Erasmo Ávila reage contra lentidão do município na implantação da Zona Azul
Tempo de leitura: < 1 minuto

O vereador Erasmo Ávila (PSD), presidente da Câmara de Itabuna, defendeu nesta quarta (10), o retorno da Zona Azul, sistema rotativo de estacionamento. Ele observou que, apesar das alterações na Lei 2.360/16, aprovadas pela Casa em maio deste ano, a Zona Azul continua sem funcionar em Itabuna.

– Cinco meses desde a sanção [da Lei 2.544] alteradora representaram prazo mais que razoável para que o município tivesse reorganizado nosso trânsito. É um apelo que faço – disse Erasmo.

Conforme o chefe do Legislativo, sem a Zona Azul, Itabuna perde tanto na arrecadação de receita quanto na geração de emprego. “Mais de 100 postos de trabalho poderiam ser criados com a retomada do estacionamento rotativo. Sem contar que o comércio e os próprios usuários do Sistema estão cobrando providências neste sentido. Não podemos esperar 2022 para retomar a Zona Azul”, ressaltou.

LICITAÇÃO

As alterações na Lei da Zona Azul, enviadas pelo prefeito Augusto Castro (PSD), basearam-se numa proposta inicial do próprio Erasmo, subscrito por Israel Cardoso (Agir). O atraso na implantação da Zona Azul em Itabuna é atribuído, em sua maior parte, à Comissão de Licitação do município. As queixas contra o setor são grandes internamente.

Fachada da Câmara de Itabuna, no Espaço Cultural Josué Brandão
Tempo de leitura: < 1 minuto
Alex da Oficina é relator da proposta

O Conselho Municipal de Políticas contra Drogas em Itabuna (Compod) deverá aumentar o número de membros, com a ampliação de 22 para 28 assentos, conforme projeto em tramitação na Câmara de Vereadores. A proposta do vereador Israel Cardoso (PTC) já possui parecer favorável do relator, Alex da Oficina, também do PTC, mas, após aprovação na Comissão de Legislação, ainda deverá ser apreciada por outras comissões.

Israel quer alterar originariamente a Lei 2.060/2008, de criação do Compod. Os seis novos membros seriam oriundos de entidades religiosas, da subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da comunidade acadêmico-científica. Pela Lei, o Compod deve ter formação paritária, composta por sociedade civil e a outra metade por representantes do poder público.

No voto, o relator pontuou que é a terceira vez que o Legislativo de Itabuna promove alterações no ordenamento jurídico do Compod. A mais recente, em 2016, por exemplo, instituiu o Fumpod, fundo destinado ao atendimento de despesas geradas para os programas e ações relativos às políticas contra as drogas em Itabuna.

O Compod é órgão colegiado, de caráter permanente, deliberativo, consultivo e normativo. Ele atua principalmente na prevenção ao uso, tratamento, reabilitação e reinserção social dos usuários de álcool, crack e outras drogas, bem como no combate ao tráfico.

Funcionários da Câmara passam por testagem em massa
Tempo de leitura: < 1 minuto

Após testagem em massa que detectou oito casos ativos de covid-19 e 21 de pessoas que tiveram contato com o novo coronavírus, a presidência da Câmara de Itabuna decidiu suspender as atividades abertas ao público por, pelo menos, 10 dias. Foram testadas 104 pessoas no Legislativo. As restrições começam a valer nesta quarta (10), após publicação no Jornal Oficial.

Nestes 10 dias, o acesso às dependências da Câmara ficará restrito e as sessões poderão ser acompanhadas pelas redes sociais da Casa, conforme a decisão assinada pelo presidente, Erasmo Ávila, e pelo primeiro-secretário da Casa, Israel Cardoso.

Segundo a biomédica Priscila Dias Carilo, da Vigilância Epidemiológica de Itabuna, foram identificados oito casos ativos e outros 21 daqueles que tiveram contato prévio com o coronavírus. “Na maioria dos funcionários foi detectado o anticorpo IGG, indicando que essas pessoas já tiveram contato com o vírus anteriormente, já tiveram Covid”, explicou.

A profissional conduziu a testagem com a enfermeira Tatiana Oliveira e a técnica em laboratório Patrícia Marçal, além dos também biomédicos Káriton Bronze, Natália Santana e Jéssica Oliveira. “Se a pessoa testou positivo pela primeira vez hoje [IGM reagente], a orientação é para 10 dias de isolamento. Porque pode, sim, estar transmitindo. Se após esse prazo não estiver mais com os sintomas, pode solicitar alta ligando para a Vigilância”, alertou Jéssica.

Ela detalhou, ainda, que se o servidor apresentar sintomas após os 10 dias, tem que estender mais um pouco até tais sinais irem embora. “Só que, neste caso, a pessoa tem que passar por um médico, para ele estender mais esses dias”, detalhou, informando que nova testagem será realizada.