Elizeu Machado dos Santos não é visto desde 18 de junho
Tempo de leitura: 2 minutos

Faz uma semana que Gutembergue Rosa dos Santos, de 52 anos, não dorme direito. Na terça-feira da semana passada (18), seu filho, Elizeu Machado dos Santos, 27, disse à mãe que não estava sentido bem, recorda o pai. No dia seguinte, o jovem, que mora no Salobrinho e estuda Matemática na Uesc, em Ilhéus, deu entrada no Hospital Regional Costa do Cacau, levado pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), na companhia do proprietário do imóvel onde reside.

Foi o senhorio quem telefonou para Gutembergue, ainda na quarta-feira (19), informando-o que deixou Elizeu sob os cuidados de equipe do Hospital. Moradores de Itagibá, os pais do jovem pegaram um ônibus e chegaram em Ilhéus horas depois, mas não encontraram o filho nem tiveram nenhum contato com ele desde então.

Procurada pelo PIMENTA, a direção do Hospital informou que Elizeu chegou à unidade após tentativa de suicídio. “Após triagem, o paciente voluntariamente evadiu”, diz a administração hospitalar, em nota. De acordo com o Hospital, além do registro da boletim de ocorrência, a instituição promoveu buscas nas imediações da BR-415. A nota também informa que o paciente em triagem – e, portanto, ainda não internado – pode optar por sair ou continuar no Hospital.

FORÇA-TAREFA POPULAR

Gutembergue disse ao PIMENTA que familiares e amigos de Itagibá vieram a Ilhéus para ajudar nas buscas. O grupo se dividiu entre idas ao Centro e incursões na mata atrás do Hospital. O pai conseguiu a pista mais significativa do filho na sexta-feira (21), quando caminhou mais de cinco horas pela mata, guiado por um morador das redondezas. “Encontrei a blusa, o documento [RG] e a pulseira [da triagem do Hospital]”.

O advogado Júlio Gomes presta assistência à família e acompanhou Gutembergue numa conversa com a direção do Hospital, nesta quinta-feira (27). Eles solicitaram o prontuário de Elizeu e acesso às imagens do circuito de videomonitoramento da unidade.

Gutembergue Rosa pontua as frases com a palavra “desespero”. Tem dificuldade de entender como um paciente, com suspeita de surto psicótico e encaminhado após tentativa de suicídio, simplesmente desaparece de um hospital. “Desespero”, repete, enfatizando que Elizeu não age de forma agressiva. Instalado no cômodo do filho no Salobrinho, o pai tem mais uma noite insone pela frente.

Informações sobre o paradeiro de Elizeu podem ser enviadas pelos números (73) 98142-8736 e 190.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *