Tempo de leitura: 2 minutos

Os representantes do sul da Bahia começaram muito bem o Mundial de Canoagem Velocidade, que está sendo realizado em Halifax, no Canadá. Isaquias Queiroz foi imbatível nesta quarta-feira (3). Ele foi o mais rápido da 3ª bateria da eliminatória, terminando o percurso do C1 500 metros em apenas 1min52s70, ficando à frente do italiano Carlo Tacchini e do polonês Aleksander Kitewski.

Com o resultado, o atleta de Ubaitaba foi direto para a final da competição, que acontecerá no sábado (6). “A gente chegou aqui analisando a questão do vento. A primeira largada, eu queimei, dai dei uma “seguradinha” na saída. Saí mais atrás e final eu dei um gás. Agora é descansar e pensar nas próximas provas” disse Isaquias.

Esta quarta-feira foi dia de estreia. A dupla formada por Erlon de Souza e Filipe Santana Vieira iniciou a largada em competições internacionais por volta do meio-dia para disputar o C2 500 metros. Eles tiveram dificuldades no início da prova, mas conseguiram avançar bem.

A dupla do sul da Bahia terminou o percurso na eliminatória em 1min43s67 segundos, apenas 0.91s, atrás dos primeiros colocados, a dupla italiana formada por Nicolae Craucin e Daniele Santini. Erlon é de Ubatã e Filipe é de Ubaitaba, mesma cidade de Isaquia Queiroz, que já fez dupla com Erlon.

Com o resultado de hoje, eles garantiram vaga para a disputa da semifinal. “Foi uma prova muito boa. Fizemos um sprint final muito bom. A gente viu que existe uma possibilidade de estarmos em uma final. O barco está bem. Agora vamos ver os tempos nas outras eliminatórias para analisar a nossa posição”, explicou Erlon.

Filipe Vieira destacou a prova de recuperação que fizeram. “É a primeira que competimos juntos. Fomos fortes. Tivemos uma pequena dificuldade no início, mas deu para perceber que temos nível para chegar em uma final”, avaliou Filipe.

IItabuna recebe recursos antecipados de ICMS || Foto José Nazal
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Governo do Estado vai antecipar aos 417 municípios baianos, no próximo dia 30 de dezembro, as cotas do ICMS a ser arrecadado nos dias 28 e 29, que, de acordo com o calendário das transferências constitucionais, seriam apenas repassados em janeiro. A antecipação atende a pedido encaminhado ao governador Rui Costa e à Secretaria da Fazenda pela União dos Municípios da Bahia (UPB).

O cronograma de repasses para os próximos dias, definido após entendimento do Estado com o Banco do Brasil, prevê ainda que o imposto arrecadado entre os próximos dias 21 e 25 estará nas contas dos municípios no dia 29 de dezembro. A arrecadação relativa à movimentação econômica do dia 30, último antes do tradicional feriado bancário do dia 31, será repassada em 5 de janeiro.

“Num ano atípico como 2020, em que todos os entes federativos sofreram com os impactos da pandemia e ainda arcam com as despesas exigidas pela área de saúde, a antecipação é um alívio no caixa dos municípios”, avalia o governador.

O secretário da Fazenda, Manoel Vitório, ressalta que, mesmo com as pesadas perdas do início da pandemia, o Estado conseguiu aos poucos retomar o ritmo da arrecadação, que não deve superar a de 2019, mas conseguiu alcançar patamar similar ao do ano passado, o que se reflete nas transferências aos municípios.

Tempo de leitura: 2 minutos

acarajé-2-okA alegria e a tranquilidade do baiano são mundialmente conhecidas, mas não é recomendável profanar aquilo que o povo da boa terra considera sagrado: isso vale pros seus templos, seus terreiros e, não menos, para seu acarajé.

O bolinho de feijão tem na Bahia um status superior, tanto que é oferecido aos orixás. E é pecado gravíssimo menosprezá-lo, vulgarizá-lo ou profaná-lo. Até a Fifa, que tentou impedir a venda do quitute na Arena Fonte Nova durante a Copa de 2014, acabou tendo que baixar a bola. Mas a má-vontade da cartolagem irritou tanto os orixás, que a entidade máxima do futebol desmoronou após o mundial.

Agora, a Polícia Federal pisa em campo minado, ao batizar a 23ª fase da Operação Lava-Jato com o nome de “Acarajé”. O fato repercutiu mal entre muitos baianos e, nas redes sociais, há inúmeros protestos contra a escolha dos meganhas.

“Queremos que combatam a corrupção, mas exigimos que respeitem nossas tradições”, proclamou via WhatsApp um baiano, retado com a PF. O mesmo chegou a sugerir que o governador Rui Costa assine uma moção de repúdio contra a apropriação indébita do símbolo sacro-gastronômico.

Longe do tabuleiro da baiana, a Operação Lava-Jato vive um momento labiríntico e sofre questionamentos de setores da sociedade, principalmente no campo jurídico. Sem desconhecer a importância do combate a corrupção, as críticas miram possíveis abusos contra direitos fundamentais, como o uso da prisão preventiva para forçar delações.

A FASE – A 23ª fase da operação cumpre um total de 58 mandados no Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. São 38 de busca e apreensão, dois de prisão preventiva, seis de prisão temporária e cinco de condução coercitiva. Na capital baiana, agentes da PF visitaram a sede da Odebrecht e a casa de praia do marqueteiro João Santana, que é um dos alvos desta etapa da Lava-Jato.

Tempo de leitura: < 1 minuto

baianos

O jornal A Tarde promove competição para descobrir quem foi, segundo a opinião popular, o maior baiano de todos os tempos.

A primeira fase da seleção colheu indicações espontâneas de notáveis, cada um indicando três nomes em ordem decrescente de relevância. Desta etapa, saiu vencedor o jurista e político Ruy Barbosa, seguido pelo poeta Castro Alves e pelo escritor Jorge Amado.

Entre os dez nomes mais lembrados, além dos três mestres acima, figuram, em ordem alfabética, ACM, Anísio Teixeira, Dorival Caymmi, Edgar Santos, Glauber Rocha, Irmã Dulce e Milton Santos.

A lista com os dez compõe agora em uma enquete, e qualquer pessoa pode votar no seu preferido. O resultado indicará o baiano “mais retado” de todos os tempos.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Deputados Amauri Teixeira e Geraldo Simões integram coro dos descontentes com o descarte dos baianos do Governo Federal

A manhã desta quinta-feira está  bastante movimentada para dois petistas baianos na Câmara Federal. Logo cedo, o deputado federal Amauri Teixeira (PT/BA), ao lado do deputado Geraldo Simões (PT/BA), iniciavam articulação dentro da bancada baiana para afinar o discurso em prol do “equilíbrio das federações” no Governo Federal. Ontem (14) à tarde, ficou por conta de Amauri abrir o caminho dos descontentes com as exonerações em série dos ministros baianos.
“É claro que exigimos equilíbrio político. A Bahia não é um Estado qualquer! O Nordeste não é uma região qualquer! O Nordeste tem a sua importância e quer ser contemplado também nos cargos, para ter representantes no Governo Federal para aplicar as políticas voltadas para a região. Nós queremos ter representantes da Bahia para aplicar as políticas voltadas para o desenvolvimento da Bahia”, defendeu Amauri.