacan está localizado na região central da cidade. Em Itabuna, a unidade fica no segundo piso do Shopping Jequitibá, na Avenida Aziz Maron, no Góes Calmon. Em Ilhéus, na Rua Eustáquio Bastos, no Centro. Fica na Avenida Rio Branco, no Centro, a unidade de Jequié. Clique em Leia Mais e confira todas as vagas.

Leia Mais