Tempo de leitura: < 1 minuto

Neste sábado (23) houve nova eleição para escolha do síndico e subsíndico do condomínio Itaisa, a fábrica de chocolate e derivados que fechou as portas em 1995 e deixou 150 empregados a ver navios. Dirigentes do Sindicacau reclamam de irregularidades no processo eleitoral de hoje em que Heraldo Fraga acabou reeleito. É uma espécie de Fidel Castro do condomínio. Não larga o osso. O próprio Sindicacau, segundo o presidente Luiz Fernandes Andrade, não teve direito a votar ou ser votado, embora cotista.
Enquanto isso, diz, a venda do patrimônio da antiga fábrica de derivados de cacau, emperrou. A empresa que comprou os galpões, a Sol Bahia Construções, pagou apenas vinte por cento dos R$ 6,05 milhões devidos e alega não ter recursos para quitar a compra fechada em setembro do ano passado. A dívida somente seria quitada se a compradora conseguir atrair outras três ou quatro empresas para a antiga área da Itaisa. “Muitos trabalhadores já morreram sem ver o dinheiro dessa indenização a qual teriam direito”, lamenta Fernandes.